quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

TDAH, COMO DESTRUIR UM GRANDE AMOR









A mecânica se repete... De repente, aquela pessoa que se amava até ontem, hoje não serve mais. E começa um processo de destruição de sua imagem. Aquela pequena cicatriz que no começo era um charme vira uma aberração estética; incomoda, causa repulsa. As roupas são feias, os amigos estranhos... E a família? Essa não salva ninguém; formação de quadrilha.  
Uma simples escolha de marca de sabão em pó vira um desprestígio e uma falta de consideração imperdoável.  
Se o outro cônjuge tem filhos de outro relacionamento então é um prato cheio; as lindas criancinhas que tanto se tentou conquistar viram seres maldosos, maquiavélicos, frios e calculistas.  
Toda aquela dedicação, aquele tratamento principesco, aquela disponibilidade cativante dos primeiros tempos, de repente viram fardos impossíveis de carregar. Sem contar que tamanha dedicação passa a parecer subserviência, falta de amor próprio, auto anulação daquele ser outrora perfeito.  
Mas por mais defeitos que se procure, encontre e invente, em geral não são fortes o suficiente para o rompimento definitivo. Falta a centelha que detone o processo: um novo ser perfeito. Aquele ser cuja paixão avassaladora encherá o TDAH de coragem para desferir o golpe de misericórdia no amor decaído que ainda está ao seu lado.  
Armado pelo novo amor verdadeiro -  esse sim; será o último e definitivo - o TDAH romperá o relacionamento com uma frieza e uma tranquilidade inimagináveis. Deixará para trás uma pessoa ferida pela dureza e crueldade das palavras usadas e perplexa por já não reconhecer naquela que parte, a pessoa tão amada.  
Enquanto isso o TDAH segue tranquilamente em direção ao novo e perfeito amor com a consciência tranquila de quem extirpou um tumor sem atinar para o fato de estar repetindo esse teatro pela enésima vez.  

20 comentários:

  1. Estou passando por isso exatamente agora... ler esse texto me deixou de certa forma angustiado pq não é algo q depende da minha vontade! Mas enxergar de cima pode ajudar a controlar pelo menos as ações impulssivas e evitar nesse momento me envolver com outras pessoas! Agradeço imensamente o seu texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm passei por isso, hj ainda me vem essa vintade de pular fora, mas paro e penso se sou eu ou o TDAH, e espero a impulsividade ir embora.

      Excluir
  2. Essa doença é terrível, não tenho certeza se tenho , mas pelas avaliações de teste nos site,sim, é algo muito cruel só quem tem consegue entender o problema, as pessoas pensam que o TDAH é só um preguiçoso com suas desculpas esfarrapadas, oque não sabem é que o esforço pra se concentrar pra fazer algo e vencer a sonolência e perca de memória pra ter eficiência é algo sobre-humano pro TDAH, é como um maratonista que só tem metade de cada perna vencendo uma corrida onde seus concorrentes estão todos inteiros.

    ResponderExcluir
  3. Foi por causa disso que perdi a pessoa mais importante pra mim (digo no amor), por causa dessa cabeça insatisfeita, por causa dessa cabeça que distorce as coisas, hj me arrependo muito, eu deveria ter esperado mais, mesmo nos momentos difíceis deveria ter ficado porque as vZs a gente só se dá conta da merda que fez depois, quando é tarde e não há mais volta. Então vai uma dica pra quem é TDAH como eu: Nunca deixe aquela pessoa que te ama de verdade, por mais que seja difícil lute por ela que ela lutará por você, se perdeu alguém que ama tente recupera-la antes que seja tarde. Hj sei que quantidade nao e qualidade.

    Lívia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah quem será fosse fácil assim. Tivesse uma porção mágica para ingerirmos e tan tan.. O tdah fdp

      Excluir
  4. Realmente, sempre nos cansamos do nosso objeto de desejo ou basta surgir algo maior/melhor para que o abandonemos.

    O mais curioso é a intensidade dos sentimentos. Quando no começo, é uma paixão que chega a faltar o ar, dar dor de barriga, a virar as costas pra tudo é pra todos e quando menos se espera é uma aversão de não querer mais olhar, se incomodar com a presença, e os carinhos que me são dedicados pela vitima, potencializam essa aversão.

    Com o rompimento, passado pouco tempo, sinto falta, sinto desejo pela pessoa, não consigo lembrar, sequer de um momento negativo vivido, e basta qualquer indicação dela de que não me quer mais, para que eu volte a sentir "aquele" desejo por ela, porém agora, cego pela angústia da perda.

