sexta-feira, 8 de agosto de 2014

O TDAH QUE FALA BALEIÊS





Sim, eu quero falar baleiês!
E quero o direito de esquecer, ou não me lembrar, sem dor.
Sim, e quero seguir a correnteza do TDAH e ir aonde ela me levar.
Quero rir de mim mesmo; quero me olhar no espelho sem culpa; quero parar de me acusar, ou de me arrepender.
Sim, eu quero falar baleiês!
E quero que as pessoas me entendam. Quero poder falar do meu TDAH sem que as pessoas desconversem.
Quero deixar de ser um problema, e passar a ser uma alternativa.
Quero passar a mão sobre meu corpo e ver as cicatrizes desaparecerem suavemente.
Sim, eu quero falar baleiês!
E quero muitas Dorys ao meu lado.
Quero que minha memória falha deixe de ser folclórica ou tragicômica, para ser apenas um momento normal na vida de seres humanos falhos. Como todos são.
Quero que o TDAH deixe de ser um rótulo, para ser um direito.
Sim, eu quero falar baleiês!
E quero renascer a cada queda, e ter ao meu lado quem me apoie e me ajude.
Quero poder ser eu mesmo, em casa, na escola, no trabalho, sem ter que me esforçar para encobrir as falhas que denigrem minha imagem.
Sim eu quero falar baleiês!
E quero parar de ter minha vida e minha conduta pautada pelos 'trouxas', que nada sabem de TDAH, que nada sabem de dor, que nada sabem de quedas, que nada sabem de renascimento.
Sim, eu quero falar baleiês!
E quero que o mundo me respeite.
Quero não, exijo!


63 comentários:

  1. O texto ficou muito legal, apesar da utopia, mas mostra muito bem a angústia de lidar com uma doença que para muitos no entorno parece que é um desejo de quem a porta, sei lá, uma mascara, mas com certeza algo que ninguém gostaria de ter, independente do grau de prejuízo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodrigo, sim é uma utopia, mas as vezes eu tenho uma enorme vontade de ser TDAH em tempo integral.
      Essa espécie de vida dupla é realmente angustiante. É cansativo estar em alerta por quase 24 horas por dia.
      Obrigado
      abraços
      Alexandre

      Excluir
  2. VOCÊ é um TDA-H? ...Se realmente é, comece a pular de alegrias, felicidades, satisfação, pois VOCÊ nasceu com um DOM.. '' Pare de falar besteiras, TDA-H Esta acabando com minha Vida'' Sim, está, por quê você não que enxergar o DOM que você tem.. Qual DOM? qual DOM? .. Me perguntas isso? Como pode? ... Não é possível..o DOM e a CRIATIVIDADE isso não tem preço, isso não se ensina, não se aprende, não se treina, isso NASCE com Você, agora imagina em um mundo cheio de alternativas, mudanças e transformações, o que tu pode FAZER com sua CRIATIVIDADE? Imagine ''trilhões que coisas que pode fazer''

    Se gosta de leitura e literatura será o melhor escritor.
    Se gosta de engenharia será o melhor engenheiro,
    Se gosta de direito será considerado o maior refutador de argumentos.
    Se gosta que QUALQUER coisa será o melhor... Pois e Criativo,

    Uma pessoa pode ler milhares de livros, estudar décadas da sua vida, porém, jamais chegará perto de um Ser CRIATIVO.

    Acho que não sou Criativo, então que dizer que não tenho TDA-H? Não tenho certeza, mas acredito que sim.. Um teste, quando você dialoga verbalmente com uma pessoas na maioria das vezes o outro fica indagado, curioso, perplexo, cético ou confuso por suas ideias e forma de conversar? .. Então e um Ser CRIATIVO. Nossa mente funciona de maneira Criativa, nossas ideias são confusas vista pelos os ''saudáveis''.. Só nós entendemos nós mesmo...



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o que ocorre é o seguinte: nenhum TDA-H é preguiçoso, e se fosse, ocorreria o que falaram acima, ou seja, conseguiria deixar de ser, já que no fundo é uma pessoa normal. Pessoa essa que em algum momento da vida começou a imaginar coisas e gostou, por ser uma pessoa criativa a sua cabeça realmente criava coisas mais interessantes dentro dela, de forma que a própria realidade não a instigava muito. Portanto, pela busca desse prazer, dessas sensações, a pessoa entrou em um vício, mas ninguém a avisou das consequências que ela teria, que seria a dificuldade de se "olhar para fora" e ver as cosias sem tantos pensamentos, sem aquela "cortina translúcida" de pensamentos que se intercala com a realidade que entra pelos olhos e torna tudo semi real, semi virtual, além de nos deixar como um barrichelo, para trás, não consegue seguir o que todo mundo entende, pois estamos o tempo todo com uma cabeça fugidia, muito mais fugidia do que preguiçosa, criando um simulacro de que somos assim e de que isso não tem cura. Claro, as comorbidades podem existir e serem coisas a parte, com causas diferentes, mas que não deixam de influenciar a vida da pessoa, aumentando a confusão da p... toda.

      Excluir
    2. Este é um comentário de um outro post do Alexandre.

      Excluir
    3. Não acredito nessa conversa de DOM do TDAH. Já ouvi isso milhares de vezes. Quem afirma isso esquece só foca em uma faceta da doença. E a impulsividade incontrolável? A procrastinação? O sentimento de inferioridade? A inconstância na vida?
      Esse papo de DOM é um "me engana que eu gosto". Nada mais,
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Eu só sei que encontrei o meu caminho, a anos atrás estava em profunda depressão por causa do TDA-H mesmo nem sabendo que tinha, além de outros problemas, hoje eu estou alegre e contente, encontrei o meu caminho e posso dizer sem medo, o TDAH me proporcionou o caminho, posso ser procrastinador, desatento, impulsivo e instável emocionalmente, ( todos os defeitos) eu aceitei de bom grado, sei que a minha criatividade, sonhos e desejos vale a pena pagar o preço ''ruim'' Se por acaso no futuro eu cair do ''castelo'' que seja uma dor única e dolorosa ao contrário de uma dor amena e constante.. Hoje eu não me vejo inferior a ninguém, pra dizer a verdade, muito pelo contrário.

