quinta-feira, 10 de março de 2011

FIM DE CARNAVAL!



Ah, finalmente acabou o carnaval.
Com ele acaba também a vida de fantasia.
A vida de mentira.
Onde homens são mulheres, devassas são castas, frágeis e decadentes se travestem de super heróis, plebeus e decaídos de toda sorte fantasiam-se de nobres, barões, reis e rainhas.
Um espetáculo grotesco de falta de nobreza e beleza.
O carnaval vai embora, levando com ele amores fugazes, de um dia, poucas horas, um único beijo. Leva também delírios de grandeza de gente humilde que sonha em ser importante e rica, escondendo sua feiúra e miséria sob vestes de falsas pedras, ouro barato e plumas sintéticas, na esperança de merecer um olhar de quem pode pagar pelos magníficos camarotes pelas avenidas do Brasil.
Ah, finalmente o carnaval se foi!
Voltamos à realidade!
A realidade das lutas inglórias pelo pão de cada dia. Da miséria sem mácula, sem paetê ou samba que a disfarce.
A realidade da discriminação fantasiada de educação.
A realidade dos casamentos sem amor. Alicerçados em relacionamentos superficiais em falsos amores. Cobertos de uma aparência de esplendor, mas abrigando a mesquinhez humana, a falsidade dos pequenos caráteres que o compõem.
Como é bom voltar a realidade. Onde os nobres roubam e se locupletam das migalhas que deveriam cair para a patuléia. A realidade dos patrões que oprimem, mentem, fraudam os empregados, o governo e o cliente.
Viva a realidade! A realidade da justiça morosa e cruel com quem dela precisa. A justiça que tira duas férias por ano, trabalha seis horas, e nunca aos finais de semana. A justiça que pende sua balança sempre para o lado que pode pagar pelos melhores advogados, as melhores testemunhas e pelas verdades mais verdadeiras.
Chega da fantasia do carnaval!
Como é bom poder voltar a realidade das falsas religiões que manipulam Deus, Jesus, e assaltam os pobres incautos que a procuram em momentos de desespero.
A realidade da educação pífia, voltada apenas à decoreba de fórmulas e fatos. A educação que não ensina o ignorante a pensar, a raciocinar, a analisar, a existir.
Que saudade da realidade do BBB11 e seus diálogos profundos. Suas pessoas honestas, todas com o objetivo nobre de 'fuder' seu colega ao lado. Claro, o prêmio justifica tudo!
Poderemos voltar a ver o congresso nacional com os debates entre Tiririca e Romário em prol do desenvolvimento do país.
A realidade de famílias que sobrevivem do bolsa família, de cestas básicas doadas, de filas do sus, de filas do seguro desemprego, de filas do inss, de filas de cirurgias eletivas, de filas de hemodiálise,de filas para manter-se vivas, pois não tem onde cair mortas.
Finalmente acabou o carnaval!
Como é boa a realidade dos que se agridem e se matam em nome de Deus; dos que se agridem e se matam em nome do amor; dos que se agridem e se matam em nome do dinheiro.Dos que se agridem e se matam sem nenhuma razão, apenas por agredir, apenas por matar, apenas por poder. Poder dominar, poder humilhar, poder subjugar, poder oprimir, poder roubar, poder matar.
A realidade do poder.
Que felicidade; voltamos à vida real!