sábado, 5 de fevereiro de 2011

CONVIVER COM UM TDAH VALE A PENA?


Logo de início devemos deixar claro alguns pressupostos:

1) Você tem de gostar, de verdade, do seu companheiro(a) TDAH. Amor mesmo.
2) Você tem de acreditar que o TDAH é uma doença, sim!
3) Você precisará ter muita, mas muita, paciência.
4) Gostar de controlar. Pessoas, dinheiro, agenda...

Sem esses três requisitos básicos, dificilmente seu relacionamento com um portador de TDAH irá muito longe. Você enfrentará muitas situações constrangedoras, ou passará muita raiva, por isto os requisitos acima.
Vamos ao que interessa!

Esquecimento - Não exija que ele se lembre de que disse exatamente isso ou aquilo durante a discussão de ontem. Por mais importante que a discussão seja, sempre escapamos do foco principal. Eu já decidi uma separação conjugal, pensando no desempenho do meu time que jogara horas antes. Metade, ou mais, da discussão eu não me lembro. Mas não lembro mesmo. Por mais que eu me esforçasse para prestar atençaõ na conversa, volta e meia eu me pegava pensando em futebol.
Não espere que ele se lembre de datas comemorativas ou compromissos agendados com muita antecedência, por exemplo.
O TDAH precisa de criar um ritual para lembrar-se das coisas. Mesmo as corriqueiras.
Desconfie até mesmo das certezas de um TDAH. Já errei completamente o endereço do meu cardiologista. Eu tinha absoluta certeza de que era em um edifício e não era. Eu me lembrava da posição da sala no andar e tudo. Tudo errado.
O portador de TDAH precisa ser controlado para lembrar-se de compromissos, contas, eventos. O ideal é que seu companheiro atue como uma secretária, lembrando-o diariamente do que fazer no dia. Do contrário, terá de conviver com o sofrimento e o constrangimento das falhas de memória do TDAH.

Impulsividade - Este é um grande problema. Podemos fazer besteiras homéricas ao falar o que não deveria ou tomar atitudes impensadas. Falar e agir sem pensar é uma das características mais marcantes do TDAH. O sistema capitalista foi erguido sobre os TDAHs. Comprar por impulso é com a gente mesmo. Um dos meus sonhos é sentar-me diante da TV e comprar todos aqueles produtos oferecidos pela Polishop. São inutilidades maravilhosas.
Este comportamento costuma ser um dos mais difíceis de se conviver. Muitas vezes nossa (o) companheira(o) é a principal vítima da impulsividade. Gastamos o que não temos, compramos o que não precisamos, assumimos compromissos que não vamos cumprir, cedemos a desejos que não deveríamos.
Certa vez, fiz as contas e concluí que eu estava gastando dinheiro demais para lavar o carro. Fui ao Carrefour e comprei tudo o que precisava para fazer isso em casa, incluindo uma lavadora Wap e um aspirador de pó portátil. Talvez tenha-os utilizado umas quatro ou cinco vezes.
Se você não gosta de controlar seu/sua companheiro(a), consiga lugar para guardar tudo o que não vai utilizar, ou pior, prepare-se para descobrir coisas mais graves que poderão surgir em sua vida. Dificilmente conseguimos pensar antes de agir. Imagine o potencial explosivo disso.
Ps.: A pipoqueira elétrica! Lembrei-me que certa vez cheguei em casa com uma pipoqueira elétrica que havia comprado. Achei sensacional e logo fui fazer a primeira experiência com o maravilhoso equipamento.Minha mulher e minha filha tiveram uma crise riso. Primeiro, voou pipoca por toda a casa, segundo, como não leva óleo a pipoca não pega sal. Um fiasco completo. Nunca mais a usamos.

Procrastinação - Adiar, adiar, adiar. Outras das 'especialidades' do TDAH. Qualquer atividade ou decisão que não seja de nosso interesse ou que não nos dê prazer, vai ser adiada indefinidamente. Exemplo: há cerca de três meses concluí que eu deveria trocar minha internet móvel da vivo por um modem desbloqueado com chip tim. Levei um mês para comprar o chip, mais dois meses para comprar o modem. Já estou usando o novo modem desde segunda-feira. Ainda não cancelei o contrato com a vivo. Hoje lembrei em dois momentos durante o dia e adiei a ação de ligar e cancelar. Muitas vezes a procrastinação chega a ser irresponsável pois adiamos o importante, o dever, para satisfazer prazeres muitas vezes efêmeros, pequenos, completamente sem importância.
O papel de quem convive com um TDAH deve ser sutil. Cobrar, incentivar, cuidando de manter nosso instável humor em repouso.Fácil, né?

Projetos inconclusos - Temos milhares de idéias maravilhosas e uma motivação sem igual para inicia-las. Porém, ao longo do tempo, o projeto começa a ficar chato e concretizá-lo é mais chato ainda. Ao mesmo tempo, continuamos a ser bombardeados por novas idéias que nos seduzem diariamente. Eu , por exemplo, não posso ver uma loja com a placa de aluga-se que logo penso no que poderia montar naquele local. O problema é que, acompanhamento requer disciplina, repetição, controle, coisas extremamente penosas para nós.
O que fazer? Incentivar, cobrar, colaborar para a conclusão dos bons projetos. Os ruins, deixe prá lá, vão morrer sozinhos. 

Novidades - O TDAH precisa de novidades, de renovação, de mudança. Mesmo que seja de alto risco ou para pior. Um novo celular, um novo carro, novas emoções, uma nova vida. Parece exagero, mas não é. Quando tudo parece calmo, tranquilo, vem a mudança. Pode ser de emprego, de esposa ou namorada, ou até mesmo uma boa briga para esquentar o morno casamento. Precisamos de emoção, adrenalina. Acrescente a essa necessidade a impulsividade característica do transtorno. Nitroglicerina pura!
Conviver com isso? Numa relação afetiva, não deixe seu TDAH amado ter absoluta certeza de seu amor. Um TDAH não quer um cão fiel e obediente ao seu lado. Amamos as pessoas fortes que nos confrontem, que nos dê a emoção que a incerteza gera.

Humor instável - Variamos da tristeza à euforia em questão de minutos. A irritação pode surgir de repente, sem nenhum motivo (importante) aparente. A frustração pode desencadear uma profunda irritação. Esperar também. Odiamos esperar; filas, engarrafamentos e similares são um excelente estopim para nosso mau humor.
Seja paciente e inteligente. Não fique perguntando o que aconteceu, por que está assim. Deixe, trate-o normalmente. Daqui a pouco passa.

Vale a pena conviver com uma pessoa assim?
Vale!
O TDAH é uma pessoa criativa, carinhosa, inteligente, afetiva, generosa. E, não tenha medo, isso tudo não vem de uma vez só.
Se vier...


PS.: A foto do vulcão é bastante significativa. Podemos ser verdadeiros vulcões também no sentido afetivo, físico do amor. Cabe você avaliar qual dos vulcões vale a pena valorizar.

97 comentários:

  1. parabéns pelo comentário..... adorei as dicas... preciso de mais... meu marido tem este pbm e as vezes nao sei como lidar... em algumas situações.. me sinto meio mae dele.... afff... me made umas dicas por favor...

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Dispensa comentários!! minha humilde opinião diria pra você escrever um livro... nos moldes de Edward Hallowell, com essa linguagem leve e, extremamente, eficiente!!!!

    ResponderExcluir
  4. é ..vc descreveu um pouco do meu marido com quem convivo a 14 anos numa montanha russa de altos e baixos frequentes, sendo os altos eram todos sem estrutura consequentemente levando-nos aos baixos mais baixos possíveis como o atual faltando-nos até comida. A sugestão é que acrescente aí que o parceiro deve ter uma potente dose de baixa autoestima pra levar o casamento adiante sendo infeliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, perdoe-me o atraso.
      É muito difícil, nem eu mesmo ando me aguentando.
      Dois meses se passaram desde seu comentário, espero que as coisas tenham se equilibrado.
      Boa sorte, do fundo do coração.
      Alexandre

      Excluir
    2. Oi Alexandre, tudo bem? Há tempos venho acompanhando seu blog. Meu marido é tdah, mas não quer se tratar. Além disso ele bebe e fuma maconha. Eu o amo muito e tirando essas coisas que disse ele é uma pessoa maravilhosa. Com todas as características que vc descreveu: carinhoso, criativo... só que é um caminhão sem freio, uma bomba atômica. A ultima coisa que aconteceu foi uma pequena viagem para comemorar meu aniversario. Fomos de carro para outro Estado. Brigamos feio e ele sumiu. Fiquei sem saber se voltaria pro hotel, fiquei no vácuo desesperada. No dia seguinte teria uma festa pra mim na casa de uns parentes. Ele tava sumido. Até que me mandou uma mensagem dizendo que tinha voltado pra casa e feito a mudança pra outro apartamento, que não era pra eu ficar triste. E ainda tive que voltar de carro sozinha uma viagem longa, sendo que eu nunca dirigi em estrada. Agora ele está num flat. Como disse, eu o amo.. mas estou muito ferida e cansada desses exageros e montanha russa. Um abraço pra vc

