quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

TDAH, A DOR DA INSATISFAÇÃO


Mais forte que o amor.
Mais forte que a lógica.
Mais forte que os filhos.
Mais forte que o sucesso.
Mais forte que a felicidade.
Mais forte que a glória.
Mais forte que a descrença.
Mais forte que Deus.
Mais forte que o corpo.
Mais forte que a alma.
A insatisfação germina em nossa alma.
Toda a força destruidora do TDAH está nela.
Ela é a impulsividade.
Ela é a fúria.
Ela é o isolamento.
Ela é a variação de humor.
Ela é a desatenção.
Ela é a dor suprema de ser TDAH.
Só a mudança aquieta.
Só a mudança acalma.
Só a mudança estabiliza.
Só a mudança entorpece.
Mas o tempo a faz germinar.
E um dia ela retorna.
O novo, que foi novo, envelheceu.
O desafio de outrora foi superado, ou nos venceu.
O caminho novo, agora sabemos de cor.
E ela volta.
A força renovada.
Agita nossa alma.
Agita nossos sonhos.
Agita nossa monótona felicidade.
E então,
atiramo-nos, novamente, no abismo.