domingo, 23 de dezembro de 2018

TDAH; VOCÊ SE SENTE UMA FRAUDE?






Trabalho ao lado de uma pessoa brilhante. Sem nenhuma formação específica essa moça coordena toda a complexa linha de produção da empresa. Toma decisões de maneira rápida, segura e acertada que me enchem de admiração e inveja.
Seu conhecimento e capacidade são respeitados por todos os funcionários, alguns muito mais velhos, ou mais antigos de casa.
A algum tempo venho suspeitando de que ela seja portadora de TDAH. Sua vida pessoal louca e caótica, baseada sempre em atitudes impulsivas e inconsequentes, abuso de bebida, inquietação mental e física, a necessidade de expor-se e chocar as pessoas. Caos que só foi controlar-se após a gravidez de risco e a maternidade.
 Essa semana ela disse a frase que mais caracteriza um TDAH. Ao vê-la atender uma nova cliente potencial, com a desenvoltura e confiança costumeiras, não resisti à tentação de elogiá-la; sua resposta foi sintomática : " quando estou atendendo um cliente sempre penso que estou representando um papel.  SEMPRE ME SINTO UMA FRAUDE. "
Poucos sentimentos são tão fortes e representativos do TDAH quanto esse; por mais que o portador tenha noção de sua capacidade, e ela tem, ele não acredita nela. Todos os erros cometidos ao longo da vida deixam a sensação de que vai errar de novo e será descoberto, será desmascarado; sua verdadeira essência de incapaz será desnudada. Junte a esse sentimento de inferioridade outro sintoma  basilar do TDAH, a auto sabotagem, e teremos uma tragédia anunciada: um erro grave por negligência, irresponsabilidade ou inconsequência que, enfim, irá desmascarar o TDAH restituindo-o ao limbo que ele merece.
Felizmente não é o caso de minha companheira de trabalho, ela encontrou no trabalho seu hiperfoco, e ninguém supera um TDAH hiperfocado. Nem a carga de trabalho, nem a quantidade de trabalho, muito menos desafios; este sim, o verdadeiro combustível de um TDAH. Somos movidos por desafios, por superações, por transpor obstáculos; e quando eles não existem, nós os criamos. Em geral com funestas consequências.
Mas trabalhar ao lado de uma TDAH hiperfocada é mais que um prazer, é um privilégio. Fico  com a certeza de que, uma vez encontrado o hiperfoco, o que nos motiva, ninguém nos supera.
Obrigado por essa chance de vê-la em ação de maneira tão firme quanto brilhante, sem perder o humor ácido e o sorriso fácil.
Mais TDAH, impossível!

2 comentários:

  1. Exatamente... "por mais que o portador tenha noção de sua capacidade, e ela tem, ele não acredita nela."

    ResponderExcluir
  2. Exercício para limpar a cabeça. Não prometo cura, mas melhora ao longo das semanas. Tente, ao ir dormir, pensar menos, mesmo que não funcione muito, mesmo que os pensamentos voltem, e até com mais vigor. Quando eles diminuírem, tente se lembrar de que está disposto a tentar. pode ser que não funcione muito bem nos primeiros dias, mas acredite, isso já foi um comando que você deu à sua mente, e ela já vai procurar fazer isso de uma maneira automática, mas você tem que insistir, para que esse comando torne-se mais forte. Não tente fazer isso com um peso grande de um compromisso, apenas faça, com leveza. Será como escavar a terra para achar algo que está enterrado a alguns metros, e cada vez que voc~e tenta isso, é como se você tivesse conseguido alguns centímetros, por isso pode levar várias tentativas. E provavelmente só funcionará ao cabo de vários dias.
    Uma outra coisa que se deve fazer é tentar prestar atenção ao que você tiver em sua volta, como os sons de carros, do vento, às texturas da mesa, de um pano de mesa, do seu colchão, de uma fruta, dos talheres, ou a temperatura. Vá aos poucos fazendo isso. O segredo é enraizar a sua atenção na REALIDADE. Preste atenção: a REALIDADE é RICA, voc~e pode prestar atenção a uma INFINIDADE de coisas. Aos poucos, você deixando uma pequena parte da sua atenção se enraizar, você terá agora coisas para pensar sobre as coisas palpáveis, e não apenas virtualizações, que nada mais são imagens e raciocínios que sua mente captou da própria REALIDADE anteriormente, porém ela o fez como se tivesse tirado uma "fotografia".
    Todas essas coisas você deve tentar fazer ao mesmo tempo que retira de si as PREOCUPAÇÕES, mesmo que elas voltem, você precisa empurrá-las para o lado, elas vão continuar existindo, claro, mas esse PÉ NO CHÃO deve ser uma espécie de hablidade que VOCÊ JÁ TEM! mas que não desesnvolveu muito bem, já que sua mente tomoou conta de tudo,já que, claro, nossa mente inventa coisas MUITO MAIS DIVERTIDAS e PREOCUPANTES, tomando conta de tudo.

    ResponderExcluir