sábado, 28 de setembro de 2013

O TDAH E A DOR DA MUDANÇA







Erro.
Erro e persisto.
Erro, persisto e insisto.
Erro, persisto, insisto e repito.
E arco.
Arco com a dor.
Arco com os prejuízos.
Arco com as nefastas consequências.
E então ergo a cabeça e retomo o caminho.
E erro; de novo.
Erro e persisto; de novo.
Já conheço a dor.
Já conheço os prejuízos.
Já conheço as nefastas consequências.
Então por quê?
Talvez...
Bem, talvez meu cérebro já tenha se habituado ao hedonismo.
E o TDAH se manifesta novamente: e que mal há em ser hedonista?
Quem estará certo, Esopo a quem se atribui a autoria da fábula A Cigarra e a Formiga ou Raul Seixas que afirma que a Formiga só trabalha por que não sabe cantar?
Onde andará a razão?
Eu quero ser uma metamorfose ambulante, e sou. Não uma metamorfose teórica, meramente opinativa.Não! Sou uma metamorfose empírica, prática, vivida. Atiro minha própria vida à gigantesca centrífuga emocional do TDAH e renasço de maneira absurdamente nova.
Trago todas as cicatrizes das metamorfoses passadas, mas a alma ganha um novo brilho, a boca um novo sabor, a vida uma nova motivação.
Ah, mas então a metamorfose é ótima!
Ledo engano! Apesar do novo brilho, a alma se tortura e cobra coerência; a nova cicatriz lateja  e os fantasmas daqueles que ficaram pelo caminho volta e meia tentam me assombrar.
A metamorfose é pesada, difícil de conviver e cansativa. Exige muita coragem (ou inconsequência), muito sangue frio (ou alheamento) e uma capacidade infinita de auto regeneração moral e psicológica (ou indiferença). Mas, com todas as dores, ainda é graças a ela que vivo hoje emoções que jamais imaginei viver, seja em intensidade, seja em quantidade e qualidade.
O maior problema do TDAH é que não acumulamos esses sentimentos. Assim como não aprendemos com os erros, não nos fortalecemos com suas recuperações. Se enfrentamos os erros de peito aberto, sentimos todas as dores a cada vez que os repetimos, como se fosse a primeira vez.
Gostamos de falar com certa leveza sobre nosso TDAH, alguns de nós até valorizam ser TDAH, mas a verdade é que é muito destrutivo, doído e intenso demais.
Já disse Guimarães Rosa: Viver é muito perigoso.
Com TDAH é nitroglicerina pura!

PS.: ATENÇÃO, UMA CRIATURA DESONESTA E COVARDE, CRIOU UM PERFIL FALSO COM MEU NOME E VEM POSTANDO LINKS PARA VÍDEOS NO YOUTUBE; ESSES VÍDEOS SÃO CONTRA O TDAH E CONTRA A PSIQUIATRIA. REFORÇO O QUE DISSE: NÃO SOU EU QUEM COLOCA ESSES LINKS ANTI PSIQUIATRIA! POR FAVOR,IGNOREM!

82 comentários:

  1. Perfect, Alexandre! Exatamente isso!
    Acabei de escutar de um namorado (ex namorado, na verdade): "não aguento você! Não aguento seus erros e sua hiperatividade!" ... E eu disse: não se preocupe, nem eu me aguento - só me adapto! Beijos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Boa tarde Isa, achei ótima, copiei para mim a: "Nem eu me aguento - só me adapto". Me define perfeitamente, costumo dizer que tenho um único sonho: Conseguir parar quieto naturalmente, o que sabemos que é impossível. Me desculpe pela curiosidade, mas como é a sua sensação de hiperatividade? Você consegue descrever? Gostaria de perceber se é parecia com a maneira como eu me sinto e comporto. Obrigado, Diego.

      Excluir
    3. Diego...acho que minha hiperatividade se agrava dependendo do meu estado de vida. Mas eu posso te dizer que o que eu tenho mais problema é na hora de dormir....durmo muito pouco (cerca de 4hrs por noite)....E há também alguns períodos que eu não consigo parar, respirar e fazer uma coisa só...quero abraçar o mundo todo. Eu ando de skate, faço rapel, escalada, corrida, surf ...etc etc....meu corpo se desgasta, mas minha mente quer mais adrenalina, entende? É assim que se sente?

