domingo, 9 de outubro de 2011

IMAGINAÇÃO DE TDAH ?



Imagine a seguinte situação:
Jovem adulto, bem casado, com boa situação financeira envolve-se com, digamos, uma colega de trabalho. Logo no primeiro encontro fica tão empolgado que perde a hora nos braços de sua amante.Mais alguns minutinhos sua esposa não vai nem perceber. O tempo passa além de sua percepção. Ao dar-se conta da hora, larga tudo e volta às pressas pra casa. No caminho, percebe que traz na pele o perfume da amante; a camisa branca tem nítidas marcas de maquiagem. Desesperado pela possibilidade de ser pego em flagrante delito, decide tomar uma medida extrema: provocar uma pequena batida em seu carro. Com sua mente embotada pelo medo e pela culpa, acelera seu belo - e financiado - carro em direção a um poste. O poste aproxima-se rapidamente, ele acelera ainda mais, mas no último minuto falta-lhe coragem e ele desvia. No seu desespero, o jovem rapaz não percebeu que atrás dele vinha uma moto, ao desviar-se bruscamente do poste atinge em cheio a moto que o ultrapassava naquele momento. Seu desespero multiplica-se; desnorteado, acompanha impotente a moto e seu condutor aos trambolhões pelo asfalto. Chega a parar o carro para prestar socorro, mas a lembrança de que já tinha excedido os pontos em sua carteira - que fatalmente seria recolhida - fizeram com que ele simplesmente pisasse fundo no acelerador e abandonasse o motoqueiro à sua própria sorte.
No mínimo meia dúzia de testemunhas ligaram para a polícia fornecendo detalhes e placas do veículo que fugiu após destruir a moto e seu condutor. Antes de conseguir chegar em casa foi alcançado pela polícia.
Na delegacia, detido por não prestar socorro, o rapaz chorava copiosamente.
Quando soubessem de sua prisão, fatalmente, perderia o emprego.
E sua esposa? Qual seria a sua reação ao saber que ele, que ela tão admirava, atropelou um motoqueiro e fugiu deixando-o sem socorro à espera da morte.
Em silêncio amaldiçoava a colega de trabalho que o seduzira e transformara sua vida num inferno.
Em nenhum  momento lembrou-se de que a culpa de tudo o que aconteceu foi sua.
Não existe sedução sem a concordância da outra parte, ninguém é seduzido à força. Antes, deixa-se seduzir. Cada um de seus atos foram fruto de escolhas mal feitas, opções exercidas premidas pelo desespero causado pela opção errada anterior.
Inverossímil?
Fantasioso?
Absurdo?
Não creia nisso. Quem é portador de TDAH sabe que , no máximo, exagerei. Mas não muito.
Se em algum momento disparamos a primeira falha, as que se seguem costumam elevar sua gravidade e  consequências.
O segredo é não fazer a primeira besteira. Simples não?
Só não sei como fazer para evitar a primeira falha.
Assim que souber posto aqui.