quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

TDAH EM PONTO DE MUTAÇÃO




Não sou inconstante, sou mutante.
Metamorfoseio-me a cada nascer do sol.
Não mudo de ideia ou de opinião; mudo de alma.
Mudo de valores, de dores, de amores, de vida, de intenções... Mas mudo, principalmente, de mim mesmo.
Não consigo ser o mesmo de ontem, aquela pessoa extinguiu-se com a luz do sol. Quem hoje abre os olhos ao amanhecer pouco se recorda daquele que deitou-se na noite anterior.
Parece piada, figura de linguagem... Mas não! Esse sou eu. Guardo as experiências vividas, os sentimentos vivenciados, os aprendizados adquiridos num cofre inexpugnável dentro de mim; somente através de uma fresta consigo recuperar centavos daquilo que deveria saber. Tal qual um menino que 'rouba' as moedas de seu pequeno porquinho de plástico. Com um pouco de sorte em determinados dias consigo extrair um pouco mais; noutros, como esqueci qual a maneira mais eficiente de extrair moedas, acabo chacoalhando-o nervosamente e me contento com parquíssimas migalhas caídas ao léu. E quedo-me exausto do esforço despendido para tão pouco resultado.
Nos dias piores bato-me contra o cofre, xingo, esperneio, clamo contra Deus e o mundo. Mas ele fica ali, imóvel
e indiferente ao meu escarcéu. Então lembro-me que ele é inanimado e que eu não possuo sua chave, muito menos o segredo que o abre.
E sigo minha vida contentando-me com míseros flashes do que poderia ser.
Acordei essa manhã uma pessoa diferente com um mundo novo pela frente. Trago em mim todas as automações aprendidas ao longo do caminho, mas revestidas de um sentimento novo, um olhar diferente, e surpreendendo-me com a vida e comigo mesmo. Hoje tive uma manhã diferente, um comportamento diferente; até inesperado. Mas não posso afirmar que amanhã será assim, ou depois de amanhã, ou que isso irá se perenizar.
Os descrentes dirão que é só querer. Os incrédulos que o pensamento positivo, um tratamento medicamentoso... Os TDAHs saberão do que falo.  Um gesto, uma palavra, uma música, um nada, determina uma mudança de sentimento profunda em nossos dias. Situações já vividas e solucionadas em dias anteriores, de repente surgem diante de nós como novidades quase insuperáveis;  sentimentos tão caros ontem, desaparecem milagrosamente ao acordarmos...
Não te cabe me julgar, mas você julga.
Não te cabe me criticar, mas você me critica.
Não te cabe me agredir, mas você me agride.
E não posso te julgar por isso, nem te criticar por isso...
Tenho que entender que aquela pessoa que você conheceu, conviveu e te encantou, não existe mais. Partiu, morreu, mudou.
Você pode desistir de mim, você pode querer me ajudar, você pode querer me destruir. Mas nada disso surtirá efeito. Esse já não sou eu, e quando você se acostumar com esse eu de hoje, amanhã já serei outro.
Melhor ou pior; mas outro.

52 comentários:

  1. Mais um texto que se encaixou perfeitamente comigo.Muito bom, publique mais esse ano.

    ResponderExcluir
  2. "E quando você se acostumar com esse eu de hoje, amanhã já serei outro."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valter, até eu me canso de tanta mudança.
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
  3. Alexandre, tenho lido bastante seus textos e lógico me identificado com praticamente todos. Li os comentários e muitos diziam o que eu havia pensado: "como é bom saber que existem outros como eu" rsrs

