domingo, 9 de outubro de 2011

COMO É RUIM DESCREVER BEM O TDAH




Há poucos dias recebi um comentário anônimo em que o leitor elogiava meu texto:


'Anônimo disse...




Perfeito cara.
Descreveu um Tdah em relação a amizades.
Foi um elogio?
Foi, mas...
Lógico que ele falava do meu texto, mas de uma certa forma, doeu. Doeu conhecer tão bem um comportamento ao ponto de descrevê-lo à perfeição. E um comportamento nada elogiável, diga-se de passagem.
Muitos dias se passaram, muitas ritalinas depois e esse comportamento se mantém o mesmo.
Não sei como mudar isso, ainda.
Incomoda-me saber que deixo de conviver com gente de quem realmente gosto, mas ainda não sei fazer de outra forma.
Não vou desanimar, continuo minha caminhada, mas as vezes um gosto amargo de derrota me sobe à boca.
Um dia aprenderei a ser um bom amigo e cuidarei bem daqueles que me restarem; se ainda restar algum.
Enquanto isso, bem. Enquanto isso vou aparecendo e sumindo ao sabor da ritalina, do TDAH e do meu instável humor.
Mas, por favor, não deixem de elogiar (kkkkkkk), isso me dá força pra continuar escrevendo.
Cuidado!
Não elogiem demais, isso é um perigo pra um TDAH;  mas sobre isso falarei num próximo post.