      Excluir
    4. Isa, me cansei só de ler seu comentário. kkkkkkk
      Fui hiperativo físico até a adolescência, hoje odeio exercício, mas minha cabeça não descansa.
      Durmo pouco também, no máximo seis horas, mas o meu corpo sente isso. Também vou fazer 53 anos.
      Mas por exemplo: em geral não assisto a filmes, são longos e me enchem saco; adoro futebol, mas assisto aos jogos com o computador aberto ou um livro, ou conversando com alguém. Ficar parado diante da tv, jamais.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    5. Oi, estou lendo esses comentarios e estou muito feliz porque estão me ajudando a começar a entender meu filhinho, preciso muito de ajuda para entender e ajuda-lo nessa empreita para que ele tambem possa se entender.

      Excluir
    6. Oi, estou lendo esses comentarios e estou muito feliz porque estão me ajudando a começar a entender meu filhinho, preciso muito de ajuda para entender e ajuda-lo nessa empreita para que ele tambem possa se entender.

      Excluir
    7. Oi, estou lendo esses comentarios e estou muito feliz porque estão me ajudando a começar a entender meu filhinho, preciso muito de ajuda para entender e ajuda-lo nessa empreita para que ele tambem possa se entender.

      Excluir
  2. Eu sou tdah, tenho 53 anos, sofri muito sem saber o porque, minha filha foi agora diagnosticada pela psiquiatra, só que a psicologa queela faz terapia humanista acha que ela tem é trauma da primeira infancia, ainda não começou a tomar o medicamento, estou pensando em trocar de terapia e psicologa, fazer a terapia comportamental cognitiva, estou numa duvida cruel, o que fazer, minha filha já é adulta, e está tendo muito prejuízo em varios setores da vida, acho ela muito inteligente para continuar com os problemas decorrente do tdah.poderia me ajudar dando opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!! Eu também descobri adulta, com 21 anos. Essa fase foi terrivel, não conseguia entender o pq tinha nascido com tdah. Questionava tudo e a todos. Mas acredite, "essas nuvens negras" passam um dia. Hoje estou com 23..Comecei o tratamento, parei, comecei de novo e parei novamente. Agora estou na fase de adaptação. Consigo entender melhor o que acontece comigo, isso graças a psicologos e psiquiatras no qual fiz meu tratamento por um tempo; De qualquer forma, se me permitir dar um conselho, NUNCA saia de perto da sua filha (emocionalmente falando), isso faz toda a diferença. Ela vai ter dificuldades na faculdade, relacionamentos e etc...Vai precisar de pessoas lhe passando segurança, não a deixando desistir...e é ai que os país entram, na minha opinião.

      Excluir
    2. Grande comentário Isa!
      Fui diagnosticado ao 50 anos, muita coisa não pode mais ser modificada e outras tantas são dificílimas pois tenho minhas raízes solidamente fincadas ao longo da vida. Sua filha deve ser jovem, portanto, estimule-a a tratar-se, faz toda a diferença. Minha médica diz que a Terapia Cognitivo Comportamental é a melhor pro TDAH. Mais rápida e mais objetiva. Tente, mas como disse a Isa, não a abandone, somos inseguros demais pra andarmos sozinhos.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Cassius! Sabe, acho que essa descrença não é muito boa. Me soa como discriminação, tipo assim, eu gosto dele, ele não deve ter essa doença mental. Entendeu?
      Agora, somos surpreendentes em quase tudo, isso costuma nos tornar atraentes e sedutores aos olhos daquelas pessoas que se importam com algo mais do que um rostinho bonito. Manter acesa essa chama é que é o nosso grande desafio.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cassius,

      sei do que você dizendo, principalmente quando as pessoas interpretam nossas verdades como piadas ou ironias, mas veja como algo positivo, mulheres gostam de caras engraçados e bem-humorados.
      Felizmente encontrei uma companheira que, ao menos tenta me entender e me aguentar, pois como a Isa disse: "Nem eu me aguento - só me adapto"! Já são 4 anos de relacionamento.
      Eu aconselho a você a não comentar sobre isso no 1º momento da relação, pois sua pretendente ficará assustada e poderá terminar antes mesmo de conhecer o lado bom do TDAH. Observe se ela esta disposta a ter um relacionamento com um cara desatento, hiperativo e impaciente (pois toda mulher almeja atenção, pois para ela isso é a maior forma de carinho). Após isso, dê pistas e tente mostrar que apesar de seus defeitos você tem qualidade que o diferencia dos outros homens, principalmente por ser TDAH.
      Se ela estiver realmente gostando e interessada em você, ela irá ao menos tentar. Se não, pule fora! Você estará adiando uma dor de cabeça e começara se julgar pensando “porque não consigo me relacionar, por que tenho TDAH”? (ao menos era assim comigo).
      Segue algumas recomendações (Vou dar uma de cúpido amoroso!!!kkk)
      - Dê presentes independente de datas especiais, pois dificilmente você irá lembra-las;
      - Tente admirar a pessoa, pois se em “relacionamentos normais” o amor passa, com um TDAH Voa. Ao admira-lá você terá maior motivo para insistir na relação e não partir para outra, pois na próxima ocorrerá o mesmo (Ciclo Vicioso);
      - Entenda que, por mais que ela tente de compreender, às vezes isso ficará em xeque (só sendo um TDAH para conhecer melhor o que se passa em nosso mundo), e em um momento de insegurança e/ou discussão, ela poderá falar que você utiliza deste pretexto para persistir nos erros, o que lhe machucará bastante e te levar a terminar o relacionamento.
      - Lembre-se: você sempre será inseguro, isto é inato ao TDAH, porém busque demonstrar que apesar disso, você esta tentando melhorar pelo bem estar da relação e principalmente por você mesmo;
      - Caso você não esteja confortável no relacionamento, reveja os pontos anteriores. Se realmente não restaram dúvidas, ligue o “botão f@d@-se!”. Seja sincero consigo e TENTE SER FELIZ independente de ter uma companhia ou não. Ter alguém para nos apoiar é algo importante, entretanto, temos a capacidade de reerguemos como ninguém!

      Por fim, quero deixar explícito que são somente algumas observações particulares, pois apesar de sermos TDAH e termos características comuns, tivemos vivências e experiências diferentes que alteram nosso comportamento perante aos problemas, É o que nos torna seres únicos.

      Espero ter ajudado. Grande Abraço!

      Excluir
    2. SENSACIONAL RODRIGO!!!!!!!
      PARABÉNS E MUITÍSSIMO OBRIGADO!!!!
      Nem tenho o que dizer, apenas que assino embaixo.
      Vou apenas reforçar o que disse o Rodrigo:
      Não saia por aí dizendo que é TDAH, a pessoa do outro lado pode achar que você está se passando por um coitadinho ou dar no pé antes mesmo de conhecê-lo melhor.
      Eu sou divertido, alegre e bem humorado, e tenho ´posições bastante radicais. Exemplo: Odeio música sertaneja, mas odeio mesmo de não frequentar locais que tocam esse tipo de música; não gosto de animais, principalmente cachorros. Não gosto assim, dessa maneira como as pessoas tratam os cães hoje em dia: "vem cá na mamãe", "prefiro bicho do que gente"...
      Eu explicito todas essas minhas opiniões, isso evita que alguém com essas paixões se interesse por mim.
      Ou pelo menos saiba o que vai enfrentar.
      Não se diminua, o TDAH não nos impossibilita de nada, e nos faz diferentes aos olhos de quem nos interessa.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Boa tarde Alexandre, espero que você esteja bem. Gostaria de compartilhar com você um dado interessante: Na nova edição revisada do "Mentes Inquietas", na página 242, que fala sobre as medicações para o TDAH, a Ana Beatriz não cita o "Venvanse" entre as medicações para o tratamento, segue o parágrafo: " Serão vistos em primeiro lugar os estimulantes. Entre eles destacam-se a Ritalina, Ritalina LA, Concerta, Dexedrine e Adderal." Me chamou a atenção o fato dela não citar justamente a medicação mais recente que temos lançada no Brasil ( Venvanse). Se ela cita até mesmo Dexedrine e o Adderal que nem sequer temos disponíveis no mercado brasileiro e deixa de citar o Venvanse, é porque algo de errado tem nesse medicamento. Eu já relatei minha experiência de meses com ele como forma de tentar alertar as pessoas; espero que com essa não citação dele no livro de Ana Beatriz fique ainda mais evidente o perigo desse medicamento. Grande abraço. Diego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha que o Venvanse é tido como o mais moderno disponível no Brasil. Mas eu não gostei.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  6. Costumo dizer que o "ser intenso", sem limites, passional, sem medo de arriscar a vida em busca da felicidade são palavras lindas na boca e na escrita do poeta, mas na vida real, só nós sabemos a quantidade de cicatrizes emocionais e físicas que carregamos por termos passado a maior parte de nossa vidas subjugados por essa glamourizada personalidade "intensa" e "marcante". Quem glamouriza o TDAH não deve realmente ser portador ou ainda não caiu na real e conseguiu encarar e fazer a contabilidade dos danos que ele trouxe para a vida dessa pessoa. Diego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em partes com você Diego. Entretanto, o fato de tentarmos olhar de uma forma positiva o TDAH, não quer dizer que estamos negligenciando seu lado negro, trata-se de uma forma para nos incentivar a continuar viver, buscando agir da melhor forma possível de acordo as nossas capacidades e com o percalços que o TDAH nos coloca. Se não, qual seria o motivo de continuar vivendo???

