sábado, 15 de junho de 2013

O TDAH E A PAZ DO DIAGNÓSTICO



O comentário de Walter Nascimento acendeu em mim a vontade de voltar a escrever sobre o tema do diagnóstico do TDAH. Em seu comentário Walter diz o seguinte: a descoberta e a certeza do diagnóstico do TDAH não mudaram quem sou, mas me trouxeram uma paz interior e uma compreensão maior de 'quem eu sou'.
Belíssimo comentário! E sempre oportuno, o momento da confirmação do diagnóstico é sempre muito doído, a pessoa se sente perdida...
Por mais que ela desconfie, que tenha certeza, saber-se portador de uma doença mental nem sempre é fácil de conviver. Eu, particularmente, amei. Eu me sentia um débil mental, um cretino, um idiota. Um cara auto destrutivo, incapaz de dar um mínimo de sentido à própria vida.
Ninguém muda ao saber-se TDAH, mas passa a entender-se, a entender suas atitudes, e abre uma grande possibilidade; a de perdoar-se.
É muito importante o auto perdão. O portador de TDAH é uma pessoa doente, não um cretino qualquer, um mal intencionado. Sofremos de uma deficiência química no cérebro e isso nos faz diferentes.
O comentário de Walter é muito bonito, e exorta a anônima que se diz cansada e desanimada a
procurar ajuda médica.
É isso aí, não tenham medo do diagnóstico ele é um momento doído, mas libertador, o diagnóstico nos abre uma porta para o passado, através de entendimento de nossas atitudes e escolhas, e outra para o futuro, que ao transpô-la, estaremos caminhando através de uma nova estrada em nossas vidas.
Procurem ajuda médica, não convivam com a incerteza, saber-se TDHA é uma libertação, tratar-se é reescrever a própria história.

76 comentários:

  1. Incrível que ainda sim há pessoas que ignoram o sofrimento de um TDAH e simplesmente dizem que somos diferentes. Poxa, se existi deficientes físicos, por que não podem existir deficientes mentais? O fato de um aleijado ser uma pessoa diferente, não excluí o fato dele ser deficiente, não excluí o fato de que ele enfrenta mais dificuldades do que as pessoas que andam normalmente. O fato da pessoa TDAH ser diferente, não excluí que ela tem deficiência para liberar dopamina e que isso torna a vida dela mais complicada. Eu duvido que essas pessoas que não acreditam no TDAH tenham alguma dificuldade na vida que não seja apenas as externas (dinheiro, família, físico). Digo isso porque se fosse diferente, essas pessoas não iriam perder o tempo delas tentando difamar a ritalina e a psiquiatria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, amigo Elias, o ser humano é tão baixo, tão mesquinho que é capaz de querer impor suas crenças e opiniões pessoais desconsiderando o sofrimento de seus semelhantes. Isso, Elias, apenas para provarem suas razões.
      É triste, muito triste...
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. Alexandre, eu só espero que essas pessoas não consigam representantes na política do País, porque do jeito que o Brasil é, para se ter pessoas para fazer desserviço ao povo é algo que nunca falta, há um monte de candidatos para fazer algo de errado.
      Olha, e sobre aquilo que você disse da consulta que eu poderia fazer Juiz de Fora. Estou pensando bastante nisso, que até me surge a ideia de morar aí, caso eu receba o diagnóstico. O detalhe é que eu preciso saber os gastos que eu teria com as consultas e os remédios, pois eu iria ter ajudar os meus primos com as despesas da casa.
      Abraços
      Marcel

      Excluir
    3. É claro que é indelicado você dizer aqui, então se puder me mandar um email: zumbialado@gmail.com
      Se tiver skype é: merc.english

      Excluir
  2. Walter Nascimento16 de junho de 2013 01:30

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. WN, que nojo de ser você é. Você parece aqueles religiosos fanáticos que pregam na rua para pessoas nenhum pouco interessadas ou mesmo aqueles ateus que entram em comunidades religiosas para dizer que Deus não existi. Se você não acredita na psiquiatria, o problema é seu, vai conversar isso com seus amiguinhos que acreditam nas mesmas teorias conspiratórias que você. Aqui é um lugar de pessoas que sofrem por causa do TDAH e não por causa dos REMÉDIOS como RITALINA. Eu não sei quantos anos você tem, mas você está agindo igual um adolescente de 13 anos que gosta de contrariado na internet, que ao invés de ficar apenas com seu grupo, vai incomodar os outros com opiniões contrárias.
      Este BLOG aqui não tem o intuito de discutir sobre a psiquiatria, este BLOG é apenas para pessoas com TDAH desabafarem e trocarem experiências. O seu ato só mostra como você é uma pessoa indigna de respeito.

      Excluir
    2. Vou retificar o que eu tinha dito: [ Aqui é um lugar de pessoas que sofrem por causa do TDAH e não por causa dos REMÉDIOS como RITALINA.]

      Aqui é um lugar para pessoas que sofrem de TDAH e não para pessoas que acreditam que a RITALINA traz algum sofrimento físico ao mental para seus usuários.

      Então espero que você comporte-se como adulto e não volte mais aqui ok, pois aqui não é lugar de debate.

      Excluir
    3. Caro Elias Reis, não sei se é coincidência ou coisa de hacker (neste caso estão de sac.. comigo), mas este Walter Nascimento que postou aí em cima um vídeo do youtube não sou eu não.

      Eu sou aquele que sabe (sofre, chora e ri) que tem TDAH há 15 anos; que sabe que tem um filho com TDAH, e, neste caso, sofre e chora muito mais que ri.

      Eu sou aquele que, mesmo não participando de chats, facebook, ou outras redes sociais, encontrei este blog superbacana, me apaixonei por ele e fiz alguns comentários com intenção construtiva.

