quinta-feira, 20 de abril de 2017

O TDAH E A BALEIA AZUL

                                                 Em Minas Gerais um jovem cumpriu a última tarefa do 'jogo' : matou-se. 




O jogo da Baleia Azul virou o assunto do momento. Para quem não sabe é um jogo on line, onde um 'curador' lança desafios aos participantes - em sua grande maioria adolescentes - que começam com pequenas auto mutilações e seguem num mórbido e cruel crescendo até atingir a tarefa final: o suicídio do 'jogador'.
Claro que nas redes sociais já surgiram brincadeiras a esse respeito, como a Baleia Rosa e a Preguiça Azul. A primeira uma tosca versão positiva do jogo, a segunda uma brincadeira com a notória preguiça e desorganização dos adolescentes.
Hoje eu vi um trecho do excelente Estúdio I, da Globo News, onde um psiquiatra falava sobre o assunto. O que ele disse me chamou a atenção: o importante não é o jogo, mas o suicídio. Adolescentes mentalmente saudáveis não embarcam nesse tipo de jogo. As vítimas desses jogos são aqueles jovens portadores de depressão ou outras doenças mentais.
Na hora acendeu a luz vermelha: setenta porcento dos portadores de TDAH sofrem de comorbidades - doenças associadas à doença principal - e a comorbidade de maior incidência é a depressão.
Nossa personalidade TDAH já é, por si só, intensa, apaixonada e instável. Associada à depressão temos um quadro extremamente suscetível a um jogo perverso e mórbido como esse.
A recomendação do psiquiatra é o diálogo. Procure informar-se sobre o que seu filho sabe sobre o assunto e abasteça-o com toda a real magnitude de maldade e perversidade desse jogo. E mais, acompanhe-o, mantenha-se alerta; só em Curitiba estão sendo investigados sete casos. Minas, São Paulo e Rio de Janeiro também investigam a Baleia Azul. Na Bahia uma garota de quinze anos desapareceu deixando uma carta à família insinuando o envolvimento do jogo.
Não se esqueça do principal : Seu filho, ou sua filha. A depressão na adolescência é uma realidade cruel; quatro adolescentes se matam a cada dia no Brasil. Associada ao TDAH potencializa os sintomas.
Pare de fazer vista grossa ao TDAH; se você tem alguma suspeita leve seu filho ao médico, trate-o, ame-o. A negação pode ter um preço caríssimo em dor e culpa pelo resto da vida.
Aos que tratam esse jogo como brincadeira parem com isso; é de uma crueldade inimaginável. Incrível até onde chega a maldade do ser humano. E a irresponsabilidade daqueles que não levam a sério a dor alheia.

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Cuidado com o que diz, amigo, nenhum de nós está livre de momentos ruins. E nessas horas podemos nos agarrar a qualquer tábua de salvação que nos apresentam.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Esse jogo não é tão simples quanto lhe parece, Você não entra quando quer. Você é abordado pelos administradores baseados em sei lá qual critério.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Amadeu, se você precisa de leitores no seu blog não precisa de tentar tripudiar sobre o que outras pessoas escrevem com sucesso. Se você reformular seu comentário infeliz terei prazer em fazer propaganda do seu blog.
      Alexandre

      Excluir
  4. Boa noite, me chamo Thiago e já venho acompanhando o blogue a algum tempo (4/5 meses) e me identifico muito com os posts e comentários, não tenho ainda o diagnóstico de TDAH e nem tenho certeza se é o que realmente me assola, estou em um momento dá vida extremamente conturbado, e após acredito eu ter sofrido 2 ataques de pânico e passar alguns dias com a agoniante sensação de sentir como se tivesse uma britadeira/batedeira dentro do peito decidi ir ao psiquiatra no qual hoje foi minha terceira consulta e acreditava veemente (talvez pelo TDAH )que me receitaria ritalina ou algo do tipo ( no momento estou tomando venlift comecei com 37,5 dps 75 e agora 150 mg e também pediu p/ procurar um psicólogo ), tenho 24 anos mas tenho a impressão de ainda ter 14, não sei se posso me considerar hiperativo, pois sempre odiei me expor e tenho extrema dificuldade em me expressar( até minha mãe me acha muito fechado), mas minha mãe fala que quando mais novo adorava "arremessar" os objetos de casa e sempre me estressei com facilidade isso quando não roubava algo de algum lugar,meu irmão já me contou que foi eu nascer que seus brinquedos começaram a ser destruídos, tive dificuldade em aprender a escrever meu nome tive que fazer aulas de reforço algumas vezes e os professores sempre reclamavam da minha letra e mandavam eu treinar a caligrafia, revendo meu passado posso dizer em relação a grande maioria fui bastante fora do padrão, igual aos comentários de alguns que já li também tive problemas com o psicotécnico na CNH, mas não sei se por sorte ( hoje em dia me arrependo) após 2 reprovações na terceira vez que retornei a psicóloga que tinha me reprovado estava de licença/folga no dia é tinha decorado um padrão p/ ser aprovado no teste dá pirâmide de pfister, peço desculpas se o texto possa ter ficado sem nexo, porém se for detalhar tudo que me aflige isso vai se tornar um novo textamento é um saco em consequência disso.

    ResponderExcluir