    Eu ainda não faço tratamento, a procrastinação não me permitiu procurar. Mas devido as minhas constantes quedas não poderei mais esperar.
    O meu TDAH é predominantemente de desatenção, e com isso eu viajo, invento histórias, ocupo meu tempo com um mundo paralelo que só eu sei. E que mundo bom! Sinto até raiva quando tenho que colocar os pés na realidade, por mais feliz que eu seja.
    Acredito de verdade que devido a nossa criatividade e imaginação, deveríamos nos aventurar mais no meio artístico, talvez por aí ganhamos dinheiro. Escrevi um livro há uns anos atrás e por agora (estou com o hiperfoco nele) estou fazendo algumas melhorias na história. Talvez eu procure um meio de publica-lo, falta-me coragem.
    Aliás, tem me faltado coragem para muitas coisas. Vou fazer 30 anos e vivo como se tivesse 15, estou vendo o mundo girar e o tempo passar e eu estou presa (porque quero e gosto) no meu mundo de fantasia. E para falar a verdade, estou mesmo cansada, cansada de pensar, de viajar, de sonhar acordada. Será que se eu fosse "normal" eu estaria com uma vida estabilizada?
    Bom, com certeza amanhã estarei animada, alegre, pensando em mais mil coisas.
    Como vc mesmo colocou "sentimentos tão caros ontem, desaparecem milagrosamente ao acordarmos..."
    É isso aí mesmo, amanhã já não serei a mesma que desabafou hoje.
    Obrigada pelo blog!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erita me descreveu o texto do Alexandre e teu! como é triste e feliz ao mesmo tempo nossa vida por esses motivos! Não ter memoria não é pra qualquer um.

      Excluir
    2. Érita, estabilidade não faz parte da nossa vida. Ganhar dinheiro também não, mas quando ganhamos (e eu já ganhei) botamos fora com extrema facilidade (e eu fiz isso). Também tenho meu mundo e meu livro, mas tenho muito medo da rejeição. Por isso nunca fui muito a fundo pra tentar publicar meu livro.
      Um abraço
      Alexandre

      Excluir
    3. Cara sinceramente publique esse livro, o que pode acontecer de tão ruin, vencedores não ligam para opiniões de terceiros.

      Excluir
  4. Sou de Brasília e tenho 32 anos só descobri meu tdah agora minha vida não sai do padrão que ja conhecemos...Estou tomando 50mg de ritalina por dia e luvox 100mg e estou fazendo tratamento na neuropsicologa, psiquiatra e fonoaudiologa pq tenho dpac também! Mandei meu e-mail quero fazer parte do grupo no whatss :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, você parece estar muito bem acompanhado no tratamento.
      Boa sorte!
      Alexandre

      Excluir
  5. Para completar o que escrevi a cima eu só quero ter uma vida normal com um emprego e ser feliz estou sem perspectiva não sei o que fazer quero muito trabalhar mas nunca da certo! Vocês trabalham no que ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O TDAH tem essa vantagem, com tudo o que passamos nos sentimos felizes...

      Excluir
  6. ''Não mudo de ideia ou de opinião; mudo de alma.'' Exatamente, a frase se encaixou perfeitamente.

    Já não sei que eu sou, nem sei o que quero, só sei que eu quero o novo. Parece que eu vim nesse mundo não para complementar, mas para sentir, como um viciado em novas experiências, um drogado que qualquer rotina já se torna o inferno em minha alma.

    ResponderExcluir
  7. Raspei a cabeça estou fazendo faculdade, parei de andar com meu amigos, estou me organizando ao máximo com evernote e trello, aprendendo o inglês, fazendo um curso no coursera sobre aprender a aprender. nossa quem eu era ontem nem lembro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valter, uma vez fiz isso. Decidi mudar de vida, abandonei amigos, mudei de escola, até de estilo musical eu mudei.
      Valeu a pena..
      Bia sorte, amigo
      Alexandre

      Excluir
  8. Meu mundo confunde o mundo dos outros, minha cabeça n segura un pensamento, um raciocínio sequer, talvez seja efeito da depressão, do medo de n crescer na vida e do julgamento que os outros farão sobre mim já que ninguém entende ou conhece meus problemas. Caramba, que vida triste, sei q depois virá um renovo na alma, que terei esperanças novamente, e Vivo acreditando que nessas idas e vindas encontrarei nem que seja uma migalha de crescimento, superação. Nossa, que dia de frustração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, no fundo do poço em que nos encontramos podemos- de repente - sentir um vento fresco e revigorante que nos fará mudar de vida e de humor de uma hora pra outra.
      Abraço
      Alexandre