      Um destes comentários o Alexandre Schubert achou oportuno e positivo e fez o texto aí em cima (agora sei que se chama “post”).

      Aí, eu todo orgulhoso, mas acima de tudo feliz por entender que posso está ajudando alguém, mesmo que minimamente, a conviver com o TDAH, abro agora o blog e vejo está confusão com o meu nome, e você lascando o WN de nojento.

      Então galera, atenção: Tem um Walter Nascimento que é este que vos escreve, que é gente boa, TDAH de raça pura, (pai TDAH, filho TDAH), e que está e sempre estará à disposição para conversar com qualquer outro irmão TDAH sobre formas de conviver com o TDAH, ouvindo e falando das experiências pessoais.

      O outro Walter Nascimento, não sei se real ou hacker, e este que “da nojo” ao Elias Reis, e, claro, dá nojo a todos nós.

      Grande abraço ao Elias Reis e a todos. Hoje é domingo, vamos aproveitar o dia e deixar o nojento fora das nossas mentes, pois, é claro, temos tantas outras coisas para pensar, né verdade?

      Excluir
    4. Obrigado Elias, pela defesa do blog!
      Quanto a vc, Walter, em momento nenhum acreditei que a mesma pessoa que postou um comentário tão bonito iria postar algo tão medíocre quanto aquilo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  3. Agora de me desconcentrei todo, que droga.

    Eu ia escrever um texto bacana para o Alexandre e veio esta confusão com meu nome. Mas vamos lá, força...., concentração...., lembra da terapia, dos combinados e.... “TOMA O METILFENIDATO”.

    Agora sim, vamos lá (O Ministério da saúde adverte: TDAH tomando metilfenidato destrava a língua e a digitação, então, para vocês conseguirem ler tudo, tomem o metilfenidato):

    FALANDO SÉRIO: Alexandre, há algum tempo eu tinha uma necessidade crescente, que era o de me relacionar com outras pessoas com TDAH. Eu sentia isto como uma necessidade quase visceral, fiquei até um pouco chato querendo diagnosticar TDAH em outras pessoas, só para poder conversar abertamente com elas sobre nossas experiências pessoais.

    FALANDO QUASE SÉRIO: Chequei a pensar em montar uma associação do tipo TDAH Anônimos, justamente para fazer o que estamos fazendo aqui no seu blog. Mas, aí, pensei: associação de TDAH? Quem vai ser o presidente? Quem vai fazer coisas do tipo: agendar reuniões, fazer atas, pautas, lembrar aos associados as datas, arranjar local, mesas, lista de presença? Já viu né? Não ia dar certo.

    FALANDO SEM QUALQUER SERIEDADE: Tenho pensado que para esta associação dar certo, teria que fazer uma mescla, seria: “Associação dos TDAH e Obsessivos Compulsivos Anônimos”, aí agente colocava eles para fazer toda a organização e, se e quando lembrasse-mos delas, estando com muita vontade, os TDAH iriam às reuniões. Pense nisso Alexandre.

    AGORA FALANDO SUPER SÉRIO: Alexandre, cara, você não sabe o bem que ler o seu blog me fez e me faz. Poder conviver com meus iguais? Isto não tem preço, realmente. Está entre meus colegas de sofrimento, poder ouvir e relatar nossas experiências pessoais sem medo de sermos taxados de ..., não vou nem repetir? MUITO OBRIGADO POR VOCÊ EXISTIR E ESTÁ FAZENDO O QUE FAZ. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. OBRIGADO. ............

    Espero que aquilo que você mais goste no mundo, deus, esposa, filhos, pai, mãe, Etc., lhe dê um grande beijo no seu coração. Obrigado mesmo, cara.

    VOLTANDO À FALAR QUASE SÉRIO: Alexandre, vejo que você já tem três anos mantendo este blog, o que é, para nós TDAH, uma eternidade para a manutenção de uma rotina e dedicação à execução de um projeto. Cara sei qual a terapia que você faz: psicologia, psiquiatria, eletrochoque, lobotomia, etc., ou a medicação que você toma. Não sei, não quero saber, pois o importante é: Não para não, viu. Tá ajudando muita gente.

    Grande abraço Alexandre. Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Walter!!!!!!!
      Obrigado pelas palavras.
      Amigo, esse blog ajuda mais a mim do que a vocês, pode ter certeza disso.
      E é por isso que eu o mantenho a tanto tempo, ele é a melhor parte da minha vida.
      Abração e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  4. olha, tenho 49 anos, sou dentista, e há pouco tempo me foi diagnosticado tdah, junto com a pré menopausa, que maravilha! como se já não bastasse um. Mas o que eu queria dizer é que para mim foi um alivio descobrir a causa de tanto sofrimento, de tratar uma depressão que não se curava nunca, junto com toc, com problemas alimentares e de peso, fora o não conseguir concentração, enfim, foi tudo na raça e no sofrimento, muito sofrimento, então, descobrir a causa disso tudo foi bom demais para mim, e agora vou começar a "testar" a dosagem adequada para meu tratamento do thah, juntamente com os outros problemas. Mas este blog é fantastico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo dentista, que bom que vc descobriu e pode tratar-se. Sua vida vai melhorar muito, pode ter certeza.
      Caso vc sinta algum tipo de efeito colateral não desanime, em geral eles somem após uma ou duas semanas.
      Conte comigo, com o blog e com nossos amigos pra te darem força.
      Obrigado pelas palavras de incentivo.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  5. Nossa... Foi bem isto, senti um alívio e uma paz interior muito grande quando descobri ser tdah. Enfim eu tinha achado uma resposta ou um motivo que justificasse todos os problemas que eu passei.

