quarta-feira, 14 de março de 2012

TDAH- UMA ESPONJA EMOCIONAL

                   



Daria um bom filme; claro que um filme de Godard, Bergman ou Woody Allen. Aqueles filmes meio 'noir', em tons de cinza com a atmosfera até meio depressiva.
Acompanhe o roteiro:
a personagem principal é uma pessoa que, por onde passa, tem o poder de absorver o clima dos ambientes que frequenta.
Altíssimo poder de absorção emocional.
Essa capacidade é mais aguçada na tristeza do que na alegria.
Nosso herói - ou heroína - se multiplica, se desdobra, renasce a cada mudança favorável de ambiente ou de companhia.
Imagine uma flor que murcha e viceja várias vezes por dia.
Eu sou assim e custei milênios para descobrir. Em geral o mau humor alheio afeta-me mais do que o bom humor.
Há muito pouco tempo descobri isso, quantas vezes me sinto melancólico, triste, sem lugar e um simples mudar de ambiente muda meu humor. Isso aconteceu há menos de duas semanas. A Jaque tava meio deprê, meio chateada, e eu entrei no clima. Após o almoço ela decidiu ir para casa e meu humor mudou completamente. O problema é que somente após a melhora do humor é que reconheci essa característica da minha personalidade. Precisei curtir toda a tristeza antes de abrir os olhos.
Um efeito sanfona emocional, apenas mais uma característica que contribui para que nosso dia a dia ser mais pesado e complexo.
Mais uma vez o auto conhecimento e o conhecimento do TDAH são fundamentais, manter-se vigilante evita que caiamos na armadilha do transtorno.
Esse post originou-se, mais uma vez, de um comentário anônimo.
Peço que comentem, comentem anonimamente, os comentários são um manancial de inspiração para novos posts.