      Excluir
    3. Boa tarde!
      Desculpe minha sinceridade, uma pessoa que não quer se tratar, bebe e fuma maconha demorou a agir dessa forma. Continuando na linha da sinceridade absoluta, aproveite a oportunidade e ame-se mais do que a ele. Aproveite para viver com você mesma. A continuar com esse relacionamento você passará outros aniversários e datas comemorativas sozinha. E se você for dura e firme e mantiver essa separação, pode ser que ele caia na real e amadureça. Esse não é um comportamento adulto; deixar de tratar de uma doença e acrescentar droga e bebida a ela, é um comportamento infantil e inconsequente. Você não merece conviver com esse ouriço estressado.
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
  5. O que mais acho complicado é conviver com as situações constrangedoras que um portador de TDAH nos faz passar, pelo impulso de falar sem pensar, acaba falando coisas desnecessárias e passando a impressão de ser "sem noção".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante eu não tenho essa característica. Falo bem, sou ótimo para lidar com as pessoas. Meu problema maior é que quando pressionado tendo a explodir. Digo e faço coisas que não deveria e nem mesmo queria.
      Um desastre!
      Um abraço
      alexandre

      Excluir
  6. Nunca imaginei que seria tão difícil. As coisas que ele fala nem me incomodam mais, fico muito preocupada...será que um dia ele vai conseguir se estabilizar num emprego?
    Já tentei incentivar...mas ele sempre se mostra irredutível. Não sei o que fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vou mostrar esse comentário pra minha esposa (ou ex esposa, não sei direito)estou passando um momento terrível por conta do que falei essa semana.Chego a um ponto que perco o raciocínio e parto para o ataque (verbalmente) como intuito de ferir mesmo. Nem sei mais o que fazer.
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
    2. O meu marido é assim Alexandre. Muitas vezes, ele fala para ferir mesmo, às vezes ele nem se dá conta do que falou. Quem não o conhece pode até achar que ele gosta de ser assim, que faz de propósito, mas não é. Muitas vezes eu deixo para lá mesmo, lembro que ele tem essa doença e que deve ser muito difícil de controlar, principalmente por que ainda não iniciamos o tratamento. Sim, digo iniciamos porque estamos juntos nisso. Não vou dizer que é fácil, muitas vezes é bem complicado. Mas quem não tem problemas? Eu aposto nas qualidades que ele tem e assim vamos seguindo em frente. Desejo sorte para você no seu relacionamento.

      Abraços.

      Excluir
  7. Nossa, Alexandre!!! E muito nom saber como vc pensa e como age e porque age assim... Fica mais fácil de entender. Obrigada. Nao deixe de escrever por favor.

    ResponderExcluir
  8. Oi.. Tenho 24 anos e meu marido 23, ele tem TDAH estamos juntos a 5 anos e temos uma filha de 2 anos. Dentro desses 5 anos já nos separamos 1 milhão de vezes. Ele fica com outra e depois volta falando que eu sou a mulher da vida dele, da ultima vez ele fez uma tatuagem com meu nome, ai mais uma vez deixei tudo para voltar com ele. Hoje estou com ele sem saber se amanha vou estar e isso eh muito desconfortável, pois temos uma filha e não quero que ela passe por esses momentos difíceis.Fico ate sem saber se ele realmente ama de verdade e se vale a pena aguentar tudo isso. O amo muito mais não sei mais como agir. Me ajuda por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, boa tarde!
      Olha nesse caso creio que existe mais do que o TDAH dentro do seu casamento. Ambos são muito novos e com uma filha ainda, é um fardo muito pesado para vocês dois. No caso dele muito mais, o TDAH é um pouco menos maduro, ou seja, ele tem ainda menos de 23 anos mentalmente.
      Não sei muito o que fazer pra te ajudar; o que posso dizer é que somos péssimos sob pressão, quanto mais pressioná-lo pior; precisamos de prazer - seja como alegria, sexo, comida. Muitas vezes brigamos pq precisamos de emoção, de adrenalina.
      Uma outra coisa sem relação com o TDAH é ma sua disponibilidade em aceitá-lo, isso o deixa seguro pra ir e vir.
      Boa sorte, e se eu puder ser útil estou à disposição.
      Alexandre

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Descreveu, completamente,o meu namorado... euja tinha uma ideia dessas caracteristicas mas esse eeu texto clareou ainda mais meus pensamentos.... relamnete, tem hora que tem que ter muitaaaa pacienciaa rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Kamilla!
      NA verdade os portadores de uma determinada doença apresentam sintomas semelhantes. Esse é o nosso caso.
      E sim, você tem de ter muitaaaaaa paciência para conviver com ele.
      Abraços e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  11. bom dia a todos sou portadora de tdah nao sou casada mais meus relacionamentos nunca deram certo porcausa desse meu jeito impulsivo uma hora eu era uma pessoa outra hora outra eles nao me entendia minha cabeça ia a mil por hora pensava muitas coisas ao mesmo tempo esquecia datas conversas e tudo mais brigas e mais brigas descobri que tenho tdah faz um mes ainda nao estou em tratamento.o tdah e muito dificil de lidar mais nos que temos isso nao nascemos por que queremos e as pessoas que convivem conosco tem que entende e uma sindrome que nao tem cura mais tratamento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Denise, não somos assim por escolha; mas o tratamento é.
      Trate-se, sua vida vai melhorar muitíssimo!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir

  12. Oi me chamo Nay

    Nossa, Alexandre você descreveu nesse poster tudo que eu passo em 5 anos, sendo que detectei que meu namorado tinha TDAH com 2 anos de relacionamento, pq no inicio eu achei que era o jeito dele mais com o tempo eu conseguir ver exatamente o que diferia do jeito dele para os sinais do TDAH e há uma semana tivemos uma conversa onde eu dei um ultimato que por pouco eu não teria êxito. Mais disse ou você procura um tratamento ou agente termina e como vc bem disse vcs nao funcionam sobre pressão ele naturalmente disse então termine. E uns dias depois aceitou procurar tratamento sendo que dessa vez eu vou acompanha-lo para garantir que ele não irá abandonar. Alias como quase tudo na vida dele, nao consegue terminar nada, e agora está fazendo Direito imagine em como ler textos tão complexos com TDAH. Ja tem um mês que estou fazendo um portifolio com tudo que encontro sobre esse disturbio e foi assim que encontrei seu site e fico aliviada e feliz em saber que tem pessoas dispostas a compartilhar suas experiencias pois eu nunca tinha lido nada sobre o ponto de vista do homem portador de TDAH em relação ao relacionamento Homem-mulher. Desde já agradeço e espero que você continue iluminando o caminhos de muita gente. Pode ter a certeza que vc me proporcionou uma noite mais tranquila espero ter sabedoria para absorver e praticar tudo que disse. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nay!
      Perdoe-me a demora, creio que nem lerá essa resposta, mas estou num momento muito conturbado, emprego novo, novas atribuições, não tenho conseguido me manter atualizado com o blog.
      Olha Nay, por mais que eu seja TDAH e acredite que precisamos de um tempo diferente e de uma atenção diferente, você não pode se esquecer de que você existe, tem sentimentos e merece viver bem.
      Meça seus limites e ajude-o até o ponto que não te prejudicar.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  13. Oi eu tenho um um namorado com TDAH nós estamos juntos a 8 meses, ele descobriu q tem TDAH à 1 mês e ele me pede um tempo pra se tratar ele fala q não quer me fazer sofrer só q eu quero fazer o que realmente seja melhor para ele. Eu queria saber como posso ajuda-lo, se devo realmente fazer o que ele quer me afastar e deixar ele sozinho ou se devo insistir em ficar ao lado dele e tentar ajuda-lo. Quero muito que me responda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Gabriella!
      Desculpe a demora, a essa altura sua situação já deve ter se resolvido sozinha.
      Bem, nesse momento precisamos fazer uma revisão em nossa vida, mas eu, não gostaria de ficar longe da pessoa que amo, principalmente se ela quiser me ajudar.
      Não insista, em geral não gostamos de pessoas que forcem a barra.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  14. Meu marido está tomando Concerta, mas creio que precise de uma terapia ou coaching comportamental. Ele me acusa de não ser companheira, quer que eu fique ao seu lado durante a madrugada para que consiga fazer as coisas, diz que está sozinho, que eu não sou para ele, que não dou conta e não assumo isso. Estou esgotada (temos um bebê que acorda várias vezes durante à noite e, nesse horário, só quer a mãe para mamar e, ainda, trabalho o dia todo). Sofro muito por ele, me dói vê-lo perdido, sem rumo, e ainda ter que ouvir que não me sintonizo com o seu sofrimento, uma vez que não passo os dias chorando pelos cantos. Ele não conseguiu realizar seu grande sonho e isso o atormenta, o deixa sem motivação para mais nada. Não sei mais o que fazer. Mais de uma vez ele já me pediu que o deixe, pois ele não tem forças para isso. Depois diz que sou bonita, que meu filho deve procurar uma mulher como eu... Enfim, vejo nele praticamente tudo o que você listou e estou entre a cruz e a caldeirinha. Não quero que ele se sinta sozinho, mas, sinceramente, não tenho condições de passar as madrugadas a seu lado. Ele diz que precisa de alguém que se antecipe, a quem não tenha que pedir as coisas, que aja antecipadamente, que mostre quando ele está entrando numa furada profissional. Desculpe o desabafo, apenas gostaria de uma palavra de esperança ou de um choque de realidade. Eu o amo e quero que ele fique bem. Como posso ajudá-lo efetivamente? Obrigada e parabéns pelo blog. Lucilaine.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito difícil de responder, Lucilaine!
      Essa é uma reação normal do TDAH, jogar a responsabilidade para os outros. No desespero, agredimos. Não sei se você deve passar as noites acordada ao lado dele, nem sei por que ele fica acordado à noite. Creio que ele precisa de um choque de realidade. Ele se medica e o ideal é que faça um apoio psicológico, porém a participação dele é fundamental. Ele precisa se informar sobre o TDAH e se policiar para reconhecer quando o TDAH estiver agindo sobre ele.
      Você não pode ser responsável pela vida dele. Você é um apoio, um oásis, não a solução. Talvez ele devesse retornar ao médico e estudar a possibilidade de aumentar a dosagem do Concerta.
      Espero tê-la ajudado.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  15. Olá Alexandre, sou portadora do TDAH descobrir recentemente mais já estou em tratamento. Estou muito confusa não sei se devo contar para o meu namorado, estou com ele a 7 meses, mais faz um mês que descobrir que tenho TDAH. será que devo contar? Antes dele namorei 5 anos foi um relacionamento cheio de altos e baixos onde a impulsividade, e os esquecimentos eram frequentes tenho medo de cometer os mesmos erros. ME AJUDA DESESPERO RSRSRS. MUITO BOM SEU BLOG, PARABÉNS!! Carla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Carla, perdoe-me não havia visto seu comentário.
      Eu acho que deve contar sim, quanto mais o tempo passar, mais enrolada você vai ficar pra contar a ele.
      Se ele não concordar ou te criticar, já vai tarde, não te merecia mesmo.
      TDAH não é vergonha, assim como não é vergonha ter diabetes, problemas cardíacos ou pressão alta.
      Conte, e você terá passado o problema pra ele. rsrs
      Espero tê-la ajudado mesmo depois de tanto tempo.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  16. Vou mostrar essas dicas para o meu próximo namorado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corajosa você, hein Gláucia!
      kkkkkkkk
      Todas as vezes que releio esse post eu acho que NÃO vale a pena conviver comigo. kkkk
      Mas acho que já melhorei bastante. Evoluí.
      Dê um tempo para saber se a relação tem mesmo algum futuro e abra o jogo com ele, é o melhor remédio.

      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. Alexandre, há quase dois meses estou em um relacionamento com um TDAH, ele é diferente de tudo o que já li, dedicado aos estudos, é capitão da marinha, fez duas faculdades, está cursando pós, fala 4 idiomas. Um gênio....me contou logo de cara sobre o TDAH e o PMR ele não produz melotonina, então por diversas vezes ele passa noites acordado. No início eu discuti diversas vezes por ele marcar compromissos comigo e não aparecer. Ele é bem mandão, gosta de tudo do jeito dele, na maior parte do tempo sinto que ele controla bem a doença, mas quando se entrega, passa dias Trancado em casa, me trata mal, não quer conversar, muito menos me ver. Desde então leio diariamente sobre o TDAH, já vi centenas de depoimentos de pessoas falando do fracasso no relacionamento com pessoas portadoras da doença. Mas eu te digo: eu o amo, como nunca amei na vida, e cada vez que ele precisa vencer os obstáculos da doença eu tenho mais vontade de estar junto. Não brigamos faz um tempo, porque compreendo melhor as necessidades dele. Nos falamos diariamente por mensagens, ele sempre procura me mandar poemas, ser romântico na medida do possível, quando sinto que está alterado no humor, agora eu já não insisto mais, dou tempo a ele e me coloco a disposição se ele desejar se abrir. Não tenho dúvidas de que ele é o homem da minha vida, e quero enfrentar tudo isso junto com ele...pra vida toda!

      Excluir
  17. Vivo junto com meu namorado , estamos juntos há um ano e acho impressionante a cara de pau dele qo afirmar que o tdah nao me atinge diretamente! O pior nao é nem ele dizer isso mas acreditar que o que diz é real. Infelizmente sou uma pessoa ja.sem muita az paciencia, e os atritos so aumentam... Acho que nao terei sucesso, ainda que eu tente muito fazer tudo certinho. A capacidade de ser agressivo é impressionante e as palavras que ele fala sao.destrutivas demais, acabo me alterando muito. Ele tem 26 e eu 29, percebo q a imaturidade ainda piora mais a situaçao. Assim, os dias passam em velocidade impressionante e os problemas vao se arrastando. Lamentavel, pois queria muito que tudo desse certo. Ele sabe que tem, mas nao se trata. Primeiro pelos custos de um.tratamento particular, segundo por ter um plano de saude q atende so em sua cidade natal, onde ele nao mora hj em dia. Assim, o tratamento vai ficando pra depois e nunca acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, primeiro, desculpe-me não respondê-la a tempo; estou atravessando um turbilhão na minha vida e quase não venho ao blog.
      Outra coisa, sem tratamento é muito, mas muito difícil dominarmos certas características.
      O TDAH te atinge sim, e diretamente, você deve ser a 'vítima' preferencial dele. Sempre temos alguém em quem descarregamos nossas mazelas de TDAH.
      Se você o ama e quer ficar com ele, tente aborda-lo sem enfrentamento. Quando confrontados adotamos (inconscientemente) o ataque como defesa. Tente mostrá-lo por exemplos, ou então deixe que ele sinta sua falta.
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
  18. Que bom que encontrei esse post ... Percebi que meu namorado tem tdha ... antes de namorar fomos amigos por 3 anos e eu nunca percebi isso ... agora estou percebendo e esta pesando um pouco por que sou muito atenciosa e centrada ... estou pesquisando , pedindo orientação para psicólogos pra ver como posso lidar com isso ... Estou percebendo que preciso ser o ponto de equilíbrio ( com muito carinho ) , mas não é fácil , as vezes parece que ele vive em marte eu na terra , ao mesmo tempo que ele ta bem , ele muda de comportamento ... e toda vez que eu olho pra ele me da a sensação dele nunca estar com "a mente vazia" , ele pensa sobre passado , presente e futuro tudo ao mesmo tempo , muda os assuntos da conversa do nada , me interrompe quando estou falando ...
    Acredito que vou conseguir , mas é um árduo caminho ! Obrigado pelo post ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade ele 'vive' em Marte mesmo. Pode ter certeza.
      Acabei de encerrar um namoro com uma terráquea insuportavelmente realista. É uma convivência quase impossível, ainda mais por que ela tinha aquela péssima mania de 'ser sincera'. Fala tudo na cara da pessoa. Odeio isso, sou péssimo em realidade e odeio atirar os defeitos na cara das pessoas.
      Tudo com o TDAH é pelas bordas, qualquer enfrentamento é suicídio.
      Mas não se preocupe, ele não tá em Marte pra fugir de você, ele está lá pra fugir dele mesmo.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
    2. Estou rindo aqui dessa sua resposta..."Odeio isso, sou péssimo em realidade e odeio atirar os defeitos na cara das pessoas."
      Sou Tdah, descobri já fazem uns 3 anos, porém não consegui encontrar um tratamento que realmente me ajude com todas as caracteristicas do tdah. Hoje faço tratamento com venvanse, mas já usei concerta, ritalina LA e ritalina 10mg. Já estou começando a achar que os estimulantes não me ajudam. Alguma dica? abraços

      Excluir
  19. Acabo de terminar um relacionamento de mais de 6 anos com um tdah. Sabia do diagnostico desde o inicio quando eramos colegas na faculdade de medicina. Na epoca m viciei em tdah e pesquisei tudo o q podia sobre o assunto e achei q estava preparada para o q viria. Mas nao foi assim, ninguem quer q o companheiro seja dependende, instavel, incapaz de cumprir os compromissos. O mais dificil é q geralmente o tdah realmente se eforça pra conseguir algo e mesmo que nao consiga ele espera ter reconhecimento do seu esforço. Outra coisa dificil é que todos no começo tem o impeto de buscar ajuda e informaçoes mas isso depois esfria, ficam sem o tratamento e sem as atualizaçoes sobre o disturbio. Acredito que bem tratado o problema pode ser controlado e as potencialidades do paciente se afloram. Aos ddas sugiro que nao se desliguem nunca do tratamento e que tenham muito cuidado ao culpar a doença por todas as dificuldades...

    ResponderExcluir
  20. Namoro uma TDAH há mais ou menos 6 anos. Ela sempre me disse que tinha a doença, mas nunca levei a sério. Achei que fosse uma leve falta de atenção e memória, porém fazendo uma pesquisa percebi que é muito mais do que isso. Percebi que não estou louco, que muitas discussões ocorreram justamente por causa da doença. Na minha opinião, o pior é não saber se o que ela diz ou faz é causado pela doença ou pelo que ela acha de verdade. Recentemente nos separamos e ela se relacionou sexualmente com outra pessoa durante a separação, fico pensando se ela teria agido dessa forma por causa da doença. Estou muito triste e pensando em me separar dela...

    ResponderExcluir
  21. Namorei TDAH sem saber durante 1 ano, convivemos por mais 1 como marido e mulher. Terminamos no dia em q completamos 2 anos foi um relacionamento muito intenso desde o começo, muito amor, carinho, gentileza, também com altos e baixos e de muitas agressões, torturas e também bons momentos. Ele foi diagnosticado com TDAH na infância, dizia q a mãe lia um texto nas vésperas da prova e perguntava a ele oq havia entendido, ele respondia "eh, o que é mesmo mãe?", outro fator negativo era o pai q sofria do mesmo mal nunca tratou-se acabando a família inteira sofrer ameaças, torturas psicológicas, agressões verbais e mania de perseguição. Meu ex sempre tratou-se desde criança até pq a mãe é psicóloga (o pai dele dizia q a mãe havia estudado psicologia p provar q ele ex marido dela era doido) e prof. de Universidade, ele como filho nunca negou tratamento pelo contrário sempre procurou e dizia "o pior doido é o q não se trata" orgulhoso ao tomar a medicação Ritalina LA. Por termos sido apresentados por amigos ele sabia de relacionamentos passados que eu tive, pensou mil coisas como q eu ainda gostava do meu ex (já estava separa há 1 ano e 3 meses), fui buscá-lo na natação e disse q eu estava com cheiro de nóia, no reveillow, após beijá-lo disse q eu abri os olhos p olhar outro homem, em um parque de diversões por eu ter fixado meu olhar na direção da bilheteria (com o pensamento longe) disse q eu estava olhando p um homem, uma possessividade absurda situações criadas q me deixavam louca, quando namorávamos ele fazia plantão na porta de casa p ver se eu não saia com outros homens pedia p eu aparecer na janela p ter a certeza q estava em casa, e eu sempre estava, ele chorava acho de pensar aquilo de mim eu acreditava q aquele sentimento exacerbado era romântico, afinal nunca havia sido tão amada. Até eu frequentei o psiquiatra dele hoje tomo Bup para ansiedade q sempre tive e foi agravada com o relacionamento. Tive conquistas como conseguir despertar vontade de voltar estudar, fazer faculdade já que ele só tem ensino médio, fazer exercício. Ele dizia q tinha dias q não queria ver nem falar com ninguém, dias q acordava depré e outros extremamente feliz. Odeia ordens de qualquer pessoa, principalmente autoridades e com a sensibilidade se via perseguido por uma palavra, gesto, situação q não tinha nada haver com ele. A gota d'água foi achar q eu tinha um caso com vizinho, essa briga foi o fim ele me agrediu fisicamente feio (de baixo do mesmo teto houveram agressões físicas, verbais e psicológicas). Dias depois estava me perguntando de novo o que eu tive com o vizinho e já cansada de tanta insistência assumi q tive um caso, assim como diversas outras situações assumi por conta da insistência p satisfazer o que a mente dele havia criado. Hoje não nos falamos ele voltou com a ex mulher e disse que eu era imunda, suja. Entreguei meu emprego em maio p ficar com ele cuidar dele e acabar com os delírios de desconfiança, eu fiz de tudo me anulei não saia mais de casa sem ele, não me maquiava, não me arrumava, cheguei ao cúmulo de nem escovar os dentes para sair de casa e nem assim consegui. Meu psiquiatra diz q ele vê na ex uma mulher sem perspectiva, q nunca vai abandoná-lo pq não tem muito estudo nem grandes sonhos como eu tenho e dividia com ele, ele pode controlá-la, ela é mais velha e submissa e ao lado dela nunca se sentirá inferior a menos q ela mudasse. Eu estou triste ainda o amo, além do Bup tomo outros antidepressivos fortes, eu pensava que ia passar o resto da minha vida ao lado dele, pois vivi os melhores momentos de um relacionamento com qualidade no sentido de ser verdadeiramente amada, mas também passei por situações que nunca pensei em viver de agressões.

    ResponderExcluir
  22. Esse é a continuação do texto acima.Tenho um texto q ele em uma de nossas brigas escreveu: "Quero te falar que te amo muito! Que não me orgulho desse descontrole. Se te perdi para o mundo, não vou deixar o mundo tirar o amor que sinto por vc. Sei que nunca mais vou amar alguém como te amo, vou tentar guardar essas lembranças, esse amor , em um lugar muito especial no meu coração. Ainda não sei o que fazer vc era tudo que eu queria! Teu marido". Tenho sofrido muito sem saber notícias ontem fez 1 mês de nossa separação eu o amo, mas nossa história acabou ele mesmo disse que mais um ciclo fechou na vida dele. Me perco em lembranças e na certeza que nunca mais o verei ou melhor o terei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha opinião: nada justifica agressão física. Ele ainda vai tentar voltar pra você, não aceite e viva sua vida. E se ele agredir de novo, denuncie.

      Excluir
    2. Concordo com o Anônimo aí em cima, agressão é injustificável, e o grau de anulação que você atingiu também é inaceitável. Deixou de ser amor a muito tempo, virou doença; uma espécie de sadomasoquismo.
      E sinceramente, tomara que você nunca mais o tenha mesmo.
      Boa sorte e seja feliz.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Oi Anônima! De tudo que tenho lido sobre TDAH não vi a insegurança como um dos sintomas. Já namorei uma pessoa como o seu ex, que tbm criava traições e, infelizmente, também acabou me agredindo. Hoje namoro um TDAH e por isso vim parar aqui nesse blog. Acho que seu ex sofria de insegurança e complexo de inferioridade, pois precisava te colocar pra baixo pra se sentir superior. Assim era meu ex, um inferno. Por coincidência tbm me sentia muito amada, mas hoje só eu sei as cicatrizes que tenho e consequências que isso me causou. Se conselho fosse bom a gente não dava vendia, mas vou te dar de graça mesmo.... Viva sua vida e deixe esse relacionamento doentio pra lá, cuide de vc, da sua auto estima e nunca, JAMAIS, permita que alguém te violente psicológica ou fisicamente. Não nego que até hoje penso e sinto saudades do ex, mas tenho consciência de que era uma doença e que eu nunca seria feliz ao lado dele. Ele tbm só tinha o segundo grau e não gostava muito de trabalhar, eu sou formada, e conquistei muito mais que ele na vida, motivos suficientes pra eu ser vista eternamente como uma ameaça pra ele e ele querer me inferiorizar. Credo! Hoje olho pra trás e penso: como pude?

      Excluir
  23. A mãe dele me disse a mesma coisa. Mudei-me para outra cidade para não cair na tentação de procurá-lo, pois ainda o amo, mesmo se estivéssemos na mesma cidade ele não me procuraria porque ele acha que o traí. Obrigada por sua colocação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada. Se precisar de alguém pra desabafar, segue o email: search.inner.peace@gmail.com. Abraços.

      Excluir
    2. Mais uma vez muitíssimo obrigada!

      Excluir
    3. Oi Alexandre tudo bem?
      Namoro faz um ano, ele separou da esposa onde viveu um relacionamento de 13 anos ela 9 anos mais velha. Tenho carinho especial por ele, porém, não consigo ajudá-lo, sempre fala em separar, todas as brigas eu sou a culpada e nunca admite seus erros.. Já fez loucuras por mim agressão verbal e normal para ele, eu vivo assustada pq não sei qual será a próxima reação... Ele tona ritalina e fluxetina e parece não resolver nada...e muito intenso e tenho medo em terminar com ele, porque eu gosto e queria muito ajudá-lo, sei q não êh consciente mas tenho receio de ir adiante e ele voltar para a esposa.. Ele quer que eu entenda ele o motivo q tanto briga, sempre serei culpada... Não existe meio termo ou ele êh ótimo ou êh ruim... Não sei como terminar...
      Obrigada

      Excluir
    4. Josy, desculpe me intrometer. Como sua postagem já tem algum tempo não sei se irei te ajudar. Você tem certeza desse diagnóstico? Fiquei em duvida se ele é realmente TDAH ou tem transtorno bipolar, são duas doenças muito parecidas que o diagnostico pode ser facilmente confundido. Boa Sorte...Abraços

      Excluir
  24. Alexandre namoro a apenas 1 mês com um rapaz com TDAH mas já somos amigos a mais de um ano,ele tem apenas 19 anos e é ele é bem semelhante as suas informações rsrs na verdade acho muito divertido as coisas sem noção que ele fala ou algo parecido enfim amo o senso de humor dele...mas fiquei preocupada ao saber que eles tem dificuldades em manter um relacionamento duradouro e quero muito saber o que posso fazer para tornar o nosso relacionamento divertido,que retenha a atenção dele,que o motive enfim que ele eu possa ajuda-lo por favor me responda até msm com dicas que não solicitei me ajude.