      Esse e o meu depoimento, de um TDA-H criticado desde dos 3 anos de idade pelo transtorno, simplesmente eu dei um ''foda-se'' as criticas alheiras, ninguém e obrigado a aceitar o transtorno muito menos como um DOM, mas eu considero.. Cada um segue sua estrada.
      Abraço.

      Excluir
    6. Ok, só que o jeito que você colocou mereceu a resposta que o Alexandre já colocou acima. Você agora só confirmou aquela frase que todo mundo já sabe:
      "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é"

      Excluir
    7. "Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é,'' Exatamente, a delicia do meu TDA-H Para alguns e produto do '' me engana que eu gosto'' quando se provou apenas o gosto amargo do transtorno. O Alexandre só confirmou que só vivencia o gosto amargo do transtorno.

      Excluir
  3. Alexandre, como somos generalizas, eu entendi perfeitamente o seu texto, e, como sempre, você está de parabéns.

    Mas, cá pra nós, o abestado e desconectado aqui teve que dar uma "googada" para saber que diabos era "falar baleiês". kkkk, mas agora entendi, é o do filme "Procurando Nemo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca viu a Dory? Ela é um peixe que fica esquecendo as coisas igual a um TDA-H

      Excluir
    2. É que sou muito intelectualizado para assistir Nemo.

      Os meu preferidos ainda são "Piu-piu e Frajola", "Pica Pau", "Jambo e Ruivão", e o mais intelectual de todos, "Lip e Hard", que era a dupla formada por um leão super otimista e para quem tudo ia dar sempre certo, e uma hiena super pessimista, que vivia dizendo "oh vida, oh dor, oh azar...".

      São os desenhos do tempo do Alexandre, este aí do Nemo é coisa nova, não sei como ele assistiu, Alexandre deve ter visto por causa dos filhos dele.

      Excluir
    3. Mas esse é obrigatório para todo TDA-H por causa justamente da Dori.

      Excluir
    4. Vou assistir e dar u parecer técnico fundamentado.

      Excluir
    5. Naquele filme daquele elefante que fica com um dente de leão na tromba também tem um personagem meio away. É um porco espinho amarelo que fica junto de mais outros dois. Durante as conversas ele nem participa, ele fica fazendo outras coisas. E tem um episódio do Pink e o Cérebro que explica porque é que o Pink fala aquelas coisas absurdas auqndo o Cérebro pergunta a ele: "Entendeu, Pink?!", e o Pink diz coisas totalmente fora de contexto. É justamente porque enquanto o Cérebro explica, o Pink fica viajando, e de uma imaginação ele vai à outra, até que o Cérebro faz alguma pergunta que quebra toda a imaginação, e de onde ela parou, o Pink comenta como é que aquilo (que ele estava imaginando) iria ajudar a conquistar o mundo. No tal episódio eu acho que ele estava imaginado o cérebro como um hipopótamo. Para você ver como ele ia longe.

      Excluir
    6. Caramba, que diálogo intelectual! Está muito acima do meu nível! kkkkkkk
      Vai aprendendo Walter. Claro que assisti por causa da minha filha, mas adorei. Amo a Dory.
      Esse post surgiu de um comentário sobre o Estatuto do TDAH, em que a leitora pergunta se iríamos falar baleiês. Na hora pensei: Mas eu QUERO falar baleiês. E esse negócio ficou borbulhando na minha caraminhola até sair.
      Entenderam?
      Aliás gosto muito também de Pink e o Cérebro.
      E cá entre nós, eu também quero dominar o mundo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    7. Sai pra lá, Alexandre, com esse papo sério. Aqui a gente está falando "baleiês". Sim, eu quero falar Baleiês. rsrsrs

      Excluir
    8. Assistiu? Aproveita enquanto o tema está em alta no blog. =)

      Excluir
    9. Adoro a Dory e sua memória de Alexandre. kkkkkkkkk
      Assista Walter...
      Abrações
      Alexandre

      Excluir
  4. Caro anonimo,

    Veja esse video de um dos maiores estudiosos de TDAH no mundo, e que já perdeu alguem em virtude dessa doença, e talvez voce entenda por que o TDAH não é um dom.

    https://www.youtube.com/watch?v=hTPk4LZjOow

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser que o TDA-H seja sim um dom, mas muito mal trabalhado e que se tornou um vício. A pessoa vicia já desde criança nas sensações fortes que ela tem por conta das imaginações fantasiosas, quase tão prazerosas quanto o sexo, criando dentro de si um frenezi tão forte que é difícil realmente de fazer algum tipo de jejum, mesmo que brando, para que se diminua esse vício e a pessoa possa se prender ao real de forma mais perene.

      Excluir
    2. Ou talvez não seja um dom, mas uma personalidade.

      Excluir
  5. "Quero poder ser eu mesmo, em casa, na escola, no trabalho, sem ter que me esforçar para encobrir as falhas que denigrem minha imagem."
    Resumiu tudo nesta frase Alexandre!
    E o anônimo que me desculpe, sou advogada e só eu sei o quanto o TDAH não combina com o direito. Primeiro pq é uma profissão formal, o que nos faz ficar tensos e nos policiar o tempo todo. Segundo porque as ideias nunca surgem no momento certo, assim sua criatividade dificilmente será aproveitada para ser o melhor refutador de argumentos; principalmente se tiver que pensar rápido.
    Então, pelo menos no meu caso, o TDAH não foi um dom, mas sim um transtorno que criou muitos obstáculos na minha carreira.
    Mas, é claro que, apesar do TDAH tenho qualidades e consegui superar muitos deles. Então, acredito mais nas minhas habilidades natas desassociadas do TDAH, do que este seja um dom.
    Dons para mim são bênçãos e acho difícil desejar a um ente querido que ele tenha TDAH. Então, pra mim, são termos incompatíveis.
    Contudo, respeito as opiniões contrárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humanos em sua ''virtude'' mais predominante está o lado revoltado consigo mesmo, pessoas que não param se sofrer, de reclamar, de chorar, de pedir mais, o eu próprio e ignorado, o anseio de tentar fugir de si, anseio de escapar da própria personalidade, das falhas, dos limites que não pertence assim mesmo.

