sexta-feira, 11 de outubro de 2013

O TDAH E A EXPECTATIVA DE TRATAMENTO







Muitos emails chegam repletos de expectativa quanto ao tratamento que está por se iniciar.
Um misto de expectativa e esperança; de medo e revolta; um choque de emoções contrárias e intensas.
Mesmo quanto à medicação os sentimentos são conflitantes; o medo proveniente das asneiras que são ditas contra a Ritalina, ao mesmo tempo que a alma está cheia de esperanças de deixar pra trás a vida de erros e fracassos.
Mas enfim, o que esperar do tratamento?
Saiba, em primeiro lugar, que sua vida não vai mudar num passe de mágica. Não vai haver aquele dia em que você acordará focado, produtivo, com memória de elefante e pensando racionalmente antes de agir.
Não, isso não vai acontecer.
A Ritalina não faz milagres! E age de maneira diferente em cada pessoa. Quando leio os comentários do blog eu percebo isso claramente. Não posso falar pelos outros, mas relacionarei o que senti:

1) Fiquei mais atento, mais focado para dizer o termo da moda.
2) Fiquei mais animado. Diminuiu muito aquele desânimo típico do TDAH.
3) A Ritalina diminui o sono durante o dia.
4) Fiquei mais produtivo, me enrolo menos nas coisas, faço minhas coisas com mais objetividade.
5) Fiquei menos disperso. Menos suscetível a ser interrompido por ruídos e conversas paralelas.
Esses cinco efeitos podem parecer poucos, mas são muito importantes na mudança de vida. Mas, e o que não funcionou, ou em quê a Ritalina não atuou?

1) Na impulsividade.
2) Na procrastinação.
3) No sentimento de inferioridade.
4) No auto isolamento, ou na absoluta falta de vontade de conviver com outros seres humanos.
Sim, são sintomas importantes, que no meu caso, o remédio não atuou.
Aí entra outra ferramenta de auxílio ao tratamento: auto controle. Passei a me policiar mais, a pesar melhor minhas reações, a fiscalizar mais meus sentimentos e comportamentos.Isso serve pra alguma coisa? Pra muita coisa. Eu sempre fui muito suscetível às mudanças de humor repentinas e inexplicáveis; ou desproporcionais ao fato que enfrentei. Hoje, quando me vejo numa tristeza acachapante, me encaro nos olhos e digo pra mim mesmo: levanta a cabeça, esse sentimento não é meu, é do TDAH. E sigo a vida. Eu sei que parece idiota, mas funciona como um milagre.
Com o sentimento de inferioridade também funciona. Quando estou naqueles dias que me sinto um pano de chão, o mais idiota e incompetente dos mortais, mergulho em minha alma e a alerto que esse sentimento é um equívoco; na verdade eu sou foda! Cheguei aos 53 anos carregando esse maldito transtorno nas costas, e cheguei relativamente bem, feliz, saudável e produtivo. Então não tenho por que me achar inferior a alguém. Claro, nem sempre funciona assim em todas as vezes, existem dias em que cometemos erros graves, falhamos pela enésima vez, da mesma maneira. Mas até isso pode ser superado à luz do TDAH.
Mas não é fácil! Continuo um procrastinador profissional. Luto diariamente contra isso; e perco na maioria das vezes. Ainda sou um impulsivo de carteirinha, tão impulsivo que coloquei minha própria vida em risco a pouco tempo. E ainda não estou completamente livre desse risco.
Melhorei?
Valeu a pena tratar-me?
Sim, o saldo é muitíssimo positivo. minha vida hoje é muito mais centrada e produtiva.
Trate-se, é muito bom; muito bom não, é ótimo.
Só não acredite em contos de fadas; eles não existem e só servem pra aumentar nossas decepções.

PS.: ATENÇÃO, UMA CRIATURA DESONESTA E COVARDE, CRIOU UM PERFIL FALSO COM MEU NOME E VEM POSTANDO LINKS PARA VÍDEOS NO YOUTUBE; ESSES VÍDEOS SÃO CONTRA O TDAH E CONTRA A PSIQUIATRIA. REFORÇO O QUE DISSE: NÃO SOU EU QUEM COLOCA ESSES LINKS ANTI PSIQUIATRIA! POR FAVOR,IGNOREM! 

73 comentários:

  1. Já perceberam que nossa mente parece ser barulho ao fundo, a realidade à frente (fora de nós) e a consciência entre ambas?

    A consciência para mim é o pensamento de verdade. Para mim a mente (barulho do fundo) é apenas o corpo no modo automático, fazendo ponderações automáticas, mas não realmente PENSANDO.

    Acontece que o que eu acho é que a Mente no TDA-H toma conta. Parece que estamos em uma piscina funda demais para a nossa altura, e temos que ficar nadando toda hora para ver as coisas "lá" fora, e isso acontece apenas de vez em quando. nas pessoas "normais" isso é mais fácil. A piscina na qual elas "nadam" não é tão funda. Parece ter mais sal, e elas conseguem "boiar". A mente do TDA-H é muito barulhenta. Será que precisamos mesmo de remédios para poder pensar CONSCIENTEMENTE?

    Talvez a resposta para o TDA-H nem esteja nos remédios, mas em meditação. Se você tentar calar sua mente será muito difícil. E por quê?
    Há uma série de fatores que nos levam para "dentro" de nós mesmos e não percebemos nem onde estamos.

    1. Você fica sempre tentando planejar as coisas, e por isso precisa de sua mente para fazer isso, certo? Automaticamente você começa a criar projeções de futuro na sua mente para achar as soluções e implementa-las. Só que isso acontece o tempo todo e para tudo, não?

    2. Você fica se socando no peito pelos erros do passado, por conta de atitudes até que se espera de uma pessoa, mas também por mais outras coisas adicionais que há em um TDA-H. Não seria o caso de você resolver os porquês disso? Seria como se você estivesse andando em uma calçada onde cachorros defecam e os donos não limpam. Você passa por cima de um, mas não para para olhar para trás. Continua andando e olhando para onde pisou. Logo à frente há outro cocô, e você acaba pisando novamente, só que dessa vez reclamando que não teve atenção, mas continua olhando para trás.

    Você TEM SIM que olhar para trás, mas não o TEMPO TODO. Você TEM SIM olhar para frente, mas não o TEMPO TODO! Como fazer isso?

    Talvez a resposta esteja na meditação. Procurem sobre ZAZEN! Mas não criem expectativas de que em poucos meses estarão focados 100%. Sequer os monges conseguem isso, acho eu. Sei lá eu também se em 2 ou 3 anos, ou em até 50 eles conseguem isso, portanto apenas procurem exercitar isso por algumas semanas. Não tenham preconceitos, isso ATRAPALHA! Mente mais aberta, experimentem! Quando experimentamos algo, nossa consciência muda, isso é INEVITÁVEL!

