sábado, 26 de março de 2011

O TDAH E A IMATURIDADE DAS SOLUÇÕES MÁGICAS.




Viver à espera de um milagre!
Esse é um sentimento recorrente na vida de um portador de TDAH.
Esperamos o messias, o salvador da pátria. Vivemos à expectativa de que algo aconteça e mude o rumo de nossas vidas.
Uma repentina oferta de emprego em uma empresa maravilhosa, sem cobranças e com altos salários; a princesa (ou o príncipe) encantado ao dobrar a esquina, linda, compreensiva, inteligente, perfeita, rica, independente, equilibrada; encontrar um dinheiro em local inesperado que nos salve daquele aperto em que nos encontramos; ser descoberto pela globo - ou pela seleção brasileira - e surpreender o mundo com um talento que nem a gente mesmo sabia que tinha.
Soluções mágicas, essa é a verdade. E imediatas.

Imaginar que o sucesso, em qualquer área da vida, ou a satisfação pessoal tenha de vir através de um processo que dure meses, anos, não dá. É demais pro meu colesterol! Anos e anos preparando o solo, plantando, irrigando, para só lá na frente se chegar a uma colheita é impensável.
Lembro-me de imaginar mudanças profundas na educação brasileira. Não por achar que ela precisava de mudanças qualitativas, mas para adequá-la ao meu gosto pessoal. Para que eu conseguisse levar minha formação acadêmica até o fim. Não consegui nem uma coisa, nem outra.
Hoje, eu acredito que a educação brasileira é esquizofrênica e precisa ser mudada urgentemente, mas, naquela época, eu sonhava em moldá-la à minha maneira, ao meu gosto pessoal. Dezenas de aulas de história, geografia, literatura, filosofia, sociologia e português. E uma ou duas aulas de matemática para aprender as quatro operações.
Claro, horário flexível, professores flexíveis, provas e trabalhos flexíveis,enfim, um ensino voltado para mim.
Soluções prontas e acabadas são o sonho do TDAH.
O imediatismo é um sinal de imaturidade, a criança não espera, nem o TDAH. A solução pronta, mágica também, típica do sonho infantil, do conto de fadas. Qual TDAH não quer uma fada igual aquela da Cinderela?
O mais interessante é que sou uma pessoa racional, acredito piamente que a vida é fruto das nossas opções, ações e atitudes. Mas, volta e meia, me pego sonhando com soluções mágicas, alguma surpresa que mude minha vida.
Meu empenho no tratamento do TDAH é motivado pela certeza de que, dando um novo rumo em minha vida, eu não precisarei mais sonhar com soluções milagrosas.