sábado, 11 de agosto de 2012

AFINAL, O QUE É SER TDAH? (3)




Ser TDAH é caminhar numa gruta desconhecida.
É  enfrentar a escuridão úmida e fria sozinho.
É enganar-se com fachos de luz inalcançáveis e inatingíveis.
É descobrir-se repetindo o mesmo caminho errado infindáveis vezes.
É crer-se capaz de fazer o impossível, mas desistir diante do factível.
É  atravessar incólume um longo caminho lodoso para cair no primeiro metro
de terreno firme e sólido.
É obstinar-se no erro.
É explodir diante do nada.
É entregar-se em meio ao caminho.
É desistir de voltar atrás.
É adiar a volta.
É adiar o desfecho. Mesmo o desfecho mais esperado.
É encontrar forças em meio aos esqueletos dos que sucumbiram no mesmo caminho;
e seguir adiante.
É ter força para encarar-se e perdoar-se após cometer os mesmos erros dezenas de vezes.
É olhar para dentro de si e descobrir que a força ali está.
É erguer-se onde todos desistiriam e tentar novamente.
É continuar caminhando ainda que lhe sangrem os pés.
É encontrar o caminho, a saída, quando não mais acreditava que seria possível.
Ser TDAH é sair da gruta, respirar o ar puro, sentir o calor do sol na pele, dançar na relva macia da liberdade.
E decidir entrar na caverna de novo,
só pelo desafio de encontrar a saída novamente.