quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O TDAH QUE SE ACOSTUMA


                        


A gente se acostuma, mas não deveria...
A gente se acostuma a esquecer...
E porque esquece, se acostuma a ser criticado...
E porque é criticado, começa a se fechar...
E por se fechar, começa a evitar as pessoas...
E por evitar as pessoas, prefere o isolamento...
A gente se acostuma a procrastinar, a adiar o que teme,
depois o que é complexo, depois o que é simples, depois...
A gente se acostuma a perder... Perdemos o emprego,
perdemos a pessoa amada, perdemos o rumo,
perdemos a auto estima, perdemo-nos de nós mesmos...
A gente se acostuma ao tratamento; ou a falta dele...
A gente se acostuma a cair e a levantar infinitas vezes...
E por levantar, acostumamos à crença de que cair é normal...
E por acreditar  que cair é normal, a gente se acostuma ao TDAH...
E ao acostumar com o TDAH, a gente se acostuma a falhar...
E porque falha, a gente se acostuma a ser criticado...
E porque é criticado, a gente se acostuma a ser menos;
mas não merecia...

Inspirado no poema ' A gente se acostuma' de Marina Colassanti.

7 comentários:

  1. Texto melancolicamente belo. Só quem tem o transtorno e já passou (e continua passando) por essas situações, sabe da infelicidade de ter esse transtorno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Pedro, o pior é existirem médicos que desqualificam a existência do TDAH.

      Excluir
  2. Eu não aguento mais passar por essas coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem momentos em que bate um desânimo terrível, mas jamais podemos desistir. Aliás, a insistência é uma característica do TDAH.

      Excluir
  3. Muito bonito. Li algumas coisas atuais do blog e quis voltar lá no começo. Eu, que te conheci criança, não imaginava que nada disso se passasse com você. Algumas das situações e sentimentos que citou são comuns em mim também. Será que tenho TDAH ou são sentimentos comuns a todo mundo e ganham maior incidência (não proporção) com o transtorno? Sei lá. Afinal, o que é TDAH e como é diagnosticado? É muito frequente?
    De mais a mais, parabéns pelo excelente texto! Em todos os posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudinha, obrigado pelos elogios. Só fui diagnosticado aos 50 anos; até então era um menino levado, muito levado. Depois descobri que fui hiperativo. Todos temos sintomas comuns ao TDAH, o que nos diferencia é a intensidade desses sintomas. Eles precisam ter um grau tal que prejudique a vida do portador. O diagnóstico é feito através de entrevista e alguns exames complementares. Acesse o site www.abda.org.br, ali tem um teste para detectar o TDAH.
      Um abração
      Alexandre

      Excluir
  4. Como pensar menos Versão I
    https://www.youtube.com/watch?v=OkFMwSgXtvM

    Como pensar menos Versão II
    https://www.youtube.com/watch?v=v8h1Nz3JRDI

    ResponderExcluir