      Abraços!

      Excluir
    2. Não sei com qual dos dois concordo. A cada dia estou de um lado. Acho que não podemos glamourizar o TDAH nos achando os diferentes, os escolhidos, ou os conhecedores do novo caminho. Sofremos com essas características, sou a principal vítima do turbilhão emocional que é minha vida. Mas não posso negar que experimentei emoções inenarráveis, portanto, como em tudo na vida, temos dois lados, ou dezenas deles. Uns bons, outros ruins. A cada dia vivo um deles, às vezes vários no mesmo dia.
      Abraços a ambos
      Alexandre

      Excluir
  7. http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, desonesto!
      Você é tão desonesto e covarde quanto os vídeos que você propaga.
      ATENÇÃO, ESSE PERFIL É FALSO E ESSES VÍDEOS SÃO TENTATIVAS INESCRUPULOSAS DE DESMORALIZAR O TDAH E SEUS PORTADORES.
      VAMOS BANIR ESSE DESONESTO DO NOSSO BLOG.
      ALEXANDRE

      Excluir
    2. Que falta do que fazer desse clone...kkk

      Excluir
  8. "destrutivo, doído e intenso demais"... O cansaço é tanto que chega a me encurvar as costas. Conversando com meu irmão hoje num restaurante sobre as instabilidades de humor das pessoas, eu disse que era muito difícil eu ter um relacionamento estável, que talvez fosse melhor nem tentar um, porque é muito difícil pra alguém conviver com essas "metamorfoses" tdahdianas. A resposta dele foi só um: de fato.
    E de repente, me senti muito mais só do que antes...
    Grande abraço meu amigo! E verdadeiras palavras. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Ana, sei bem como você se sente. Digo que não tenho uma personalidade, mas um caleidoscópio de emoções, opiniões e interesses que vão mudando e variando de intensidade o tempo todo ( Nenhuma relação com Bipolaridade e sem qualquer necessidade de "estabilizador de humor"). É uma miríade tão única e particular de nossa personalidade que só nós mesmos sabemos ( e entendemos) o seu ininterrupto fluxo perverso e desgastante. Diego.

      Excluir
    2. Ola Ana, ola Diego, a instabilidade de humor a duras penas venho tentando controlar. Quando percebo que estou em baixa me obrigo a mudar. Me aviso de que esse baixo astral é fruto do TDAH e não de condições objetivas.
      O resto quase não consigo controlar, sou quase rebocado por meus sentimentos.
      Sim Ana, estamos sós; cada um de nós num intenso combate interior contra nós mesmos, e aí vem o desgaste de que fala o Diego.
      Vamos, Ana, vamos seguindo, não tem remédio.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  9. http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, desonesto!
      Você é tão desonesto e covarde quanto os vídeos que você propaga.
      ATENÇÃO, ESSE PERFIL É FALSO E ESSES VÍDEOS SÃO TENTATIVAS INESCRUPULOSAS DE DESMORALIZAR O TDAH E SEUS PORTADORES.
      VAMOS BANIR ESSE DESONESTO DO NOSSO BLOG.
      ALEXANDRE

