domingo, 21 de outubro de 2012

UM TDAH QUE NÃO DISCUTE COM NINGUÉM








Por que não enxergamos o óbvio?
Por que é tão simples e ao mesmo tempo tão difícil?
Ontem foi a reunião do grupo Mente Confiante, como sempre foi riquíssima, mas a de ontem foi especialmente especial. rsrs
Um garoto de 13 anos deu seu depoimento como portador de TDAH e deu um exemplo de maturidade, persistência e inteligência.
O depoimento iniciou-se com sua história de vida; ainda bebê enfrentou, e venceu, a morte, tendo inclusive ficado vários dias na UTI. Segundo ele, já passou por várias escolas sendo expulso de pelos menos duas. Impulsivo, irritadiço, atirado, esse garoto vivia às turras com colegas, professores e familiares. Mesmo quando estava com a razão, suas reações muitas vezes excessivas transformavam-no de vítima em algoz. Em inúmeras oportunidades ele foi suspenso nas escolas em que estudou.
Depois de tantos dissabores, de infinitas discussões familiares, esse sábio menino tomou uma decisão: NÃO VOU MAIS DISCUTIR COM NINGUÉM! E está cumprindo!
Imagine a maturidade desse garoto de 13 anos de enxergar que ao confrontar as pessoas ele atira gasolina na fogueira, perde a razão e apenas piora o ambiente em que vive.
E aí eu me perguntei: eu já tomei essa decisão?
Não me lembro de ter tomado uma decisão de não discutir, de não bater boca, já pensei nisso inúmeras vezes, mas não como uma decisão. E você, já decidiu parar de discutir? De colocar lenha na fogueira?
Em minha cidade existe um supermercado que no período de natal usou uma camiseta que estava escrito:
é superior quem toma a iniciativa da paz! Gostei dessa frase, em geral somos belicosos e acreditamos que não podemos PERDER aquela discussão. O que é ganhar uma discussão? Massacrar o 'oponente'? Impingir-lhe seu ponto de vista? Ou simplesmente calar-se e deixar que a discussão morra no nascedouro?
Sejamos honestos, não existe um vencedor em nenhum tipo de discussão. Existem dois ou mais perdedores, nunca um ganhador. Saem ambos machucados, ofendidos e raivosos. Ao calar-se, o que pode parecer uma derrota transforma-se numa enorme vitória. Ao abdicar do bate boca colaboramos para que a temperatura baixe, que o ambiente melhore, e cá entre nós, a verdadeira vitória é deixar o oponente no vácuo, com cara de babaca.
Claro, não vamos imaginar que nunca mais vai existir uma discussão em nossas vidas, ou que aceitaremos tudo de cabeça baixa e calados, não é isso; a sapiência dessa decisão esta em enxergar a inutilidade das discussões, dos confrontos, das brigas.  E ao decidir damos um enorme passo em direção a uma vida melhor. E é isso que buscamos.
Pense nisso também, vamos fazer uma campanha pelo fim dos bate bocas em nossas vidas.
Parabéns e obrigado, Artur, por compartilhar sua sábia decisão.