segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

POEMINHA TDAH! (ARGH)




O título eu esqueci
O início eu adiei
Agora não posso começar,
pois a conta de luz não paguei
No escuro, a vela tento encontrar
mas nunca, nada meu, está em seu lugar.
O que faço agora não sei,
Esta paralisia me irrita, parece que vou explodir
cuidado!, você pode apanhar se não parar de rir.
Vou desistir deste poema,
não sei escrever, muito menos rimar
desistir? que pena!
Mas também, ninguém iria gostar.
Um poema tão fajuto,
de um poeta pouco astuto,
que tenta iludir o leitor
com este embuste sem pudor.
Não me irrite caro amigo,
com raiva sou um perigo,
mas, no mais das vezes
só faço mal ao meu umbigo.
Em minha mente as idéias jorram,
os talentos se multiplicam,
mas disciplina para aprimorá-los, não se iludam
apenas nas tentativas ficam.
Sou um quase saxofonista,
Um quase escritor,
Quase advogado,
Quase filósofo,
Quase bloguista,
Quase um perito no amor,
que não se faz de rogado
se não acha rima para filósofo,
e, não insista,
ser poeta na web, sei lá
não há quem resista,
E se há alguém que desista,
esse alguém sou eu.
Desisti de ser poeta,filósofo e advogado,
sou apenas um sujeito tentando se achar e ser achado.
Mas o google não me vê, o ueba não me enxerga, o ocioso nem me aceita,
que vida horrível essa da net que o mundo inteiro me rejeita.
Ou pior, nem sabe que existo.
Mas não me entrego,
 não desisto.
nunca vou me entregah
afinal sou um TDAH.
(aaarrrrrrrrrrrrrrrrrgggggggggggggghhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh)