terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

UM TDAH AFOGADO EM IDÉIAS




Imagine o seguinte cenário:
Você está desempregado, possui algum capital e uma grande vontade de montar seu próprio negócio.
De cara, além do capital você tem a posse de alguns veículos de carga (motos com baú, triciclos e picapes leves).
Bem, a primeira idéia que te vem à cabeça é montar uma empresa de entregas rápidas para aproveitar os veículos que você tem. Mas, uma empresa de moto entrega não era exatamente o que você sonhou.
Qual o seu maior sonho?
Uma livraria... Seu sonho é ter uma livraria e um café.
Você começa a pesquisar quanto capital você precisa, ponto comercial, montagem, etc.
Um nome lhe vem à cabeça. Não existe na internet nem um site com aquele nome. Você registra o nome e continua sua pesquisa. Você começa a enxergar que a livraria que você quer vai consumir todo o seu capital e que terá como concorrentes empresas do porte da Livraria Leitura , Livraria Saraiva e Nobel. Bate uma insegurança, a idéia começa a esfriar.
De repente você se lembra de uma pessoa conhecida que é diretor de uma grande empresa de material de limpeza, de nível nacional. Você se senta diante do computador e monta uma estratégia de micro distribuição regional dos produtos. O diretor da empresa se interessa, te chama no Rio de Janeiro para discutir o assunto e aí, vem a ducha gelada: esse é um negócio de alto risco. Não existe similar nesse mercado. Você levará no mínimo, uma ano para começar a fazer retiradas nessa empresa.
Mas, se uma transportadora não lhe apetece, quem sabe uma locadora de veículos? Claro uma locadora pequena, mas o mercado é favorável. Você dá início a uma nova pesquisa, assina um site sobre o assunto, se convence que é um negócio viável e dá o próximo passo: registra uma empresa, registra um site (o segundo), começa a elaborar logomarcas, folders, cartões de visitas. O tempo passa e o negócio não se concretiza. Nem você sabe o porque de tantos adiamentos.
Mas, em compensação você se descobre um ótimo criador de material publicitário. Você criou um nome excelente para sua empresa, criou uma logomarca agradável, folders interessantes e criativos. Por que não montar uma gráfica rápida? Pesquisas, orçamentos, estudos, telefonemas interurbanos, obstáculos, desânimo, indiferença...
Certo dia, está você em um shopping center e um brinquedo radical chama sua atenção. Um enorme trampolim onde quatro crianças dão saltos radicais simultaneamente. Seus olhos enchem-se de cifrões. Há uma enorme fila de crianças ávidas para saltar freneticamente naquele brinquedo. Chegando em casa você mergulha na internet e pesquisa furiosamente sobre o assunto. descobre um universo novo, recheado de brinquedos aquáticos, rampas, trampolins diversos. Depois de muitas dúvidas e pesquisas, você se decide pelo trampolim, vai criar uma atração itinerante, viajando pelas cidades da sua região. Aí você faz uma descoberta: o brinquedinho pesa 600 quilos, você já não é tão jovem para montá-lo e desmontá-lo sozinho...
Ainda em dúvida, você faz uma viagem de fim de semana e se depara com um boliche compacto. Duas pistas de boliche que você pode transportar. Muito bem montadas, com um visual excelente. Novo mergulho na internet, nova pesquisa, novo pedido de orçamento: caro prá caramba. Inviável.
Muito bem, no meio destas pesquisas, bate uma nova idéia: e se você pegasse sua locadora de motos e veículos, comprasse uns bugres e fosse alugá-los na praia? Nova pesquisa, novos orçamentos, novas divagações...
Neste ínterim, sua CNH está para vencer, está na hora de renová-la. Você sem muita explicação decide por mudar de categoria; de amador para profissional. Vai a uma auto escola e contrata vinte aulas em um ônibus. E descobre que adora dirigir um ônibus.Qual o próximo passo? Acertou! Pesquisa na internet. Quanto custa um ônibus, um micro ônibus, uma van. Novos orçamentos, despesas com interurbanos, negócios praticamente fechados. Uma empresa de turismo, um ônibus para levar pessoa a shows internacionais em outras cidades ou a congressos, feiras, essas coisas.  Quem sabe uma van escolar? Vai à prefeitura, pesquisa as necessidades, toda a burocracia, quais os diferenciais você poderia introduzir em sua van. Novos telefonemas interurbanos, novas negociações, novos negócios praticamente fechados. No meio disso tudo, um dia você navegando no Mercado Livre, você se depara com um ônibus cuja lateral se abre e vira um palco. Imediatamente sua mente começa a fervilhar e na manhã seguinte nasce o METAMORFOSE AMBULANTE. Um bar montado dentro de um ônibus, que roda pela cidade. Com música ao vivo, etc, etc.