      Excluir
  9. Brilhante esse texto! Esse final final mostra perfeitamente nossa vida.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiríssimo lugar procure uma ajuda psicológica pra você. Ninguém pode atrelar sua vida e sua felicidade a outra pessoa. Procure una ajuda pra retomar as rédeas de sua vida.
      Segundo, não o procure; se procurar, não o implore. Detestamos pessoas fracas e submissas. Nossa principal motivação é a conquista, uma pessoa que rasteja pelo nosso amor desperta repulsa.
      Vista-se lindamente, sorria o máximo que puder, circule pela festa como se solteira fosse, arrase. Mas não peça, não implore. Converse com ele normalmente, linda e feliz. Isso que despertará seu interesse.
      Choro e fraqueza guarde para seu quarto, na festa comporte-se para merecer o Oscar de melhor atriz.
      Não fique com outros, apenas mostre força e independência.
      É isso que admiramos.
      Boa sorte
      Alexandre

      Excluir
  11. Oi amigos! Estou com pequeno dilema..
    Tomo ritalina a três anos e conversando com o médico resolvemos mudar para o Venvanse, pois, não senti efeito como antes. O caso é que estou indo para a terceira capsula e não estou sentindo ele... é normal? ou leva algum tempo?? É muito bom poder falar, acho que estou pirando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Musashi, comigo também o venvanae de 30 não fez efeito nenhum então mudei para 50mg e depois de um tempo só consegui ter muita dor de cabeça, vejo muitas pessoas falando bem do venvanse mas infelismente pra mim não funcionou então voltei para a Rita. Continue tentando amigo.abraços

      Excluir
  12. Alexandre, seu blog é um ponto de encontro muito bom pra troca de experiências com o tratamento de TDAH, mas como nada está centralizado, fica difícil ter um acompanhamento mais profundo desses comentaristas. Procurando postagens em fóruns sobre TDAH, acabei encontrando um específico para tal: http://forumnacionaltdah.com.br/clark/

    Pelo que vi, está em início, mas acho uma boa que a galera que comenta aqui participe do fórum também. Seria legal se você fizesse um post convocando seus leitores.

    Paranoid Android

    ResponderExcluir
  13. Fantástico! Realmente somos diferentes de tudo que o mundo já viu!

    ResponderExcluir
  14. Oi tenho DDA e queria saber se é possível cuidar da doença usando somente remédios naturais como erva de são joão, mulungu, camomila, maracuja?
    tenho medo de usar a ritalina devido seus efeitos adversos, por favor me ajudem, preciso de trocar opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Erica7,
      A gente vê em blogspot relatos de gente como nós que por diversos motivos não usam ritalina ou similares. Mas sem comprovação de resultados. Mesmo a ritalina, que ajuda, apenas ajuda. Não é a cura. Vi um vídeo do Lair Ribeiro indicando outros tratamentos, nas próximas semanas devo tentar. Quando tiver algo concreto compartilho aqui.sobre as ervas que citou, acredito que as calmantes tal como maracujá só possam ajudar pra dormir a noite, pois durante o dia o que precisamos é de estimulantes como por exemplo o ginseng.
      Marcelo

      Excluir
    2. Oi Marcelo agradeço sua atenção, estou tomando um remedio manipulado que contem ginseng, mulungu, piracetam, biotina e mais outros componentes naturais, porem como comecei a tomar no inicio desse mes, nao tenho resultados, mas assim que tiver mais tempo de uso do remedio, estarei postando aqui como foi. Uma das coisas que estou fazendo, é evitar doces, açucares, corantes, uma das coisas que notei é que fico menos irritada, me passa a impressao que doces estimulam o mau humor, a raiva.

      Excluir
  15. Pessoal, assisti a um vídeo do dr Lair Ribeiro, https://www.youtube.com/watch?v=QLQxzL_NiFw (Melhore seu Cérebro, Melhore sua Vida!), a parte que nos interessa vai de 42:20 até 48:20, ví que tem muito mais que ritalina para o nosso problema. Alguém ai já experimentou o MMS ou LDN ou L-carnitina?
    Marcelo

    ResponderExcluir
  16. Oi Alexandre ontem pensei mais uma vez em acabar meu sofrimento pra sempre, as vezes tenho a sensação de que não vou suportar mais um surto, uma crise de raiva onde saio machucando todos que tanto me amam, estou cansada de tentar, de ter esperança, mais como sempre um dos seus textos me acalmaram, tento fazer com que pessoas a minha volta, mãe, marido leiam e acreditem que não acontece só comigo, que não faço porque quero, porque como poderia um homem em Juiz de fora falar sobre mim, me descrever , a sensação a vida inteira é de gritar dentro de uma caixa de vidro pedindo socorro e ninguém me ouvir,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse poema resume bem tb o q é ter tdah, nao sei o nome do autor nem o nome dele, mas é perfeito!

