domingo, 12 de julho de 2015

TDAH, A LIBERDADE É A MINHA MENTE




Não me torture!
Não me lembrarei da dor. Em minha mente estará gravada a gola puída de sua camisa; ou a falta que sinto de assistir mais um episódio de Julie Lescaut.
Não me prenda!
Não me lembrarei da prisão. Em minha mente estará gravado o tamborilar da chuva no telhado; ou os ladrilhos mal assentados da parede.
Não me ameace!
Não me lembrarei do medo. Em minha mente estará gravada a música que toca ao longe; ou a manchete de uma revista de fofoca que vi na banca.
Não me abandone!
Não me lembrarei da solidão. Em minha mente estará gravada aquela repetição da Sessão da Tarde; ou a incrível viagem de um motoqueiro solitário pela Cordilheira dos Andes.
Não me explique!
Não me lembrarei de suas palavras repetitivas. Em minha mente estará gravada a teia de aranha no canto da parede; ou a necessidade que tenho de comprar carne moída.
Não me limite.
Não me lembrarei de suas muralhas. Em minha mente estará gravado o por do sol daquele entardecer; ou o receio de ver meu time jogar com apenas um volante.
Não me liberte!
Não me lembrarei da gratidão. Em minha mente estará gravada a graminha que brota na fissura da calçada; o em quão grande é a muralha da China.
Esqueça!
De nada vale me prender, me agredir, me torturar, me ferir...
Minha mente TDAH é:
Indomável;
Invencível;
Incontrolável;
Intratável;
Infelizmente...