quinta-feira, 29 de outubro de 2015

EU AMO UM(A) TDAH




Ele é tão distante.
Ela é fria.
Ele não me escuta.
Do nada, ela explode.
O que posso fazer pra ajudar meu(minha) namorado(a) TDAH?
Esses são comentários e emails que recebo com frequência; essa semana foram três. e ainda estamos na quarta-feira.
Já falei sobre isso e, em geral, não alivio pro nosso lado.
Quando a pessoa chega a me escrever é por que o outro já tem o diagnóstico, mas na maioria das vezes não se trata; ou pior, não aceita a doença. E a pessoa que escreve quer desesperadamente ajuda-la. Muitas vezes sacrificando sua individualidade e seu amor próprio.
O que posso dizer?
Em primeiro lugar: Não se anule, não se sacrifique, não se escravize. Primeiro porque não vale a pena pra você, segundo porque TDAH detesta gente fraca e mendicante. Valorize-se.
Em segundo lugar, mas não menos importante: O doente precisa aceitar, entender e tratar do TDAH. Você não conseguirá ajudar a quem não quer ser ajudado. Se seu parceiro(a) foi diagnosticado e não quer tratar-se, desista. Você não faz milagres.
Não aceite chantagens: Ter TDAH não é salvo conduto para sairmos aprontando, agredindo e humilhando quem nos ama. Você, parceiro de um TDAH, não caia nessa. Seu parceiro(a) é um espertalhão.
Mas não vou ficar apenas malhando. Existem atitudes que você que convive com TDAH pode tomar para ajudar. Entenda que muitas vezes saímos do ar sem querer; noutras falamos o que não devemos; podemos ter variações súbitas de estado de espírito - saindo da mais profunda tristeza para a mais carnavalesca euforia sem motivo aparente. E a culpa não é sua. Estude sobre a doença, informe-se para não provocar brigas e discussões doloridas e inúteis. Quando seu TDAH amado disser que esqueceu; provavelmente esqueceu mesmo. Não adiamos decisões por canalhice; adiamos porque temos uma doença que nos paralisa em muitas situações. Se você conhece bem a doença saberá quando a doença age por ela (ou ele) e será muito mais difícil de ser enganada.
Fácil não é. Mas com quem será?
Gilberto Gil sabiamente canta:

Não adianta nem me abandonar
Porque mistério sempre há de pintar por aí
Pessoas até muito mais vão lhe amar
Até muito mais difíceis que eu prá você...

Mas, se seu TDAH não quer se tratar, ou se você não der conta de conviver com impulsividade, procrastinação, desorganização mental e material, criatividade exacerbada, esquecimento exacerbado, amor exacerbado, carinho exacerbado, vida exacerbada; tem um monte de gente organizada, pacata, modorrenta, previsível, de poucas palavras, poucas carícias, pouca intensidade, pouca novidade.
Sempre haverá quem te ofereça tédio e mesmice em doses cavalares.
Mas não será um de nós!

28 comentários:

  1. Obrigada pelo texto! :) as vezes esquecemos do que se trata, do que nos faz sentir diferente dos outros casais...não vejo como um peso ou fardo, se pensarmos bem, as vezes tbm carregamos alguns sintomas (desses q vc citou, os bons e ruins tbm). Estamos aqui por uma razão, não, não é a cura, é amar sem discriminar doença, esperamos que entendam isso apenas!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto amigo!!! Fico muito feliz ao lê-lo!

    ResponderExcluir
  3. Ai Alexandre seus textos são sem palavras. Como podemos na mesma intensidade que conquistamos alguém e fazemos ela ter adoração por nós fazer tudo ao contrário, agredir com palavras, ferir e dois minutos depois agirmos como se nada tivesse acontecido. Estava a muitos anos sozinha e resolvi encarar mais uma tentativa de relacionamento e já estou arrependida não por ele que é Muitooo calmo( que é um problema) mas para mim que não controlo a mente e menos ainda a boca. Moral da história uma linda e magnífica amizade está indo por água abaixo por tentar algo mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Nathalia! Muito bem descrito. Minha raiva passa com num passe de mágica. Sabe o que costumo falar quando começo um relacionamento: Olha, se eu perder a linha durante uma discussão, perca também. Pode xingar, falar o que quiser. Pra mim, o que é dito (ou gritado) durante uma discussão morre ali. kkkkkk
      Pelo menos eu avisei.
      Abraços

      Excluir
  4. Excelente texto, amigo!
    Eu e meu filho somos, tem hora que tenho até dó do meu marido. Mas com amor, paciência e muito carinho, ele consegue equilibrar nossa família de forma invejável... As vezes olho, e não sei se os papéis fossem invertidos se eu teria a mesma paciência.
    Obrigada por compartilhar este post!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um santo seu marido, hein! kkkkkk
      Eu também não sei se teria...
      Mas o que você falou: amor, carinho... Isso é fundamental.