      Excluir
  10. Me identifiquei muito lendo os depoimentos aqui. Por mais que eu não tenha problemas com atenção, memória ou inquietude (geralmente sou bem calma), tenho uma instabilidade repentina e auto destruição muito parecidas com as citadas aqui. Sou muito intensa e impulsiva as vezes, bebo demais, falo demais, magôo as pessoas sem nem perceber que o fiz. Não consigo filtrar a sinceridade das coisas que eu falo; depois me sinto horrível. Prometo que nunca mais vou errar e....então....erro de novo. Me sinto diferente de todo mundo. Ao mesmo tempo que as pessoas se fascinam comigo, elas se assustam e já tem medo de estarem perto de mim, tem medo de qual será minha próxima reação. Eu não consigo perceber o quanto essa minha impulsividade, principalmente com a bebida, está afetando quem está perto de mim, como as amigas por exemplo. Tudo parece monótono a minha volta e eu sempre preciso de mais e mais emoção, não sei como explicar. Acabo me sentindo tímida e infeliz quando estou cercada de pessoas, assim acabo descontando no álcool e em todos que estão perto. Se alguém aqui tiver uma dica de como conseguiu se controlar com as coisas que fala e faz ia ser muito útil pra mim!!!!!! Obrigada!!!!! Abraços, Marcela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum, Marcela, o lance da bebida é o pior.
      O portador de TDAH tem a tendência de exagerar na bebida e nas drogas. Policie-se, trate-se e mude sua vida. Somos intensos demais, apaixonados demais, mas auto destrutivos demais, cuide-se Marcela.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  11. Eu começo, eu erro, eu insisto, eu abandono, as vezes persisto em coisas que não valem a pena...
    E arco com todos as consequências, no final sempre sei que a culpa de algo ter dado errado foi minha, nunca culpo as circunstâncias.
    Acho que o que me salva, é que sou uma pessoa que nunca perde as esperanças. Apesar dos erros e das frustrações, sempre estou disposta a começar tudo de novo. Curto minha dor, e já traço novos planos. Mas fico me perguntando: Quantas vezes ainda terei que recomeçar? Alessandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns, Alessandra, isso é TDAH puro!
      Somos assim, meu amigo Marcel (ex Frank Slade que anda muito sumido) sempre diz que o TDAH que nos derruba é o mesmo que nos dá força pra reerguemo-nos.
      E assim levamos nossa vida, Alessandra.
      Sua pergunta tem muito sentido, e te respondo, vai a vida inteira assim, você não tem como desistir.
      Trate-se, é a única forma de minimizar essa 'vida loka' que levamos.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. Pois é Alexandre, quando eu estava escrevendo meu comentário, me lembrei justamente desta frase que você sempre cita no blog: " TDAH que nos derruba é o mesmo que nos dá força pra reerguemo-nos".
      Ao mesmo tempo que eu desisto muito fácil das coisas, também tenho um animo fora do comum para recomeçar outras!
      Tenho emprego e sou universitária, mas me inscrevi em 4 concursos públicos e amanha vou me inscrever no vestibular para um novo curso.
      As vezes, quando eu vejo que as coisas não tem concerto, prefiro começar do zero, parece que recomeçando de novo, as chances de errar são menores.
      Quero entrar em 2014 de emprego novo e fazendo um novo curso, um novo circulo de amizades, quem sabe até uma nova cidade para morar.
      Alessadra

      Excluir
    3. Identifiquei-me muito com sua mensagem! Tb já me joguei em tanta coisa e depois achava que não era aquilo que eu queria, perdia a motivação e abandonava para tentar coisas completamente diferentes. Inclusive pessoas! Acabo me desligando de quase todo mundo, sempre em busca de novidades. Comecei a estudar para concursos públicos e, mesmo com todas as limitações inerentes ao TDAH, não é que deu certo?! Em 1 ano já fui aprovada em 2 concursos e estou prestes a assumir meu 1º cargo público e me mudar de SP para o RJ sozinha. A ideia de recomeçar a vida longe daqui, em outro estado, com outro emprego, conhecendo pessoas novas, tudo novo, me fascina!

      Excluir
  12. http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, desonesto!
      Você é tão desonesto e covarde quanto os vídeos que você propaga.
      ATENÇÃO, ESSE PERFIL É FALSO E ESSES VÍDEOS SÃO TENTATIVAS INESCRUPULOSAS DE DESMORALIZAR O TDAH E SEUS PORTADORES.
      VAMOS BANIR ESSE DESONESTO DO NOSSO BLOG.
      ALEXANDRE

      Excluir
  13. Grande Alexandre! Mais uma na veia.
    Me senti o próprio Prometeu Acorrentado.
    A águia vai lá e tira uma pedaço do fígado todo dia. Ele se regenera e amanhã acontece a mesma coisa.
    Assim acontece com a gente. Erramos, arcamos com as consequências, cicatrizamos e voltamos a errar.
    Tem de haver um jeito de quebrar o círculo. A cada ciclo as cicatrizes ficam mais profundas, nosso curriculo de erros mais extenso, mas nos recuperamos e começamos tudo de novo... ou de velho, já que os erros são quase sempre os mesmos.
    As pessoas que estão ao nosso lado nunca vão entender. Por que ele faz isso se ele já sabe que vai dar errado? Não é racional, não é cartesiano, é só TDAH.
    Não gosto de ser. Não gosto de ter TDAH. Só fui diagnosticado aos 39 (lembrei que foi um dia antes do meu aniversario). Belo presente. Mas sofri praticamente toda a eternidade da minha vida com isso.
    Hoje com tratamento consigo que a águia tire pedaços menores do meu fígado, quero que ela vá embora de vez, mas sei que ela me persegue a cada bobeada.
    Orai, vigiai, medicai. Passei mais um dia conseguindo torear minha impulsividade, que com certeza me livrou de alguma exposição excessiva ao perigo!

    Achei que tudo nessa música do Raul é TDAH. Somos mutantes explosivos. Mudamos tudo no meio do caminho com "inconsequência", "alheamento" e "indiferença".

    Estou cansado, como acho que muito TDAH está. O esforço para manter as coisas "normais" está sendo enorme. Preciso de férias. Ou melhor, me "adaptar" para passar de fase no videogame da vida.