    Muitas vezes chego a acreditar que sou sem coração, pois me obrigo a viver com alguem, sem sentir "aquele gostar" E me recompenso com a utilidade que aquela pessoa tem pra mim pra justificar essa convivência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc me descreveu, mas hj sou casado e ainda hj essa sensação é bem latente, ela vai e volta, mas não e apenas a vontade de coisas/pessoas novas mas também o nosso emocional baguncado, depois de um tempo entendi que não é culpa nossa, resta controlarmos isso pra que isso não nos controle. Estou casado há 5 anos e mesmo como disse antes tendo vontade as vZs de largar tudo (não por culpa dela, ou da vida, pois hj sei que tenho esse transtorno que faz isso) eu continuo firme e quando o desejo, o querer ficar vai indo embora eu dou um tempo pra mim msm e penso que não vale a pena fazer isso com ela e nem comigo msm, pois não quero que chegue uma hora e me veja só por causa dessa bagunça na minha mente. Hj tenho a melhor esposa do mundo, tem dias que a amo e tem dias que sinto apenas utilidade como vc disse, mas eu procuro sempre nutrir o melhor com ela e tbm me "obrigo" a tê-la do meu lado, pois todas mulheres que tive nenhuma jamais procurou me entender e apoiar. E fácil? Não é, mas é melhor do que chegar a velhice sozinho e sem alguém pra ao menos conversar. Sigo um dia de cada vez,dias de dor e dias de alegria, mas vou indo. Tente achar a pessoa certa pra vc, aquela que vc sempre poderá contar em todas as horas e a leve pra vida, tenho feito isso

      Excluir
    2. O lado de quem é casado(a)com um TDAH é muito pior.Ainda bem que existe tratamento...pena que não está ao alcance de todos.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Nossa...hoje comecei uma pequena análise do que está certo ou erros em minha conduta....com esse texto consigo enxergar o quanto estou errando com meu marido....

    ResponderExcluir
  7. O que acontece comigo é o oposto ( em qualquer tipo de relacionamento ).
    Não sou eu quem rejeito as pessoas, e sim o contrário.
    Quando as pessoas me conhecem, querem uma pessoa em quem elas possam confiar, admirar e contar sempre.
    Mas com a convivência, acabo me expondo demais com tanta trapalhada, e o carinho que as pessoas têm por mim vira nojo. E tudo é motivo pra críticas, ironias, humilhações, até que chega uma hora que não dá mais.
    E eu que fico rastejando atrás, mais por ego ferido do que por qualquer coisa, o que faz a pessoa ter mais nojo ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normalmente essas "implicâncias" citadas no texto - um sabão em pó barato vira demonstração de descaso etc - normalmente não vêm de mim, vêm do outro. O motivo? Como eu disse acima, a desatenção me deixa super exposta, e aos poucos, a pessoa perde o respeito por mim. Eu era a "querida" e com a convivência, viro o "estrupício". No fim, a pessoa só se dirige a mim por gritos, e qualquer comentário que falo, sou interrompida por um "você é burra, só fala besteira".
      Todos meus relacionamentos acabam assim, a credibilidade acabando aos poucos.
      Eu não perco o interesse pelas pessoas, mas eu machuco muito a elas, devido a não prestar atenção a minha volta, o que pras pessoas, é puro descaso.

      Excluir
    2. Estou falando de todo tipo de relacionamento, colegas, família, etc.
      Eu até gostaria de ter esse dom de distorcer e acusar, rs ... rs. Normalmente são outros que falam e eu fico parada sem saber como retrucar.

      Excluir
  8. O amor é troca, é ida com volta, é dar e receber, ou seja, não permanecerá onde não encontre contrapartida sincera, retorno de olhares, de toques, de "Sonhos".
    Por isso é que muitas pessoas se separam, mesmo que ainda se amem.
    Não deixaram de se AMAR, parece até coisa de outras vidas, "como se acreditasse que realmente exista".. mas pararam de prestar atenção nos olhos de quem torcia ali bem juntinho, cessaram o apertar das mãos que se tateavam em vão por entre a escuridão dos lençóis frios, deixaram de construir aqueles sonhos bobos, mas essenciais à continuidade dos passos harmoniosos, dos desejos em comunhão. E assim se perderam de si mesmos e do outro.
    Então o amor tdah se joga em algo novo que tem a possibilidade de concretizar seu sonho. Sonho esse que nunca foi oculto do parceiro que volta e meia a ferida abria, sangrava e o parceiro frio não via, fingia que não via.. Sabe se lá...
    Triste não podermos caminhar de mãos dadas com quem amamos, mas ainda mais desolador é ver o amor de nossas vidas se afastando por conta de tudo o que deixamos de ser e de fazer – mas poderíamos, mas deveríamos… mesmo abrindo mão desse sonho?!
    Não existe nada perfeito, e nada é mais perfeito que vida na rede social. Não podemos ter tudo não é isso.!?válido pra tdah e não tdahs. Vc tem o sonho mas não tem o amor. E seguimos... O que a vida requer de nós è coragem

    Uma coisa eu sei dessa vida. Eu tive e vivi um grande amor, não estou de mãos dadas com ele, mas ele está comigo todos os dias. Não sei se por impulso tdah, procrastinacao tdah , não estarmos juntos mas ele vive em mim.