      Aceitar a si mesmo e aceitar seu corpo, suas capacidades, seus limites, suas glorias, suas derrotas e vitórias, quando não se aceita a si mesmo vive em uma vida amargurada, deprimente, chata, ingrata, sofredora.

      Pessoas que buscam a felicidade ao mesmo tempo que ignora o mais importante de tudo, seu eu, querem ultrapassar o lago ao paraíso quando rejeita o barco do seu eu, vão ficar paralisadas sem direito a transporte, olhando e desejando o paraíso da felicidade quando nem saber nadar.

      E muito mais fácil querer se colocar no lugar de vitima do que aceitar as próprias imperfeições, quando se vive no meio da multidão está atrelado ao subjetivismo dos padrões formais e aceitos como ''normais'' no meio cotidiano, não conseguir a meta do subjetivismo cotidiano e um sofrimento.

      Se liberte, sua gloria, sua sorte está em você, a oportunidade de nascer foi dada, sua vida seu eu, não podemos deixar terceiros nós dominar, cada eu e um presente da vida, do nascer.

      Ninguém irá aceitar nossas falhas, porém, se não aceitar nossas imperfeições vamos viver no caos do sofrimento, uma via de mão dupla que por onde escolher andar será atropelado. já que uma via não e nossa propriedade vamos aceitar a nossa via e andar sem sermos esmagado pelo nosso eu insatisfeito.

      Se anseia ser você mesmo em todos os lugares e porque não não aceita a si mesmo, pois você e você independente de terceiros, as falhas sempre vão vim, as criticas também, a imagem falha irá te pertencer, aceite, aceite e aceite de bom grado, ninguém nesse mundo está querendo captar nossas qualidades, eles querem nossas falhas, nossos erros, assim, será uma ótima oportunidade de se sentir melhor frente ao outro, humanos perversos, quando se aceita a nós mesmo aceitamos tudo do nosso eu sem sofrimento, sem a imagem refletida da critica alheira, o subjetivismo social deve ser esmagado.

      A você Aline mate essa formalidade, não tente passar por alguém que não é, suas ideias, sua formação, sua qualidade e mais importe que a formalidade, deixe o ( eu ) seu escapar, criticas? que venha, não podemos sofrer por algo que e nosso, que aceitamos, o nosso ( eu ) e muito valioso para aceitar criticas de pessoas invejosas que sempre querem nosso pior.

      As ideias sempre vão vim, já que e advogada sabe que seus amigos profissionais pensam, as estratégias, se coloque no lugar do seu concorrente, tente pensar no que ele irá pensar, no que ele irá falar, assim, estará pronta para refutar uma ideia do seu concorrente quando se já pensou e analisou antes mesmo do seu concorrente falar. Difícil? Claro que é, ninguém e o melhor profissional na sua área se não lutar para ser o melhor a cada dia.

      Superar as qualidades e imponte, mais superar as falhas e mais importante, as falhas do seu ( eu ) deve-se aceita e superar, jamais ignorar como algo inoportuno, se não tem como, o modifique, o transforme, pegue suas falhas e transforme em qualidade, a natureza sempre tem seus dois lados ou mais, nenhuma falha tem apenas um lado, ao mesmo que aceitar que sim.

      Se sua luta conta o TDA-H te ofereceu boas oportunidades, está no caminho certo, se sua luta contra o TDA-H serviu apenas para fugir dos problemas causados por ele, está no mesmo lugar.






      Excluir
    2. Querido Anônimo, você não disse qual é sua profissão, nem qual o seu conceito de sucesso ou o que é evoluir na sua concepção. Mas vamos lá; existe aqui fora uma vida real, uma vida muito difícil de ser vivida. A menos que você viva às custas de alguém - pai e mãe, aposentadoria, pensão - ou tenha nascido muito rico, as qualidades do TDAH não são reconhecidas ( nem muito bem vistas) no mundo concreto. Trabalho numa empresa comercial, diariamente acordo às seis da manhã para abrir a loja às 7:45. Tenho tempo certo para almoçar, metas de vendas para cumprir, funcionários para administrar e uma série de relatórios semanais e mensais que meu superior exige e espera a seu tempo e hora. Uma dose de criatividade sempre é boa, mas na vida real ela só não basta. Ninguém (cliente,patrão, colega de trabalho, paciente) vai concordar com sua procrastinação, sua preguiça, sua inconstância, sua impulsividade, na vida real o que se espera são resultados. Mesmo um dono de empresa ou autônomo deve contas a quem o contrata. Mesmo que você seja um artista, deixe de cumprir os prazos combinados ou a entregar o que seu cliente pediu e vai ficar desmoralizado e sem clientes.
      Seu discurso é muito bonito, mas irreal e fantasioso; na vida real, não serve pra quase nada.
      Precisamos sim, de estar aptos a atender as exigências do mercado; precisamos sim cumprir ordens determinadas e criadas por não TDAHs.
      É assim ou perde-se o emprego, os clientes, a empresa...
      Bem vindo ao mundo real, amigo...

      Excluir
    3. Alexandre, como disse no começo do meu primeiro comentário O TDA-H pode ser um Dom para mim, para outros um tormento... Eu não vivo de filosofia do irreal, mas sim do real, minhas concepções não são românticas, são reais..Se você se aceita a si mesmo, aceita o que faz, aceita seu trabalho como algo bom, agradável, gosta do que faz certamente seu trabalho e mais que uma carga de horários a ser cumprida, é um prazer passar horas todos os dias na empresa, quando gostamos de trabalhar naquilo que trabalhamos e algo maravilho, a criatividade aumenta ainda mais, ainda mais em TDA-H's

      E claro que a maioria das pessoas não tem essa oportunidade de trabalhar no que gosta, depois de terem filhos, famílias, conta para pagar, o trabalho e uma obrigação a ser comprida independente de gostar ou não, o trabalho vira um rotina chata e cansativa. Infelizmente.