    ResponderExcluir
  25. Oi Alexandre!

    Estou um pouco sem rumo, eu e meu namorado sempre brigamos muito, ele é muito ciumento, quando a gente sai, cisma que tem alguém olhando para mim, briga com as pessoas, briga no trânsito, briga com a família toda, já terminamos várias vezes, por causa dessas crises dele, ele é uma pessoa maravilhosa, mas tem dia que acorda num mau humor terrível, ele quer brigar a qualquer custo. Ele se sente muito frustrado, as pessoas se afastam dele, devido esse mau humor e grosserias que ele faz, namoramos há 02 anos, nós terminamos várias vezes, falei com ele que essa instabilidade de humor não é normal e falei para procurar um médico,ele procurou um psiquiatra e foi diagnosticado com TDAH, está tomando um remédio, mas continua do mesmo jeito, agora trocou de médico, pois não gostou do médico anterior, me sinto muito angustiada, pois quero que ele melhore, mas não sei como será, sou muito calma, mas ele consegue me tirar do sério, ás vezes fico só chorando, fico com pena dele, ao mesmo tempo fico com raiva das atitudes dele, agora com o diagnóstico, sei que muitas vezes ele faz essas coisas é por impulsividade, ele é muito inteligente, é muito hiperativo, quer fazer uma milhão de coisas e não consegue fazer nada. O que devo fazer? Será que devo levar o namoro adiante ou terminar mesmo? Pois não sei se vou conseguir conviver com ele nesta instabilidade, ou você acha que com o tratamento ele pode melhorar para sempre. Sofro muito com isso. Adorei seu blog. Parabéns!

    ResponderExcluir
  26. Alexandre, mais uma vez venho falar com você. Namoro um TDAH há pouco mais de dois anos, e é uma relação totalmente diferente de tudo que já vivi. Ele tem 25 anos e foi diagnosticado há cerca de seis meses. Sou loucamente apaixonada por ele, mas a doença dificulta muito nossa relação. Preciso de ajuda!
    Eu tenho todas as caracteristicas que vc citou como indispensáveis. Sou extremamente paciente e controladora, e desde o inicio me sinto a mãe/secretária dele, mas isso não é exatamente um fardo pra mim. Ele é extremamente divertido, carinhoso, amável. Mas a dificuldade em manter a relação é constante. Percebo um ciclo na nossa relação que sempre volta. Nós começamos a namorar, as coisas vão se ajeitando, ele começa a falar em assuntos sérios, decisões de uma vida, e eu fico muito animada. Fazemos planos, viajamos juntos, e quando voltamos, ele termina tudo. Diz que não tem certeza quanto aos sentimentos dele, que eu sou ótima e mereço mais do que ele pode me oferecer. Essa é a terceira vez que isso acontece e cada ciclo dura em torno de 8 meses.
    Infelizmente não é uma opção pra mim escolher se vou estar com ele ou não. Eu o amo e queria muito ajudá-lo, mas ele continua me afastando. Além de todo o problema, em nosso último término ele me diz que eu não faço ideia do momento que ele está passando, que tem vergonha de me contar o que está acontecendo, que tem vergonha da pessoa que ele se tornou, e que está viciado em maconha.
    Eu não consigo acreditar que ele tenha conseguido esconder isso por tanto tempo, e não queria deixá-lo sozinho nesse momento, mas também preciso pensar em mim. Eu tenho 27 anos, e não sei se mereço continuar sofrendo assim.
    Desculpe o desabafo, mas estou muito perdida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, se você está colocando em xeque o relacionamento é por que já não está valendo á pena.
      Muitos portadores de TDAH recorrem à maconha como uma forma de reduzir o fluxo de pensamentos que nos assalta. O problema é que apesar desse aparente benefício a maconha é uma droga ilegal e considerada perniciosa pelos cientistas. Amiga, pense com muito carinho se compensa pra você, eu não recomendo a ninguém viver ao meu lado. Triste, né, mas é verdade. Nem eu aguento tanta inconstância.
      Boa sorte!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  27. Alexandre
    Eu amei seu post e pedi pro meu namorado pra ler em voz alta para mim pois ai teria certeza que ele prestaria um pouco de atenção, ele não presta atenção em nada em mim, mas nunca conheci alguém tão bom, e que me fizesse tão feliz, ele inventa desculpas pra tudo .. e muda de assunto do nada, mas creio que vale a pena, e acho que pra coseguir seguir no relacionamento terei que cobrar mas sem expectativas, pois eu não tenho TDAH mas desisto muito rápido, e não quero desistir dele por que o amo ...
    Queria saber se você mente por medo, por que vejo pequenas mentiras dele e tenho medo que depois descubra mentiras grandes, tipo traição.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi alexandre,
      Estou a quase 4 meses namorando um tdah, tudo novo pra mim. Ele me contou desde o início que era um tdah e me fez entender algumas coisas....
      Tenho estudado sobre o assunto me esforçado muito pra não desistit da relação, mais não é fácil. ...
      Ele é uma pessoa maravilhosa me faz um bem como ninguem. ..
      Mais as vezes ele muda do nada, de repente fica tudo estranho ele fica indiferente e não sei como agir!

      Excluir
    2. Ola, Anônima!
      Difícil dar uma opinião. Essas mudanças de foco são típicas, mudamos de interesse repentinamente. Não é desamor, apenas outra coisa chamou nossa atenção. Talvez o ideal seja você alimentar menos expectativas e tentar ser menos dependente do namoro. Mas, seja honesta com você mesma: é isso o que você quer de um relacionamento?
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Quanto a você Engenharia (ou Engenheira) se você conseguir nutrir menos expectativas melhor pra você e pro relacionamento.
      Vivemos um montanha russa interior, e isso se reflete em nossas vidas; infelizmente.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  28. Você sabe viver com um TDAH?
    Se vc não for forte o suficiente para ser humilhada...
    Se vc não for forte o suficiente para ser chamada de mentirosa mesmo quando está sendo sincera...
    Se vc não for forte o suficiente para ser chamada de burra, enquanto está dizendo a outra que o ama...
    Se vc não for forte o suficiente para pagar todas as contas, inclusive os motéis, enquanto o seu TDAH reclama que está sem dinheiro e aparece com um Iphone 5s...
    Se vc não for forte o suficiente para ver ele te traindo com várias e ficar calada, pq se vc reclamar ele te manda pastar...
    Se vc não for forte o suficiente para aguentar discursos falsos mesmo já sabendo toda a verdade...
    Se vc aguentar uma pessoa que não lembra do dia do seu aniversário ou reclama do ovo de páscoa que vc comprou com tanto carinho...
    Se vc for forte o suficiente para viver ao lado de alguém que te chama de fraca quando vc fala que está com problemas no emprego ou que o seu está em depressão...
    Se vc for forte o suficiente para estar com alguém que só te procura qdo é do interesse único e exclusivamente dele...
    Alguém que mais troca de emprego do que vai ao banheiro...
    Alguém que esquece de freiar o carro na rodovia e diz que a culpa é da pessoa da frente que feriou no congestionamento...
    Se vc for forte o suficiente para aguentar uma pessoa que tem mais de 30 anos e mora com a mãe, ou seja não compra nem a sua comida...
    Se for forte o suficiente para ficar com uma pessoa que termina as 11:45 do ano novo, falando que arrumou outra namorada ao qual já terminou também...
    Vc merece um TDAH em sua vida!!!
    L.E.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem todos são assim garota!
      Além de você ter sido extremamente específica e preconceituosa estereotipando algo que estabelece semelhanças e não CERTEZAS DE CARACTERISTICAS E ATOS, você deixou claro que por suas dores, todos os TDAH são iguais.
      Tire isso da mente moça! Será melhor pra todos!

      Excluir
  29. Vc me descreveu. Ótimo artigo. Deveria escrever um livro.

    ResponderExcluir
  30. Deus meu!
    Você sou eu? Ou eu sou você? Caí no seu BLOG pesquisando nem lembro o quê mais....

    Tenho certezas absolutas sempre, mas nunca tinha as visto como criações da minha mente.

    Vou a endereços errados achando que sabia onde era. E deixo para anotar os novos endereços daqui a pouco.

    Está difícil viver assim realmente...

    Li tudo muito rápido.

    A idéia é tratar com Psicóloco, Psicanalista ou Psiquiatra??

    --Mais uma perguntinha rápida.... Vocês levam multas em todos os radares de 60km/h passando a 66??? Mesmo o da esquina da sua rua?