    Lembrem-se: a CONSCIÊNCIA é INFINITA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite!
      Concordo com parte do que você disse; não podemos ficar olhando pra trás e errando novamente por não prestar atenção.
      Quanto à meditação o TDAH nos dificulta demais um 'exercício' que leve tanto tempo pra surtir efeito. Essa é uma das características principais das pessoas com TDAH, não conseguir levar a cabo tarefas de longo prazo.
      Mas gostei da sugestão e vou pesquisar.
      Um abração e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  2. eu imaginava isso, mas iniciei a utilização da Ritalina agora e é bom ter essa confirmação de alguém que está usando há um tempo. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte, e não desanime. Foque sempre nos efeitos positivos. Tudo na vida tem dois lados, com o tratamento não é diferente.
      Se eu puder ajudar, conte comigo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  3. sinto exatamente esses efeitos da ritalina, os positivos e naquilo que ela nao age(itens acima no texto)

    ResponderExcluir
  4. descobri que tenho TDAH, a pouco tempo pesquisei os meus sintomas so foi o que deu tdah desde criança sofri com esse maldito tdah sempre .fui muito distraida, quieta, aluada, na escola entao eu me sentia a menina, mais burra da sala, tentava ter foco concentraçao, mais nao conceguia, me perdia em meus desvaneios imaginava mil coisas ao mesmo tempo nunca aprendi matematica ate hoje faço conta de calculadora ate hoje fui demitida do emprego a causa TDAH trabalhava em um escritorio invertia papeis nomes coisas que eu sabia fazer mais tava errado cometia erros por falta de atençao tudo aquilo pra mim era muito cansativo perdia papeis nao sabia onde colocava as coisas passava o meu tempo lendo email em rede socias quase cai em depressao nunca parei em emprego nemhum a minha auto estima la em baixo sentimento de imcapacidade eu queria ser diferente mais nao posso o tdah atrasou a minha vida os meus estudo afetou a minha vida profissiona,l em meus relacionamentos, nunca deram certo como ate hoje me sinto um a minha infancia, nao gosto nem de lembrar ta marcado, em meu coraçao como, uma ciacatriz sou estressada, nem eu mesmo me aguento sou anciosa tenho varios sintomas etc infelismente nao estou em tratamento, estou tentando conseguir um psicologo publico, pra fazer o diagnostico e me emcamira ao neuro ou psiquiatra quando eu paro pra pensar que TDAH existe e que tem tratamento seu eu soubesse antes teria evitado tantas tragedias em minha vida mais eu tenho fe que um dia eu vou conquistar tudo aquilo que perdi que vou dar a volta por cima com ajuda dos medicamentos vou passar a borra no meu passado na minha familia tambem tem portadores, minha mae e meu irmazinho minha mae diz que nao existe mais ela sempre teve dificuldades de aprendizagem aluda ela e muito estressada foi um dos motivos que sai de casa nao aguentei eu tenho um irmao de 6 anos que tem TDAH ele e muito imperativo interrompe as pessoas nas conversas e bangunceiro aluado abandona as tarefas pelo o meio nao pare de falar ninguem aguenta ate pra dormir e uma dificuldade ele e muito sonhador ele tem muita dificuldade de aprende ele tem 6 anos ele nao sabe nem escrever seu nome desde os 2 que ele estudo ele sofre nao escola ele fala que amiguinhos dele chamam ele de burro eu falo pra minha mae que ele tem mais ela nao quer procurar ajuda pra ele ela nao quer diz que eu estou inventando doença entao eu vou nao quero que ele sofra futuramente vai ser uma alegria pra mim ver ele aprendendo minha mae bate muito nele porque ele e hiperativo tenho pena o que eu faço alguem poderia respoder a minha pergunta na minha casa e genetica mesmo, quero tomar essa ritalina seguir, a minha vida arranjar um novo emprego ter confiança, em mim mesma saber que eu nao vou fraquejar mais. adorei esse blog me indentifiquei, demais sempre leio as postagens parabèns Alexandre continue sempre dando força para nos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também faço conta de calculadora até hoje, e passo o maior vexame por isso..
      Fe

      Excluir
    2. Ola, Dany!
      Muito difícil essa situação; em geral as famílias não apoiam o tratamento, negam a existência da doença e, sei lá por que, preferem que a gente seja mau caráter do que ter uma doença mental. estranho isso né.
      Talvez a melhor forma de convencer sua mãe seja através de seu diagnóstico e tratamento. Sua vida melhorando, você melhorando através da medicação, seria um exemplo concreto a favor do seu irmão.
      Você não precisa passar por um psicólogo antes de procurar um neurologista ou psiquiatra. Procure um desses profissionais no SUS e já inicie a consulta perguntando se ele acredita no TDAH, se sim, continue; se não, levante-se e procure outro. Uma hora você encontra.
      Um abração e boa sorte!
      Alexandre

      Excluir
  5. escrevi umas frases erradas estava digitando rapido espero que de pra entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dany, antes de mais nada, procure um médico psiquiatra ou neurologista que sejam especialistas em tdah. Tente pelo SUS, mas se não conseguir vá num particular mesmo, não vá ficar esperando eternamente. Eu sei que as consultas podem ser caras, mas acho que vale muito a pena você pensar na sua qualidade de vida. Eu pago consulta num neuro uma vez por ano, depois ele me dá a receita por 12 meses.
      Se você mesma já notou que algo não vai bem, não fique adiando a ida no médico, pode ser que nem seja tdah.

      A ritalina não nos transforma em outra pessoa como num passe de mágica, mas melhora muito nossa vida. Eu fui uma aluna sofrível, nem sei como consegui terminar o segundo grau. E a procrastinação dominava minha vida. Eu tentava mudar essa situação sozinha, tentava "manter a cabeça" no lugar, mas a verdade, é que eu só consegui ser uma pessoa mais produtiva graças ao remédio.

      Trate-se primeiro. Se você tiver bons resultados com certeza sua mãe vai entender e ver que não é frescura. Faça sua mãe ler algo a respeito de tdah para ela se convencer que não é uma doença inventada.
      Boa sorte. Meu nome é Carol, e espero não ter dado um mal conselho.

      Excluir
    2. Antes de manda-la ler algo, procure apresenta-la os vídeos da Ana Beatriz, que eu acho que é justamente quem postou logo abaixo

      Excluir
  6. Dany, procure estimular seus talentos e os do seu irmão. Quando temos talentos, nós nos interessamos, e conseguimos nos concentrar, por causa do interesse. É uma ajuda. É um meio de se melhorar um pouco a nossa vida.

    E leia o primeiro comentário acima sobre meditação. Faça Yoga. Yoga é algo que já foi comprovado pela ciência que ajuda.

    Se conseguir convênio também com o laboratório Novartis, poderá conseguir desconto dependendo do tipo de Ritalina que você precisar. Em alguns lugares, Ritalina 10 Mg pode ser conseguida de graça. Creio que antes precisa ser diagnosticada realmente por algum médico da área. Psiquiatra ou Neurologista. Acho que Psicólogo não pode. Não sei.

    Faça realmente tratamento com psicólogo. Ajuda e muito, mas não só o tratamento. É mais você mesma que conseguirá, pela abordagem do psicólogo, melhorar sua própria vida. O psicólogo te dá uma ajuda para você ir experimentando as coisas. ouça-o. Se não ajudar, procure outro psicólogo. Dependendo da abordagem, uns ajudam mais do que outros. Depende de você também.