      Falo por mim, as minhas procrastinações, minhas preguiças, inconstâncias, minhas impulsividades geralmente e naquilo que é acho chato, cansativo, irritadíssimo. Já fui demitido em todas empresas que trabalhei, pedi demissões em outras, fui um fracasso profissional por causa do TDA-H, Fiquei em depressão por um bom tempo por causa disso, ( analisando depois de anos, reconheci que NÃO nasci para trabalhar no comercio, com burocracia, exigências de padrões, clientes, metas para cumprir, rotinas e etc.. Meu TDA-H não permite, no final disso tudo, ( Eu acabei gostando muito desse meu jeito, jeito de ser, de viver, acabei me amando por ser um TDA-H) Hoje estudo para trabalhar naquilo eu eu sei que eu gosto, o que eu gosto? De tudo! Não nasci para trabalhar em uma coisa só apenas, nós TDA-H sabemos mais que ninguém que gostamos de várias coisas ao mesmo tempo, simultaneamente, várias ideias ao mesmo tempo, sendo assim, entendi porque não me dava em trabalhar no comercio de uma rotina estabelecida previsivelmente, isso me matava por dentro..

      Eu nasci para dar ideias, produtos inovadores, ser palestrante, ser ''terapeuta'' amador, filosofo, escritor, pintor, cantor, a engenharia irá proporcionar os produtos inovadores, a filosofia, a literatura, a filosofia em geral, a arte todo o resto. ( Eu NÃO nasci para ser um homem de uma coisa só) Mesmo que eu não consiga o sucesso profissionalmente nem o reconhecimento, estarei sendo o que eu amo, porém, irei lutar muito para conseguir.

      Também descobrir que meu TDA-H me impossibilita de casar, namorar, pois não gosto de rotinas, de obrigações, dê satisfação pessoal da minha pessoa, gosto de ser Livre, ( também me amo por ser assim ) prefiro ficar isolado com meus pensamentos que com uma parceira, amigos praticamente nem tenho ( É gosto ) Sou aquele tipo de pessoa que só ver os amigos duas vezes por ano. Ter filhos nem pensar.

      O TDA-H me tirou muitas coisas que a maioria das pessoas costuma viver, praticar como normais, porém, tive que escolher, o eu me aceitava do jeito que sou, ou ficava amargurado durante toda a minha vida por ser um fracasso socialmente, profissionalmente, sendo que poderia tirar algo muito Bom do TDA-H, e estou fazendo isso.

      Tenho apenas 21 anos, sou jovem, corajoso, corajoso de chegar em uma pagina de um blog e de certa maneira contrapor uma centenas de pessoas que pensam de uma maneira sobre algo já vista como certo, e dizer o que eu penso, até mesmo, a ousadia de debater com o dono do Blog. Esse sou eu.

      Outro dia, li que você tem muitos escritos de ( literatura infantil se não me engano ) que gostaria de publicar, porém, receoso com a perfeição e não sabe se publica ou não, publica, nada e perfeito, muitas criticas boas e ruins vão vim, e melhor ser criticado do que ser ignorado.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Ola, meu amigo!
      Nada tem a ver com idade, aos 21 anos eu já tinha uma estrada longa. Mas tem muito com a condição sócio econômica, as escolhas de vida, as necessidades. Eu também odeio o comércio, mas estou nele nos últimos vinte anos. Aos 22 anos minha namorada ficou grávida, casei e precisei sustentar. Abandonei duas faculdades, mudei de cidade três vezes e de esposa outras quatro vezes. Como vê sou um típico TDAH, na inconstância sentimental, profissional e escolar. Você falou dos meus escritos, não posso parar de trabalhar para correr atrás disso, nem de transformar o blog num livro - como muitos leitores já sugeriram - preciso ganhar o pão do dia a dia e o TDAH só atrapalha. Imagine minha luta para domar minha mente durante dez horas por dia; ou meu esforço para me obrigar a fazer uma série de coisas sem graça e sem sentido, mas que preciso fazer; ou chegar no horário impreterivelmente. Cara, é muita luta. Por isso não acho o TDAH um dom. Somos altamente criativos, mas não conseguimos colocá-la em prática. Minha imaginação é fertilíssima, mas jamais me serviu pra nada prático.
      Mas nada disso impede de você usar o TDAH a seu favor, se a vida te der condições pra isso. Por isso retiro o bem vindo ao mundo real e substituo por: BEM VINDO AO MEU CAÓTICO MUNDO TDAH...
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    6. Alexandre, já ouvi falar que escritores ficam escrevendo notas e ideias pequenas em pequenos papeis. Lá na frente eles juntam tudo e fazem um livro. Tem coisas que dá para fazer aos poucos, ao longo de anos mesmo. Talvez te falta pensar em uma estratégia diferente de fazer as coisas. Na sua cabeça as ideias vêm rápidas e você as deixa de fazer porque vai demorar muito talvez não? Se você simplesmente começar a anotar a qualquer momento (Leonardo da Vinci fazia isso) lá na frente você para para juntar tudo e criar algo, nem que seja gravar com um gravador de celular. talvez nós TDA-H somos mais idealizadores de coisas, pessoas ocmo empreendedores, que não trabalham em cada parte do processo todo ,mas coordena, pois ele consegue pensar em tudo ao mesmo tempo e só mandar, mas não mergulhar naquilo que tem que fazer para ficar naquela parte pequena do todo, entende?

      Excluir
    7. Sabe que eu já pensei nisso!
      Claro que não saiu do pensamento.
      Minha mente fervilha 24 horas por dia..
      Tem razão
      Obrigado
      Alexandre

      Excluir
  6. Agora se você acha que vivo no mundo da lua, de um ( Resert ) em tudo que eu escrevi, todas as linhas, '' o cara e jovem de mais, nem sabe o que esta falando'' '' Coitado, ele nem sabe o que irá enfrentar na vida'' Esqueça..( Devo ser um bobo mesmo ) ouve sua música predileta e comece da umas risadas nesse otário aqui, ignore, deixe pra lá esse Anônimo imbecil... Vou continuar ser o que eu sou, independente de ser aceito com ou Não, eu acredito em Mim.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me identifico com você, eu também não sou para ficar em rotinas, mas também não consigo levar uma coisa só de vez, tenho que começar várias. E esse é o grande empecilho do TDA-H. Querer tudo é uma coisa, fazer cada coisa de uma vez é outra. Existe um descompasso do pensamento com a realidade e um vício em se manter nele, já que a imaginação nos leva logo onde queremos com muito mais rapidez e segurança do que na realidade frustrante em que vivemos. É difícil largar esse prazer.