    Me lembro até hoje, saí do consultório do neurologista com uma receita pra três caixas de ritalina. Tava chuviscando, eu sem guarda chuva, mas andei a cidade toda atras de uma farmácia que vendesse ritalina. Só me lembro que naquele dia eu estava muito eufórica, contente.

    Eu já tinha 28 anos, há anos estava tentando terminar a faculdade, nunca conseguia arrumar um emprego bom... Parece que minha vida tava atolada, eu vivia num permanente desânimo, as vezes eu até achava que era depressiva, foi por isto que procurei um médico.

    Depois comecei a pesquisar na internet tudo sobre tdah, tratamentos... Foi aqui neste blog que pela primeira vez li sobre "procrastinação" e seu significado. Daí entendi que desde a adolescência eu vivia na procrastinação, sempre imersa num mundo paralelo, sempre me isolando dos outros...

    Mas voltando ao assunto... Foi uma felicidade muito grande, quando descobri que aquele meu comportamento, aquela falta de vontade de agir, aquele medo de enfrentar as coisas, tinha um nome e tratamento.

    Acho lamentável, quando profissionais da saúde, ficam questionando se existe ou não tdah. Eu sou a prova viva: Depois que comecei a fazer um tratamento com remédios (ritalina 10mg), minha vida deslanchou.

    Eu também fui um fracasso escolar. Escolhi o curso de menor concorrência aqui na faculdade pública da minha cidade. O pior é que era um curso de exatas. Fiz isto porque meu sonho era frequentar uma universidade, não importasse qual curso, eu só queria estar na faculdade.
    Tive problemas sérios, vi meus colegas evoluindo, se formando e eu ficando pra traz. Minha auto estima que já era baixa, ficou pior ainda.

    Foi quando a situação tava bem ruim, que eu tive a ideia de procurar um médico. Até eu comecei a perceber que aquilo era mais sério, não era simplesmente um traço da minha personalidade.

    Enfim, tudo melhorou quando comecei a seguir o tratamento diariamente, porque no começo eu tomava o remédio num dia e no outro eu esquecia, depois eu tomei mais juízo e tomava todos os dias.

    Eu também gostaria muito de conhecer alguém que tivesse tdah, pra que pudéssemos conversar e trocar experiências, mas não conheço ninguém.


    È muito bom ter foco, antes eu nem sabia o que era isto. É bom conseguir se concentrar quando vai estudar para uma prova, é bom quando eu marco um compromisso na agenda e consigo cumprir. Parece besteira, mas tive agenda a minha vida toda, eu marcava tudo o que eu precisa fazer, mas não conseguia fazer nada...

    Hoje em dia, minha auto estima melhorou muito. Faço planos pro futuro, consigo cumprir minhas responsabilidades. Até algumas pessoas tem um conceito melhor ao meu respeito...

    Definitivamente, o diagnostico foi uma libertação. Deus me livre, eu não aguentava mais viver aquele tipo de vida, me sentia uma fracassada.

    Danielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danielle, que bom que vc encarou assim, a vida fica muito mais fácil se encararmos dessa forma.
      O diagnóstico nos dá a chance de viver uma nova vida, e de superar nossos medos e limites.
      Bem vinda, Dani, ao nosso mundo de sonhos possíveis e realizáveis.
      Conte conosco, estaremos sempre aqui pra te ouvir e trocar experiências.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  6. Mais um daqueles dias em que eu daria tudo para não ter esse transtorno.

    Às vezes cansa. Cansa batalhar, estudar e na hora fazer cagada. Cagadas simplesmente inexplicáveis! Eu tenho vergonha das catástrofes que a minha desatenção produz. Minha mente brilhante, depois de muito treino e um mês de cursinho, simplesmente achou que eram 6 folhas para responder a peça prática da OAB. Eram 5, sempre foram cinco. Mas pergunta se a gênia algum dia reparou nisso? Além disso, tinha no rodapé de cada folha quantas folhas eram. Eu odeio esses lapsos! Odeio não prestar atenção nessas coisas óbvias! E só percebi isso no momento em que escrevia última linha da da 5a folha. Resultado: faltou uma folha e não terminei a peça proposta.

    Desculpem. Apenas precisava compartilhar. E sei que vocês me entendem.

    Tem horas que cansa. Eu consigo errar o que eu estudo, o que eu não estudo e para completar erro também por falta de atenção. Não tem como não se questionar e se achar uma anta. Como ter auto estima se esse transtorno dia após dia me diz: anta, anta, anta!?

    ResponderExcluir
  7. Eu sou muito anta mesmo. Tenho o Dna da derrota, mas, ainda bem que meu pai me paga tudo que quero e resolve meus pepinos. Tenho de seguir caminhos modestos, onde eu possa me adequar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é retardado? Sofre de algum problema de desocupação crônico? Ou é algo pessoal contra a minha pessoa mesmo? Porque me parece um comentário proveniente, no mínimo, de alguém que me conhece um pouco, pra dizer que meu pai "resolve meus pepinos". Sim, ele resolve muito dos meus pepinos, sim, seu infeliz. Eu preferia que ele não os resolvesse. Preferia eu mesma dar conta das minhas atribuições. Mas, por vezes, não consigo. E ainda bem que isso não é da sua conta. E ainda bem que embora eu possua um transtorno,eu não seja uma débil mental como você, que aliás é débil mental por PURA OPÇÃO.

      Excluir
    2. Bárbara, essa pessoa com seu nick é a mesma que está postando vídeos para criticar a psiquiatria. Não pense que ela está te perseguindo apenas, ela está querendo incomodar todos nós usando nossos nicks, está querendo colocar nós um contra os outros. Mas só que essa pessoa é tão idiota que o tipo de perfil que ela usa não corresponde ao nosso, então enganar ela não vai conseguir.