      Soneto V

      Umas vezes me tenho por perdido,
      outras, inda me dou por bem parado;
      cuidoso agora, agora descuidado,
      aqui enlevado, ali aborrecido;
      hoje ledo, amanhã arrependido;
      já venturoso, já desventurado,
      em um tempo confiante e desconfiado,
      juntamente que atento, confundido.
      Deste estado igualmente morro e vivo,
      temperando a alegria coa tristeza,
      e sonhando melhor quando desperto.
      Porque amor, que me tem assim cativo,
      é mais certo, quando é mor a incerteza,
      quando é mor a certeza, é mais incerto.


      Excluir
  17. Oi Alexandre ontem pensei mais uma vez em acabar meu sofrimento pra sempre, as vezes tenho a sensação de que não vou suportar mais um surto, uma crise de raiva onde saio machucando todos que tanto me amam, estou cansada de tentar, de ter esperança, mais como sempre um dos seus textos me acalmaram, tento fazer com que pessoas a minha volta, mãe, marido leiam e acreditem que não acontece só comigo, que não faço porque quero, porque como poderia um homem em Juiz de fora falar sobre mim, me descrever , a sensação a vida inteira é de gritar dentro de uma caixa de vidro pedindo socorro e ninguém me ouvir,

    ResponderExcluir
  18. Leio este seu texto e a sensação que tenho é de haver emoção e movimentos...mas o que sinto ao conviver com DDA é absolutamente o contrário...como pode isso? porque tds os dias são iguais, a mesma prisão, mesmas atividades, isolamento, intangibilidade... os dias não mudam, o futuro não promete, porque a carreira estaciona, quando não retrocede, projeto de filhos dá medo, pq é ter mais um a quem cuidar....isto quer dizer sobre o grau do DDA? pq vc diz sobre este turbilhão e o que eu tenho são infindáveis dias iguais? não sinto e não compreendo isso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente vivemos um eterno paradoxo, mas para tentar responder seus questionamentos é preciso que dê informações como sua idade, se casado ou solteiro, etc. Em geral o turbilhão é apenas em nossa mente e o dia a dia como você bem descreveu. Ou vai depender de sua profissão, família, amigos. E claro somos indivíduos e nossa condição também varia caso a caso. Espero ter ajudado,
      Marcelo