    ResponderExcluir
  9. O ruim e que todas as vezes achamos que "agora vai dar certo" e quando menos se espera o TDAH surgi destruindo tudo.

    Nunca consegui me manter muito tempo em um relacionamento, vai se desgastando e aquela vontade de se aventurar em algo novo vai me dominando e derrepente acabo com tudo, nem sei quantas vezes fiz isso mas no final a dor maior acaba sendo em mim.

    ResponderExcluir
  10. Nunca troquei ninguém assim por causa do TDA. Mas sinto os sentimentos com essa força toda tbm. Q pareço morrer. O TDAH qndo gosta de algo foca sem fim. E percebi q e assim no amor tbm. Com o pai da minha filha se ele respirasse me dava raiva. Mas ainda o amava mesmo assim é n o troquei por ninguém. Só o mandei embora... N sei se essa raiva por ele e isso q vcs estão citando ou era pq nossas diferenças eram grandes mesmo...
    Mas temos isso... Esse exagero nas emoções q n sabemos traduzir... E tem essa do foco no q gostamos... Fiquei espantada qnd percebi q podemos focar assim em pessoas tbm é n apenas em coisas... No meu caso to sofrendo bastante... A pessoa mora muuuuuito longe. E coisa a gente foca é uma hora consegue já pessoa não. Então é sofrencia total. Vida destruída. N faço naaada. Vivo obcecada. Na verdade foi isso q me fez descobrir o TDA. N achei normal desejar e sofrer assim sem controle e de parar a vida daí fui ao médico...
    Enfim, pelo visto que num destruímos alguém destruímos a nós mesmos...
    A! Tbm tenho dificuldade de manter relacionamentos. Logo confundem minha intensidade com carência é ciúmes. Resultado, relacionamento n vai pra frente... Como disseram aí em cima. Transtorno fdp! Tem q amar muito a gente pra aguentar ficar junto e PRINCIPALMENTE entender sem preconceito. Mas dificil essa tarefa, como vamos pedir q entendam a gente qnd nem mesmo a gente se entende...
    Deus, muito Deus!!!
    Aí mesmos tenho a certeza de ser uma pessoa boa. O sofrimento me fez empático com o outro e suas dores...
    Bjs no coração! Paz e luz!!

    ResponderExcluir
  11. Gente, tava pensando aqui... E se um casal com TDAH se unissem?! Só a gente pra tentar se entender mesmo... Das duas uma, o dá muito certo ou muito errado!!! Alguém já tentou?!?!?!

    ResponderExcluir
  12. Um comentário bom, pra pensarmos... O Bill Gares, o Will Smith, o Phelps tem TDAH, entre outros... O Phelps n toma Ritalina. E tenho certeza de q se ele tomasse ele n conseguiria as 20medalhas olímpicas dele. Temos muita dificuldade de concentração mas qnd achamos algo q amamos somos perfeitos pq aí nos desligamos completamente do resto pra focar no q amamos...
    Talvez devemos nos unir e nos amar como somos. Novos serem. Feitos por Deus pra achar o q realmente amamos e sermos brilhantes na humanidade!!!
    Bjs de paz e luz!!!

    ResponderExcluir
  13. Uma das piores áreas da vida de um TDAH e a área amorosa e sentimental, muito dolorosa e confusa essa vida. Tenho vontade de largar tudo.

    ResponderExcluir
  14. Tenho TDAH e sou casada há 15 anos, não sei quantas vezes já terminei com meu marido nesse tempo, não sei quantas vezes achei que era hora de deixá-lo e ir atrás de coisas novas.

    Percebi que isso é uma eterna insatisfação, que sou difícil de ser agradada e que o que resta é cuidar para que eu não desgrace meu casamento.

    Como disseram mais acima a única coisa a se fazer e vigiar, se conhecer e e t firmeza pra continuar até nos momentos difíceis

    Eu não sei explicar meus sentimentos, talvez seja amor,talvez seja paixão, gostar ou qualquer outra coisa, mas sei que no fundo quero ficar com meu marido e tenho medo de perde-lo.

    ResponderExcluir