      Excluir
    3. Senhor fake que tem a missão de lutar contra a psiquiatria. Se você quiser um mínimo de respeito e quiser que alguém se comunique com você, use seu perfil real. Agora, se você não quiser isso, sugiro que você procure uma solução, afinal, se você se preocupa se estamos tomando remédios ou não, então poderia fazer esse favor de estudar muito para encontrar novas soluções para nossas vidas. Simplesmente dizer que somos pessoas fracas apenas mostrará que você é um indivíduo fútil desocupado que quer se meter na vida dos outros.

      Excluir
    4. Alô galera! Mais "relax".

      Tá todo mundo numa boa, feliz e contente por achar neste blog uma comunidade de iguais. Iguais em sentimentos e experiências de vida.

      Então, deixa esse "fake" de lado. Não tô nem aí para ele, até porque já percebi que o Alexandre, quando vê, retira as observações dele do blog.

      Atenção Alexandre. Corre aí e apaga logo.

      É verdade que tomei um susto quando ele fez um "fake"com o meu nome e postou um vídeo estúpido (o Elias Reis "comeu mosca" e até me chamou de nojento), mas não estou nem aí para o "fake", e acho que tudo mundo devia fazer a mesma coisa. O foco é o blog. Lembrem-se TDAH's: Foco. Foco. Foco. Foco.

      Neste blog tenho encontrado sempre semelhanças com outros TDAh's. Mas, esse "fake", além de não me irritar, na parte que me toca, dei até risada, falei até para meus amigos: "estou chik, já tenho até um fake", que por sinal nem sabia que isso existia. Pergunto a todos: "será que encontrei uma diferença de outros TDAHs? de não está nem aí para a maioria das coisa? ou será que minha dose do metifenidade esta excessiva?

      FALANDO SÉRIO: Gente, vamos focar no comentário da Bárbara, aquele em que ela se diz "cansada". O desânimo dela me preocupou. Vamos ajudá-la com as nossas experiências pessoais no assunto. vai vê ela fica mais tranquila.

      Bárbara, trabalho na sua área, tenho 49 anos, 15 de descoberta de TDAH. Estou abafado agora, depois eu te escrevo com as minhas experiências de ter que conviver com as "cag..." que sempre fiz e ainda continuo fazendo. Mas te adiando que hoje estou feliz comigo mesmo, pois encontrei uma harmonia com o meu eu TDAH. Fique calma, como disse aquele filme, "vai dar tudo certo, como .... é um mistéééééééééério".

      Abraços a todos.

      Excluir
    5. Olha Walter, você vai me desculpar, mas eu não leio todos os comentários do blog, então eu não te "conhecia", o primeiro comentário com seu nome que eu fui ler foi desse fake aí, então não tinha como eu saber que era um fake. Em nenhum momento eu te chamei de nojento, mas se você acha o contrário, isso seria o mesmo que uma pessoa com o nome falso de Daniel Carlos de Souza Nunes viesse aqui xingando nós de fracassados e eu resolvesse dizer "Daniel... você é uma pessoa nojenta", e de repente surgisse alguém com esse nome se sentindo ofendida por mim, sendo que antes disso eu jamais conhecera alguém com tal nome.
      Espero que isso esteja resolvido.

      Excluir
    6. Claro que está resolvido Elias. Um grande abraço para você.

      Excluir
    7. Genteeeee, calma!
      Eu acho que existem duas Bárbaras mesmo!
      Pelo menos num post anterior existiam as duas com assuntos diferentes.
      Mas se for o fake, vamos ignorá-lo, ele acaba desistindo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    8. Gente, só tem uma Bárbara.. E sou eu! Não existem duas. E meus assuntos nunca foram diferentes, mas esse fake já comentou outras vezes sob o nome de "Bárbara", logo após meus comentários. Acho que esse comentário anônimo poderia ser apagado, não?

      Excluir
    9. Barbaraaa, que confusão! rs.
      Poxa, fica assim não! Eu nunca cheguei nem a passar para a segunda fase :).
      Parabéns pela conquista e na próxima vc vai!
      Ou VAMOS! rsrs

      Excluir
  8. "não convivam com a incerteza"
    Matou a pau.É isso.
    Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, obrigado!
      Você é muito boazinha comigo, rsrsrsrs.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  9. Meu grande amigo Alexandre!

    Como de costume, suas postagens são iluminadoras! Vim hoje comentar aqui no blog, justamente por ter conseguido uma vitória após um ano e pouco de diagnóstico! Primeiramente, vou pincelar um pouco do meu passado, coisa que nunca comentei por aqui. Sempre fui um aluno brilhante por onde passei, brilhante, mas complicado, aquele que todos os professores tinham um misto de admiração e receio, pois sempre fui relapso em relação aos estudos, algo que não é exclusividade minha, enquanto portador do TDAH. Após a descoberta e o início do tratamento, amadureci muito, me conheci muito, e hoje vivo uma transição em minha vida, onde venho rompendo os últimos laços com a minha dependência rumo à nova fase de independência e entrega à minha vida. Recentemente, comentei aqui, dizendo ter largado o curso de direito pra cursar Publicidade e Propaganda, como uma escolha minha, livre de influências e decidindo por conta própria ser essa a minha senda. Ontem prestei vestibular na PUC Minas, envolto numa maré de desconfiança, onde ouvi de meu pai ter ele certeza absoluta de que não seria aprovado. Confesso que até eu mesmo desconfiava de mim, primeiramente, por ter feito o vestibular há 6 anos e não tendo sido aprovado em 1ª chamada para o curso de Direito naquela faculdade, então fui fazer a prova sem muitas perspectivas, mas sabendo que o meu grande 'porém' estava sendo controlado por medicação e, principalmente, pela minha consciência, pois sabia que eu tentaria me auto-sabotar. Ontem mesmo saiu o gabarito da prova, minha nota? 39 pontos em 50 pontos possíveis. Uma vitória maiúscula, 78% de aproveitamento, uma aprovação quase certa, apenas quase, pois ainda falta o resultado da redação. Independente de qualquer coisa, o ponto chave deste é a certeza absoluta de que, se não fosse pelo diagnóstico, se meu 'inimigo' não fosse conhecido, não fosse tratado, esta nota não seria alcançada, com certeza. Ou seja, não basta apenas não conviver com a incerteza, não basta apenas não conviver com o desconhecido, a nossa vida pode ser muito maior se conhecermos o que nós enfrentamos, já que não podemos com ele, juntemo-nos a ele. A todos portadores dessa deficiência química do cérebro, se perdoem, aceitem-se, tenham a hombridade de erguer a cabeça, pois nós fomos forjados dessa forma, a sempre erguer a cabeça quando nos dizem o contrário. A vitória é apenas questão de tempo, mas é primordial o auto-perdão! Essa minha vitória, dedico a tudo isso que vivi desde o ano passado até hoje, pois sei o quanto esse auto-perdão me fez crescer como pessoa. Sei que ainda falta muito, mas a verdade é que esse é um recomeço, definitivamente um recomeço, e dessa vez com o TDAH ao meu lado, não contra mim, porque eu me conheço, eu me entendo, eu me perdôo!