    ResponderExcluir
  7. Aquino ES vc consegue Ritalina de graça, independente da dose. Você tem que ter a papelada do psiquiatra e exames e levar na farmacia do estado. Depois que faz a liberação é só renovar de 3 em 3 mêses.

    ResponderExcluir
  8. Oi Alexandre!
    Realmente é sempre bom lembrar o pessoal, como vc tem feito aqui, de que o tratamento não "transforma" uma pessoa em outra e é bom começar com expectativas realistas. Mas pelo menos ele nos direciona. Começa a impedir o desespero. e isso pra nós é muita coisa!
    Excelente lembrete! ;)
    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ana, você sempre generosa comigo. :)
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  9. Comecei com a ritalina, mas atacou meu estômago, tive que deixar a medicação. Meu TDAH tem como sintoma maior o transtorno de ansiedade, dois psiquiatras indicaram o rivotril. A dose não era suficiente, então parei, antes que me tornasse dependente. Preciso de motivação externa sempre, às vezes é uma pessoa ou uma causa. Identifico-me muito com o que tem sido postado aqui, mente ruminativa, excesso de culpa, sentimento de inferioridade, um desânimo que parece ter nascido comigo. Para piorar, sou muito antissocial. É neurobiológico, o organismo dá pane. Dizem que TDAHs não podem ser evangélicos, acho que devido ao senso fora do comum. A igreja tem me mantido, contudo. O meu TDAH é muito alto, vez por outra surge um nó na mente, que é, na maioria das vezes, caótica. Acho que o pior é dar conta da demanda social e familiar, quando no meio não se entende o distúrbio. Eu me sinto exausta, arrastando. Gosto muito desse espaço. É minha tribo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tô contigo, tô na mesma vibe, mas sei que vamos superar tudo isso e um dia o sol nascerá para o nosso lado... Esteja em paz, tudo ficará bem...

      Excluir
    2. Não sou médico, mas um omeprazol antes da ritalina não resolveria?
      Quanto a ser evangélico, jamais ouvi falar sobre esse impedimento. O TDAH pode ser o que quiser ou o que acreditar.
      Se a igreja te faz bem, apoie-se nela, a busca de Deus nunca é em vão.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Tomar a medicação depois das refeições e nunca em jejum também pode ajudar!! :)

      Excluir
  10. Comentei ontem num texto de agosto, achando que estava comentando num texto mais recente... mas bom, vou copiar e colar aqui pra ter mais visibilidade:
    Li o texto e os comentários e também sou TDAH. No momento estou tratando minha esquizofrenia(passei um tempo usando drogas). Mas desde a infância já havia sido diagnosticada e só me sentia muito hiperativa, o resto só fui me identificando depois dos 25(quando comecei a ser "mais rebelde") e meu pai me apoiou e começamos a procurar vias de tratamento.
    Bom, como algumas das pessoas aqui, já estou com 28 anos e estou numa nova etapa de recomeço. Estou a 1 ano desempregada, devido ao problema com drogas e psicológico alterado, estou frequentando uma igreja(buscando forças em Deus, isso está sendo de fundamental importância em minha vida), estou prestando um voluntariado numa creche onde fico toda sexta com uma menininha de 2 anos que tem problemas muito sérios(ela esta internada num hospital oncológico aqui em salvador). Esse voluntariado me fez perceber que nossos problemas são mínimos diante dos diversos problemas encontrados em quem tem a saúde comprometida fisicamente(a nossa é psicológica). Isso me fez ver a vida em outro ângulo, recomendo a todos que possam se dedicar a alguém que precise mais e veremos nossos problemas diminuir diante dos nossos olhos.
    Vou rever minha psiquiatra mês q vem e pretendo começa o tratamento para o tdah, porque os pensamentos tristes e melancólicos não pararam(apesar de eu ver o sofrimento alheio), ainda me sinto uma vítima e uma criança como muitos aqui. Minha mae faleceu quando eu tinha 14 anos e penso nisso ate hoje.
    Para concluir meu curso de comunicação, preciso apenas pegar 3 disciplinas extra curriculares(ou 180 horas de qlqr curso complementar), o que não fiz desde 2009(quando fiz meu projeto de conclusão). Acreditem, cada dia é uma batalha!
    Estou no momento inscrita num concurso e estou estudando empurrando com a barriga ( a prova eh dia 01/12 e preciso passar pq não aguento mais ficar em casa!).
    Gostaria de conhecer pessoas com o mesmo problema aqui em Salvador para que possamos nos encontrar para ir visitar uma creche ou um asilo e nos dedicarmos a outras atividades, veremos o quanto nossa potencialidade(o lado bom do tdah) vai voltar e nos dar animo para seguir em frente!
    Estou na torcida por todos aqui e quero muito fazer novos amigos porque meus problemas me fizeram me afastar dos velhos e estou me sentindo muito sozinha.
    Beijo no coração de todos e fiquem com Deus meus amigos, que tudo Nele podemos confiar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, esqueci de adicionar uma coisa... estou lendo um livro sobre Crianças Indigo. Não sei se alguém já ouviu falar sobre isso. É um termo mais espiritual que explica nossos problemas, e uma maneira mais fácil de lidar com ele. Serve principalmente para quem tem filhos e está tentando ajuda-los no tratamento e ensiná-los de forma diferente e única, como o tdah exige. Dêem uma olhada nessa descrição de Indigo do link abaixo e veja se alguns de vocês se identificam assim. Eu estou cada vez mais me encontrando nesse novo jeito de ver o mundo!
      http://carmenarabela.wordpress.com/a-crianca-indigo/
      Espero que tenha ajudado muitos a ver seus filhinhos tdah agora com novos olhos! Eles são mais que especiais, acredite!

      Excluir
    2. Bonito seu depoimento, Vanessa.
      Muito interessante essa questão do voluntariado, você tem razão quanto a minimizar nossos problemas.
      Não deixe de procurar a psiquiatra, a ritalina pode ser muito útil.
      Abraços
      Alexandre
      PS.: Interessante essa criança indigo, vou ver o seu link e depois comento.Obrigado!

