terça-feira, 9 de junho de 2015

O TDAH E NOSSAS VITÓRIAS




Temos o costume de nos apequenar diante do TDAH.
Sentirmos pena de nós mesmos. 
Valorizarmos nossas falhas e nossos erros. 
Nos jogamos no fundo do poço e por lá ficamos.
Mas isso é justo com a gente?
Estamos mesmo tão à mercê do TDAH?
Hoje conversando sobre isso comecei a pensar:
Quantas vezes ao longo da vida derrotei o TDAH?
Sim, derrotei-o inúmeras vezes...
Quando cheguei na hora...
Quando retornei aquela ligação...
Quando cumpri o que combinei...
Quando paguei minhas contas em dia...
Quando passei um bom dia com minha esposa...
Sim, são vitórias e vitórias significativas.
A cada dia de trabalho cumprido, a cada aparelho entregue no prazo ao cliente, funcionando perfeitamente é um nocaute que apliquei no TDAH. Ele se levantará novamente, mas estarei sempre ali esperando para enfrentá-lo. De igual pra igual.
Ao ser diagnosticado, o TDAH perdeu a grande vantagem que tinha sobre mim: minha ignorância!
Eu era sua vítima sem saber. Me deixava dominar sem luta, sem opor a menor resistência.
Hoje não, sabedor de sua existência o enfrento, duvido de sua verdadeira força e o derroto conscientemente várias vezes por dia.
Para um TDAH cada dia conquistado, imagino, seja como cada passo na recuperação de um acidentado que não conseguia andar.
Um dia de trabalho completo, em que cumpri o horário, produzi, entreguei aparelhos, estudei sobre outros que estão surgindo, lidei com clientes e fornecedores. Nossa, foi um grande passo, uma enorme vitória.
Claro, vou atrasar, esquecer, procrastinar, desfocar... Mas isso é o normal de um portador de TDAH. O resto, o que fiz de bom e produtivo foi vitória, vitória sobre o TDAH e ninguém pode me tirar isso. Ou desvalorizar essa conquista.
Ao infinito e além!