    Dedico também a você, meu amigo! Pois, mesmo de longe, você tem sido um grande amigo, me entendendo como ninguém, com os seus textos, me dando palavras de apoio e acalento, aqui encontrei um companheiro de fé!

    Vou deixar aqui o meu e-mail, caso você ou qualquer outro frequentador aqui do blog queira conversar: mcl_matheus@yahoo.com.br

    E mais, agora abandono o meu alter ego virtual Frank Slade, eu sou o Matheus Carvalho de Lima, 23 anos, portador de TDAH, futuro publicitário, criativo, guerreiro, batalhador, ex-fracassado, vencedor.

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. F A N T Á S T I C O. Parabéns a você Matheus, pelo seu lindo depoimento. Ele me ilumina, e, lendo este comentário agora pela manhã, me enche de ânimo de começar o dia com força de 1.000.000.000%.

      E, claro, parabéns ao Alexandre por nos permitir este convívio, repito, de iguais.

      Alô Bárbara, aquela do comentário lá de cima, o espírito é esse aí do Matheus. Merda fazemos e faremos, mas, vou repetir o Matheus, aliás, decidi agora imprimi este texto e colocar na minha mesa: "A vitória é apenas questão de tempo, mas é primordial o auto-perdão! Essa minha vitória, dedico a tudo isso que vivi desde o ano passado até hoje, pois sei o quanto esse auto-perdão me fez crescer como pessoa. Sei que ainda falta muito, mas a verdade é que esse é um recomeço, definitivamente um recomeço, e dessa vez com o TDAH ao meu lado, não contra mim, porque eu me conheço, eu me entendo, eu me perdôo!"

      Excluir
    2. Fico muito feliz de ler essa sua resposta ao meu comentário, Walter! Ver que eu somei de alguma forma na vida de alguém é muito gratificante, muito mesmo! O Alexandre tem aqui uma dádiva pra todos nós, onde podemos conviver entre os nossos iguais, situação essa que faz toda a diferença em nossas vidas, como eu fiz na sua hoje de manhã e você fez na minha agora à tarde. Espero que possamos todos vencer juntos e que mantenhamos contato entre nós todos, seja aqui no blog, seja por e-mail, seja em qualquer lugar, a união faz a força! Força fundamental pra nós portadores, pois se somos fortes por nossa conta, se unidos, somos imbatíveis!

      Forte abraço companheiro!

      Matheus

      Excluir
    3. MEU IRMÃO FRANK/MATHEUS!!!!
      Você me levou às lágrimas, que história bonita!
      Parabéns por sua luta e coragem. Sinceramente, seus comentários são tão bons, tão centrados que achava que vc era bem mais velho do que é. Sabendo que tem apenas 23 anos, minha admiração por você só aumentou.
      Cara, se eu puder te ajudar em alguma coisa, conte comigo.
      Pode ter certeza de que tem em mim um amigo e um admirador.
      Parabéns por sua escolha, publicidade é o maior barato.
      Abraços com admiração
      Alexandre

      Excluir
    4. CG.....Parabéns Matheus! a vitória é só questão de tempo.. o sucesso do outro simplesmente me encoraja no tratamento.. por saber que podemos vencer algo que até pouco tempo era somente perguntas e mais perguntas... Pq eu não consigo? Pq comigo dá errado? Pq é tão difícil? E parece ser mais fácil para os demais.... E O SEU DEPOIMENTO ME AJUDOU PELA PRIMEIRA VEZ A POSTAR...ALGO SOBRE TDAH... pois desde que descobri... tenho lido muitoooooooo e sem coragem de trocar experiências com outras pessoas que tem o mesmo problema.... seu texto simplesmente me encorajou a falar algo mesmo que anonimamente....Sucesso pra vc!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Excluir
    5. Grande Matheus, PARABÉNS! É isso aí!
      Ainda vou chegar nessa fase aí, rs. To bem perdida e confusa ainda. Diagnostico saiu neste ano, só.
      Adaptando à medicação, aindaaaa, mas enfim.
      Posso compartilhar seu depoimento no meu blog?
      http://seguindocomtdah.blogspot.com.br/
      Abração e PRA CIMA E AVANTE!

      Excluir
    6. Matheus, sua historia é bem parecida com a minha e temos a mesma idade. Assim que o TDAH deixar te mando um email para trocarmos experiencias. Posso?