    ResponderExcluir
  31. Quero DEVORAR o blog todo de uma vez !!!! Maravilhoso!.
    Vim parar aqui por desespero. Amo meu marido tdh. Impossível viver sem ele. E hoje estou sentindo um medo terrível de admitir que está impossível viver COM ele.Já são 24 anos. Conquistas imensas que conto depois, hoje tô um caco.
    Alexandre, você não conhece nenhum tipo de ajuda organizada, grupo dee apoio ou coisa que o valha, para quem convive com um tdh?
    Míriam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho interesse se houver grupo. Se fosse virtual, seria melhor ainda.

      Excluir
    2. 13 de junho de 2016.

      Também tenho interesse em participar de um grupo de apoio.

      Excluir
  32. Quero DEVORAR o blog todo de uma vez !!!! Maravilhoso!.
    Vim parar aqui por desespero. Amo meu marido tdh. Impossível viver sem ele. E hoje estou sentindo um medo terrível de admitir que está impossível viver COM ele.Já são 24 anos. Conquistas imensas que conto depois, hoje tô um caco.
    Alexandre, você não conhece nenhum tipo de ajuda organizada, grupo dee apoio ou coisa que o valha, para quem convive com um tdh?
    Míriam

    ResponderExcluir
  33. muito interessante ,preciso na descrição dos sintomas e das atitudes ...e tudo muito dificil ..sou uma mae convivendo com um filho de 37anos que acabou de se separar e sair de uma clinica de reabilitaçao para drogas ...faz acompanhamento semanal com um psicologo ,coach e o psiquiatra ..toma concerta e outras medicações ...exixte uma melhora ou sera asssim o resto da vida ..preciso me preparar e mais ainda prepara-lo para qdo eu nao estiver mais aqui ..tenho 63 anos

    ResponderExcluir
  34. Li em alguns depoimentos a respeito da perseguição, namorados que achavam que a garota tinha outro, caso com o vizinho e tudo mais. Essa mania de criar situações/perseguições é uma característica do TDAH?

    ResponderExcluir
  35. Tenho uma outra pergunta - rsrs - só há 'solução' se a pessoa tomar remédio? Só com o acompanhamento terapêutico não resolve?

    ResponderExcluir
  36. Venho compartilha o meu relacionamento com um TDAH

    ResponderExcluir
  37. Namoro com um TDAH há um ano e no início foi muito difícil. Conheço ele há 10 anos, mas não tinha contato direto, pois ele morava no interior.
    Quando começamos ficar ele comentou que tinha este problema, mas não imaginava o quanto iria atrapalhar nosso relacionamento e quanto ia ser complicado enfrentar isto.
    Queria dizer que ele é uma pessoa maravilhosa, coração puro, não vê muita malícia, companheiro ( quando chamo para me acompanhar nos lugares topa tupo, desde médico até chá de bebê). Mas enfrentamos vários problemas, que para mim são grandes. Sou uma pessoa determinada, não deixo nada para depois e um pouco sistemática. Ele totalmente ao contrário, só vai atrás do que tem interesse.
    O que mais sofri no início era a mudança de humor, se acontecesse algo mínimo ele ficava de mal humor, seco comigo e não queria ver ninguém. Quando acontecia isto era o terror para mim, pois tinha certeza que ele estava daquele jeito, pq estava confuso com seus sentimentos. Era a semana que ele não respondia whatsapp, não me ligava, quando eu ligava para ele ele atendia seco, às vezes passava em alguns dias outras uma semana. Cheguei a quase terminar com ele, conversava muito com meu primo que era melhor amigo dele e dizia que ele foi sempre assim "com estas crises de existência".
    Fora isto não tem uma estabilidade financeira e depende dos pai, ele está correndo atrás da área dele, mas está difícil, pois ele não é aquele cara de atitude que vai a luta, somente corre atrás mesmo quando é da área dele, mas não faz bicos para se virar.
    Dificilmente compartilha as coisas do dia a dia, coisas importantes só vou saber quando chego na casa dele.
    Tudo tem que ser no tempo dele e odeia se sentir pressionado, a pressão a a coisa mais terrível para ele.
    Fica a noite toda jogando vídeo game e dorme de manhã.
    Mas todos estes defeitos dele mudam quando ele está de bom humor, vira uma pessoa amorosa, presente, amável.
    Depois de um ano é difícil ainda viver com estas inconstâncias, mas como já conheço ele estou mais segura.
    A mãe dele me disse que ele é assim desde pequenininho.
    Hoje em dia o que mais me incomoda é a ausência dele quando não estamos juntos, às vezes mando mensagem no whatsapp e ele responde no outro dia ou depois de uma hora, sendo que ele não está fazendo nada. às vezes é coisa importante, mesmo assim ele esquece de retornar a ligação.
    Ele é assim com todos, mas parece que dá mais atenção no dia a dia com os amigos. Luto constantemente para entender que estas varições de humor não está ligado a diminuição do interesse por mim.

    ResponderExcluir
  38. Namoro com um TDAH há um ano e no início foi muito difícil. Conheço ele há 10 anos, mas não tinha contato direto, pois ele morava no interior.
    Quando começamos ficar ele comentou que tinha este problema, mas não imaginava o quanto iria atrapalhar nosso relacionamento e quanto ia ser complicado enfrentar isto.
    Queria dizer que ele é uma pessoa maravilhosa, coração puro, não vê muita malícia, companheiro ( quando chamo para me acompanhar nos lugares topa tupo, desde médico até chá de bebê). Mas enfrentamos vários problemas, que para mim são grandes. Sou uma pessoa determinada, não deixo nada para depois e um pouco sistemática. Ele totalmente ao contrário, só vai atrás do que tem interesse.
    O que mais sofri no início era a mudança de humor, se acontecesse algo mínimo ele ficava de mal humor, seco comigo e não queria ver ninguém. Quando acontecia isto era o terror para mim, pois tinha certeza que ele estava daquele jeito, pq estava confuso com seus sentimentos. Era a semana que ele não respondia whatsapp, não me ligava, quando eu ligava para ele ele atendia seco, às vezes passava em alguns dias outras uma semana. Cheguei a quase terminar com ele, conversava muito com meu primo que era melhor amigo dele e dizia que ele foi sempre assim "com estas crises de existência".
    Fora isto não tem uma estabilidade financeira e depende dos pai, ele está correndo atrás da área dele, mas está difícil, pois ele não é aquele cara de atitude que vai a luta, somente corre atrás mesmo quando é da área dele, mas não faz bicos para se virar.
    Dificilmente compartilha as coisas do dia a dia, coisas importantes só vou saber quando chego na casa dele.
    Tudo tem que ser no tempo dele e odeia se sentir pressionado, a pressão a a coisa mais terrível para ele.
    Fica a noite toda jogando vídeo game e dorme de manhã.
    Mas todos estes defeitos dele mudam quando ele está de bom humor, vira uma pessoa amorosa, presente, amável.
    Depois de um ano é difícil ainda viver com estas inconstâncias, mas como já conheço ele estou mais segura.
    A mãe dele me disse que ele é assim desde pequenininho.
    Hoje em dia o que mais me incomoda é a ausência dele quando não estamos juntos, às vezes mando mensagem no whatsapp e ele responde no outro dia ou depois de uma hora, sendo que ele não está fazendo nada. às vezes é coisa importante, mesmo assim ele esquece de retornar a ligação.
    Ele é assim com todos, mas parece que dá mais atenção no dia a dia com os amigos. Luto constantemente para entender que estas varições de humor não está ligado a diminuição do interesse por mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele, o comportamento do meu namorado é o mesmo. Uma hora super feliz, quer sair, viajar, mas no outro dia o humor está péssimo!
      Eu sei que a culpa não é minha (no caso, não é nossa!), mas a convivência com as variações de humor é muito complicada, ainda mais que eu sou super animada, feliz!
      Também percebo como se fosse duas pessoas completamente diferentes. Quando está bem é amável, carinho, companheiro, mas quando está em crise, completamente apático, beirando uma "maldade"!
      O meu também tende a colocar a culpa nas outras pessoas, quando está em crise...
      Poderíamos fazer um grupo de apoio para os que convivem com os THAH!
      O que vocês acham?

      Excluir
    2. Vamos montar um grupo para partilharmos nossas experiências! meu namorado tem TDAH e com tantos depoimentos que leio e algumas coisas que ele me diz, fico com um certo medo do futuro.

      Excluir
    3. Olá, estou no mesmo barco e queria muito poder compartilhar isso com pessoas que passam pela mesma coisa. Namoro há 2 anos um rapaz que tem todos os indícios de TDAH, porém ele não aceita e com isso fica td mais dificíl td. Adoraria trocar experiências e a ideia de um grupo seria ideal.

      Excluir
    4. Como convencer uma pessoa adulta que ele pode ter TDAH? Eu acho que meu namorado tem... As vezes tenho medo de levar o relacionamento a frente pois eu já sofri em relacionamentos anteriores ,tenho depressão mas faço tratamento. Preciso de ajuda! Onde procurar ? Ele tem muitas qualidades e eu não quero terminar...