      Excluir
    3. Mês que vem estou indo na doutora para ver os meus "progressos" no tratamento da esquizofrenia e verificar o remédio mais adequado para meu TDAH. Já uso rivotril a noite aliado com mais 2 outros remédios. Estou super otimista! Depois que encontrei o blog, mais ainda! Beijos e fique com Deus

      Excluir
    4. Boa sorte, Vanessa!
      Se eu puder te ajudar, conte comigo.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  11. Obrigada Alexandre. Acredito que, assim como eu, muitos irão se identificar com os Indigos. Vamos tentar nos espiritualizar mais, nos concentrar em Deus, para conseguirmos uma nova perspectiva sobre o nosso problema. Está me ajudando e acho que irá ajudar muita gente também. Deus é o caminho, a verdade e a vida! Se só tivermos FÉ em coisas materiais(remédios)(principalmente para quem não tem dinheiro para compra-los) as coisas não andam. Precisamos CRER em algo de maior dimensão. Deus sempre será de graça. Orações, ir a cultos, seu carinho por alguém que precisa e outras coisas vão nos ajudando a trilhar um novo caminho. Daqui a pouco estou indo pro hospital doar um pouco de mim para Aline. Gente, ela tem 2 anos, a mãe foi viciada em crack a abandonou no orfanato, ela nasceu com sérios problemas cerebrais e recentemente fez uma cirurgia para a retirada de um câncer no intestino. Ela está hoje na semi UTI, porque um médico esqueceu de escrever no prontuário dela, desde a cirurgia que foi quarta feira passada, que ela precisava de nebulização de 1 em 1 hora. A menina passou a sexta feira comigo toda com febre e eu não sabia o motivo. Imaginem o quanto essa criança linda está lutando por viver. E a gente as vezes(digo isto pq também sou assim) no sofá de casa se lamentando por coisas que deveríamos fazer e, por nosso cérebro teimoso resistir, não fazemos! Vamos nos ajudar. Ela está me ENSINANDO a ver a vida por outro ângulo!
    Quero ver todos aqui contando historias de doações. Vamos tentar deixar o nosso TDAH menos egoísta =)
    Beijo no coração de todos vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, dá uma olhada, sobre as tais "crianças indigo"...

      http://www.se-novaera.org.br/conteudos/doutrina_de_luz.pdf



      Excluir
    2. Eh, eu li o texto sobre o livro Indigos. Acredito que, como tudo na vida e no mundo capitalista de hoje, temos que ler as coisas e tirar o melhor possível para que não só fiquemos com as coisas comerciais. Acredito que aqui como em qualquer lugar não devemos acreditar em tudo que lemos. Acredito em DEUS e este eu sei que está acima de tudo já sobre Indigos ou qualquer outra coisa podemos sim questionar a veracidade.
      Obrigada por me mostrar esse documento, mas espero que possamos aproveitar só as coisas boas de cada coisa.
      Deus nos ajude sempre, independente da classificação =)

      Excluir
    3. Oi Vanessa.
      Admiro essa sua capacidade de se doar aos outros, isso é bom pra Aline e pra você também.
      Continue na sua luta e conte conosco.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  12. Oi Alexandre, tudo bem? Rafael P.
    Como estão as coisas amigo??
    Rita pra presidente!
    Várias das coisas que li aqui neste post refletem no meu passado e então posso dar minha opinião sobre isso.
    Admiro muito pessoas como a Vanessa que mesmo tendo experiencias ruins está se reerguendo e com certeza vai se sentir melhor só de tentar mudar. Força menina!!
    O Início de qualquer tratamento é a aceitação. Reconhecemos que temos um problema e tentamos achar uma solução.
    Só que no caso de TDAH isto não é simples. Só agora os profissionais que entendem alguma coisa estão conseguindo divulgar que TDAH EXISTE! E ainda tem muita gente que tem influencia em meios de comunicação que desacreditam a doença e seus tratamentos.
    Claro que atividade fisica, meditação, yoga e outros tratamentos alternativos melhoram muito o quadro. Isto é provado!
    Mas a questão é: quem aqui consegue fazer isso se tem que pagar as contas, manter familias, terminar faculdade, sem o apoio de medicação psiquiátrica? (falando dos adultos). Pode ser que sim, se o grau do TDAH não tiver detonado muito a vida da pessoa.
    Agora mesmo estou tentando um tratamento adicional com omega 3 e vitaminas. Vai funcionar? Só tentando pra saber. Mas não paro com meus remedinhos nem a pau. Então acho qualquer tentativa válida, mas ainda não vi ninguém que parou o tratamento com remédios não ter recaídas fortes do quadro TDAH.
    Fiz várias terapias quando eu podia. Hoje mal tenho dinheiro para meu tratamento, que não é caro. Nenhuma funcionou. Simples. Porque sem a estabilização dos níveis de dopamina não existia auto-controle, somente auto-sabotagem. Eu entendia, aprendia e fazia tudo diferente... ou pior tudo errado.
    Claro que dependemos de ter atitude, mas sinceramente eu nunca consegui ter muita antes do tratamento. Até tive algumas ondas de hiperfoco nestas coisas. Principalmente em exercícios físicos. Mas passavam muito rápido.
    Passei quase um mês me domesticando a olhar a agenda do celular. Quase todo dia faço isso agora. Coisa inimaginável pra mim, que nunca teve nem caderno. Já fui pra faculdade de bicicleta e voltei a pé e no dia seguinte fiquei procurando a bike na republica até lembrar que tinha esquecido na facu. Já fui de pijama pra aula. Matava aula e prova. Depois tomava pau e ficava altamente arrependido de ter feito aquilo comigo, mas fazia de novo e de novo.... Tive emprego ótimo, mas mandei pro espaço... uma, duas, várias vezes.... Quantas pessoas ofendi, destratei e hoje vejo tudo isso como um filme muito feio. Tudo isso é uma cicatriz aberta, não sai da minha cabeça mas consigo enfrentar de uma maneira até que calma. Nem quero mudar de emprego de 3 em 3 horas mais!! Meus gastos estão controlados... mas o saldo ainda é ridículo. E aquela impulsividade de me jogar em tudo, melhorou demais.
    Mas Alexandre, nem tudo são flores e sabemos bem disso. Mas estou de propósito ignorando a parte negativa da coisa. Um leão por dia e um alien por mês!
    A expectativa? A melhor possível. Só olhar para trás e me ver hoje. Sou eu de verdade, cheio de coisas boas e ruins..... vivendo uma realidade! Foi uma pena ter descoberto tão tarde, mas tudo tem seu tempo.
    Seguindo a linha do Prof Rubens, listo o que faço hoje para conviver melhor com o TDAH:
    - Oro e agradeço sempre que lembro que estou bem comigo mesmo;
    - 10 minutos por dia sem pensar nada (um dia isso vai ser meditação);
    - medicamentos para os neurotransmissores;
    - exercícios (não muito, claro);
    - ler o blog do Alexandre diariamente;
    - ler coisas agradáveis (agora consigo de novo);
    - fotografia;
    - omega 3 e vitaminas B e C (meu sono melhorou muito);
    - ando evitando açúcar simples (sacarose), aspartame, benzoato (conserv.), - corantes artificiais e comendo mais vegetais e mais peixe;
    - andar a toa e ver as coisas da natureza, mesmo dentro da cidade (vagabundagem mesmo);
    - dormir antes das 23h00 e não acordar depois das 8h00;
    - dormir depois do almoço pelo menos 20 minutos (não mais de 40 senão cortisol ataca).
    Bom devo ter esquecido algo...kkkk