      Excluir
  10. pessoal, jamais podemos nos menosprezar, somos muito mais lutadores, e muito mais vencedores do que os ditos "normais", eles não precisam de infinamente para realizar uma simples tarefa, e nós sim, e vencemos, e lutados e não desistimos, e isso nos faz fantásticos. Vamos juntos acreditar nisso simmmmmmmmmmmm. Vou me identificar como Maria, vamos pensar que somos muito especiais e não paramos de remar nosso barco, que ainda é a remo enquanto o dos outros tem um motor...eu coloco o tratamento mental num tripé (ação, oração, medicação). Boa tarde a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, concordo com você, desenvolvemos uma espécie de musculatura emocional de tanto lutarmos contra nós mesmos. Mas precisamos nos tratar, sem tratamento somos um avião descontrolado.
      Obrigado pela participação, volte mais vezes,
      Alexandre

      Excluir
  11. acima le-se lutar infinitamente ( no lugar de lutados)e depois lutamos e não desistimos

    ResponderExcluir
  12. Oi Barbara

    Li seu comentário acima, eu também me envergonho de certas situações que me envolvo por falta de atenção.
    Uma vez reprovei em uma matéria porque durante a prova esqueci de olhar o verso da prova...
    Foram centenas de vezes durante a minha vida que me prejudiquei simplesmente porque não prestei atenção ao que devia.
    Depois de diagnosticada e fazendo um tratamento regular, diminuiu muito.

    Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já fiz tanta besteira desse tipo, Cris...
      Quando me lembro até dói.
      Obrigado por sua participação e também a sua, Bárbara.
      Isso que faz esse blog tão especial.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  13. Boa Noite,
    Realmete o Alexandre faz um excelente trabalho com esse blog! Nós desabafamos e trocamos experiencias pessoais.
    Quanto a esse fake só digo uma coisa: Vai procurar sua turma, pois no blog nao é bem vindo.(Alexandre, vc poderia bloquear o IP dele, impedindo novos comentarios)

    Acho que muitas vezes se sentimos fracassados por projetos que nao concluimos, por objetivos que nao persistimos, distracoes que tivemos, entre diversas coisas que fazem parte do mundo TDAH.
    Bárbara,Elias Reis e walter nascimento adorei os seus comentarios!
    Descobri que era TDAH após intensa pesquisa na internet com confirmacao de um renomado psiquiatra. Tomei a medicacao por cerca de 1 ano e me ajudou muito a passar na USP em Direito.
    Infelizmente tive alguns problemas serios após tomar a medicacao e talvez nunca mais me seja permitido tomar. Estou pesquisando outra alternativa que é o Neurofeedback-Biofeedback, porem parece ser meio salgada.
    Abracos a todos!

    Gabriel Spuch

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, sou um bom usuário de computador, mas não sei bloquear IP, se vc quiser me ensinar eu bloqueio.
      Cara, tem dias que me dá uma enorme vontade de desistir do blog, largar pra lá...
      Graças Deus dura pouco e retomo, amo esse espaço.
      Abração e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  14. pessoal, acredito que esse fake seja uma pessoa extremamente insegura, infeliz, cheia ou cheio de problemas, com uma auto estima muito baixa, que se dá mal nos relacionamentos amorosos, cheio de frustraçoes e complexos, porque uma pessoal saudavel, que sente amor, que tem amigos, não perde tempo brincando com a vida dos outros com tanto mal gosto. Talvez ele seja um tdah não "assumido" e seja cheio de vergonha de sua maneira de ser nao tendo coragem de se assumir como ser humano na integridade e não consegue ficar mais do que segundos se olhando nos olhos ao espelho. Tenho muita pena dele ou dela... coitado, se divertir com os problemas dos outros...só mostra extremo mau gosto. maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A muito tempo ele faz isso.
      Um dia ele postou 45 comentários iguais a esse, desisti de debater ou de xingá-lo, apenas excluo seus comentários.
      Obrigado por defender nossos espaço.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  15. Caro Alexandre Schubert, já falei que me descobri TDAH há muitos anos, tendo de muito iniciado o tratamento com o metilfenidato e a terapia de apoio.

    Neste tempo todo passei por várias fases de relacionamento com o meu EU TDAH, e hoje, depois de muita briga, muita mágoa, muita acusação pelas centenas de besteiras que fiz, pequenas e enormes, a relação está bacana.

    Realizei por completo o AUTOPERDÃO. Somos bons amigos, conversamos muito, de igual para igual, nos compreendemos e, o grande lance para mim, nos aceitamos, NOS COMPLETAMOS.

    Acredito que hoje nós somos parceiros, ele me ajuda muito em várias situações. É verdade.

    Tem hora que eu deixo fluir o meu EU TDAH, e ele consegue resolver situações incríveis. Tem hora que ele é divertido, alegre, genial, um cara muito legal e bacana mesmo.

    Tem hora que, ao revés, principalmente quando antevejo que o meu EU TDAH vai cometer os mesmos erros do passado, eu tenho que entrar em campo, às vezes de forma pesada, alertando-o e lembrando-o do quanto ele já sofreu por certas atitudes. Nestas horas, não uso com ele o tom professoral ou coativo ou ameaçador, pois meu eu TDAH não aceita bem este diálogo. Converso com ele como um amigo, tipo um bom amigo.

    Tem hora que o meu eu TDAH me houve, tem hora que não. Aí, nestes casos, já viu né? M.. pura. Mas tudo bem, não me zango mais com ele. Conversamos de novo, e vamos aprimorando, lapidando, nossas técnicas de interação.

    Agora, a minha melhor técnica é buscar identificar, com o máximo de antecedência possível, quando eu vou entrar no impulso, no adiamento crônico, quando estou para falar uma besteira, ou fazer uma piada sem graça ou ofensiva, enfim, fico lendo os sinais para tentar evitar os erros com bastante antecedência.

