sábado, 9 de março de 2013

TDAH SEM VERGONHA






Novo post originário de um comentário.
Recebi agora a pouco um depoimento triste de uma moça de 33 anos que reclama da vida, dos erros, da falta de concentração e de não ter conseguido formar-se num curso superior.
Ela já foi diagnosticada, já usou Ritalina e abandonou o tratamento. Foi jubilada na faculdade, fez novo vestibular, foi aprovada, mas tem vergonha de retomar o mesmo curso em que foi jubilada.
Sua história é muito triste amiga, mas foi toda plantada por você.Inconscientemente, claro.
Você foi diagnosticada, sentiu-se melhor com a Ritalina e a abandonou. Isso não é nenhuma novidade; você não foi a primeira nem será a última. Mas por que você a abandonou se te fazia bem? Provavelmente achou que podia viver sem ela. A um custo altíssimo você está concluindo que sem ela sua vida fica quase insuportável. Então esse é o primeiro passo Luísa: retomar seu tratamento.
O segundo passo, tão urgente e tão grave quanto a retomada do tratamento é ir às aulas na faculdade em que você foi legitimamente aprovada. Você alega estar com vergonha. Vergonha de quê? De ter sido aprovada no vestibular? De retomar algo que você iniciou e teve que interromper por motivos que só interessam a você? Isso não é vergonha, Luísa, isso é auto sabotagem. Você possui sabotadores internos fortíssimos e está, de novo, cedendo a eles. Em primeiro lugar, você deve se orgulhar de ter passado de novo no vestibular. Pra quem se diz burra, lerda e dispersa, ser aprovada em dois vestibulares é uma façanha. E é mesmo.
Em segundo lugar, TDAH não tem vergonha! TDAH enfrenta! TDAH renasce! TDAH reergue-se!
Mergulhe nas informações sobre sua doença (fora dos horários de aula, pelo amor de Deus), tome seus remédios, tome conta de você mesma, de suas reações, de seus sentimentos, de seus impulsos. Conhecendo sua doença você pode agir conscientemente contra ela. Assuma as rédeas de sua vida. Você não é o TDAH! Você é portadora e não vítima. A vida é sua e só você pode mudá-la.
Todos nós, eu, esse blog e cada um de seus leitores estará torcendo pela sua vitória. Eu estarei sempre aqui à sua disposição, o blog também pode servir-lhe de alento e auxílio em momentos difíceis; mas só você, Luísa, pode mudar o rumo de sua vida. Então mude-o.
Seu prazo de coitadinha está vencido. Erga-se, o TDAH que nos derruba é o mesmo que nos dá força e cara de pau para nos reerguermos.
Todos nós passamos por dificuldades, sofremos, choramos, nos auto sabotamos e ferramos com as nossas vidas; mas depois que descobrimos o TDAH, nos tratamos, esse papel não nos cabe mais.
Temos de deixar esse papel de coadjuvantes de nossa própria vida para passarmos a protagonizá-la.
Você está diante de uma grande encruzilhada, ou ergue-se, descobre a sua vida e vai vivê-la na plenitude ou atira-a no lixo e curte o resto da vida o papel de coitadinha irresponsável da família.
Você pode, minha amiga! Você conseguiu ser aprovada em dois vestibulares sem tratamento. Você já deu provas a si mesma de sua força e capacidade. Não se esconda atrás de desculpas vazias, vá pra faculdade e transforme-se num exemplo de superação, de recuperação. Não para os outros, mas pra você mesma.
Vergonha não é desculpa.
TDAH não tem vergonha. TDAH tem coragem!