    Abraço
    Rafael




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou seguir sua listinha tb Rafael! Já estive no fundo do poço e achei que não ia conseguir sair, hj estou otimista mais tb não sei até qdo esse otimismo todo irá durar... espero que dure mais que o tempo necessário pra eu voltar a ter um emprego e dessa vez não desistir, não fazer besteiras, não me auto sabotar, etc.
      Tb acho que as pessoas com família, filhos e dia a dia corrido precisa muito mais da medicação.
      Obrigada pela força e vou continuar lendo o blog diariamente pra poder me estimular mais e seguir em frente com positividade =)
      Beijo grande e vamos matar os leões e os aliens!
      Vanessa

      Excluir
    2. Muito legal, Rafael. Quero fazer um post disso. Vamos listar essas ações.
      Obrigado de novo!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Analisando essa questão de tdah,como posso saber se tenho mesmo?Pesquisei e tudo leva a crer que possuo,minha namorada leu a respeito e disse que o quadro se assemelha as minhas ações.Porem fui em uma clínica de neurologia e o médico que é especialista nessa área viajou e não tem prazo para voltar e no ápice da necessidade de saber se tenho acabei pagando um outro neurologista qualquer para ele "diagnosticar" que tenho apenas ansiedade,e o que mais me deixa frustrado é que estudo em uma universidade federal e estou reprovando novamente na maioria das matérias por não ter interesse em estudar,apesar que eu goste muito.E não sei mais o que fazer.

      Excluir
    4. Ithalo, assista a "Depoimento de um portador de TDAH" em 05 partes no Youtube. O rapaz também tinha certeza que tinha, mas não procurou logo de cara, apesar de já ter certeza também. Depois ele conseguiu ter certeza, e hoje sua vida está praticamente toda resolvida.

      Excluir
    5. Rafael, leia sobre o Zazen, que é a técnica para meditação. Lá fala sobre o tempo de meditação, que pode ser pequeno, 5 minutos diários, mas é preferível que tenha regularidade.

      http://zendovirtual.wordpress.com/pratica-em-casa/praticar-zazen-em-casa/

      Excluir
  13. To no fundo do abismo... Cansada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, estamos todos cansados.
      A luta do TDAH nos cansa a todos.
      O fundo do abismo pode não ser um lugar muito ruim, estar caindo é pior. Tente acalmar-se e enxergar que o TDAH que te atirou no abismo te dá forças para se reerguer.
      Claro, você terá de escalar as paredes do abismo novamente, mas você já conhece o caminho e seus atalhos.
      Não se desespere, trate-se e policie-se, essa é a melhor maneira de enfrentar a doença.
      Coragem!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  14. A cada dia que passa acordo revigorado e acho que como eu, o(a)s colegas são semelhantes, quando queremos somos os reis da selva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Guilherme!
      Valeu a força!
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
  15. Chamo-me Sylvie e vivo no Luxemburgo , meu filho de 11 anos foi diagnosticado com transtorno de atenção mas sem hiperatividade,dei -lhe hoje antes de ir p'ra escola o seu primeiro comprimido de "Medikinet Ret" que eu suponho ser o equivalente à Ritalina ,depois que li a bula fiquei em panico, e desatei a pesquisar sobre os benefícios e malefícios da medicação , e foi assim que vim parar no seu blog, tenho estado toda a manhã a lê-lo e me sinto um pouco mais tranquila em relação ao tratamento, obrigada por partilhar connosco a sua história e apaziguar os medos que quem começa a lidar agora com a "doença"..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sylvie!
      Antes de tudo, boa sorte no tratamento de seu filho!
      Bula é uma tragédia mesmo, mas na prática a ritalina é muito tranquila. Nas duas primeiras semanas pode deixar seu filho sem apetite e as vezes um pouco irritado. Mas, em geral, desaparecem com duas semanas de tratamento.
      Acompanhe-o, ele precisa de seu apoio, mas lembre-se de que ele é desatento então ajude-o com estratégias para lembrá-lo, agenda de celular é uma ótima opção.
      Se precisar de 'conversar' estou a sua disposição, inclusive via facebook, se desejar.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. Que Bacana. Finalmente tivemos o prazer de conhecer a esposa do Profexô Luxemburgo. Que viva muitos anos com o Luxa e levem adiante o Pojeto.

      Excluir
  16. Bom dia Pessoal.

    Faz algumas semanas que eu iniciei um tratamento medicamentoso alternativo para TdaH.

    Eu estou fazendo uso de Ginseng e Ginkgo Biloba, e estou obtendo ótimos resultados. Já fiz uso de Venvanse, depois Ritalina e por último Bupropiona, mas com todos eles eu tive problemas com os efeitos colaterais, o que me fez buscar um caminho alternativo.

    Por enquanto, está tudo OK, vamos ver como que fica para no longo prazo....

    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uso ômega3, pra mim é um bom estimulante, mesmo efeito do café, mas a falta de atenção continua ... mas tem gente que diz que sentiu melhora na atenção com o ômega3.

      Excluir
    2. Interessante. Sou um descrente quanto a esses produtos naturais. Sempre imagino que pra fazer efeito eu preciso comer um hectare daquilo.
      Por favor, poste mais informações sobre seus progressos, podem ajudar muita gente.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Boa tarde Alexandre.

      Atualmente, estou tomando a dose de 400 mg de Ginseng, divididos em 4 vezes ao dia. Esse ciclo vai durar 3 meses, ai eu vou parar 1 mês com o Ginseng (não é aconselhável tomar Ginseng por mais de três meses seguidos). Nesse intervalo de 1 mês, eu tomarei Ginkgo Biloba, para depois retomar o ciclo com o Ginseng.

      Olha, eu passei maus bocados com os efeitos colaterais dos remédios a base de anfetaminas, nesse ponto não a comparação, os efeitos colaterais são mínimos. Quanto aos benefícios sobre o Tdah, é incontestável que essa medicação ajuda, eu sou a prova disso....Estou me sentindo muito bem, e eu jamais imaginei que pudesse obter benefícios com medicações que não fossem as tradicionais.

      É isso, estou no começo, vamos ver como que fica a longo prazo....até mais.

      Excluir
    4. Em quanto tempo você percebeu as melhoras? São iguais às dos remédios? 400 Mg é muito ou pouco? Qual o seu peso? Onde encontro essas coisas? Lojas de produtos naturais?

      Excluir
    5. Olá.

      As melhoras eu percebi em pouco tempo, pois o nesse aspecto o Ginseng é semelhante aos remédios a base de Anfetaminas, ou seja, começa a fazer efeito em poucos minutos. Eu faço uso do Ginseng através do polivitaminico Gerovital, que possui 100 mg dessa substância, eu tomo tomo 4 comprimidos ao longo do dia.
      Eu mal posso acreditar que não preciso mais procurar Psiquiatras e Neurologistas, e que também não preciso mais ir atrás de receitas amarelas....é quase que uma libertação....

      Até mais.

      Excluir
    6. O, cara, obrigado por responder, só que eu quero saber onde se consegue também. E uma orientação para as doses...

      Obrigado

      Excluir
    7. Olá.

      O Gerovital você encontra em qualquer farmácia, e é vendido sem receita. Eu tomo 4 por dia, um as 07:30, depois outro as 10:00. Depois do almoço, lá pelas 13:00 eu tomo outro, e o último as 16:00.
      Me ajuda bastante, e os efeitos colaterais são mínimos. É uma opção para quem já passou por Venvanse, Ritalina, Concerta, Bupropiona, e etc....No final das contas, acabei me dando bem com um remédio "natural"......