      Excluir
  19. Eu li seu txto em http://www.tdah-reconstruindoavida.com.br/2011/02/12-sintomas-do-tdah-em-adultos.html e fiquei me sentindo terrivelmente inconformada em ter me encontrado no texto... Não sei se tenho Tdah como você, eu estava procurando na internet sobre procrastinação, que é um problema que tenho há anos, de deixar as tarefas para serem feitas de véspera, trabalhos, relatórios, e nem sempre meu corpo aguenta mais virar a noite trabalhando em uma tarefa insatisfatória - um trabalho da faculdade. Acabo me rendendo ao sono e ao "faço amanhã mais cedo" e corridas inexplicáveis tentando não ser reprovada, com os pais pressionando. Nunca fui num psiquiatra, tenho crises de ansiedade, períodos de depressão e me indentifico como uma distraída mais do que poderia ser considerado comum. Cheguei ao absurdo de me irritar numa viagem por ter que seguir o ritmo de outras pessoas (minha família) e não o meu, para logo depois chorar escondida ao ser lembrada por uma amiga que a vida não dura muito (e estou me segurando para não chorar escrevendo esse desabafo)... Eu estava gostando da viagem em si, mas a companhia me incomodava ao ponto que preferia ficar numa rede no calor do que ao ado deles no quarto fresco da pousada. Atropelo minha ansiedade me apegando ao whatsapp e fazendo buscas existenciais no google, como 'procrastinação', onde encontrei o artigo ao qual me referi acima. Tenho medo tanto de ter tdah quanto de não ter, costumo ocultar as crises de depressão da família, tento quebrar o estresse mas acabo apenas procrastinando sem sucesso em vencer o estresse - que só passa quando toda esperança em fazer o trabalho da faculdade acabou e eu decido ficar no meu quarto, sem contato com o mundo. Há uma matéria em particular que estou tentando passar pela terceira vez, com muito esforço emocional e psicológico - Cada tarefa demora cerca de 2-6 horas para ser realizada, isso porque são trabalhos que devem ser precisos, retos e não passar além de 2mm na margem de erro. Eu... nem sei bem pq estou escrevendo isso, não quero chamar atenção, só quero entender qual meu problema - e não, não quero um psiquiatra, sessões com família ou sabe-se lá mais o que, eu só quero aprender a cuidar de mim, independente de ter ou não tdah ou quaisquer sintomas que sejam... Desculpe por isso. ~A.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus sintomas são todos de TDA, batem bastante com os meus. Me trato há 2,5 anos com ritalina, resultado razoável/satisfatório depois que introduzi outro remédio pra ansiedade (comorbidade). Neste momento estou introduzindo LDN, MMS + B-15 e minerais. Ainda não deu pra avaliar, mas no youtube o Lair Ribeiro enumera N vitaminas e minerais que devem ajudar qualquer mortal a melhorar performance. Eu sugiro no mínimo checar sugestões de minerais e vitaminas e cuidar da sua alimentação. Estando bem os sintomas vão existir, mas o resultado pode ser melhor. Depois de algumas semanas vc resolve se quer ver um psiquiatra. Eu acho que vale a pena, mas não acredite em milagres, mas também não aceite seu destino sem luta. Se tiver dúvidas ou só desabafar, nós colegas de condição estamos aí, rss.
      Marcelo

      Excluir
  20. Bom dia ! Queria contar um pouco da minha história, dizer que amo seu site e ter um pouco da sua experiência . Rs Tenho 27 anos, porém fui diagnosticada tem menos de um ano, pois sempre me classificaram como mimada, bipolar, bagunceira e etc. Na escola sempre consegui me virar, pois sou muito criativa e funciono na impulsividade, quando resolvo estudar, sempre fiz bem feito, sempre com meu jeito criativo na faculdade conseguia ótimas notas. Em casa com meia pais a maior reclamação era minha dependência a eles, pois me desespero com as coisas e eles sempre me ajudaram, não sei caminho de nada, me perco em tudo, acho que minha vida se resume em me facilitarem e me virar quando tinha que fazer sozinha. Minha mãe sempre reclamou de eu deixar tudo jogado, de não conseguir obedecer uma ordem no mesmo instante e de enrolar sempre pra fazer tudo. Isso sempre foi muito chato, sei que incomoda as pessoas, mas o que elas não entendem é que não faço de propósito . Nunca sei onde está nada, perco tudo. Já perdi coisas bem valiosas e por estar sempre acostumada em perder as coisas, já nem ligo mais .

    ResponderExcluir
  21. Continuando ... Sempre fui a mais maluca da escola, quebrando regras. Minhas amigas de atualmente falam que vivo no país das maravilhas, acredito em tudo que me falam, sou um pouco ingênua na verdade e pra mim qualquer problema muito grave me machuca muito, mas passa com uma facilidade muito grande, preciso de um choque de realidade as vezes .

