segunda-feira, 18 de março de 2013

TDAH - COMO NÃO CONSEGUI VER ISSO ANTES








" As vezes, fico horas pra resolver um exercício de física, calculo e chega outra pessoa, e resolve em 2 minutos... E eu penso, como eu não consegui ver isso antes."

A frase acima é de um comentário que recebi e ilustra muitíssimo bem a nossa vida: Como é que eu não consegui ver isso antes?
E não é só em cálculo. Certa vez, a muitos anos atrás, comprei um lote e a vendedora alterou as condições de pagamento do contrato e não me avisou; eu li o contrato, não enxerguei a mudança e na hora de pagar lá estava a surpresa. E a vendedora argumentou: você leu o contrato, assinou! Mas eu não tinha visto aquilo. Eu estava pensando em outra coisa, meu olhos leram o contrato, minha mente não.
No ensino médio, eu ia nas aulas de matemática e física e prestava atenção, entendia a explicação do professor; ao chegar em casa, me deparar com outros exercícios, simplesmente não sabia o que fazer. Olhava para aqueles problemas como se jamais os tivesse visto. Eu tinha uma prova de física numa terça feira, na segunda era feriado. Minha irmã conseguiu que um amigo dela me desse aulas particulares no domingo e na segunda-feira. Estudei como um louco, na terça fiz a prova, resultado: tirei meio, 0,5. E o professor me deu esse meio ponto pelas tentativas erradas que estavam na prova.
Mudei de escola para uma mais fácil pra conseguir completar o ensino médio. Se não, acho que estaria tentando até hoje.
Quantas vezes passei por cima dos detalhes, não enxerguei o que estava escrito ou o que meu interlocutor me explicava. Na escola e fora dela. Infinitas vezes ouvi a mesma frase: estava escrito no contrato ou eu te falei que era assim. Não enxerguei. Não ouvi.
Antes de ouvir falar em TDAH e fazer tratamento eu ficava perplexo com essas situações. Como eu passei por cima outra vez, meu Deus?
Hoje, sei a origem dessas falhas, trato-me para, pelo menos, reduzi-las. Se falhar novamente, sei a origem o porquê e como agir para não repetir.
Não me torturo, me mantenho atento. Não me auto flagelo, me cobro. Não me puno, me ajudo.
Já carrego um fardo pesado demais pra ficar me espezinhando a cada erro.