      O que você está falando não é novo, você não parou para pensar que, por ter uma centena de pessoas aqui, a grande maioria já leu e já pensou essas coisas.

      E cada coisa que nós queremos é uma coisa. O Alexandre pelo que já ouvi falar vive trocando de mulher, rs, mas com relação aos livro a história parece ser realmente outra. São motivos diferentes, consequências diferentes, objetivos diferentes.

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkk
      Amigo, você é muito TDAH. Esse adendo ao seu comentário é a nossa cara. Aquela vontade quase invencível de destruir tudo, chutar o balde...
      Aqui, desde que não se ofenda a moral de ninguém, todos os comentários são aceitos e bem vindos. Muitas vezes eu respondo um pouco mal educadamente (como foi no seu caso) por que já recebi muitos iguais e ando cansado dessa campanha anti TDAH. Mas não é o seu caso, você tem bons motivos para ter suas crenças e eu te respeito por isso.
      Continue por aqui, mas adote um apelido qualquer para que saibamos com quem estamos conversando, e que não é mais um aventureiro qualquer querendo encher o nosso saco.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  7. Anônimo, respeito sua opinião e sou super a favor de agarrar-se as coisas boas da vida ao invés das ruins.
    Porém, como profissional do direito, temo um pouco a defesa do TDAH como um dom, porque não podemos lutar por oportunidades iguais, na medida de nossa igualdade, ou desiguais, conforme nossa desigualdade, se levantarmos a bandeira que o TDAH é um dom. Pq se é um dom, traz benefícios e não prejuízos.
    Ora, o próprio nome já diz tudo é TRANSTORNO e não CONFORTO!
    Longe de mim querer mudar seu jeito de pensar, mas, tente pensar que este tipo de defesa pode prejudicar os direitos dos portadores de TDAH que não desistiram de ter uma família, profissão, amigos etc; tendo TDAH ou não.
    Parabéns pela coragem de se aceitar, isso realmente é muito importante e traz muita leveza ao nosso ser.
    Siga adiante com seus sonhos, afinal sem estes a vida perde o sentido.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por falar na nomenclatura, porque em Português é Transtorno e em Inglês é Desordem (Disorder)?
      Transtorno, apesar de não estar errado, não parece ajudar a entender muito a doença como ela parece funcionar, pois para mim é uma confusão na cabeça realmente, em que a pessoa não tem autoconhecimento e fica vagando, procurando se entender e entender o mundo à sua volta e isso deixa tudo fora de lugar, pois a pessoa não consegue encaixar as peças direito, portanto, criando uma desordem.

      Excluir
    2. Sim Aline, se a pessoa anseia uma vida normal como relacionamentos duradouros e com filhos que seja feita a sua vontade, quem sou eu para discordar? Só sei que as pessoas não aceita nós pelos que somos, mas sim pelo que ofereceremos. Uma pessoa com TDA-H em casamentos por ex e com filhos terá muitos problemas pessoais, em que seus companheiros na maioria das vezes não aceitará esse modo diferente de viver de um TDA-H.
      Ainda acredito que os maiores profissionais em qualquer área são os menos formais, os mais diferentes em diferentes aspectos, pessoas que inovam no mundo intrapessoal e interpessoal, quem sabe dê uma ''olhada'' nos melhores advogados que conhece e perceberá isso neles.

      Ao questionador da nomenclatura do TDA-H, a psiquiatria e a psicologia tendem de uma forma sistematicamente a separar, a organizar diferentes aspectos comportamentais e neurocientíficos cada ser humano, sendo assim, pessoas que não tem um padrão social, comportamental e cultural igual a da maioria das pessoas são visto como ''transtornados'' ou até mesmo doentes, cada sociedade tem seus padrões se não se encaixa neles são vistos como anormais quando são normais no sentido biológico, TDA-H não e doença é ( comportamento ). Os TDA-H's tem ( baixa inibição latente ) onde enxerga ou observa comportamentos e objetos de forma mais apuradas que os ''normais'' tendo um autoconhecimento muitas das vezes muito superior as outras pessoas daí que entra a criatividade, porém, se a pessoa possui ( baixa inibição latente ) com QI baixo isso irá prejudicar nas imensas informações recebidas em seu cérebro dificultando a organização das informações recebidas, o que muitas das vezes pode prejudicar o autoconhecimento chegando em alguns casos a realmente uma doença mental.

      Excluir
    3. " Essa faculdade permite ignorar estímulos externos que a vivência desses indivíduos tenha demonstrado serem inúteis ou irrelevantes às suas necessidades. Através de testes psicológicos, os cientistas conseguiram demonstrar que as pessoas criativas têm baixos níveis de inibição latente ou ("baixa inibição latente")."

      Fonte:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Inibi%C3%A7%C3%A3o_latente

      Excluir
    4. Anônimo, você ainda não está ajudando da maneira que quer. mas continue, essa inibição latente foi algo que para mim ajudou bastante, mas você não explicou muito bem, tive que pesquisar. Você demonstra ser alguém estudioso e com vontade de ajudar, por favor, continue visitando-nos.

      Você já leu "O Poder do Agora", de Eckhart Tolle? Ele fala sobre a inexistência de Passado e Futuro, e que o importante mesmo é o óbvio PRESENTE, o Agora. Nós ficamos muito tempo também planejando coisas e viajando no nosso passado, além de fantasiar. Isso tudo são coisas boas, mas que nós, independente de sermos TDA-H ou não, utilizamos de maneira irracional, desordenada.

      Excluir
    5. Sobre a minha falta de clareza ao explicar, realmente eu disponibilizo algumas informações muitas das vezes confusa para quem já não tem um domínio completo do assunto.

      Não, não li mas parece ser interessante, vou coloca-lo na minha lista, sobre a filosofia, eu admiro os escritos de Buda que fala que o presente e a verdadeira vida, o passado e o futuro não está presente nas nossas vidas. apenas o ( Presente )..Mesmo assim acredito que e impossível alguém não vivenciar o passado ou o futuro, minha técnica particular de viver se resume no seguinte, ( o passado sempre foi bom) ( o futuro irá ser bom ) ( o presente e a maneira do agora ser bom e o futuro ser bom ).. Sendo assim, eu excluo da minha mente qualquer pensamento negativo ou vivencia negativa, mas o meu excluir não exatamente e ignorar, não podemos ignorar nada, porém, o meu ( Vivenciar ) sempre foco no bom e agradável, espero ter sido sucinto com essa minha explicação.

