sábado, 22 de junho de 2013

TDAH - ENTENDER PARA CONVIVER





Não somos inválidos; não queremos e não precisamos de pena ou de cuidados especiais.
Apenas temos um timing e uma intensidade diferentes da sua.
Se você quer, realmente, conviver com um TDAH, aprenda sobre a doença. Conhecer o TDAH é a melhor maneira de reconhecê-lo no outro, de saber quando ele está comandando a outra pessoa.
Você tem lapsos de memória; nós temos hiatos de memória.
Você tem momento de irritação; nós, de fúria.
Você tem momentos de devaneio; nós temos momentos de realidade.
Você tem momentos de impulso; nós lutamos contra um tsunami de impulsividade.
Você as vezes se critica; nós nos forjamos sob a crítica alheia.
Você pode ter momentos em que teme a vida; nós, tememos a nós mesmos.
Você acha difícil conviver com um TDAH? Ainda mais difícil é ser um TDAH.
Você já se sentiu incompreendido? Nós nos sentimos marginalizados.
Você teve momentos de arrependimento? Nós temos uma vida de frustrações.
Assim como em você, a vida nos deixou marcas; o que nos diferencia é a sensação de que fomos insuficientes, de que falhamos, de que desperdiçamos nossas vidas.
Tudo isso, cria almas torturadas e intrincadas estratégias anti naufrágio.
Entender o TDAH é munir-se  de uma lupa capaz de devassar nossa alma e, por conseguinte, entendê-la.
Vale a pena conviver com um TDAH?
Essa resposta cabe a você; a nós, não foi dado o direito de escolha.
Não podemos, como você, apenas dizer não, respirar fundo e seguir a vida.