    ResponderExcluir
  22. Bom, não dá pra falar tudo. Mas queria dizer algo que mais me incomoda, e não sei se é assim com vc e todos que tem tdah. O meu maior problema é relacionamento homem e mulher. Eu não sou de sair ficando com qualquer pessoa, geralmente é alguém específico, como uma "presa", alguém que todos sejam afim, alguém que seja difícil de ser conquistado, alguém que tem algo que me gere um interesse muito grande e ai eu fico e me apaixono totalmente, abro mão de tudo para viver momentos com a pessoa, acredito que acabo sendo a mulher perfeita, por um curto período de tempo. Quando a relação já está na fase de rotina, um namoro, a pessoa já está totalmente envolvida a mim e eu já posso fazer o que quero com ela, perde a graça, perco o interesse, principalmente com o sexo, todas as cobranças normais se tornam um castigo pra mim e eu termino, sendo fria para que a pessoa supere e eu não de nenhuma esperança. Não vou negar que me machuca ver outra pessoa sofrer, mas a sensação de me libertar dela é insubstituível. Ruim para eles, pior para mim... Já perdi pessoas maravilhosas, já me arrependi muito, mas a sensação de viver aquele início de novo eu n consigo controlar. Parece que é normal, faz parte de mim, porém não acho isso legal. Gostaria muito de viver uma relação normal, amar alguém de verdade e passar dessa fase, às vezes acho que será impossível. Vc tem alguma dica ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alice, acho que vc tocou na ferida. Comigo foi parecido, mas na posição de homem, porém eu era de ficar com o máximo que eu conseguisse, rss. O final era como o seu. Bem, mas o ponto chave do seu depoimento é a questão de identificar um objetivo, vamos chamar assim. Talvez eu tivesse os meus, mas nunca os identifiquei. Hoje vejo que deveria ser para me auto afirmar. Mas voltando, se vc tinha um objetivo e o alcançava, isso é bom e pode ser a solução. A questão é deixar vc escolher os objetivos. E não o seu vc automático. Ah, e não estou te ensinando nada, pois também quero aprender, isso aqui é uma mera opinião de quem sofre do mesmo mal. Mas seguindo a linha de pensamento, vc era competente em alcançar seus objetivos, mas seu objetivo era fugaz e se desfazia quando chegava lá, tal qual o pote de ouro no final do arco íris. Precisamos identificar objetivos concretos e ter a certeza de que não estamos nos enganando, senão em algum momento a carruagem volta a ser abóbora e nós na estaca zero de novo, outra vez. Não quero dar muitos detalhes, mas hj estou nesta situação, mas não dá pra simplesmente abandonar. E agora José? Preciso de objetivos, e tem que ser os que tenho dentro de casa. Eu achei na internet um material (O segredo por trás do segredo), que nos orienta a trabalhar o nosso eu automático (Eu inferior) para assimilarmos aquilo que racionalmente "queremos". Mas é uma tarefa complicado, pois temos que identificar problemas, objetivos, sonhos e traduzir/transmitir para nosso "eu inferior". Muito complicado, mas pode ser o caminho.
      Alguém tem mais alguma sugestão?
      _____________

      Excluir
  23. esse blog é totalmente eu! Fui num psiquiatra, fiz alguns exames e etc, simplesmente desistir do tratamento sem pelo menos antes em saber se tenho ou não TDAH.
    passo minha vida esquecendo, não fixando nada que leio, pensando em varias coisas ao mesmo tempo, sonhando acordado e mim sentindo muito mal em saber que estou perdendo tempo, estou com 34 anos hoje. Não fiz faculdade e sempre sonhando com uma,sonho todos os dias como contorna todas essas dificuldades, eu até ponho em pratica algumas ações mas desisto, bate aquela falta de animo que tudo esta dando errado. poxa! é chato isso!
    tenho varias ideias boas, alguns amigos acham que sou inteligente, e outro que mim pegam sonhando acordado ( te dou um real pelo seu pensamentos ) essa e a frase que esculto. Como eu não tinha a minima ideia que ocorre comigo desde de criança, tive que aprender a se vira sozinho com as minhas dificuldades... hoje o prejuízo é enorme... sempre fugindo, sempre esquecendo, sempre ansioso e sempre sonhando.Acabei esquecendo dia 17/02/2016 vou ter uma consulta com neurologista
    Alexandre um forte abraço.

    ResponderExcluir
  24. esse blog é totalmente eu! Fui num psiquiatra, fiz alguns exames e etc, simplesmente desistir do tratamento sem pelo menos antes em saber se tenho ou não TDAH.
    passo minha vida esquecendo, não fixando nada que leio, pensando em varias coisas ao mesmo tempo, sonhando acordado e mim sentindo muito mal em saber que estou perdendo tempo, estou com 34 anos hoje. Não fiz faculdade e sempre sonhando com uma,sonho todos os dias como contorna todas essas dificuldades, eu até ponho em pratica algumas ações mas desisto, bate aquela falta de animo que tudo esta dando errado. poxa! é chato isso!
    tenho varias ideias boas, alguns amigos acham que sou inteligente, e outro que mim pegam sonhando acordado ( te dou um real pelo seu pensamentos ) essa e a frase que esculto. Como eu não tinha a minima ideia que ocorre comigo desde de criança, tive que aprender a se vira sozinho com as minhas dificuldades... hoje o prejuízo é enorme... sempre fugindo, sempre esquecendo, sempre ansioso e sempre sonhando.Acabei esquecendo dia 17/02/2016 vou ter uma consulta com neurologista
    Alexandre um forte abraço.