    Tem dado certo, e o meu nível de erros tem diminuído ao longo dos anos.

    Enfim, com a ajuda do metilfenidato e da terapia (que parei por falta de grana e tempo, mas que vou voltar), hoje eu diria que: Embora a luta nunca termine e não dê trégua; embora continue sendo sempre difícil conviver com o meu EU TDAH, hoje estou bem resolvido com ele, tão bem que não sei se eu, mesmo que aparecesse uma cura, iria querer que ele fosse embora.

    Deixa ele comigo que eu gosto muito dele; ele é apaixonante mesmo, o resto ...., bem, eu dou conta do recado.

    Grande abraço à todos e leiam o comentário do Matheus aí em cima.

    ResponderExcluir
  16. Quanto tempo mais ou menos demoramos a sentir o efeito "total" do concerta??? depois de quantos dias??? Obgada maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu senti no mesmo dia! É como a ritalina, só que vai liberando o medicamento ao longo do dia..

      Excluir
    2. Os efeitos colaterais, em mim, passaram em quase duas semanas e os efeitos do metilfenidato (ritalina LA 40) já me fazem outra pessoa :)
      Contei algo lá no meu blog: http://seguindocomtdah.blogspot.com.br/
      Beijos

      Excluir
    3. Anônimo, faz anos que tomo o CONCERTA, e desde o primeiro dia foi um grande impacto.

      Logo no primeiro dia, eu que dormia antes da novela das oito, fiquei super concentrado e focado e fiquei conversando com minha esposa até as duas da madrugada, "discutindo a relação".

      Minha esposa que não sabia que eu começara a tomar a medicação, acostumada com meu jeitão TDAH de pouca conversa e concentração, pensou que eu tinha sido abduzido por um aliem.

      Claro, teve também uma imediata disposição para encarar os trabalhos rotineiros e as tarefas maçantes do dia a dia.

      Veio junto, uma inicial perda de apetite (não divulgue isto que é para não começarem a tomar o metilfenidato para regime); momentos em que me emocionava do nada; e a minha pressão subiu, em média, um ponto.

      Somando tudo, desde o primeiro dia o efeito foi tão bacana que eu pensava comigo mesmo: "meu deus, felicidade se vende em pílula e eu não sabia."

      Depois as coisas entraram no eixo, (cortei logo a tal discussão de relação, essa aí, para TDAH, e dose né?)

      Mas atenção, minha dose inicial pode ter sido excessiva, ou a sua pode ter sido pequena.

      Por fim, não deixe o impulsivo do TDAH que tem dentro de você te levar a alterar a dose da medicação sem o aconselhamento médico.

      Eu mesmo, claro, TDAH que sou, adoro fazer as coisas por impulso, mas esta medicação para nós e SUPER IMPORTANTE. Não vacila com isto não.

      Excluir
    4. Muito legal esse debate e essa colaboração mútua, esse foi o meu sonho desde o primeiro dia do blog.
      Obrigado a vocês por dividirem esse espaço comigo.
      Não posso falar do Concerta pois nunca o utilizei, mas a Ritalina LA fez o efeito rapidamente e me tornou uma bomba atômica ambulante. Um serial killer em potencial, só usei por um mês, hoje uso a comum.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  17. Vendo o comentário do colega acima, o Walter, sobre o "Eu TDAH", me fez lembrar que naqueles rios de pensamentos, havia 2 Tiagos aqui comigo, conversando entre eles, fora os amigos imaginários na pré adolescência. O blog tá ficando legal, grandes pessoas aqui.

    Hoje, comecei meu tratamento com o Venvanse 50mg, vamos á experiência :

    1o dia - RECONSTRUINDO A VIDA -

    Acordei, com aquela mórbida preguiça, sem vontade de até começar a tomar o remédio, na qual estava tal empolgado. Resolvi dissolver na agua, pois estava atrasado. ENfim entrei no banho, ao sair do banho, senti que o tempo já não estava correndo contra mim. Sensação estranha, parece q fiz as coisas mais devagar, e a hora não agia contra mim.
    Almoço normal- com os pais- pouco mais centrado, menos fome, mas comi bem!
    Logo após o almoço, um cochilo padrão, na cama da mamãe, lembrando os velhos tempos.

    TARDE- voltei ao trabalho, conseguia ter paciência, para ligar para os clientes, não sentia a sensação de querer ir embora, aquela sensação de querer "fugir" dali , também não ficava brincando com moedas e também não ficava o tempo todo rabiscando papel e fazendo desenhos escrotos ao esmo ehehehhe

    Noite- Chega a noite, não senti, vontade de ir pro bar e ter que beber, como se fosse um hábito. Ao dirigir, tive mais paciência com transito, e me preocupava ao passar em buracos e valetas com calma, não tendo aquele comportamento "to nem ai".

    Não tenho mais aquela enchente de pensamentos, me martelando. Consegui ter uma sensação de não me preocupar muito com que as pessoas pensam, senti menos medo, resumindo não senti tanta "paranoia", aquela "correria" interminável.

    Foi só o 1o dia. Sei que ainda é cedo, porém sei que o dia foi diferente, é uma sensação interna, me sinto mais normal.

    Grande abraço a todos, principalmente ao amigo Alexandre!


