terça-feira, 26 de abril de 2011

ESTRATÉGIAS DE VIDA





Adote algumas estratégias que facilitem sua vida. Após meu diagnóstico passei a observar o que mais me estressa, irrita ou me confunde.
Vamos a algumas delas:

1) O TEMPO: um dos maiores fatores de estresse para mim é o tempo. Estou aprendendo a não marcar horários próximos demais ou que não me permitam preparar-me com tranquilidade.
Se sua vida lhe permitir, marque seus compromissos com um intervalo de tempo razoável.
Evite colocar horário para você mesmo. Vivo me estressando por marcar hora para cumprir tarefas. Hoje, se marco um horário para que eu mesmo cumpra, verifico antes se me dá folga suficiente ou se eu realmente preciso marcar essa hora ou se é mania da minha cabeça.

2) DINHEIRO: Muito cuidado com o dinheiro! Evite talões de cheque e cartões de crédito. Se possível, pague suas coisas à vista, em dinheiro. Mas atenção: não ande com muito dinheiro no bolso. Aquele monte de notas dá uma impressão de riqueza e poder terrível, você acaba gastando o que não deve. Portanto, nada de cartões, cheques ou muito dinheiro. Leve uma vida de frade beneditino.

3) ESQUEÇA OS OUTROS: Nós, TDAHs, temos uma péssima mania de nos compararmos aos outros, de competir com outras pessoas. Mesmo com desconhecidos que sequer sabem que estão competindo conosco. Não se compare. Na vida tudo é relativo. Se você é um rico que mora em bairro de milionários, vai se sentir um pobretão. Se você se mudar para um bairro proletário, vai ser o ricaço do lugar, corre o risco de ser assaltado ou sequestrado. Não se compare, ou pelo menos tente não se comparar.

4) CONFIRA: Não confie em sua memória. Se seu cérebro ficou em dúvida, confira. Se não, se você tem certeza absoluta, confira duas vezes. Na maioria das vezes em que tenho a mais absoluta certeza de alguma coisa, estou errado.

5) CRIE HÁBITOS: Crie hábitos em sua vida e cumpra-os. Deixe as coisas sempre no mesmo lugar, da mesma forma, na mesma posição. Facilite encontrá-las, lembrá-las, usá-las. Claro, não é fácil no princípio, mas você tem que ter estratégias e motivação para manter. Engane-se. Crie uma importância que o objeto ou a atitude não tem, mas passará a ter. Eu faço isso com várias coisas. Arrumar minha cama, tirar a mesa, nunca me esquecer de minha carteira, do celular. Para isso, não esquecer as coisas, tenho um amigo que possui uma estratégia interessante: ele contou com quantos objetos ele sai normalmente. Carteira, celular, chave, dinheiro. 1, 2, 3, 4. Ao sair de qualquer ambiente ele conta seus bolsos: 1,2,3,4. Os quatro objetos imprescindíveis estão nos bolsos? Então posso sair.

6) TRATE-SE:  Tome seus remédios corretamente. Leve seu tratamento a sério. Para isto também use estratégias. Por exemplo: eu mesmo faço meu café da manhã, por isso deixo meus remédios na cozinha, onde posso vê-los facilmente ao acordar. A dosagem da tarde é mais difícil, por isso coloquei dois lembretes no celular que apita às 12 e às 13 horas; diariamente. Inclusive aos sábados domingos e feriados.

7) CUMPRA: De nada adianta traçar estratégias e não cumpri-las. Claro, o simples fato de conseguir traça-las não significa que conseguirá cumpri-las. Mas esforce-se. E não se culpe ou se puna se não conseguir cumpri-las. Refaça-as ou tente novamente. Não desista. Passo por isto diariamente, cumpro várias, outras parcialmente; alguns dias são de absoluto sucesso, noutros a sensação de insucesso é muito forte. Mas, um novo dia vai nascer e com ele a certeza de que cumprirei minhas estratégias. Se não der, amanhã tentarei novamente.
Precisamos facilitar a nossa vida, diminuir nossos estressantes.
E você, o que faz para reduzir seus momentos de tensão e estresse?