      Excluir
  5. quem sofre muito é meu marido...
    mas acredite, com amor, nós superamos tudo!
    sempre é bom deixar claro (isso é para o portador) que somos sujeito a uma doença, e que lutamos todos os dias para melhorar.
    deixar o companheiro(a) ver que vc é realmente portador de uma doença e que se autoajuda todo dia, faz ele se achegar a vc , e lhe ajudar.
    fica a dica...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, sem o apoio deles é quase impossível que o relacionamento sobreviva. Mas nós, devemos fazer a nossa parte.

      Excluir
  6. Eu sou TDAH, ja sofri muito com as relaçoes amorosas, o quesito impulsividade me fez brigar muito com ex namoradas, por ciúmes, sou muito ciumento e qualquer desconfianca eu descarregava um turbilhao de ofensas, logo depois lagrimas de ambos os lados, e com a cabeca fria e raciocinando logicamente, eu pedia desculpas. Nao justifico isso por ser tdah. Li o texto, adorei e resolvi compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ser ciumento (a) é algo a melhorar
      mas acredite, o tdah faz com que nos prejudiquemos .
      assim mesmo.... com essa impulsividade
      eu sou assim, mas estou trabalhando isso
      com a ajuda de Deus.

      Excluir
    2. Interessante, o TDAH é muito propenso a ciúmes; eu não, não tenho o menor ciúme. De ninguém, nem de nada. Minha ex mulher falava que podia sair nua na principal rua da cidade e eu não ligaria. Não ligo mesmo. Agora, descarregar um turbilhão de ofensas; sou eu. E parece que quanto mais ofendo, mais minha raiva aumenta e mais quero ofender.
      Depois bate um arrependimento....

      Excluir
    3. Parece que essa questao de chingar, ofender, alivia. Numa briga com minha parceira eu chingo muito e isso me alivia. As vezes tenho certeza que sou meio psicopata hehehehehe.

      Excluir
    4. Parece que essa questao de chingar, ofender, alivia. Numa briga com minha parceira eu chingo muito e isso me alivia. As vezes tenho certeza que sou meio psicopata hehehehehe.

      Excluir
  7. Eu tenho varias duvidas sobre a medicação se alguem puder me ajudar. Uma duvida muito grande que tenho e sobre as dosagens. É normal se sentir melhor com apenas metade da dose indicada ? No caso uso 10mg mas os dias em que tomei apenas metade me sinti muito mais agil e capaz... Normal isso ? Ou apenas efeito psicologico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola. Como qualquer medicamento os efeitos da Ritalina são muito individuais. Eu, por exemplo, não me adaptei bem à Ritalina LA. Conheço gente que ama.

      Excluir
  8. Preciso URGENTE... Entrar no grupo do whatssap aqui meu n.(75) 8238-2909

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. grupo de TDAH's? tbm quero, existe? rs
      descobri recentemente e to meio perdida ainda.

      Excluir
  9. https://www.facebook.com/KungFuPandaBRA/videos/1671655066452000/

    Atenção à grande dica do mestre logo no início do vídeo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É do Kung Fu Panda, não tem nada a ver com aquele maluco dos vídeos duvidosos e rasos.

      Excluir
  10. Mãe com Tda-H hahahaha
    http://www.ahnegao.com.br/2015/11/um-exemplo-de-como-ser-uma-mae-exemplar.html

    ResponderExcluir
  11. Meu namorado precisa ler ess texto! Muito bom!

    ResponderExcluir
  12. Já usei ritalina por algum tempo, atualmente não uso, eu tenho uma caixa de venvanse para vender, se alguém se interessar me procure.. grato .. O texto relata perfeitamente o que somos rsrs

    ResponderExcluir
  13. deeeeemais o texto... sou eu nos meus relacionamentos hahahaha

    ResponderExcluir
  14. "Tem um monte de gente organizada, pacata, modorrenta, previsível, de poucas palavras, poucas carícias, pouca intensidade, pouca novidade.
    Sempre haverá quem te ofereça tédio e mesmice em doses cavalares.
    Mas não será um de nós!"
    Kkkkkkkkkkkkkk ganhei minha noite de sono ao ler essa parte, me vi até balançando uma bandeira em prol dos tdah's em uma grande passeata. Agradeço demais Alexandre.

    ResponderExcluir