      Até mais.

      Excluir
  17. Caro Alexandre, você está de parabéns pelo blog. Estou impressionado com o excelente nível de suas postagens. Você conseguiu desvendar a alma do portador de TDAH! Continue fazendo esse excelente trabalho. Você está fazendo um vem imenso a nós portadores desse maldito transtorno.

    Abraços,
    Gilberto.:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gilberto, obrigado por seus elogios.
      Pode usar o email do blog: alephbuendia@gmail.com
      schubertsax@gmail.com
      abraços
      Alexandre

      Excluir
  18. Alexandre, desculpa a inconveniência, mas você tem um e-mail onde eu possa entrar em contato?

    Abraços,
    Gilberto.:

    ResponderExcluir
  19. Será que no brasil também sofremos mais por causa da cultura?

    Work - vem do alemão Werk, significa Obra.
    Trabalho, vem do Latim Tripalium, era um instrumento de tortura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkk
      gostei de saber a origem da palavra trabalho.
      Pode acreditar que tem ver. Assim como ainda não abandonamos o ranço da escravidão e outras mazelas culturais. Desde que nascemos ouvimos as lamúrias e críticas sobre o trabalho.
      um abraço
      Alexandre

      Excluir
  20. O que é a vocação?

    Será que o certo é apenas fugir da dor e buscar o prazer?
    Você faz o que faz por obrigação apenas?

    Vocação é algo como o Amor. Quando você ama uma pessoa, você tem apenas prazer ao seu lado? Não. Você aceita o sofrimento e a dor. Você não fica grudado à pessoa amada o tempo todo. Você vai ter que se afastar dela em algum momento. Isso é um sofrimento, e isso você consegue aceitar, certo? E porquê aceita? Porque isso é amor.

    Amor não é nem trabalho nem prazer, é uma terceira coisa completamente diferente. Da mesma forma a vocação! É algo que você ama, para a qual você se dá e você aceita de bom grado o sofrimento e a dificuldade que ela lhe traz! Você inclusive pode até medir essa vocação, pela resistência que o indivíduo tem a determinado tipo específico de sofrimento.

    Ex: Um homem que fica 15h por dia conversando com pessoas com distúrbios mentais em um sanatório. Muita gente não aguentaria 5 minutos! Mas essas pessoas existem, e conseguem, com a maior dedicação e paciência, apesar de todas as dificuldades inerentes. Existe ali até um amor paterno pelos seus pacientes.

    Enfim, uma pessoa que está dentro da sua vocação, aceita de bom grado todo o sofrimento inerente àquele tipo de atividade que ela escolheu. É por isso que uma pessoa que trabalha em algo por pua vocação não são compreendidas pelo seu meio. As pessoas vão ter que explicar que é por causa do prazer ou por causa de uma obrigação. isso é absurdo, e deprime as pessoas.

    O problema é que isso se perpetua, quando uma mãe obriga seus filhos a seguirem o mesmo caminho.

    PERGUNTA: Será que vocês também não estão no lugar errado e isso os faz não se sentir verdadeiramente felizes, baseado na situação acima?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho total certeza da minha vocação profissional e estou muito feliz com o que escolhi pra mim, mas por muitas vezes fico triste por não conseguir fazer tudo o que gostaria, o que não quer dizer que estou fazendo muito. Meus patrões costumam elogiar meu trabalho, mas de vez em quando bate aquela depre eu acho que tudo esta dando errado e chego no trabalho pedindo reunião para saber se esta tudo certo se ainda querem meus serviços... Não é porque eu não goste do que estou fazendo que sou infeliz, fico infeliz por saber que poderia fazer muito mais do que eu realmente consigo, mas mesmo com o TDAH faço muito mais do que muitos colegas de trabalho. Eu acho importante buscarmos fazer algo que nos realize e nos dê prazer. Se eu não gostasse do que eu simplesmente não conseguiria fazer, porque eu já tentei trabalhar em algo apenas por dinheiro e não rolou eu simplesmente abandonei o emprego por tanta insatisfação que eu sentia. Hoje eu trabalho com o que gosto, não é assim tão rentável, mas dinheiro não é tudo, ainda mais pra um TDAH.
      A insatisfação é com o que não fazemos. Várias vezes, como agora eu deveria estar trabalhando, mas estou procrastinando, quando eu começar a fazer o que preciso não vai dar tempo de fazer tudo, então eu sei que vou ficar triste por não ter conseguido fazer tudo, mas muitas vezes meu trabalho incompleto é bem melhor do que o completo de outras pessoas. Não é porque eu tenho TDAH que eu sou uma má profissional, mas eu sei que se eu não tivesse o TDAH eu seria muito mais produtiva. Ou não, porque na área em que eu trabalho é muito importante a criatividade e por mais que seja difícil aceitar eu sei que o mesmo TDAH que me atrapalha, me ajuda a ter muitas ideias. Por exemplo: todos terão que fazer um projeto, todos já começaram a fazer menos eu, tirei esse fim de semana pra isso, mas nesse tempo em que eu ja deveria ter começado e não comecei eu tive um monte de ideias para o meu projeto e para o projeto de outros colegas, será q sem o TDAH eu teria assim tantas ideias. Botar no papel as vezes ainda é muito difícil, porque eu sempre arrumo alguma coisa pra fazer (tipo jogar no celular), mas ideias eu sempre tenho. Ter TDAH é ruim demais em vários sentidos, mas alguma compensação haveria de ter. L.

      Excluir
    2. Eu me identifico demais com você!

      Aconteceram as mesmíssimas coisas comigo.

      Eu trabalhava com coisas que não me interessavam muito. Eram coisas que eu gostava, mas não me prendiam tanto como outras.

      Com as outras eu tenho muito mais facilidade, muito mais interesse! Eu aprendo com muito mais rapidez, mas mesmo assim eu procrastino. Pelo menos procrastino menos!

      O negócio é achar a área dentro da atividade que mais desperta o seu interesse. Ou As áreas.

      Outras dicas são:

      Observar quanto tempo você leva para fazer cada coisa dentro da atividade. Cada coisa mesmo! Mas não é para ficar decorando. Deve-se fazer isso com o bom senso. Observe e veja se é muito tempo ou pouco tempo.

      Mas não caia naquele negócio: é tranquilo, faço rápido.

      Pergunte-se porque você está deixando de fazer aquilo. Pergunte-se o que eu estou realmente querendo fazer agora que me desvia tanto para que eu não faça o que eu me propus a fazer no momento, e que é o mais importante, na verdade?

      Mas não é só para se perguntar e pronto. Você deve realmente descobrir o que é. Descobrindo, você se pergunta o seguinte:

      Posso fazer isso agora?

      Quanto tempo demorará essa atividade?

      Ela vai me atrapalhar?

      Eu não posso fazer isso depois?

      Se você chegar à conclusão de que você pode realizar essa atividade e que não tem problema algum em faze-la, então vá.