    ResponderExcluir
  25. Texto perfeito!!! Exatamente como me sinto, como é dificil ter isso... sinto que esta ficando impossivel viver... como sair dessa dor intensa? sinto uma profunda solidão, como conseguir superar e viver normal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que eu quero saber também! Procuro resposta e não acho..Como disse o colega o futuro não promete. ..

      Excluir
    2. O futuro parece ainda mais cruel e distante...

      Excluir
  26. Boa noite,

    Pessoal, gostaria de uma ajuda com respeito a valores do medicamento e a consulta com a psiquiatra. Depois de n coisas acontecerem, resolvi tentar mais uma vez e fui na psiquiatria dia 17/02/16. Após entrar e ouvir o clássico "O que te trouxe até aqui?" Comecei a falar por uns quinze minutos e ao final ela soltou a seguinte frase "Algo vc tem, pq normal vc não é". Ok, faz três anos que desconfiava ser, vários testes de Internet, ler algumas coisas, mas ouvir aquilo foi um choque. Continuamos a conversa e ela concluiu que posso realmente ser TDAH ou uma forma de ansiedade, mas, acreditava que a ansiedade fosse proveniente da doença e para o diagnóstico ela me receitou Ritalina. Ate comentei que não queria medicamento e ela disse que era a única forma de diagnóstico, que iria me sentir outra pessoa e deveria voltar em 30 dias. Confesso que sai do consultório meio decepcionado, fui com outra expectativa, achava que teria exames ou mais testes e não logo de cara um "toma isso e vamos ver no que vai dar". Não sei se pelo fato de ter 30 anos e apenas com crianças é mais meticuloso, mas gostaria de saber se é assim mesmo o procedimento para diagnóstico em adultos. Outra coisa é que quando me deu a receita, falou que teria desconto no medicamento, é aquela receita amarela comprida. Me cadastrei no programa de descontos da Novartis e aqui na minha cidade, Ribeirão Preto—SP, estão cobrando R$ 165,00 em média pela Ritalina LA 20mg. Quando comento sobre o desconto do laboratório, dizem que o da farmácia está melhor por ser maior que os 25% do lab na primeira compra. O preço dela gira em torno disso mesmo ou devo seguir outro caminho?
    Grato,
    Thiago Mateus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camarada, foi exatamente assim comigo. Falei de um monte de coisas que aconteciam da minha vida, de como era um procrastinador nato, com sono constante etc, respondia as perguntas que ela fazia e no final ela me falou sobre TDAH, dizendo que deveria ser do tipo sem hiperatividade. Na real, já tinha lido muito a respeito e feito alguns testes e sabia disso, mas não joguei a carta logo porque ela poderia desconfiar que seria mais um estudante a procura de "drogas da inteligência". Enfim, ela me receitou ritalina 10mg, já aumentei pra 20 e parece que vou ter de aumentar de novo, já que não sinto mais o efeito.

      Segunda que vem volto lá pra dizer como está indo o tratamento e espero que ela me dê opções de tratamento sem medicação.

      O que me deixou mais chateado foi ela não ter me indicado a me exercitar, porque sei como me mexer faz bem pra minha disposição e concentração, e seu como isso é geral.

      Por sinal, fui num neurologista e disse que já tinha ido na psiquiatra e começado o tratamento de TDAH e queria ter certeza disso. Só me mandou fazer um EEG e polissonografia. Não tacou um foda-se e pediu pra entregar esses exames pra psiquiatra e nada mais. Queria ter feito um exame próprio pra isso com ele...