    TIAGO MESTRE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tiago, obrigado por seu depoimento.
      Estou me preparando para tomar Venvanse, a Ritalina já não me sustenta mais.O diabo é o preço, vamos tentar.
      Legal, mantenha-nos informados por favor, creio que começarei em julho; aí comento com vocês.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  18. Alexandre, que coisa linda está sendo o seu Blog!
    Parabéns mesmo, é de muita ajuda.
    Não deixe de visitar o meu :)
    Beijao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vivi!
      Desculpe-me ando em falta com você, mas minha vida anda muito enrolada. Tenho trabalhado demais, e o número de comentários aumentou muito aqui, não tenho dado conta de me manter em dia.
      Obrigado pela força, não vou deixar de visitar o seu
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  19. Alexandre, posta o IP desse FAKE? Conheco alguns "truqes" que deixarao ele arrepiado!
    Abracos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde acho o IP desse cara?
      Não tenho a menor ideia!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  20. Entretanto, assistindo um pouco os documentarios creio que existe uma certo exagero em relacao a transtornos mentais.
    MAS, classificar psiquiatria como uma industria bilionaria com unico objetivo financeiro? isso ja é exagero! Gracas a PSIQUIATRIA hoje existe medicamentos que auxiliam e muito pessoas com: esquizofrenia, autismo,toc entre outros transtornos serios! DEVEMOS agradecer e muito a psiquiatria.
    ABRACOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cara, tudo tem dois lados, é claro que existem interesses financeiros em todas as doenças, mas querer desmoralizar a psiquiatria é demais.
      É acreditar em duendes, ET e essas coisas.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  21. Esse TIAGO Mestre não sou eu, que tenho o TDAH e procuro sempre colaborar com o blog, deve ser aquele fake lá.Mas já nem me importo mais.hehehe
    Depois tem msg, sobre o 2o dia com o Venvanse.

    ABRAÇOS

    Tiago Mestre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiago, desafio lançado: conte uma do Venvanse que eu conto uma do Concerta. Valeu?

      Excluir
    2. Oi Tiago, em momento nenhum acreditei que fosse vc, já conheço o fake.
      Num único dia ele postou 45 comentários, acredita?
      mas bola pra frente, isso é sinal de que estamos fazemos sucesso.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  22. Beleza walter nascimento, foi muito bom ler seu depoimento. Hoje faz 7 dias que tomo o concerta e também senti desde o primeiro dia a diferença. Estou muito feliz, tenho consulta dia 09 de julho, e já consegui fazer muitas coisas que não era capaz de fazer. Muito obrigada a todos deste blog, abraços, Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Maria, muito obrigado por nos dar um retorno.
      Seu depoimento pode ajudar muita gente.
      Abração e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  23. Obrigada Vivi, Bárbara e Walter pelo apoio.completando o comentario acima, sinto tambem, que temos que ter DISCIPLINA, DISCIPLINA, DISCIPLINA, sempre. Acho fantástico, conseguir estudar, realizar trabalhos manuais, continuo avoadinha como sempre fui, mas com 49 anos, é assim mesmo, mas estou muito feliz mesmoooooo, com menopausa e tudo, agora sei de verdade que vou viver a vida e não apenas passar ao lado dela. E olha Walter, prometo não cair na tentação de querer aumentar a dose, e a medida que os dias vão passando sinto que a boca seca e as insonias vão diminuindo. Que Deus abenções todos nós que somos muito especiais, verdadeiros lutadores pela vida,, Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, que legal!
      Você disse uma coisa muito importante, você tem 49 anos. Não podemos esperar uma vida radicalmente oposta quando somos diagnosticados adultos. Já criamos e solidificamos comportamentos e maneiras de viver que nenhum remédio vai modificar isso facilmente.
      Boa sorte e conte conosco
      Alexandre

      Excluir
  24. Qual a diferença do concerta para a Ritalina LA, a dosagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vivi, ambos são metilfenidato.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  25. hoje faz 09 dias que tomo o concerta, passei um dia muito mal, com muita dor de cabeça, aí me bateu um desanimo, quase não consegui fazer nada...estou triste, e assim mesmo?????? não tinha sentido nada até hoje, só perda de apetite...to triste, Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, eu sentia muita dor de cabeça, no início. Mas ela vai passando, acho que é até o corpo acostumar..

      Excluir
    2. Maria, minhas duas primeiras semanas foram de matar, alem da dor de cabeça a nível de enxaqueca, sentia um enorme desgaste físico e mental, nervosismo, sonolência e depressão. Na terceira semana e nas seguintes tudo se normalizou. Pensei em parar de tomar, mas meu medico me disse para continuar pois em regra essas reacoes adversas sao temporarias.

      Excluir
  26. mais uma vez, muito obrigada Vivi e Bárbara, poder contar com voces e com o Alexandre também, estou do outro lado do oceano, não conheço ninguém com esse problema, não tenho com quem falar, vcs são uma benção em minha vida. Hoje, tomei a medicação, e agora já são quase 11 da manhã e me sinto bem, muito melhor que ontem, obrigada pelo apoio. bjs,Maria

    ResponderExcluir
  27. TENHO UMA RECLAMAÇÃO A FAZER voces colocaram este post novo e não me avisaram kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, eu tava falando sozinha ainda no anterior do dia 15/06 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tem que desenhar e colorir, abraços, Maria (de novo)

    ResponderExcluir
  28. Preciso por um fim nessa dúvida...

    ResponderExcluir
  29. Alexandre, como é o diagnostico exatamente? Porque a psicóloga disse que eu tinha DDA e me encaminhou para um neurologista, pois só ele poderia dar a certeza. Ele me passou um eletroencefalograma, meu cérebro deu normal, mesmo eu quase dormindo durante a sessão e tendo apagado por alguns segundos, algumas vezes. Depois eu li que esse tipo de exame não serve para diagnosticar. Procurei em um monte de sites específicos, todos diziam a mesma coisa. Como foi feito o seu diagnostico?

    ResponderExcluir
  30. Muito bom
    Chegou + 1 tdah na area
    É impressionante a inteligencia dos tdah(s).
    E ao mesmo tempo ñ sabemos utilizar nosso cerebro

    ResponderExcluir