      Excluir
    5. Como convencer uma pessoa adulta que ele pode ter TDAH? Eu acho que meu namorado tem... As vezes tenho medo de levar o relacionamento a frente pois eu já sofri em relacionamentos anteriores ,tenho depressão mas faço tratamento. Preciso de ajuda! Onde procurar ? Ele tem muitas qualidades e eu não quero terminar...

      Excluir
    6. Após eu estar sete anos casada com um TDAH, eu lhe diria termine! saia enquanto ha tempo, pois se esta ruim agora, se ele nao se tratar tudo poderá piorar

      Excluir
  39. A palavra com que posso expressar o meu momento atual eh medo. Estou com meu esposo desde 2009. De lah ate final de 2014 seu comportamentos eram: descompromisso com a faculdade, maconha, video game e internet, sem hs para acordar e dormiir e apatia que se estendia para o namoro. Quando fomos morar juntos, em meados de 2013, posso resumir o que eu sentia com ele: solidao e sensaçao de inatingibilidade, que levava a mta frustraçao. As brigas aconteciam mto, principalmente no inicio do namoro, algumas vezes acompanhada com explosao violenta contra si proprio... A falta de me apoiar em situaçoes conturbadas eh predominante, as vezes eu chorava ao seu lado e ele nao percebia, problemas financeiros que tive, tentava partilhar c ele, chegando a pedir expressamente a ajuda, ja q moravamos juntos, e pela reaçao tao negativa dele me rebaixei profissionalmente para poder me sustentar... Ele largou as drogas e arrumou um emprego, +\- apos um ano em que ele descobriu que seria jubilado da faculdade. O emprego foi mto bom, pq percebi maturidade nele. Soh que hj ele foi desliagado da empresa justamente por causa da tdah e fico aflita pq com 9 dias de aviso previo, ele pegou 2 dias p mandar cv (em um selecionei vagas e ele soh encaminhou email) e eh como se ele estivesse em ferias: video game, net flix hs de folga, sem hs p dormir e acordar. Vejo suas açoes e fico desesperada...como ouvi," um homem que vive soh com a fe, eh pq vive sem a graça"...e pela falta de determinaçao e attitude dele, ser otimista eh como um ato de coragem(suicidio????), que fica a deriva, a espreita de que a casualidade do mundo coincida c os lapsos de açoes neste sentido. Sei que uma conversa franca dizendo q ele tera que arcar com td sua parcela em tds as contas sera necessaria.

    ResponderExcluir
  40. Olá, obrigada por essas dicas, sou casada a quatro anos e o meu esposo tem TDAH, no começo do casamento é bem mais fácil lidar com algumas coisas porque acabamos abrindo mão de algumas coisas pela paz no lar, mas te confesso que com o passar desses quatro anos estou me sentindo um pouco sobrecarregada, temos um bebê de um ano, e tenho mais dois filhos uma mocinha de 11 anos e um rapaz de 9 do meu primeiro casamento, acho que as dificuldades ja implicitas na criação dos filhos aborrecentes, de um bebê e um marido com TDAH estão me vencendo. Tem dias bem difíceis, mas tem aqueles dias que eu acordo e penso hoje está tudo perfeito, tudo dando certo e quando me levanto me deparo com o meu esposo hiper mal humorado, e ele acaba com a minha paciência e estraga o meu dia. Procurei algo a respeito na internet para tentar entender melhor como ajuda-los e me deparei com o seu texto que em diversos pontos define a minha vida...rsrrs, tem horas que ele eu estou fazendo tantas coisas para ele que me sinto à secretaria particular. Ele não consegue se organizar sozinho, e eu não estou conseguindo organizar a vida de tantas pessoas de uma só vez, então quando algo da errado e cobra de mim, porque eu não trabalho fora... Me sinto cansada.

    ResponderExcluir
  41. Olá, obrigada por essas dicas, sou casada a quatro anos e o meu esposo tem TDAH, no começo do casamento é bem mais fácil lidar com algumas coisas porque acabamos abrindo mão de algumas coisas pela paz no lar, mas te confesso que com o passar desses quatro anos estou me sentindo um pouco sobrecarregada, temos um bebê de um ano, e tenho mais dois filhos uma mocinha de 11 anos e um rapaz de 9 do meu primeiro casamento, acho que as dificuldades ja implicitas na criação dos filhos aborrecentes, de um bebê e um marido com TDAH estão me vencendo. Tem dias bem difíceis, mas tem aqueles dias que eu acordo e penso hoje está tudo perfeito, tudo dando certo e quando me levanto me deparo com o meu esposo hiper mal humorado, e ele acaba com a minha paciência e estraga o meu dia. Procurei algo a respeito na internet para tentar entender melhor como ajuda-los e me deparei com o seu texto que em diversos pontos define a minha vida...rsrrs, tem horas que ele eu estou fazendo tantas coisas para ele que me sinto à secretaria particular. Ele não consegue se organizar sozinho, e eu não estou conseguindo organizar a vida de tantas pessoas de uma só vez, então quando algo da errado e cobra de mim, porque eu não trabalho fora... Me sinto cansada.

    ResponderExcluir
  42. eu tenho TDAH, e sinto que meu relacionamento fica prejudicado muitas vezes por causa disso, namoro há dois anos e ela é muito paciente comigo e foi quem prestou atenção nos sintomas, como ela faz pedagogia e estuda com um psicólogo que fez um trabalho na faculdade sobre TDAH em adultos, ela percebeu que eu tinha os sintomas, é muito difícil para ela porque eu mudo de humor de uma hora para outra e fico com raiva por besteira, sinto essa necessidade de algo novo todos os dias, no trabalho tenho horror de rotina, e isso faz muito mal pois minha produtividade é bem abaixo do que realmente sou capaz, obrigado, pois este blog tem me ajudado muito, pois vejo pessoas que tem o mesmo problema que eu se superando a cada dia...

    ResponderExcluir
  43. anônima de 43a....Convivo a 5 anos com um TDAH...ja passei por tudo que foi falado acima. Sou determinada e estruturada financeiramnte. O incentivo e faço tdo pra melhorar dele. concordou em ir a médica que fez o diagnostico passou medicação e acompanhamento...como tdo ele concordou a principio e eu fiquei super feliz ...depois de uma semana volta tdo a estaca zero. Qdo ele quer uma coisa vai atrás, mas dificilmente ele quer alguma coisa...as vezes acho que ele sempre quer o que eu não queria....para ele eu sou a pior pessoa do mundo....tdo que faço de bom pra ele com agradecimentos do tipo vc foi a melhor coisa q aconteceu em minha vida...em dois segundos se torna...vc é a pior coisa da minha vida. uma amiga em comum disse impressionada qdo me conheceu e viu como eu o tratava e como ele me descrevia que ela achou até q eu o torturava. não admite esta errado e joga tdo pra mim...diz q vivo malhumorada e não convivo com ninguém, mas na verdade ele é qdo me ver bem faz de tdo pra me deixar mal humorada, principalemnte qdo marcamos alguma coisa....quase não temos vida social e ele diz que a culpa e minha que vivo de mal humor...na verdade ele cria a situação. sou uma pessoa seletiva tenho poucos amigos, mas amigos de 30 anos e ele alega que minha poucas amizades é pq sou insatisfeita....ele me conheceu bronzeada, viajando, bem sucedida profissionalmente...uma mulher desejada....hj to deprimida.... nos primeiros 03 anos me fez mto feliz as variações eram poucas e tratada por mim como comum e ciumes pelo mto amor ...ha dois anos começei a ver anormalidade e confirmamos o diagnostico....tento me separar mais não tenho forças o que reforçado pelo drama que ele faz qdo digo que nao to aguentando mais e quero paz...primeiro diz que eu q sou insuportável e quer paz e vamos separar...qdo digo vamos sim pode pegar suas coisas ele começa o drama e depois volta carinho e permanecemos junto....queria mto ficar com ele....mas tenho certeza q não ha mais nada a fazer...me oriente como proceder...ps. to fazendo terapia holista a quase um ano....isso tá me ajudando a não enlouquecer com essa inconstância dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplesmente minha vida!! como iremos vazer amiga!? estou desespeada tambem! ele começa o tratamento e para pela metade eu ja aguento ha sete anos.

      Excluir
  44. Olá, estou no mesmo barco e queria muito poder compartilhar isso com pessoas que passam pela mesma coisa. Namoro há 2 anos um rapaz que tem todos os indícios de TDAH, porém ele não aceita e com isso fica td mais dificíl. Adoraria trocar experiências e ideia, um grupo seria ideal.