      Sobre o meu TDA-H ao falar que é um ( Dom) eu uso uma filosofia conhecida por todos ''Se não podemos contra o inimigo se junte a ele'' E exatamente isso que estou fazendo, acredito ser impossível lutar contra o TDA-H de forma razoavelmente eficiente.

      Eu gosto muito de viajar nos pensamentos e uma coisa muito gostosa de ser fazer e viver, levo muito a sério minhas viagens, tem vezes que estou no ônibus com o pensamento bem longe, quando percebo, já chegou o ponto.

      Sobre esse site-blog eu respeito o trabalho do Alexandre e das centenas de pessoas que acompanha o trabalho, e muito importante reunir pessoas com os mesmo aspectos comportamentais, as pessoas deixam de se sentir sozinhas e encontram muitas das vezes um conforto e ajudas mutuas, porém, eu sigo uma outra filosofia sobre o TDA-H, sendo assim, esse poste do Alexandre será meus últimos comentários, talvez este será o ultimo. Que todas as pessoas desse blog tenha uma vida satisfatória e de certa maneira feliz. Abraços.

      Excluir
    6. Não sei se será a última, difícil prever isso. Você sempre ficará tentado a comentar algo, a corrigir ou a ajudar alguém.
      E não use tantos parênteses. Eles não estão cabendo ao uso que você está querendo dar a eles. Talvez sejam aspas o que você quer.
      E, uma coisa que pode funcionar, não de uma hora para a outra, mas gradualmente, é você tentar não pensar em nada, ficando apenas com um burburinho no fundo da mente. O negócio é não projetar nada na mente, apenas fechar os olhos e olhar para o fundo preto do olho, mas sem aquela cortina. Olhar para o escuro mesmo, e não pensar em nada. Será mais fácil se você já estiver mais cansado, no fim do dia, quando você já pensou demais durante o dia inteiro, daí a mente consegue se acalmar com mais facilidade. O negócio é olhar para fora, mesmo que não seja tão prazeroso quanto nossas imaginações.

      Excluir
    7. Eu entendo sua posição Anônimo, inclusive o fato de querer abandonar o blog e nossa discussão. Esse é um comportamento bem TDAH e não vou discuti-lo. O que nos diferencia é que encaramos o TDAH como uma doença e você não. Tenho um amigo de TDAH que compartilha de suas opiniões (chama-se Danilo e é ilustrador), inclusive ele me critica muito por encarar o TDAH como doença. Não quero apelar para a idade, mas tenho mais de 50 anos de uma vida chafurdando em areia movediça. Tudo o que fiz foi lutar para manter-me à tona. Fiz grandes, enormes besteiras, magoei pessoas que amava e acreditei em pessoas que não deveria. Andei na direção errada, sabendo que estava errada e abracei a tragédia só para experimentá-la. Cara, foram 50 anos muito difíceis, por isso encaro o TDAH como doença. Talvez, você se sabendo TDAH desde muito cedo consiga direcionar sua vida para um novo rumo e esse seja o verdadeiro caminho do sucesso. Mas, prepare-se, a sociedade nos cobra caminhos convencionais e mesmo dentro da sua família você vai ser apontado como o estranho, ou preguiçoso, ou maluquinho, ou o lesado, ou tudo isso. Se você conseguir suportar tudo isso, parabéns.
      De qualquer forma, adorei sua participação, você incendiou o blog e é assim que aprendemos: saindo da zona de conforto, do conhecido.
      Obrigado
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  8. Alexandre, parabéns pelo blog. Do aqui que encontrei pela primeira vez as palavras que procurei a minha vida toda. Nunca encontrei nada que me descrevesse melhor. A primeira vez que ouvir falar de tdah em adultos foi ano passado quando meu ex-chefe me perguntou se eu não tinha(pois ele tem) disse que não....sai de la e entrei de novo num buraco sem fim
    ...fui procurar ajuda não por causa das palavras do meu chefe mas pq todo mundo me dizia q eu estava com depressão..na primeira sessão a minha terapeuta preparou o terreno...estou send acompanhada por ela e meu neuro...o diagnóstico oficial ainda não saiu...talvez(so pra sermos cautelosos..kkk) eu não seja uma tdah...mas de qualquer forma o caminho q traço hoje de autoconhecimento eh valioso...e encontrar um lugar como esse eh como encontrar uma perola...

    Parabéns, e abraço
    Danieli.

    ResponderExcluir
  9. oi,aqui é o sail,estou tendo agora pensamentos suicidas,meu dia foi normal na escola,brinquei ate com um colega,mas minha mae piorou as coisas. Eu faltei no curso essa semana e ela descobriu e começou com os discursos dela,nem escutei,ela saiu,estou sozinho em casa,meu pai e um irmão viajaram semana passada voltam hoje a noite. Eu to mal,muito mal,e o pior e que eu nao tenho coragem pra falar,eu sei que preciso criar,mas os pensamentos estao bloqueando. eu escrevi um pequeno texto a pouco,mas nao foi enviado,nele disse que não vou aguentar,principalmente se ficar em casa novamente sozinho,ops,minha mae acabou de chegar,ainda bem que consegui esconder as lagrimas e ela nem olhou pra mim e nem pra corda que acabei de jogar no chao,pq como disse ela esta brava. acho que nao vou me entregar,hoje,pra morte,pois tenho planos. cheguei a conclusao que estou ficando louco,na verdade,sempre fui sem parafuso,mas agora esta mais forte ainda,e sei que logo isso vai desabar,desculpem,nunca queria escrever isso,pois é pessoal,mas nao sei,estou perdendo o controle,eu nao queria morrer,mas perdi a vontade de tudo. nao tenho vontade p nada,é estranho,eu quero viver,mas nao consigo ter forças pra continuar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, você precisa de uma alternativa. Você pode estar tentando dar murro em ponta de faca. Diga o que você realmente quer, e não que precisa, ou o que os outros dizem que você precisa. Não faça besteira, tente se planejar para o que vai te fazer feliz realmente. Tente contar logo, e veja no que deu. Cometa a loucura de viver como um louco, mas não a loucura de se matar!!!