      Acontece que essa decisão nos deixa inseguros, pois pode ser que esqueçamos que tínhamos que fazer aquela atividade importante e atrasar novamente, pois "meteremos" outra(s) coisa(s) no meio.

      Então você deve também perceber isso.

      No momento em que você estiver com a tentação de ir fazer outra coisa, perceba, tenha em mente o desenrolar comum que sempre ocorre.

      Não fique nervosa, não se estresse com isso. Faça as coisas com suavidade. Faça a escolha com calma. Não brigue com sua mente. Ela está tentando mandar em você. Brigando com ela você não vai conseguir. Você deve trazer o que ela quer à sua CONSCIÊNCIA.

      Que realmente deve decidir as coisas é a consciência. Se a mente decide, tornamo-nos impulsivos.

      Se você traz as suas verdadeiras vontades á consciência, então você decide com calma, analisando as consequências, fazendo escolhas plausíveis, e não irreais, absurdas.

      Acontece que são muitos tipos de atividades, portanto você deve exercer a auto observação, perguntar-se sempre para quê eu estou saindo da atividade principal e ir fazer outra qualquer que sequer tem real importância para mim.

      Se você faz esse exercício, você reforça as sinapses no seu cérebro para que quando acontecer novamente você rapidamente seja avisada pelo seu cérebro de que você está fazendo novamente, e, naturalmente, com suavidade, faça a escolha certa.

      E escolha certa é aquela que você quer, que sua consciência quer, não sua mente.

      Excluir
    3. Sem querer ser chato, a vocação muitas vezes pode não ser o suficiente para uma sobrevivência digna. O ideal é que a pessoa consiga conciliar as duas coisas, mas nem sempre isso é possível.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
    4. No TDA-H a busca pela vocação é para a melhoria de vida da pessoa. Quem tem muita dificuldade de concentração naquilo que não gosta, sofre muito, mas muitíssimo mais. Quando se acha a vocação, a vida fica menos difícil (o que é o contrário de mais fácil).

      Você não está sendo chato, apenas não percebeu a intenção do comentário.

      Excluir
  21. Estou disponibilizando as pasta do meu Dropbox para baixarem, sons em frequencia alfa e beta para escutarem com fone de ouvido, e imusic.
    https://db.tt/BCDxrpok

    ResponderExcluir
  22. Oliver Sacks, M.D., professor de neurologia na Columbia University e autor de Musicophilia, diz que “Nada ativa o cérebro tão extensivamente como a música”. Ele deve saber. Sacks documentou o poder da música para despertar o movimento em pacientes paralisados pela doença de Parkinson, para acalmar os tiques da síndrome de Tourette e para preencher os vazios do autismo. Sua crença em que a música pode curar o cérebro está ganhando prestígio, graças, em parte, a Gabrielle Giffords.
    Em janeiro de 2011, a congressista de Arizona sobreviveu a um ferimento por arma de fogo na sua têmpora esquerda. Como a linguagem é controlada pelo hemisfério cerebral esquerdo, Gifford não conseguia falar. Como parte de sua árdua recuperação, ela trabalhou com um musicoterapeuta, que a treinou para utilizar o lado direito do seu cérebro – associando palavras a melodia e ritmo – para trazer de volta sua fala.
    “Ela era capaz de cantar uma palavra em vez de falar uma palavra, e as áreas lesionadas de seu cérebro foram evitadas pela música”, diz Concetta Tomaino, diretora executiva do Instituto para Música e Função Neurológica. “Agora a comunidade das neurociências está dizendo, “Sim, o cérebro muda” e “Sim, a estimulação auditiva pode ajudar a que essas mudanças ocorram”“.
    A terapia age bem
    A musicoterapia é usada para ajudar vítimas de traumatismos cerebrais graves, crianças com espectro autista e idosos que sofrem da doença de Alzheimer. Para as crianças com TDAH, a musicoterapia reforça a atenção e o foco, reduz a hiperatividade e aumenta as habilidades sociais.
    Como funciona?
    A MÚSICA FORNECE ESTRUTURA. Música é ritmo, ritmo é estrutura e estrutura é benéfica para o cérebro TDAH que luta para se regular e ficar em trajetória linear. “Música existe no tempo, com início claro, meio e fim”, diz Kirsten Hutchinson, um musicoterapeuta na Music Works Northwest, uma escola de música comunitária, sem fins lucrativos, próxima a Seatle. “Esta estrutura ajuda uma criança com TDAH a planejar, antecipar e a reagir”.
    A MÚSICA DISPARA AS SINAPSES. A pesquisa mostra que a música prazerosa aumenta os níveis de dopamina no cérebro. Este neurotransmissor – responsável por regular a atenção, a memória de trabalho e a motivação – está em falta nos cérebros TDAH. “A música compartilha redes neurais com outros processos cognitivos”, diz Patti Catalano, uma musicoterapeuta neurológica na Music Works Northwest. “Por meio do uso de imagem cerebral, podemos ver como a música acende os hemisférios direito e esquerdo. A meta da musicoterapia é reforçar esses ´músculos cerebrais´ ao longo do tempo para auxiliar todas as funções”.
    Assim como Giffords usou a música para treinar novamente seu lado direito do cérebro para ajuda-la a falar, as crianças com TDAH podem usar a música para treinar seus cérebros para prestar mais atenção e a ter mais autocontrole na classe e em casa.
    A MÚSICA É SOCIAL. “Pense em uma orquestra”, diz Tomaino, uma veterana de 30 anos em musicoterapia. “Se um instrumento estiver faltando, você não pode tocar a música. Todas as vozes são necessárias”. É isto que Hutchinson ensina em “Social Skills Through Music” (Habilidades Sociais Por Meio da Música), um curso de oito semanas para crianças de sete a dez anos de idade. Os estudantes participam tocando em conjunto, escrevem canções em parcerias e ensaiam para um espetáculo de fim de sessão.
    “Os estudantes aprendem a ouvir, assumir turnos, antecipar mudanças e adotar dicas de um jeito que não poderiam fazer fora de uma sessão de musicoterapia”, diz Hutchinson.
    ADDitude

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessantíssimo seu comentário. Nunca tinha lido nada a respeito. Além de prazerosa a música é terapêutica? Nada melhor.
      Obrigado por sua colaboração,
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  23. https://db.tt/BCDxrpok para baixar arquivos do dropbox é necessário fazer o cadastro.

    ResponderExcluir
  24. http://www.youtube.com/watch?v=cWRIvZH3a-k muito nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkk
      Ótimo, vale a pena assistir!
      E é rápido e engraçado, tudo o que nós gostamos e toleramos. rsrsrs
      Abração e obrigado pela colaboração
      Alexandre

      Excluir
  25. Boa tarde Alexandre,

    Namoro há um ano e maio mais ou menos, e meu namorado teve TDAH diagnosticada na semana passada. Ele sempre teve dificuldade em se manter concentrado, é inquieto, tem muita insônia, e é extremamente desorganizado e confuso. Inclusive, já terminamos algumas vezes pq ele não sabe distinguir seus sentimentos.
    Embora eu ache que o diagnóstico e o tratamento melhorarão a vida dele, e a minha consequentemente, tenho medo dos efeitos colaterais.
    Além disso, ele se recusa a falar do assunto, e não quer que eu comente com ninguém. Estou perdida. Queria muito ajudá-lo, mas não sei como. No seu caso, o que mais ajudou?

