domingo, 18 de agosto de 2013

TDAH - MEDICAI E VIGIAI






O amigo Rafael Salazar em um comentário muito inteligente diz que apenas a Ritalina não resolve no tratamento do TDAH, o que resolve é: 'MEDICAI E VIGIAI'.
Esta expressão sintetiza minha última consulta com minha neurologista, a Dra. Valéria Modesto. Com o desaparecimento da Ritalina do mercado, resolvi racionar o medicamento, reduzindo a dosagem de 30mg por dia para apenas 10mg por dia; mesmo assim, sem tomar aos sábados e domingos e, ao final da última caixa tomando em dias alternados. Ou seja, na prática, fiquei sem tratamento; e não fiz grandes besteiras. Claro, minha produtividade caiu, fiquei mais disperso e menos concentrado, mas como fiz pra não voltar à estaca zero?
VIGIEI!!!!
Mas vigiei muito! Mas muito mesmo! Penso em função da doença.
Quero enrolar no trabalho? logo me aviso: Alexandre, esse é o TDAH pensando por você.
A ira me sobe? respiro e penso: não vou falar nada agora, esse não sou eu.
A impulsividade me convida? calma, Alexandre, é isso que você quer para o seu futuro?
E juro a vocês, é exatamente assim que eu penso; me chamando pelo nome, me perguntando e me cobrando. Quantas vezes nesse período me levantei da mesa e disse pra mim mesmo: vai trabalhar vagabundo, você tem metas a cumprir, precisa desse emprego...
Um sem número de vezes engoli aquela palavra destruidora que nos vem à ponta da língua e põe fim a relacionamentos, amizades, empregos e diálogos.
Descobri, graças à NOVARTIS, que o VIGIAI é tão importante quanto o MEDICAI, mas sei também que um não vai muito longe sem o outro. Um desânimo tem me invadido, pensamentos derrotistas começam a surgir no horizonte, com o VIGIAI ligado tenho afastado essas possibilidades de entreguismo, mas sei que a força do TDAH é muito grande e, a persistir a falta do uso contínuo, eu estaria fadado ao fracasso no meu tratamento. Por isso marquei uma nova consulta com minha 'anja da guarda' e ali decidimos dar um novo passo em meu tratamento. Aliás um passo caríssimo, mas eu mereço. Vou começar na próxima semana a tomar o Venvanse. Caro pra caramba, mas é mais importante do que gastar essa grana a esmo, com coisas sem importância. Repito: eu mereço!
A base de todo o meu tratamento, de meus posts e, principalmente, das respostas aos comentários é: aceite seu TDAH, conheça a fundo a sua doença, leia, assista vídeos, discuta o assunto, aprenda e conheça o TDAH; e policie-se para enxergar quando ele está atuando em sua vida. Quando sua vontade é substituída pela vontade sabotadora do TDAH. Quando suas atitudes são substituídas pela impulsividade do TDAH. Quando suas respostas são substituídas pela ira do TDAH.
Enfim, VIGIAI, para que o TDAH não o pegue desprevenido como pegou nosso amigo e colaborador precioso Walter; trazendo-lhe transtorno num momento da vida em que parecia que não seria mais pego de surpresa. Mas o VIGIAI é importante para que percebamos que não podemos abrir mão do MEDICAI, como eu, que quase caí nesse engodo ao me achar ótimo mesmo sub medicado. O VIGIAI e este blog, que amo, me fizeram ver que, lentamente, eu descia a ladeira de volta à base do caminho.
Por fim, se seu dinheiro (como o meu) não dá pra fazer terapia, escreva um blog, um caderno, folhas soltas; mesmo que ninguém leia, mesmo que você ache que escreve mal, ao escrever você "movimenta" seu TDAH; você vivencia seu TDAH, e enxerga novas possibilidades, novos caminhos, novas alternativas.
Não se esqueça, MEDICAI E VIGIAI!
Mas, se você quiser (e precisar) de uma ajuda extra, uma força a mais, acrescente o ORAI, como sugeriu a amiga Maria Bonita.
MEDICAI, ORAI E VIGIAI. Assim você estará protegido pela ciência, por Deus e por você mesmo.

