segunda-feira, 9 de junho de 2014

O TDAH SEM NOÇÃO




Sempre imaginamos que a Ritalina ( ou qualquer outro medicamento) vai mudar nossas vidas, vai transformar-nos em dínamos de eficiência e perfeição. Mas existem várias facetas do TDAH em que os remédios não atuam.
Você tem noção de tempo? Eu não. Principalmente médio e longo prazo.
Sempre sou surpreendido pelas datas e eventos. De nada vale me convidar, ou agendar algo comigo com antecedência. Aliás, quanto mais antecedência pior.Trinta dias me parecem uma eternidade, algo tão longínquo... De repente, chegou! Fico louco.
- Meu Deus! Como já é o dia do evento?
Muita gente acha que é conversa fiada, afinal trinta dias são trinta dias aqui ou no Irã. Um mês. Mas a minha noção de tempo é diferente, acho distante, me mantenho relaxado e tranquilo. E os dias vão se esvaindo sem que eu perceba.
Depois de amanhã é o dia D, a data fatídica e inadiável. E eu nada fiz em relação a isso.
Avise-me em cima da hora e eu me manterei em alerta. Simples assim.
Mas não é apenas o tempo, o dinheiro é igual.
Ele tem o dom de acabar sem que eu perceba, de forma inesperada, sem um aviso sequer.
E ele acaba! Eu não sabia disso! Sempre achei que existia uma fada que repunha o dinheiro na minha conta. Mas não! Na verdade existem seres malignos que surrupiam lentamente pequenas somas de meu dinheiro, fazendo com que eu perca a conta.
E aí eu tiro um extrato. Claro que só tiro o extrato quando o saldo está nas últimas.
E num passe de mágica, todas as despesas ali relacionadas foram feitas por mim!
Isso é um absurdo!
Deveria existir muito mais dinheiro nessa conta!
Mas não há!
Os bancos são mestres em hipnotizar a gente para que acreditemos que fomos nós mesmos que usamos aquele dinheiro.
Dia desses quase tive um infarto; surgiu diante de mim uma despesa que eu não havia feito. E uma despesa alta, significativa. Claro, pensei na hora, clonaram meu cartão. Até senti um certo alívio. O banco vai repor o meu dinheiro.
Conferi de novo; função débito com a data da véspera. Eu tinha encontrado a razão dos meus sobressaltos, alguém vinha clonando meu cartão.
Qual o quê! Um raio caiu sobre mim iluminando minha mente: EU HAVIA PAGO UMA CONTA NA VÉSPERA, EXATAMENTE NAQUELE VALOR!
Fiquei mortalmente ferido. Eu não podia responsabilizar a ninguém.
Saí do banco esbravejando  e amaldiçoando meu salário, minhas despesas e a mim mesmo. E claro, ao TDAH, que nessa hora é ótimo ter algo para empurrar a responsabilidade.
De novo surpreendido pela absoluta falta de noção!
Até quando?