      Excluir
  10. Na verdade estou em um estado critico,mentalmente. Eu devo procurar ajuda e me auto ajudar também,porque eu sei que posso. Eu não devia estar muito bem conscientizado em postar isso. Estou criando coragem,e irei quebrar preconceitos de que uma pessoa não pode sentir o que eu sinto e encarar a realidade,pois é com ela que eu poderei seguir em frente, com meus planos para vida.

    Obrigado anonimo pelo seu comentário, (por favor,faça como fiz,coloque um apelido se você for comentar mais vezes aqui,que eu espero que sim). Ainda não li direito nenhum comentário desse post,e fico bobo que me deem atenção. Eu atualmente não consigo prestar atenção pra ler nada. Isso está me agonizando. Só sei que,eu não vou desistir,eu nunca desisti,porque se não haveria me matado. Há um proposito nessa minha vida,na sua,e é isso que me mantém realmente vivo,pois eu sei que poderei ser feliz. Sou realmente confuso,afastado de assuntos,desligado,pensador e não sei mais porque esqueci. Mas consigo perfeitamente desfaçar minha dor.

    Consigo ser engraçado,fingir ser uma pessoa que não sou. Gosto de ficar sozinho,a solidão não é uma opção,mesmo com muitas pessoas ao redor,me vejo sozinho,sinto.

    Eu suspeito/devo ter asperger,que torna tudo mais complicado. Não sei se posso ter outras coisas,além disso e o TDAH,mas eles estão mais que suficientes. O meu maior receio é o tratamento,se vai ficar caro,remédios e a terapia. Meu pai não esta bem financeiramente,e ele também tem TDAH,herdei dele. Muitas coisas,acredito que atrapalham a vida dele e a nossa,por causa do TDAH,pois ele não sabe. É uma situação triste,mas como disse inicialmente,eu tenho esperança. Vamos lá.

    Ps: Walter,eu não sei explicar os sintomas certamento do asperger em mim. Ter esses dois juntos torna tudo diferente de uma pessoa que só tem asperger. Eu tenho dificuldade mesmo em manter algo com as pessoas,mas em relação a conversas com elas,com o tempo eu driblei não sei como,que,não preciso ter uma conversa normal com uma pessoa para iniciar uma "socialização",eu simplesmente prendo a respiração,falo alto,troco de assunto quando não quero falar sobre algo,pergunto coisas bobas,faço ela rir... Também faço coisas repetidas,tenho manias estranhas. E eu sinto as emoções,pensamentos das pessoas,alguns aspergers,não sentem emoções,mas eu sinto até demais. Me identifiquei como um suposto sintoma,pois uma pessoa descreveu.... Bem,é um assunto complicado pra mim descrever,ainda mais que não formulei certamente pra te falar,só estou escrevendo para não te deixar no vácuo.

    Quero debater isso com pessoas que tem o dois diagnósticos e com vocês do blog. Semana passada vi um monte de videos em inglês,e um cara tinha o tda,asperger e não sei mais. Recomendo que procurem também,os videos.


    SAAAIL. UM ADOLESCENTE E UM GRANDE BOBALHÃO PROBLEMÁTICO,PENSAMENTOS E AÇÕES COMO UMA CRIANÇA DE 5 ANOS,MAS TAMBÉM COM IDEIAS MEIO VELHAS.
    NÃO PRESTA ATENÇÃO NA AULA,PASSA MUITO TEMPO DEBATENDO NA PRÓPRIA CABEÇA E TIRANDO SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES,POIS NÃO CONSEGUE LER ARTIGOS PRONTOS.
    TAMBÉM PODE SER CONSIDERADO UM BURRINHO. NÃO SE EXPRESSA DIREITO. ULTIMAMENTE CONSEGUE FIXAR EM ALGO POR LONGOS MINUTOS,E ATÉ NOS OLHOS DAS PESSOAS,COISA QUE NÃO CONSEGUIA FAZER DIREITO. FELIZ E TRISTE AO MESMO TEMPO.

    WALTER,ACHO QUE VOCÊ VAI PERDER O BOLÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sail,

      Toda vez que eu encontro com uma alma de um TDAH dilacerada, eu sempre tenho uma dúvida: coloco no colo e faço carinho ou chuto os bagos?

      E falo sobre a alma dos outros e sobre a minha mesmo.

      Sail, tudo que li sobre a síndrome de Asperger (por sua culpa), me diz que não, você não é Asperger, você é TDAH.

      A primeira diferença é que no Asperger, como sintoma clássico, existe a presença de uma inteligência notavelmente superior, e, no seu caso, se você tivesse esta inteligência toda não estava aí falando desta bobagem de suicídio.

      Você está demonstrando claramente um sintoma TDAH, criando um drama gigantesco na sua cabeça (pobre de mim..., coitado de mim ..., meu pai não tem dinheiro ..., o dia está muito quente ..., o dia está muito frio ..., hoje é segunda ... terça ... quarta....,) por um assunto absolutamente banal.

      Veja o desenho animado , "Lip e Hard", que era a dupla formada por um leão super otimista e para quem tudo ia dar sempre certo, e uma hiena super pessimista, que vivia dizendo "oh vida, oh dor, oh azar...".

      Você parece a hiena, sempre dizendo "oh vida, oh dor, oh azar...". Se continuar assim você acabará realmente destruindo sua vida pessoal, profissional, amorosa, etc, por conta de algo que é infinitamente ridículo e desproporcional.

      Isto é ser TDAH, sim. Sabe como eu sei, porque sou TDAH, com 50 anos, e ainda vivo lutando (e perdendo) contra este tipo de comportamento.

      Sabe qual é a saída para isto? se souber me conte, eu não sei. Já tentei várias coisas, umas deram certo uns tempos, outras melhoraram alguns aspectos, mas "curar" este sintoma, nunca encontrei nada neste sentido.

      O que sei é o que NÃO FUNCIONA, Não procure desculpas bobas, tipo: pai, mãe, etc.. Arranje um jeito de levantar e sair dessa. Você está fugindo de uma realidade boba, e criando um monstro na sua cabeça. Você sabe disto, e precisa encontrar na sua vida, na sua rotina,um jeito de encarar a realidade.

