domingo, 23 de janeiro de 2011

ZÉ BUSCAPÉ. O ISOLAMENTO DO TDAH.





Ganhei esse apelido das minhas filhas.
Para quem nao se lembra, Zé Buscapé era um desenho que contava a estória de uma família de ursos extremamente anti-social. Zé Buscapé era o chefe dessa família e só se levantava de sua rede para atirar em qualquer visitante que aparecesse em seu sítio.
Pois é, fiquei com essa fama.
E faço jus a ela.
Eu que fui um adolescente extremamente sociável, aos poucos fui me retraindo, retraindo até me transformar num ermitão.
Deixei de comparecer a eventos em que eu (no caso minha empresa) era um dos patrocinadores. Eventos importantes, cheio de pessoas que eram meu público alvo. Não fui. Fiquei em casa assistindo TV. Minhas filhas quase me mataram quando souberam.

Não tenho nenhuma desculpa plausível. Não fui por uma preguiça de ver gente, de ficar conversando. Eu queria ficar em casa, quietinho, fazendo o que eu queria e gostava.
Imagine uma loja de tintas que patrocina um evento da maior loja de móveis e estofados da cidade. Uma loja caríssima, de renome nacional, voltada para o público A. Além da mostra de decoração da loja, existe uma revista com a fotografia dos ambientes, exibe a logomarca dos patrocinadores e um super coquetel de inauguração. Só gente chique, clientes em potencial e muitos deles já haviam comprado em minha loja. Eram meus conhecidos. Nada adiantou. Não fui e pronto.
Ontem, pequisando sobre TDAH, encontrei em um site chamado "www.tdahemfoco.com.br" um texto com o título: TDAH causa isolamento ao longo da vida. Muito interessante. Aborda a questão do sentimento de inadequação, da sensação de ser menos, de ser inferior, que acaba levando ao isolamento, meio como forma de autopreservação.
Confesso que este é um sentimento difícil de se definir. Não sei exatamente se é essa a razão, não quero cair na tentação de colocar todos os meus defeitos na conta do TDAH. É uma ótima solução para não tentar melhorar outras características ruins que certamente tenho. E que não são culpa do TDAH.
Mas, voltando ao assunto. Não consigo definir se é esse sentimento de "ser menos" o que me levou a esse isolamento, mas eu tenho esse sentimento. Um sentimento de que minha vida é um erro. Tudo meu é mais difícil, mais complicado, mais pesado. O fato de não ter conseguido terminar nenhuma faculdade e o pior;  falei minha vida inteira que gostaria de ter sido professor de História mas, nos últimos tempos, tenho tido vontade de fazer faculdade de Publicidade. Aos 50 anos, mudando de vocação dá um sentimento estranho demais.
Será essa a causa de meu isolamento?
Tento buscar as razões mas não encontro.
Só sei que evito aceitar convites, sei que não comparecerei.
O mais estranho; se vou gosto! Me dou muitíssimo bem, gosto de conversar, modéstia a parte, sou ótimo de papo, alegre, divertido, simpático. Mas quebrar a inércia, sair de casa para encontrar quem quer que seja, isto é muito, mas muito, pesado.
Gosto do meu mundo. Da minha casa. Das pessoas que escolhi para conviver.
Quando comprei minha tv de plasma falei para minha esposa: agora é que não saio de casa nem amarrado.