    Abraços, Rafael P.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, amigo Rafael!
      Me lembro muito do mito de Sísifo, aquele que subia o morro com uma pedra e ao chegar ao final a pedra caía e ele tinha de começar de novo. Ufa! É bem assim que me sinto.
      Eu também detesto ser TDAH, hoje ainda estava pensando nisso, estou a um mês de completar 53 anos e com problemas típicos de adolescentes. Um saco!
      Abração, amigo
      Alexandre

      Excluir
    2. Fala Alexandre!!
      Cara. Esse é o caminho resvaloso! Tudo que fazemos temos que nos esforçar 5, 10, 20 vezes mais que os outros.
      HEHEHE. Eu sempre ficava deprê quando chegava meu aniversario. Tinha preguiça de gente desde muito criança. Todo mundo quer que eu comemore os 40 com uma festa ano que vem... Vou é fugir!! To sem grana e sem vontade.
      Acho que isto também é sintoma.
      Caro amigo.... somos eternos adolescentes. Só com um pouco mais de experiência e que não usamos pra nós mesmos.
      Está se virando bem sem remédio?
      Abração,
      Rafael P.

      Excluir
    3. Grande Rafael!
      Amigo, tenho me virado bem sim; claro que a memória piorou e a famosa dispersão que temos com um simples ruído também se manisfesta com força. Já tenho umas duas ou três semanas sem remédio nenhum.
      Um grande abraço
      Alexandre

      Excluir
  14. http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, desonesto!
      Você é tão desonesto e covarde quanto os vídeos que você propaga.
      ATENÇÃO, ESSE PERFIL É FALSO E ESSES VÍDEOS SÃO TENTATIVAS INESCRUPULOSAS DE DESMORALIZAR O TDAH E SEUS PORTADORES.
      VAMOS BANIR ESSE DESONESTO DO NOSSO BLOG.
      ALEXANDRE

      Excluir
  15. As palavras quando bem usadas é maravilhoso, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras de incentivo e por sua participação.
      Volte sempre!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  16. Alexandre Schubert1 de outubro de 2013 11:48

    http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
  17. Lembrando a todos que o tdah não pode ser motivo de orgulho ou muito menos de vergonha. Nosso dever como portadores é criar ferramentas para aprendermos a viver com esse mal. É como no filme Uma Mente Brilhante em que o personagem sofre de esquizofrenia, os amigos da imaginação dele continuam com ele toda sua vida, só que ele aprende que aquilo não é real, apesar de seus amigos imaginários sempre trazerem o conforto que ele precisou.
    Não nos deixemos levar pelo conforto do tdah, não perca seu tempo.
    Apenas escolha suas armas e lute. LUTE até o fim, no final você terá a certeza de ter feito tudo que estava ao seu alcance e se não atingiu o seus objetivos tenho certeza que terá vivido e aprendido muitas coisas nesse caminho.
    Abraço de quem nunca parou de lutar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo comentário!
      Concordo com você, mas como bom TDAH alterno momentos de dor e prazer com a doença. Nossa doença tem uma característica peculiar: ausência de sintomas visíveis e concretos. Isso nos dá uma infinidade de sensações ao lidar com ela.
      Mas você está certo lutemos e lutemos juntos, uns ajudam aos outros.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  18. Olá Alexandre salve salve grandes palavras, tdha puro rsss
    Indeia para o proximos post vamos reunir experiencias típicas e exclusivas de cada participante do site para criarmos digamos um dossie com dicas para viver melhor com o tdah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei. Podemos dividir por categorias.

      Excluir
    2. Interessante Rubens, explique melhor pra podermos colocar em prática.
      Tem o meu apoio.
      Alexandre