    Muito obrigada, e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola, Fernanda!
      A negação costuma ser uma reação normal no pós diagnóstico. Existe um componente de vergonha, de auto recriminação. Esteja atenta aos efeitos colaterais, eles podem ocorrer realmente. Comecei meu tratamento com Ritalina LA e ficava nervoso demais; passei para a Ritalina comum e foi excelente. Depois de 3 anos de tratamento achei que a Ritalina não fazia mais efeito e tentei o Venvanse, foi péssimo. Uma sensação estranha de alheamento, de falta de emoções. Voltei pra Ritalina.
      Respeite o momento dele, se for o caso aborde o assunto meio de forma indireta; por exemplo, comente que leu sobre o assunto mas de forma ligeira, sem aconselhar ou tentar ajudar. Imagine a situação em que ele cometer o mesmo erro novamente, mencione que leu em algum lugar que isso é típico do TDAH. Sinta a reação dele. Se for ruim, recolha-se e tente outro tipo de abordagem. Ele está ferido, ninguém quer se sentir um 'doente mental'.
      Tenha paciência, com o tempo ele vai abrir a guarda. Evite bater de frente com ele, isso irrita demais, a melhor abordagem com o TDAH é indireta, comendo pelas beiradas.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  26. Olá Alexandre, tudo bem?

    Primeiramente, adorei seu blog e acredito que possa ajudar muitas pessoas com seu depoimento.
    Fui diagnosticada com TDAH moderado a aproximadamente 3 meses e iniciei o tratamento há 2 meses. No primeiro mês a médica me receitou a dose da Ritalina LA 10mg. Confesso que não senti nenhum efeito, exceto nas primeiras 2 horas do primeiro dia.
    Adorei a sensação de não me dispersar por nada, conseguir me "desligar" por 2 horas. Mas, como tudo que é bom passa rápido, nada aconteceu no dia seguinte.
    Tomei conforme a médica orientou, tomar mesmo que não sinta diferença por 1 mês e retornar ao médico.
    Após o mês retornei ao médico e ela receitou a Ritalina La de 30 mg. Como da outra vez, os primeiros 3 dias foram maravilhosos, mas de novo o tempo está passando e os efeitos também.
    A médica tinha me orientado que se dessa vez não "funcionar" devo trocar a Ritalina pelo Concerta.
    Tenho muitas dúvidas se devo trocar e mais ainda, se chegará o momento em que o medicamento fará o efeito conforme descrito por vários aqui neste blog.
    Adoraria que pudessem me responder se já tomou outro remédio e obteve melhora significativa e se já passou por esta situação em que estou.

    Muito obrigada pela sua atenção.

    ResponderExcluir
  27. Estou sendo vencido. E nem sei pelo que, se pela minha pouca "inteligencia" ou pelo TDA-AH. Não sei se tenho mesmo ou se tento achar desculpas para me justificar. Agora com quase 40 anos (37) e vejo tanta coisa para conquista e simplesmente não tenho forças. Tudo na minha vida se transformou em um marasmo. A alguns anos sai do meu emprego de 17 anos e me mudei de cidade, para acompanhar o trabalho da esposa. Hoje não me recoloquei no mercado de trabalho, não consigo estuda e nem tocar nenhum dos meus projetos. A maioria dos meu dias a vontade que tenho é de não estar sóbrio ou de sumir em um buraco e nunca mais voltar. Comecei a tomar a ritalina e anti depressivo a algum tempo porém não consigo largar meu marasmo. Sempre me senti deslocado, o burro de tudo que faço e por fim, me casei com alguém genial, de uma família de gênios; tenho amigos gênios e isso me inibe; não tem o efeito que em muitos tem de buscar ser igual, mas sim de simplismente desistir. Sinto meu casamento prejudicado, a beira de um colapso.... sinto que nunca serei alguém na vida.... quanto mais atingir meus sonhos.... desculpem o desabafo, acho que é a primeira vez que despejo isso em algum lugar....

    ResponderExcluir
  28. Bom dia, amigo!
    Trinta e sete anos é novo pra caramba! Fui diagnosticado com 50 e lancei meu primeiro livro com 55. Acho que tudo pode ser uma questão de perspectiva; eu adorei ser diagnosticado com TDAH, me tirou um peso enorme. Depois decidi fazer do TDAH uma ferramenta pra minha melhora pessoal. Já vivi uma situação parecida com a do seu casamento. Ela era Doutora em Sociologia e eu tinha pouco mais do que o segundo grau completo; as discussões lá em casa era sobre Marx, Engels, Weber, Kant... E eu lá no meio. Achava a aquilo o máximo! Aprendi pra caramba, dei meus pitacos quando achei que podia e pronto. Eu acabei com o relacionamento por causa de outra mulher. Poderia estar lá até hoje. Nunca tentei ser igual. Amo ler, mas ficção, romance, nunca sociologia ou coisas equivalentes. Mas leio muito, me informo muito e tenho minhas convicções. Ninguém me inibe; ou uso como aprendizado ou enfrento. rsrsrs
    Fiz o que você fez, larguei meu emprego por que a perspectiva dela era muito melhor do que a minha, mas ela sabia disso e reconhecia.
    Esse sentimento de inferioridade é da doença, pare e pense: ninguém tem o mesmo emprego há 17 anos se for ruim. E sua esposa 'genial' viu algo em você além do que você chama de burrice.
    Dedique-se ao auto conhecimento; tente perceber seus comportamentos típicos do TDAH; procrastinação, impulsividade, preguiça, alterações repentinas de humor... Nada disso é da sua personalidade, foi 'implantado' pelo TDAH. E nisso nossa doença nos favorece, podemos enfrenta-la. Enfrente a sua! Ao reconhecer os comportamentos da doença, mude-os. Não é fácil, mas está muito longe de ser impossível.
    A partir do momento em que você começa a enfrenta-lo, as vitórias te estimularão a prosseguir. As derrotas? danem-se elas, elas já fazem parte da sua vida mesmo! Levante-se e enfrente o TDAH novamente.
    Vamos lá, amigo, levante a cabeça! Uma mulher genial não escolhe um burro; um patrão não conserva um burro por dezessete anos!
    Siga em frente, você é jovem e tem todas as armas pra derrotar essa doença.
    Um abraço
    Alexandre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa amigão... obrigado mesmo pelas palavras. Andei lendo e assistindo muitos videos relacionados e confesso que dei uma melhorada. No dia que escrevi isso, minha vontade era me isolar e abandonar tudo. Por orientação divina ou não sei o que escrevi esse post e atraves desse site busquei videos e outros esclarecimentos e confesso que apesar do medo de ser somente outra dos tentativas frustradas estou mais confiante. Obrigado.

      Excluir