60 comentários:

  1. Amei! Maravilhoso, querido amigo. Eu como sou sonhadora preciso demais do VIGIAI. Por favor me de notícias do nosso amigo Walter. Deus te abençoe muito. Amei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Bonita!
      Todos somos sonhadores, amiga, faz parte da nossa alma TDAH.
      Também tô preocupado com o Walter, tá sumido e não tenho email dele.
      Abração e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  2. Olá, Alexandre! Já faz tempo que acompanho o seu blog, comento aqui quase sempre, já pesquisei (e encontrei) nele e em outros sites informações que me esclareceram bastantes dúvidas a respeito do TDAH, mas uma coisa vem deixando-me curiosa e pasmada, trata-se da distração. Sempre fui distraída, desde criança, já levei alcunhas como “sonsa” (pouco me importava), porém, de uns tempos para cá, minha falta de atenção já está atingindo os limites toleráveis. Me pego fazendo coisas absurdas, “perdida” em meio às conversas, “viajo” enquanto estou andando (tropeço facilmente e, não muito distante disto, sou apta a cair com facilidade), sem contar os esquecimentos. Gostaria, enfim, de perguntar: a nossa desconcentração aumenta à medida que envelhecemos? Quanto mais o tempo passa, pior fico, sei que tudo isto poderia ser amenizado com tratamento, de qualquer forma, creio que sendo explicadas todas as indagações que possuo, terei capacidade para escolher o mais adequado às minhas necessidades.
    Abraços!
    Lídia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lidia, as mulheres sofrem demais com o tdah... Com a tpm. Menopausa... Não sei sua idade, mas tenho 49 e só agora fui diagnosticada, sofri uma vida... Vc faz tratamento? Eu tomo concerta 36 e vou pro 54 e faço reposição hormonal natural é um caos

      Excluir
    2. Olá, Alexandre, peço por favor para apagar o comentário apagado acima, o Blogger acima não é meu.
      Estava conectado e não vi. Desculpe o incômodo.

      Excluir
    3. Maria Bonita, tenho 20 anos, ainda não faço tratamentos, tive outros problemas de saúde que tomaram minha preocupação, porém de uns dois anos para cá o TDAH vem me castigando bastante, minha falta de atenção tem me atrapalhado até em tarefas simples do cotidiano.

      Abraços!

      Lídia

      Excluir
    4. Também notei essa piora com o tempo.
      Não costumo cair nem derrubar coisas, acho que isso tem a ver com pressa também. Mas em compensação, me machuco nos mesmos lugares. Se passo em um lugar e bato a cabeça, toda vez que passo naquele mesmo lugar, bato a cabeça de novo, nunca presto atenção.

      Excluir
    5. Meninas, tratem se! Emaravilhoso, bjinhos

      Excluir
    6. Oi Lídia, bom te ver de volta.
      Acredito que com a idade, o aumento das responsabilidades, o acúmulo de tarefas, nossa mente já meio combalida piora sensivelmente.
      Trate-se Lídia, sua vida merece muito mais do que você tem dado à ela.
      A maioria do que falam dos medicamentos é falso eu tomo Ritalina a dois anos, parei e não tive nenhum tipo de problema. No entanto, os benefícios são verdadeiros, sua vida muda completamente. Desde a memória até a impulsividade e a produtividade.
      Dê esse presente a você mesma, trate-se.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  3. Se houvesse um top 5 de matérias do reconstruindo a vida, este estaria entre eles. Estas palavras foram maravilhosas.
    Des de que comecei a ler este blog o Vigiai ja vinha sendo muito citado por você mas agora com essa denominação "Vigiai" sintetiza de forma objetiva nossa luta diária contra o TDAH.
    VIGIAI!!!
    VIGIAI!!!
    VIGIAI!!!
    VIGIAI!!!
    Vai ser meu grito de guerra contra o TDAH, minha melhor arma.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio.
      Sim, vigiai, mas vigiai muito mesmo.
      Eu também amei essa expressão do Rafael Salazar, sintetiza tudo.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      adorei a ideia do grito de guerra :DD
      estou precisando disso tbm, até porque conversa comigo mesma não está funcionando tanto.. qm sabe um gritinho acorda mais rápido ...rsrsr

