terça-feira, 24 de julho de 2012

EU CONFESSO, O TDAH É UMA MENTIRA!









Não adianta a ABDA tentar provar o contrário; o TDAH não existe.
As minhas explosões de fúria que destruíram relacionamentos amorosos e amizades?
Nunca existiram.
Procrastino por preguiça!
Mesmo vendo minha vida afundar optei por não fazer nada, sei lá, talvez pra dar uma de coitadinho. A tortura mental que eu vivo quando procrastino (sim, ainda sou dominado pela ‘preguiça’) é invenção minha.
Quatro casamentos desfeitos com traumas, dores e culpas inesquecíveis foram por falta de caráter. Os dois noivados que ruíram na adolescência nada mais eram do que embriões do cafajeste em que me transformaria mais tarde.
Nunca quis ter uma vida estável! Jamais sonhei em envelhecer ao lado de uma esposa amada cercado de filhos e netos numa casa confortável, própria e quitada, resultado de uma vida financeira tranquila e bem planejada.
Não! Desde adolescente sonhei com uma vida amorosa errante e instável, afinal, os embates que antecedem o fim de um casamento são absolutamente deliciosos. O prazer de ser pego em erro pela esposa não tem preço, como não tem preço cometer o mesmo erro pela milésima vez.
Como é saboroso olhar pra trás e sentir-se responsável por destruir a própria vida, dinamitar todos os sonhos de infância e juventude.
Claro que isso não é uma doença!
Somos milhões de cretinos auto destrutivos que sabotamos a própria vida por prazer, por gosto.
Deleitamo-nos ao ver o sofrimento de nossos pais com nossa vida errática e cambaleante. 
Quantos de nós conseguem sucesso profissional, mas destroem suas vidas afetivas e pessoais. Outros tantos dinamitam o sucesso quando estão ‘perigosamente’ próximos dele.
Quanta dor vivemos e causamos, quantas lágrimas derramamos – nossas e de quem nos ama – sempre por vontade própria!
Quantas frustrações engolimos, quantas humilhações nos foram inflingidas por repetirmos os mesmos erros, os mesmos desatinos, por esquecermos pela enésima vez!
Não! O TDAH não existe!
Cada um de nós é fruto da manipulação mesquinha de laboratórios farmacêuticos mal intencionados.
Quanta cretinice, meu Deus! Como alguém pode vir a público tripudiar sobre o sofrimento de tanta gente! Quem são essas pessoas que se arvoram no direito de nos passar um atestado de cretinos e idiotas. Cretinos por tudo o que fizemos com as nossas vidas e a de todas as pessoas que cruzaram nossos caminhos; idiotas por acreditarmos que nossa falta de caráter poderia ser uma doença.
Não! Eu não vou abaixar a cabeça para uns poucos incompetentes que sonham com seus quinze minutos de fama, ainda que o preço dessa fama seja atirar tanta gente no limbo da vida de TDAH sem tratamento.
Deixo aqui o meu protesto: eu sou portador de TDAH sim!
Saber-me TDAH mudou radicalmente minha vida. Ainda cometo enormes falhas, ainda magoo as pessoas, ainda procrastino, ainda esqueço muita coisa, ainda me saboto. Mas  hoje me conheço melhor, hoje consigo enxergar muitos desses comportamentos antes que eles aconteçam e muitas das vezes consigo impedi-los. Continuo minha luta, mas hoje ao lado de milhares de pessoas que sofrem do mesmo mal e aprendo com cada uma delas a  ser uma pessoa melhor.
Não sei se consegui; mas quem sabe?
Já temos inimigos demais - dentro de nós mesmos - para termos que enfrentar criaturas mesquinhas que só querem aparecer às nossas custas.