Cara, esse Mercado Livre é um mundo. Você descobre trailers incríveis para montar lanchonetes sofisticadas, com uma qualidade inimaginável. Novas pesquisas, novos orçamentos, várias ligações interurbanas.
Você pesquisou tanto, fuçou tanto, que acabou conhecido por algumas empresas de revenda de veículos comerciais. Um belo dia chega ao seu email uma oferta de um caminhão poliguindaste (aquele que carrega caçambas de entulho) com treze caçambas. Um preço que você pode pagar. E aí? Novas pesquisas, novos telefonemas, exigências ambientais...
Pesquisando sobre a empresa de remoção de entulho, você acabou por reencontrar pessoas do ramo de construção. Segundo essas pessoas, o ramo está super aquecido mas falta mão de obra qualificada, gente que entenda de certos nichos desse ramo. Uma sirene dispara em sua cabeça. Você tem ótimos contatos no ramo, pode usá-los para treinar uma equipe especializada em manutenção de madeira, não existe empresa similar no mercado local. Novos contatos, novos telefonemas, novas propostas. Até um sócio surge, mas surge também a eterna insatisfação e a pergunta de sempre: é isso que eu quero?
Você ama futebol. Adora falar sobre futebol. Mas claro, por que não pensei nisso antes? Um bar temático sobre futebol. Novas pesquisas, novos orçamentos: Tv de plasma de 50', home teather de 1000 watts, mesas, cadeiras, freezers, um possível cardápio, um nome, um slogan, uma música para a propaganda, folders...
Os meses passam e você ainda não se decidiu. Um belo dia você encontra uma amiga na rua. Uma professora particular excelente, com um número razoável de alunos mas, sem capital para investir na ampliação de seu curso, para profissionalizá-lo. Rá! Novas pesquisas, um nome, um slogan, um ponto comercial. E você faz uma proposta de sociedade a ela. Diacho! Apesar de sua empolgação inicial, ela desiste da sociedade por motivos obscuros. Voltamos à estaca zero.
A coisa começa a te incomodar. O tempo passou e você não se decidiu. As idéias brotam em sua mente, atropelam as anteriores sem que você tivesse tempo para digeri-las,  e você não consegue optar por uma. De repente, você faz as contas e descobre que se tivesse investido na empresa de material de limpeza o primeiro ano de investimento estaria terminando. E você nem começou sua empresa.
Chateado, decepcionado com você mesmo, um dia, numa sala de espera qualquer você começa a folhear uma revista Veja de dois anos antes. Uma entrevista de uma psiquiatra que você nunca ouviu falar, narra uma doença que você nunca imaginou existir. Você fica perplexo, essa médica está falando da sua vida. E enquanto você não é atendido, sua vida volta à sua mente como num filme. E você murmura para si mesmo, eu tenho esse troço. Só posso ter. O que você faz? Acertou de novo! Vai para casa e pesquisa, pesquisa furiosamente sobre o assunto, descobre a médica especialista da sua cidade e, quarenta e oito horas depois, sai de lá com o diagnóstico: TDAH.
E você começa a entender por que tantos negócios te surgem à mente, tantas idéias, tantas 'viagens', tantos os pensamentos sensacionais, que você fica paralisado. Você não consegue optar por um caminho, sua mente excessivamente criativa e oscilante te deixa com uma enorme melancolia por ter optado por uma idéia em detrimento de todas as outras. Que também pareciam ótimas.
Vai se tratar, amigo. Se cuida. Ninguém em sã consciência consegue ter tantas idéias, em tão pouco tempo, de uma forma que te absorva a tal ponto pesquisando-as, que você perde o tempo de montá-las. Você está se auto boicotando. TDAH típico.
Vai se tratar!
Obs.: Qualquer semelhança com fatos reais ( inclusive a sua vida ou a minha) não é mera coincidência.
Obs 2.: Imagine você em tratamento, indo em direção à sua segunda sessão de coaching, com um cd ótimo tocando no carro. Você se empolga e começa a 'viajar' na música. Como seria bom viver nesse meio musical. Um espaço destinado à novas bandas, novos artistas, uma casa experimental: um click na sua mente! EXPERIMENTARTE! Um espaço voltado para arte de qualidade...
Você já se conhece, conhece o TDAH, sorri, reconhece que está divagando novamente, lembra-se de sua meta traçada no coaching e segue em frente.
Mas que a idéia é boa é, né!