domingo, 9 de dezembro de 2012

UM TDAH SE BASTA?









Saltei abismos,
varei noites,
cortei escarpas,
pisei pedras,
venci corredeiras,
escalei cachoeiras.
Gelei ao frio,
ardi ao calor.
Chorei decepções
sorri prazeres.
Ascendi céus,
Mergulhei infernos.
Busquei amores!
Amores que completassem
o vazio da minha alma.
Cansado, sentei; aquietei-me,
e comecei a perceber
que o amor que tanto procuro
pode habitar o meu próprio coração.