      Excluir
  19. Antes de mais nada, obrigado por me responder Alexandre e sobre as postagens desse clone realmente eu achei meio paradoxal frente ao que você propõe aqui no seu blog e frente a realidade das coisas. Rapaz o que o Rafael falou aconteceu e ainda acontece muito na minha vida. Essa de ter que dar uma de afitrião em certas ocasiões sociais é muito cansativo. Não consigo dar ateção nem a um amigo de cada vez quanto mais a um bocado. No final das contas fico esgotado.Não sei se acontece com vocês, mas é horrível aquela sensação de não conseguir prestar atenção na conversa das pessoas. Elas sempre me parecem enfadonhas por mais interessantes que pareçam para as outras pessoas. Nunca tenho certeza se a pessoa que está falando comigo percebe que eu estou viajando na maionese, mas acho que elas percebem sim. Acho q vem daí a minha difculdade de manter amizades. Acho que as pessoas pensam que eu não as valorizo. O importante é nunca desistir de tentar e realmente nós somos bons nisso como poucos. Abraço e boa sorte a todos!
    Daniel. F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha ex mulher me chamava de egoísta, que eu não prestava atenção ao que ela dizia. Infelizmente somos assim, vivemos numa outra esfera, mas acho que o remédio ajuda nisso.
      Eu viajo pra caramba, mas aprendi a fazer uma cara de interessado e sempre pergunto algo do tipo: Hum, acho que não entendi esse raciocínio; ou, interessante, repete isso pra mim. QUASE sempre dá certo. kkk
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  20. Alexandre, sinto falta dos teus posts engraçados e mais otimistas em relação à doença e à vida!! Me divertia demais e ria muito lendo as historias engraçadas que eram contadas aqui... Beijos, fique bem!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente, eu também sinto.
      Ando muito sem graça ultimamente.
      Ou sem motivos pra ser engraçado.
      Vou me esforçar, obrigado.
      Beijos
      Alexandre

      Excluir
  21. será que não tem como a gente ser feliz???? ser tdah é sinonimo de infelicidade? derrota? uma vida sem sentidoo????? então é melhor morrer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acho que deveríamos nos estimular, incentivar e não ver somente o lado negro da situação, tdah não é a única doença difícil no mundo, não podemos supervalorizar uma doença, temos é que nos adaptar a ela, e um cego? um surdo? um paralitico? precisamos urgentemente dar outro rumo a nossas atitudes mentais...parar de reclamar tanto, tanto derrotismo, so fracassos, será nossa vida um fracasso????? sera que somos um código genético tão errado assim????? o acaso não existe, nada é por acaso...credooooooooooo, temos que aprender a viver com o outro lado da moeda também

      Excluir
    2. Pensem bem, esse é um blog pra que nós desabafemos, troquemos experiências e ajudemos uns aos outros. Não necessariamente estamos vivendo aquilo, naquele momento, mas ao discutirmos estamos nos ajudando.
      Sou um cara alegre e bem humorado, sou inteligente e criativo. Advinha por que não ganho bem ou por que estou no quinto casamento ou não me formei?
      Pois é, graças ao TDAH.
      Não posso também ficar tecendo loas a ele.
      Acho que estarmos aqui debatendo o assunto é, por si só, muito positivo.
      Mas, como é o segundo comentário seguido com o mesmo tom, vou tentar ver a coisa de outro modo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  22. Olá, esta semana finalmente procurei um médico e fui diagnosticada tdah, ele receitou ritalina, mas ainda não comprei porque não achei nas farmacias.
    Pessoal, so queria fazer uma pergunta, o uso do remédio vai fazer com que eu fique mais concentrada nos estudos? Não aguento mais começar e parar as coisas, sempre paro porque não dou conta do recado. O remédio é minha ultima esperança, não aguento dar mais cabeçada na vida.
    Dizem que nunca nos é dado um fardo maior do que podemos carregar. Mas não estou aguentando mais as poucas responsabilidades que tenho na vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vai simmmmmmmmmmm, eu também estou com o mesmo problema, vc juntamente com seu médico vaõ encontrar a dose ideal, mas só de começar a tomar a medicação melhora muitoooooooooo, é uma bênção, agora, a vida de todos os seres humanos é sempre uma luta, então vamos lutar sempre, ok? eu estou fazendo o tratamento a 5 meses e agora acho que estou chegando a dose ideal para poder ter qualidade nos estudos...é extremamente gratificante, pelo menos para mim está sendo, desde que comecei a me medicar...não viva em função de sua doença...viva em função de melhorar suas capacidades sempreeeee, nossos pensamentos são os engenheiros de nossa vida, se concretiza aquilo que lutamos, fé, força e coragem sempre

      Excluir
    2. obrigada pela resposta, tenho lido muito sobre tdah, e vi que me encaixava em todos os sintomas, desde criança, mas só resolvi procurar um médico quando a situação estava critica. Seu comentário me motivou muito, espero que de tudo certo pra nós.

      Excluir
    3. Compre a Ritalina e comece ontem mesmo seu tratamento. rsrs
      O remédio fará muita diferença na sua vida, você vai se surpreender positivamente.
      Outra coisa, ignore o que falam sobre a Ritalina causar dependência ou ser a cocaína legalizada. Isso tudo é papo furado, já interrompi meu tratamento três vezes por motivos distintos e nunca tive nenhum tipo de reação negativa.
      Trate-se, sua vida vai mudar.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    4. Obrigada Alexandre. Já li muita bobagem a respeito da ritalina, mas não dou confiança. Leio os depoimentos daqui e nunca vi alguém falando mal do remédio.
      Gostei muito do comentário de voces, estou muito confiante.