      Paranoid Android

      Excluir
    2. Então, acabei de chegar da farmácia e paguei R$ 155,75 na Rita LA 20 mg. Vou começar a tomar amanhã, mas ainda estou um pouco inconformado por ter que tomar medicamento. Mesmo já tendo quase certeza de ser, não é a mesma coisa quando te dão o diagnóstico e vc está de fato nesse mundo, com o tempo me acostumo com isso.

      Uma coisa que me chamou a atenção durante a convesa, foi quando deixei claro que não queria nada para me deixar lerdo, pode parecer estranho, mas gosto do meu cérebro assim, funcionando rápido e prestando atenção em tudo, o problema é levar uma vida assim e os colaterais desse cérebro são bem piores. A primeira vez que fui em um psiquiatra, ele disse que não vivi o luto pela morte do meu pai e me receitou Rivotril e Fluoxetina. Não durei um mês com eles, ficava agoniado em me sentir lerdo e acabava me entupindo de café, muito além do que tomo normalmente, que ja é bastante. Mediante a isso essa psiquiatra de agora comentou que o medicamento iria me ajudar com o foco e atenção, não iria me dar letargia e fez uma analogia com a Maconha, comentou que quem a maconha diminui momentaneamente a sua capacidade de raciocínio e para um TDAH quando faz o uso dela, é terrível pq os dois são antagonistas.

      Nisso lembrei que das n drogas que já utilizei quando mais jovem, a maconha era a que menos gostava do efeito e nunca me senti bem durante ou após o uso, tanto que usei poucas vezes e a que foi a minha maior fraqueza por dois anos foi a cocaína, trágico, porém irônico.

      O que pretendo fazer junto com a medicação é voltar aos exercícios, sempre gostei de treinar ou na academia ou em parques. Eles não me ajudam com foco e concentração, mas toda vez que paro de treinar, acabo tendo problemas para dormir, acordo muito durante a noite.

      Vou me policiar para colocar em prática alguns métodos de organização, li muitas coisas nesse último ano, tanto para organização, quanto para distinguir o que é essencial e deixar as outras coisas passarem. Óbvio que não coloquei nada em prática, até comecei a colocar o método GTD do David Allen para funcionar, mas não durou um mês. Agora que voltar mais "focado" nele e me organizar com alarmes no celular, cadernos de anotação e lembretes.

      Outra coisa que já vinha buscando era resolver o meu cansaço eterno. Sabia que poderia ser pelo TDAH o meu cansaço mental depois das 16:00, mas não fazia idéia que é por conta dele que começa desde quado acordo. Mudei totalmente a minha alimentação, comecei a fazer a Paleo Low Carb e nada na melhora da energia durante o dia, que é o carro de entrada da dieta. Mas pesquisando superficialmente, reparei que a dieta indicada para TDAs é bem parecida com a Paleo e pretendo pesquisar um pouco mais sobre isso e acredito que posso ter resultados com a alimentação tbm.

      No mais é isso e obrigado por ter respondido, me encorajou um pouco.

      Grato,
      Thiago Mateus

      Excluir
  27. Oi gente!

    Nossa como me identifiquei com esse texto! Eu já desconfiava que tinha TDAH, mas hjh, li por um acaso um artigo no face sobre o transtorno e fiquei surpresa com os sintomas. Exatamente tdo que eu sempre senti! A procastinação, a sensação de uma montanha russa de emoçoões, a sensação de que a cada novo dia, sou uma pessoa diferente. A facilidade com que desisto dos meus projetos, e da perda de interesse em tantas coisas. Não sei se me sinto alegre ou triste em descobri essa doença. Feliz por finalmente conseguir encontrar explicação pra tdo que eu sentia e triste por saber que não tem cura, que vai sser sempre assim, que nunca serei normal :/

    E qto aos relacionamentos de vcs?! Vcs contaram aos seus parceiros que tem TDAH?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de mais nada, vá ao médico e obtenha o diagnóstico, depois pense se vai contar ou não pra alguém. Acesse o site www.abda.org.br e faça o teste que tem ali, dando resultado positivo, procure um médico; no próprio site da ABDA tem indicações.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  28. Uma grande vantagem para aqueles que enjoam rápido das pessoas ou relacionamentos rs
    TDAH estão sempre inovando
    Adorei o texto bj
    De igual pra igual 😘

    ResponderExcluir