sexta-feira, 10 de agosto de 2012

EM DEFESA DA RITALINA











Para o  brasileiro se uma porta bate nunca é o vento, é fantasma.
Essa frase que ouvi do Faustão em entrevista dada à Marília Gabriela, retrata à perfeição o espírito do povo brasileiro. Um povo com mania de conspirações, de intenções secretas e com o péssimo hábito de propagar falsas verdades.
Um de meus posts mais populares foi sobre a Ritalina e, apesar de escrito há mais de um ano, ainda recebo muitos comentários sobre ele. Um dos últimos foi de uma mãe preocupada em dar ao filho de cinco anos as primeiras doses de Ritalina.
Neste mês de julho último, por culpa de uma falha de comunicação com minha médica, fiquei vários dias sem Ritalina. Não tive nenhum tipo de efeito colateral por suspender repentinamente meu remédio. Não sofri crise de abstinência, muito pelo contrário, nos primeiros dias tive a falsa sensação de que não precisaria mais da Ritalina para continuar meu tratamento. Digo falsa por que os efeitos do TDAH são muito sutis, sorrateiros até. E se instalam lentamente, discretamente. Mas não é esse o tema do post.
Quero falar sobre os falsos defensores da saúde dos brasileiros que propagam os malefícios da Ritalina chamando-a de cocaína legalizada; uma pseudomédica de Campinas afirma que a Ritalina deixa a criança como um robozinho. Mentira!
Em primeiro lugar, qualquer medicamento possui efeitos colaterais, mesmo aqueles da flora medicinal devem ser tomados com critério. Em segundo lugar, qualquer paciente está sujeito a sofrer essa ou aquela reação adversa ao tomar qualquer tipo de medicamento. Meu pai é um exemplo perfeito; a Aspirina ataca ferozmente seu estômago. Ninguém discute os benefícios da Aspirina. Existem pessoas alérgicas à sulfa e quem tem glaucoma não pode tomar certos remédios para o coração sob o risco de ficarem cegas.
A Ritalina está no mercado MUNDIAL há mais de trinta anos com benefícios e eficácia exaustivamente comprovados. Existem pessoas que usam a Ritalina de maneira errada, mas existem pessoas que tomam remédios para abortarem ou mesmo para cometerem suicídio. A culpa não é do remédio é das pessoas que o usam de maneira errada.
No mundo inteiro o tratamento do TDAH é feito com Ritalina, Concerta, mais recentemente o Venvanse, será possível que somente essas pessoas no Brasil tem o dom da verdade e a clarividência de enxergar o que o mundo inteiro não enxergou? Nem mesmo a ONU através da OMS?
Depois de uma semana sem minha Ritalina comecei a perceber uma irritação enorme ao fim do dia, uma impaciência com os problemas apresentados pelos celulares que tenho de consertar e uma enorme vontade de fazer as coisas de qualquer jeito; sem conferir ou sem testar adequadamente. O sinal vermelho acendeu e eu fui atrás da minha receita de Ritalina. Retomei meu tratamento no final da semana passada e tenho visto minha produtividade aumentar a cada dia.
Não caiam nessa conversa de que existe uma conspiração de laboratórios com o único objetivo de ganhar dinheiro desonestamente. Tratem de seus filhos com critério e acompanhamento médico,  sempre cientes de que qualquer medicamento pode apresentar efeitos colaterais e reações adversas e ao apresentá-los comuniquem imediatamente ao médico responsável  que avaliará a necessidade de alterar a  dosagem, o medicamento e mesmo a suspensão do remédio.
Eu tomo Ritalina, sinto seus benefícios e não ganho nada, absolutamente nada, nem muito obrigado por parte do laboratório por defendê-la. Pode acreditar.