      Excluir
    5. Obrigada Alexandre. Já li muita bobagem a respeito da ritalina, mas não dou confiança. Leio os depoimentos daqui e nunca vi alguém falando mal do remédio.
      Gostei muito do comentário de voces, estou muito confiante.

      Excluir
  23. Alexandre Schubert5 de outubro de 2013 19:09

    http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    ResponderExcluir
  24. Oi pessoal
    Li no livro "Mentes Inquietas", sobre como o tdah reage quanto gosta de uma pessoa, e achei interessante. Dizia que o com mais tendência a hiperatividade se joga de cabeça, começa rápido e termina rápido. E já o sem hiperatividade, já é mais reservado e prefere o platônico, não deixa transparecer, custa a se aproximar e se desabafa através das artes. Estou postando aqui porque achei muito interessante esse trecho do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou o TDAH do tipo composto então. Pois eu já tive fases essas duas fases de paixão em diferentes épocas.

      Excluir
    2. o primeiro é mais impulsivo e o segundo se retrai por medo de decepcionar.

      Excluir
    3. Já passei pelo segundo, me desabafava nas artes e também no trabalho, tentei ser a melhor no que eu fazia pra passar uma boa imagem ... mas mesmo assim , mesmo tentando parecer bem séria, volta e meia era surpreendida de novo por um ou outro esquecimento e erros inacreditáveis por desatenção..

      Excluir
  25. Oi leitores! oi Alexandre!.
    Então seria um post com "Viver melhor com o TDAH"
    Descreveriamos experiencias proprias, o que cada um fez ou faz que tem contribuido para o dia a dia.
    Exemplo meu:
    1º exercício físico díario;
    2º video game;
    3º ouvir música e desenhar;
    4º relaxamento/meditação;
    5º sexo;
    6º suplemento omega 3;
    7º metilfenidato;
    8º coaching;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu caso só corrida e música me ajudam a ter um dia menos chato. Video game não tem mais esse efeito infelizmente, desenhar perdi o interesse. E os outros aí nem comento.

      Excluir
    2. faltou o café, gosto de café pra tirar um pouco o desânimo.

      Excluir
  26. Alexandre Schubert9 de outubro de 2013 14:27

    http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    http://www.youtube.com/watch?v=Tv4BgYFoDdM

    ResponderExcluir
  27. Alexandre, aqui é o Danilo do Venvanse no face, peço a gentileza de responder o meu contato. Um abraço;

    ResponderExcluir
  28. Alexandre Schubert9 de outubro de 2013 16:16

    http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    http://www.youtube.com/watch?v=Tv4BgYFoDdM

    ResponderExcluir
  29. Um ponto sólido para se firmar nos momentos de inexorável incompreensão dos por quês penso ser fundamental..nortear objetivos de todos os prazos possíveis. Gosto muito de uma frase de Tolstói que diz o seguinte:
    “Aquilo que foi e que será, e até mesmo aquilo que é, não somos capazes de saber mas, quanto aquilo que devemos fazer, não apenas somos capazes de saber, como também o sabemos sempre, e somente isso é necessário“.

    ResponderExcluir
  30. Precisamos saber para que direção estamos indo senão qualquer buteco serve. HAHA

    ResponderExcluir
  31. Alexandre Schubert10 de outubro de 2013 14:33

    http://www.youtube.com/watch?v=YVcNabmtw4A

    http://www.youtube.com/watch?v=0ybe6BUtiBA

    http://www.youtube.com/watch?v=uE0mysIHvvg

    http://www.cchr.pt/quick-facts/introduction.html

    http://www.youtube.com/watch?v=Tv4BgYFoDdM

    ResponderExcluir
  32. Afim de resolver esse problema de falsidade ideológica(Artigo 307) que esse indivíduo acima está causando, convido o Sr. Alexandre Schubert para entrarmos com processo contra o mesmo pedindo indenização por danos morais(o inicio do procedimento pode iniciar em uma semana, pois a operadora precisa do pedido judicial de i.p.). Sou advogado e estarei mandando a ti os documentos necessários para dar-mos início o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  33. ola alexandre
    infelizmente estou provando do amargo sabor dessa doença, que é repetir os mesmos erros.. parece que está se agravando...
    e o pior, ninguém entende que eu tenho um transtorno.
    é duro, não é nada moleza.. faço muito os outros sofrerem .
    e sofro os mesmos erros.. mas para meu marido.. é um saco cheio, enquanto pra mim....é um cd programado.
    ninguém entende essa vida de um tdah, só quem é tbm.

    ResponderExcluir