    ResponderExcluir
  45. Meu Deus!!!
    Eu já conhecia este blog, pois, quando descobri que marido tem tdah li tudo a respeito.
    Fiquei muitos anos sem ler este blog, e permaneço casada com ele e já faz sete anos.
    Hoje voltei e ler este blog, porque após sete anos casada ele não muda, e vejo os relatos aqui que me assustam.
    Meu marido está cada vez mais incontrolável, rompantes de nervosismos, principalmente após começar a tomar o venvanse. Ele só começou a usar esse remedio agora porque pela milesima vez voltou para a faculdade, porem, ele não tem acompanhamento medico frequente e nao vai EM UM PSICOLOGO, eu ja estou mais que cansada, venho suportando tudo, e de um ano para cá eu parei de trabalhar com ele e tudo só piorou, agora TUDO é minha culpa! eu deixi de ser boa esposa, deixei de pensar no casal, palavras dele. Porque antes eu quem cuidava de tudo e após começar a ter depressão, nao me cuidar mais, percebi e começei a trabalhar fora. Mas agora tudo é minha culpa. ele diz... e para ajudar.. neste sabado.. até culpa de nao ajudar ele na faculdade estou levando. Ele não sabe nada.. muita dificuldade no aprendizado, e iso deixa ele nervoso. E pelo que vejo mais uma vez ele nao vai conseguir a faculdade e a culpa será minha .. to até vendo já!!

    ResponderExcluir
  46. Olá, chamo-me Tamires e estou noiva de um rapaz com TDAH. Namoramos há mais de dois anos e meio, mas o nosso relacionamento nunca foi estável. Sempre com altos e baixos, muito baixos por sinal. Já pensamos em diversas vezes em terminar, mas sempre eu volto atrás por acreditar que a raiva ou a inconstância seja devido a doença. Muitas vezes ele é um amor de pessoa, em outras me trata muito mal mesmo, chegando a ser grosseiro e desrespeitoso e me deixando muito triste. A última briga que tivemos foi sobre política, sendo que ele nunca foi muito envolvido com isso, e embora eu quissesse desconversar por já saber o rumo que ia tomar porque tinha opiniões diferentes já percebidas antes, ele mesmo assim insistiu em saber e acabamos discutindo muito mais, pois ele enche minha caixa de e-mail, wpp, página do facebook e td mais com links sobre o assunto chegando algumas vezes a expor nossa relação e brigas para todos, sem falar nas palavras duras e alguns xingamentos...
    Nesse exato momento o nosso relacionamento esta passando por uma crise imensurável em que terminamos e alguns dias após conversamos e resolvemos tentar mais uma vez e vencer nossas diferenças. Mas ele não me procura, não me liga, não manda mensagem e nem pergunta como estou apesar de estar passando por muitos problemas de saúde. Ele apenas dias que quer um tempo para pensar e que vamos nos resolver, mas não me da espaço para convivência. Estamos nessa situação há exatos três meses em que eu tento de todas as formas entender o que está acontecendo e ele só diz que esta passando por muitos problemas e que não quer conversar agora.
    Embora ele diga que ainda goste de mim e que não esta com ninguém, não consigo entender o porquê de tanta distância...Ele já vai fazer quase trinta anos, mas ainda não conseguiu se estabilizar e nem um emprego...Estou muito insegura, pois o amo muito, mas não estou sabendo lidar com toda essa indecisão e adiamento da nossa convivência. Eu estava tentando tanto entendê-lo e não forçar ele a nada, mas eu estou me sentindo literalmente entre a cruz e espada, pois estamos noivos, vivemos brigando, sinto que já estou absorvendo um pouco de toda essa ansiedade dele, ele ainda não conseguiu perceber que esta só adiando as coisas, fugindo de suas responsabilidades e obrigações para focar em questões de políticas...Fora isso ele esta tomando os remédios todos de forma desregrada, quando e na quantidade que quer, pois alega que a cirurgia bariátrica feita anteriormente, não está fazendo tratamento psicológico, as vezes vai no psiquiatra só para pegar receita, troca ritalinas com amigos, passa o dia inteiro trancado num quarto dizendo para ninguém incomodar...Estou me sentindo desesperada...Parece que estou vendo ele se matar aos poucos...O que eu ainda posso fazer?

    ResponderExcluir
  47. Estou feliz por ter encontrado esse blog,amo um tdha, estou pesquisando, e tudo bate, o que acontece é que ele usa drogas, ele terminou comigo faz mais de 1 mês, sinto saudades, mas não sei se é melhor assim tbm, e complicado...

    ResponderExcluir
  48. Olá, fui casada a um ano e meio com uma pessoa que suspeito ter tdah, inclusive no começo do relacionamento chegamos a conversar sobre isso por conta dos seus esquecimentos e falta de atenção em várias situações, ele passava na psicóloga, porém ele mesmo disse que a psicóloga não quis dar o diagnóstico mas estava achando que ele sofre com esse problema.
    Ao contrário do que eu vi aqui nos relatos, o meu ex não apresentou mudanças bruscas de humor durante ool período do relacionamento , porem da noite para o dia terminou comigo dizendo que não sabia mais sobre seus sentimentos por mim, depois retornou dizendo que me amava e quatro dias depois terminou de vez dizendo que nao me amava mais, ai seu comportamento mudou totalmente, parecia outra pessoa, nao queria conversar, se resolver e nem nada, ele sempre foi muito fechado,quase não tem amigos,a própria família diz que não entende as atitudes dele e que ele sempre foi de rompantes, nesse período também quase não parou em emprego algum, sente dificuldades em dormir a noite.
    Uma pessoa com tdah também pode ser uma pessoa muito fechada? Com dificuldades em conversar?

    ResponderExcluir
  49. Me casei com TDAH e tive uma filha, ele nunca conseguiu cuidar dela, sempre distante... Qto a multas tem 174 pontos na carteira, toma multa em lombada eletrônica, hoje vivo uma situação bem difícil, preciso sustentar a casa e preciso cuidar da minha filha pequena, estou doente com tamanha pressão ... Cheguei a pensar em suicídio. Não basta só amar tem q ter uma boa estrutura financeira pra seguir um relacionamento com um TDAH... Pelo menos foi o meu caso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sei muito o que dizer. Acho que já teria abandonado tudo.

      Excluir
  50. Sou casada ha 3 anos com um portador de TDA. Tudo que leio aqui, é exatamente o que eu vivo diariamente. Instabilidade, impulsividade, procrastinação, etc...Na verdade, o que eu quero saber, é se existem pessoas que conseguiram manter um relacionamento com um TDA por muitos anos, e se isso é possivel, quais são as estratégias para a boa covivencia.

    ResponderExcluir
  51. Meu marido tem TDAH,no começo era muito difícil pois era complicado entender todas aquelas confusão q se passava em nosso meio por conta da doença.Depois aprendi a ver isso de uma forma bem melhor,passei a olhar ele com mas amor,desde então tudo se tornou mas fácil.Quando tudo tava se encaixando ,eu descobri q ele viu pornografia.entao tudo q até então eu tinha conseguido foi por água abaixo, não sabia o q fazer pois amo muito ele ,e o fato não é só um porno e muito doentio ,oq mais me deixa triste e q ele passa dias sem me procurar na cama ,eu acho q ele se satisfaz só olhando pornografia.isso acabou não só com o amor q eu tinha construído mas também com minha autoestima e até hoje estou
    Muito mau por isso.nao sei se faz parte dessa doença só sei q eu estou muito triste e não tenho forças para ajuda-lo.

    ResponderExcluir
  52. Eu convivo a 21 anos com meu marido portador de TDHA, ele nao aceita que tem esse distúrbio, nunca se tratou. Quando o conheci foi amor a primeira vista, ele um homem bem humorado, inteligente, prestativo, divertido...no inicio achava ate bonitinho o ciumes dele. Eu uma mulher bonita, inteligente, trabalhando, cheia de sonhos e planos. Casamos, parei de trabalhar, mudei de cidade... comecei a viver como uma prisioneira...nao podia mais trabalhar, fazer algum curso, ir na academia...muito grosso, mal educado, ignorante, um mal humor terrivel e dono da razão, muitos gritos, muita violência psicologica...enquanto isso ele sempre com altos e baixos no emprego e um desastre na vida financeira, sempre fazendo burrices com o dinheiro, gastando sem parar, nunca poupou, emprestando a tanta gente que nunca pagou.....resumindo minha historia...isso me rendeu uma sindrome do pânico transtorno de ansiedade...ele já ficou 5 vezes desempregado, agora ele está desempregado, entragamos nosso apartamento, moramos de favor na casa da mãe. Peco a Deus diariamente que me dê uma nova chance, que eu consiga um emprego, para me separar dele e recomeçar uma niva vida ao lado dos meus filhos, é o que mais quero. Ele agora nessa situação, só vive dizendo que sou o mal da vida dele, vive de cara fechada, me trata suoer mal, chegou a me agredir fisicamente.., portanto se vc estiver lendo meu depoimento, te digo caia fora, caia fora, vc vai destruir a sua vida, porque conviver com marido com TDHA vc vai sofrer e vc nso merece isso. Essa é minha experiência. E o mais incrível, ninguém imagina o que passo....Não vale a pena viver com um TDHA

    ResponderExcluir