segunda-feira, 4 de abril de 2011

COMO PERDER SEUS AMIGOS EM DEZ LIÇÕES.



Já li tanto, já pesquisei tanto sobre TDAH, que hoje em dia tenho dificuldade em lembrar aonde li essa ou aquela informação. Claro, não anoto nada, nem salvo nos favoritos. O que também não adiantaria nada por que nunca, jamais em tempo algum lembro-me de procurar algo  nos favoritos.
Mas, voltando à vaca fria, num desses milhares de artigos que boiam na internet sobre o assunto, o médico diz que o portador de TDAH tem dificuldade em fazer e manter amigos. Quanto à primeira parte da afirmativa eu sou o oposto. Sou uma pessoa alegre, simpática, falante, desinibida, e faço amizades com uma facilidade absurda. Quanto a mantê-las, sou um desastre.

Vamos às lições:
1) Abra seu coração, declare seu amor sua amizade àquele amigo ou amiga. Depois desapareça.

2) Seja bom ouvinte, bom debatedor, entenda as razões de seus amigos. Depois desapareça.

3) Divida seus sonhos, planeje viagens, momentos de lazer e prazer juntos. Depois desapareça.

4) Coloque- se à disposição de seus amigos; seu ombro, seus ouvidos,sua alma. Depois desapareça.

5) Reencontre seus amigos com saudades, abrace-os, beije-os, seja efusivo. Depois desapareça.

6) Prometa ligar, marcar novos encontros, relembrar o passado, planejar o futuro. Depois desapareça.

7) Ligue algumas vezes, procure-as (os), instigue a saudade. Depois desapareça.

8) Ligue de surpresa, prometa não desaparecer. Depois desapareça.

9) Sinta saudades, vontade de ligar, de procurar. Mas não apareça.

10) Desapareça.

Bem, essa é uma fórmula infalível. Não sei se é o TDAH ou não. Sei que sou um péssimo mantenedor de amigos. Quem gosta de mim, gosta apesar de mim. Acostumaram-se à minha maneira peculiar de amá-los. Sei lá desde quando, venho me recolhendo sistematicamente à minha casa. Cada vez mais isolado; e não é uma coisa de tristeza ou depressão. Amo minha casa, meu espaço. Continuo sendo uma pessoa alegre e afável. Não fico em casa por desgosto, mas por gosto. Amo meu computador, minha TV e meu blog.
E me acho uma ótima companhia.
Hoje em dia, só restaram aqueles que realmente me amam. Ainda.