domingo, 27 de abril de 2014

TDAH ASSOBERBADO








Esta é a quarta tentativa de post de hoje. Os outros três tinham um cunho negativo e de auto flagelação por falhas recentes. E comportamentos negativos...
Mudei de ideia. Estou afastado do blog e me recrimino por isso. Estou afastado do sax e me recrimino por isso. Estou muitíssimo recluso e me recrimino por isso.
Mas por que estou assim?
Fui promovido na empresa em que trabalho. Estou em treinamento e avaliação nas últimas cinco ou seis semanas. Antes fazia um trabalho operacional externo, com liberdade e pouca cobrança; hoje, sou responsável por uma unidade da empresa e todos os problemas que isso acarreta. Interessante que na função para a qual fui contratado, não consegui o êxito que esperávamos, eu e meu empregador. Apesar disso fui promovido por minha dedicação, seriedade e, sempre segundo meu empregador, por ter vestido a camisa da empresa. Fui guindado a uma função muito mais abrangente do que a que exercia anteriormente, e ao contrario daquela, essa nova função me é desconhecida tecnicamente. Estou aprendendo, encarando um novo desafio na vida, enfrentando o desconhecido novamente. Isso requer dedicação, isso requer foco, isso requer empenho. Coisas muito difíceis para mim. Haja Ritalina. Haja vontade. E não está faltando nenhum desses requisitos.
Mais uma vez esse blog me ajudou. Comecei a escrever posts negativos e desanimados, posts de derrota, posts de auto recriminação, e descobri que afinal de contas, eu sou um TDAH em meio ao furacão de um desafio profissional; a conciliação disso com minha família, principalmente minha filha e minha 'namorida'. Ainda mantenho meu laboratório de manutenção de celulares em casa e dedico algumas horinhas noturnas à ele; tenho um sax que me chama e a quem pouco dou atenção; tenho esse blog que é de suma importância na minha vida. Fora isso são três irmãs, e graças a Deus ainda tenho pai e mãe. Claro, não consigo dar atenção a nenhuma delas no nível que merecem, mas me esforço. Não vou me auto flagelar mais. Tenho minhas limitações de TDAH e devo me respeitar por isso.
Ando falhando com muita gente, mais do que de costume, mas me perdoo por isso. E espero que essas pessoas me entendam. Minha ausência não significa de maneira nenhuma desamor ou falta de consideração. Apenas não consigo me desdobrar tanto assim. Preciso parar um pouco, respirar e aquietar-me.
Preciso disso pra não perder o eixo.