sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

TDAH, PERDOE-SE!



  
Claro, sempre haverá um ex marido ou uma ex namorada que o acusará de ser mau caráter, de usar o TDAH para tripudiar sobre os sentimentos alheios...
E aí eu lhe pergunto: quem , com ou sem TDAH, nunca errou, nunca pisou na bola com um(a) ex?
Quem o acusa de usar o TDAH é santo(a)?
Ora, sejamos sinceros: todo mundo erra; todo mundo, em algum momento,  magoou alguém, foi insensível, impulsivo, grosseiro. Não vá se apequenar por essas acusações torpes, quem o acusa, usa o TDAH para espezinhá-lo, tentando fazer crer que você é uma pessoa sem caráter e não doente. O simples fato de tentar descaracterizar uma doença biológica, reconhecida mundialmente pela OMS, é uma prova de que o(a) acusador é uma pessoa sem caráter e tenta piorar ainda mais o sentimento de inferioridade típico do transtorno.
Portanto, irmão TDAH, perdoe-se!
Você é mais impulsivo do que os não TDAHs.
Você é mais desatento do que os não TDAHs.
Você, ao contrário dos seus detratores, tem enorme dificuldade em aprender com os próprios erros; e os repete ao longo da vida.
Quantas vezes você jurou não ceder à esse ou àquele impulso; a não cair naquela tentação, só para deixar-se enredar mais adiante por tudo aquilo que tentava vencer?
Quanta culpa te corroeu por atitudes que você não conseguiu controlar?
Quanto de sua vida você viu desmoronar por erros que você mesmo cometeu?
Quanta dor você sentiu por ter dito aquela palavra na hora errada, com a pessoa errada, com a intensidade errada?
Não se deixe levar por seus detratores; o TDAH existe e é reconhecido no mundo inteiro; muito do que você sofre é fruto, sim, do TDAH. Só você sabe a luta diária que enfrenta para engolir aquela palavra destruidora; aquele ato que colocará tudo a perder; aquela distração que pode lhe custar o emprego ou o relacionamento; aquela desorganização que te faz parecer um irresponsável desleixado; aquele comportamento temerário que chega a colocar em risco a própria vida. Quem te acusa e tenta descaracterizar a sua doença nem imagina o seu esforço pra ser uma pessoa melhor e mais equilibrada; do alto de sua 'perfeição' essa pessoa usa o seu ponto fraco, aquilo que mais o perturba para torturá-lo e fazê-lo ainda mais culpado.
Perdoe-se! Você errou e vai errar ainda outras vezes. O importante é que você se trate, que você tenha consciência da sua doença para poder policiar seu comportamento e tentar minimizar os erros.
Perdoe-se, você tem uma doença que te faz perder o controle; quem o acusa não, quem o acusa não tem caráter, não o respeita e não te deseja o bem, apenas afundá-lo ainda mais.