      A fórmula é fácil de dizer, mas quase impossível de fazer, e nisso reside a nossa doença, em não conseguir executar algo tão simples.

      Grande abraço irmão, e desculpe o exagero, mas eu estou numa situação parecida com a sua, e a minha raiva comigo mesmo é tão grande, que a minha vontade era chutar tão forte os meus bagos até eles saírem pela boca.

      Esta raiva de mim mesmo eu extrapolei um pouco para você. Me perdoe, mas é a minha cabeça hoje.

      Excluir
    2. às vezes escrevemos coisas com tamanha energia, tamanha Ira, e ao mesmo tempo tentando controlá-la, que parece que transparecemos, mas nem sempre. isso já ocorreu comigo uma vez. Quando escrevi, achei que aquela energia toda estava naquelas palavras. Quando voltei dias depois para lê-la novamente, era apenas um texto objetivo, não tinha AQUELA emoção.

      Eu pelo menos não senti essa raiva de que você fala Walter.

      Excluir
    3. Olá Anónimo.

      não é que você tem razão! mas que na hora eu estava com uma raiva danada de grande, lá isto eu estava.

      Obrigado pela sua intervenção.

      Excluir
  11. Texto 1000! Seus escritos são, de certo modo, o autorretrato de nossa alma TDAH!!! Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Achei curiosa a história do Nicola Tesla sobre a mente dele. Achei que seria interessante repassá-la a quem não conhece. E quem não sabe quem é Tesla, fique sabendo que ele foi O Cara na questão de invencionices como a geração de Corrente alternada que liga tudo o que você tem de eletrônico hoje. Ele era o grande inimigo do famoso Thomas Edison, que parece ter roubado muitas patentes do coitado.

    O Tesla tinha um cérebro que desde a infância gerava para ele umas imagens que dificultavam-no de ver os objetos realmente, e ele não conseguia "calar" essas imagens, até que ele desistiu e resolveu se deixar levar. E ele costumava ir para outros países dentro de sua mente, viver por lá, conhecer novas pessoas e isso não se diferenciava em nada do real. Parece muito com o filme "A Origem", aquele do Leonardo de Caprio.

    Com esse cérebro poderoso ele pensou na possibilidade de haver uma tecnologia que projetasse as imagens em uma tela para que você pudesse gerar os seus projetos, bem como ele fazia. Ele disse em sua autobiografia que ele conseguia criar apenas na mente motores, testa-los, ver se eles estavam balanceados, fazer melhorias, e que isso também não se diferenciava em nada do real. Ele disse também que não houve nenhuma exceção em que algo ocorresse diferentemente do que ocorreu no laboratório, posteriormente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe o que que eu acho? Acho que a nossa mente é algo que cria coisas sozinhas. Veja nos nossos sonhos, ela trabalha a memória não é? Ela trabalha sozinha. Eu não me lembro de ter dado esse comando a ela quando eu era um feto ou um bebê.

      Nesse caso aí era uma mente bastante forte que simulava coisas de forma bastante real. Eu acho que com o TDA-H ela cria coisas que nos dá prazeres e nós nos deixamos levar, daí ficamos viciados nesse comportamento dela. Precisamos vencê-la, mas sem deixar de utilizá-la. Talvez perceber os padrões das coisas que ela cria nos crie um alerta para que digamos um não quando ela está começando a atrapalhar em determinado momento.

      Excluir
    2. É Nikola Tesla, com "K"

      Excluir
  13. Olá Alexandre,
    como sempre seus textos me surpreende, chegando a me levar ao prantos. Você têm essa capacidade de transmitir com suas sábias palavras o que sentimentos, pensamos e buscamos, quando, no meu caso, nem eu mesmo me expressaria tão bem!
    Obrigado por compartilhar seus textos conosco e nos mostrar que não somos os únicos e não estamos sozinho nessa jornada TDAH.

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço sua participação.
      Sem vocês para debaterem eu já teria desistido do blog.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  14. Parabéns por este blog,estou me identificando,VC descreve cada detalhe de minha vida e aflições,obrigado por VC existir!!
    Carol.RS

    ResponderExcluir
  15. Olá meu nome é Ana .. a pouco descobri o TDAH ... Gosto muito das suas postagens. E foi o que me inspirou a fazer um Blog tmbém.
    bjão Continue postando.

    ResponderExcluir
  16. Alexandre, amo a Dory! Não só por ela ser TDAH, mas por ter um coração bom. Acho a persistência e a diplomacia dela magníficas e típicas dos TDAH também! Amei seu texto e também quero falar baleiês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Tem dias que estou assim, meio revoltado com a sociedade. kkkkk
      Mas amo a Dory também.
      bjs
      Alexandre

      Excluir
  17. Oi.eu adorei esse blog,me fez pensar como dever ser difícil ter TDAH.
    a pouco tempo descobri que meu filho de 8 anos tem TDAH me sinto tão desprepara para lidar com ele,parece que tudo que eu sei de como educar meu filho,o que é melhor pra ele parece que tenho que jogar tudo por terra e começar de novo e o pior que eu não sei como começar quero entender o seu mundo e não sei por onde começar.tó lendo muito sobre o assunto e cada coisa que leio tento fazer mais parece que não dar muito certo.na escola estar sendo pior pois sinto que ele tá sofrendo descriminação por parte da professora e de alguns colegas.tenho vontade de ir la e falar poucas e boas pra professora e para certos pais desses alunos e depois olho pra ele e me pergunto se isso seria o melhor pra ele.acho também que a psiquiatra que consegui pra ele não me ajudou muito só passou a medicação para ele ou será que eu to querendo as respostas e soluções pra ontem?.quando sai do consultório da medica com ele e meu esposo (padrasto dele) fomos a farmácia pra compra a medicação Ritalina la quondo vi o preço meus olhos se encheram de lágrimas fiquei perdida mais sabendo que ele precisava meu marido não excitou e nem disse nenhuma palavra apenas disse que era pra o bem dele.Só Deus sabe como vai se difícil todo mês mais vamos conseguir e o mais importante e ele.
    desculpa meu desabafo mais eu precisava falar disso.
    um abraço pra todos.

    ResponderExcluir