quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

TDAH MENTIROSO!





                       



O TDAH mente?
Todos mentimos, TDAHs ou não.
Mas o TDAH mente um pouco mais. E não é por mau-caráter, dissimulação ou falsidade; nada disso. O TDAH mente mais por que está sempre enrolado em situações mal explicadas, confusas, inexplicáveis ou inaceitáveis. Ou simplesmente por não ser muito bom em encontrar os caminhos corretos.
Tenho um irmão de TDAH, que já formado, recém casado, ficou fascinado por um daqueles joguinhos de computador; naquele tempo em que computador era uma novidade. Esse TDAH perdeu a hora em seu escritório embevecido pelo joguinho até meia noite. Ao chegar em casa deparou-se com a esposa em fúria e, simplesmente, se envergonhou de ser tão infantil e titubeou ao inventar uma desculpa esfarrapada qualquer. Obviamente ela não acreditou e logo desconfiou de outra mulher. O tempo fechou, o casamento quase acabou, mas ele manteve a mentira de que estivera trabalhando até aquela hora. Por falta de provas (e excesso de amor) ela acabou engolindo a conversa do marido. Mas jamais soube a verdade.
Nada mais típico de um TDAH do que esta falta de critério, falta de noção. Provavelmente, a caminho de casa meu amigo TDAH foi imaginando a fúria da esposa, o escárnio por sua infantilidade; um advogado, casado, perder a hora em joguinhos infantis! Antes a suspeita de infidelidade que a descoberta da personalidade infantil e imatura.
Que maravilhoso critério!
A opção por uma acusação mais grave para esconder um erro que desnude as facetas frágeis ou ridículas da personalidade TDAH.
E isso acontece diariamente. Quem jamais inventou um enredo escabroso para esconder uma falha idiota de memória?
E isso desnuda uma faceta pouco explorada do TDAH: a imaturidade. Sim, o portador de TDAH é imaturo; ou demora muito mais para amadurecer. A vida perdida em meio aos sonhos, a secreta espera por soluções mágicas na vida, a dificuldade de aprender com os próprios erros, a impulsividade, todos comportamentos presentes na adolescência de todos, mas que persistem na vida adulta do TDAH. Mas se a imaturidade persiste, ela se mescla à experiência adquirida na vida e a uma certa consciência de que determinados comportamentos são incompatíveis com a vida adulta. E então o TDAH, imaturamente, opta pela mentira para esconder a imaturidade.
Mentir não é para amadores; muito menos para TDAHs. A mentira exige atenção, memória, vigilância, atenção aos detalhes... Tudo o que o TDAH não tem. E aí, aquela pequena e, aparentemente, inocente mentirinha vai tomando proporções bíblicas à medida em que o seu criador se desmente, cai em contradições, peca nos detalhes. E é obrigado a mentir mais, e mais, e mais...
Se o mentiroso é homem, isso piora ainda mais. A mulher é mais esperta, mais fria, tem mais auto controle, erra menos. O homem mete os pés pelas mãos, se trai e se entrega.
Não quero aqui defender ou justificar a mentira, nada disso, apenas analiso o que estudei, conheço e vivi.
Auto conhecimento, o mantra que repito em quase todos os posts. Conheça-se! Você começará a antever seus comportamentos imaturos e pode preveni-los. Se seu parceiro(a) sabe do seu TDAH, você pode abrir sua alma e mencionar a existência desse lado infantil, isso o(a) prevenirá de futuras idiotices.
Isso impedirá novas infantilidades e novas mentiras? Não!
Mas diminuirá muito. E ao se conhecer, você tem a chance de encontrar a pessoa mais importante da sua vida; e a única que pode salvá-lo: você mesmo! Não perca essa oportunidade de ouro!


3 comentários:

  1. Enrolar-nos em situações mal explicadas, confusas, inexplicáveis ou inaceitáveis?
    Sim, parece haver coisas que só acontecem comigo. Situações que só parecem acontecer em esquetes de comédia e que subitamente se tornam reais e acontecem comigo.
    Perder a hora em joguinho de computador até meia noite?
    Sim, eu me identifico. Ficar fazendo alguma coisa boba ou adiável no trabalho e perder a hora de ir para casa já me aconteceu também. Não até meia noite, mas até as nove horas da noite, sim.
    Imaturidades, fragilidades, falhas ridículas de memória?
    Por mais incompatíveis que sejam com uma pessoa adulta, eles são prejuízos que eu tenho por ser portadora de TDAH, e não uma recusa em crescer. Não são exatamente culpa minha, nem de ninguém. Melhor assumir o ridículo, lidar com ele com o melhor humor possível, transformá-los em anedota, do que mentir por uma coisa que, no final das contas, é uma bobagem.
    Como você disse, Alexandre, isso não evitará novas falhas, apenas diminui a frequência delas. Elas fazem parte de nós, vêm junto do TDAH.
    E quem não aceita conviver com o seu ridículo, com a sua semelhança involuntária com um personagem de comédia, não é um bom companheiro de jornada. Mesmo que seja, sei lá, sua mãe (não estou falando da minha, ela até que é compreensiva). Se não puder excluí-los da sua vida, evite contato. A vida com TDAH é dura por si só, não convém escolher amigos e amores que só te criticam, que põem a culpa disso tudo em você, que acham que suas falhas de memória são propositais, por egoísmo ou mau-caráter.
    E discordo da sua opinião de que mulheres com TDAH têm mais auto controle e erram menos, portanto se enrolam menos. Fazemos bobagens impulsivas, sentimos vergonha pelo que não é motivo de vergonha, erramos a direção no volante e entramos na rua errada, perdemos a hora, as anotações, a mochila do filho, esquecemos da reunião na escola, igualzinho a vocês. O TDAH nem sabe que eu sou mulher e está se lixando pras expectativas que as pessoas têm dos adultos e das mulheres. :)

    ResponderExcluir
  2. "A vida perdida em meio aos sonhos, a secreta espera por soluções mágicas na vida, a dificuldade de aprender com os próprios erros, a impulsividade, todos comportamentos presentes na adolescência de todos, mas que persistem na vida adulta do TDAH. Mas se a imaturidade persiste, ela se mescla à experiência adquirida na vida e a uma certa consciência de que determinados comportamentos são incompatíveis com a vida adulta." Adorei essa passagem do texto e me reconheci nela. Confesso que gostaria de ser diferente. É uma droga ser imaturo e impulsivo. Parabéns pelo texto, que está excelente, e, mais uma vez, desculpa pelo bate boca na rede social.

    ResponderExcluir
  3. Nossa se a Dra Ana Beatriz (psiquiatra e especialista no assunto) ler uma bobagem dessa....vai rasgar seu CRM.kkkkk. pelos menos controverso...falta de atenção não combina com mentira....só se for para passar vergonha....se lerem mentes inquietas...vão ver que é tudo besteira.

    ResponderExcluir