      Excluir
  4. já fez tratamento com bupropiona? devido a falta de profissionais com receita amarela estou sendo obrigado a usar este medicamento ou pagar consulta particular... alguém conhece os resultados? - Leonardo Alcantara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, eu utilizo esse, mais precisamente o Bupium. No começo foi legal, estava tomando um por dia, mas com o tempo vi a necessidade de aumentar, e fiz isso por conta própria. Comecei a tomar duas vezes ao dia, depois falei ao médico e ele aceitou, mas hoje, depois de dois meses tomando duas vezes ao dia já sinto a necessidade de mais, o meu neuro parece um pouco reticente para me passar a Ritalina, mas sei que o próximo passo será este.

      Claro que cada pessoa tem um organismo e um grau, a bupropiona ajuda, mas acho que depois que sentimos a melhora queremos mais, não por vício, mas por querer ser melhor ainda e cada vez melhor rsrs...

      Abraço
      Daniel

      Excluir
    2. Obrigado Daniel, eu tomava Ritalina, mas o sistema público de saúde não fornece mais receita amarela aqui em Goiania, então me passaram bupropiona, depois de 10 dias tomando me sinto melhor, mas a Ritalina me dava mais ânimo. Agora tomo dois ao dia, conforme pediu o médico. Eu só queria saber mesmo de quem faz uso desse medicamento se realmente ajuda. Valeu, Daniel.

      Até mais

      Leonardo Alcantara

      Excluir
    3. Opa! Eu descobri que sou TDAH há 6 meses e comecei meu tratamento com bupropiona (wellbutrin). Fizemos isso porque eu tenho várias comorbidades e já estava tratando delas com venlafaxina. Diagnosticado com 39 anos acumulei um punhado de companheiros do TDAH - ansiedade, pânico, depressão, manias etc. A Bupropiona não é a primeira opção para TDAH, mas como é dopaminérgica ajuda bastante. Tive muita reação colateral no começo. Depois foi melhorando e em um mês estava já fazendo coisas que eu abandonaria fácil. Comecei com 150 e mudei para 300. O efeito do XL é 24 horas, então só preciso tomar de manhã. Já fiz algumas terapias quando tinha dinheiro, mas não adiantou nada. Agora medicado corretamente vejo que tudo faz sentido. Apesar de não poder fazer TCC agora, que é a melhor pra gente, aplico as coisas que já trabalhei e elas fazem diferença hoje. Temos sempre que lembrar que a medicação é só o começo. Ela nos dá um suporte, corrigindo o nível de dopamina no cérebro. O resto é com nossa Atitude!
      Eu não estava conseguindo escrever uma linha antes desse medicamento. Hoje fico bastante concentrado e minha memória tá funcionando.
      Então é Orai, medicai, vigiai, orai, medicai....e assim sucessivamente! Para sempre enquanto durarmos!
      Infelizmente no Brasil tudo é caro e para termos acesso a profissionais competentes e a remédios bons precisamos investir muito! Muito mesmo. Tem médico que tá 500 pilas e remédio passa facil dos 300 por mês.
      Não canso de falar, mas a troca de idéias que o blog do Alexandre permite é ímpar e me sinto mais vigiado quando leio os posts, pois cada um tem alguma coisa que sentimos agora ou já passamos.

      Não estou defendendo tratamento A ou B, somente dizendo que pra mim funciona e não é tão caro, sendo que pode-se conseguir na rede pública.

      Abraços,
      Rafael P.

      Excluir
    4. Boa noite Leonardo!
      Eu não uso Bupropiona ou nunca usei, mas as respostas acima são completíssimas e não precisam de minha ajuda.
      Metendo a colher na resposta do Rafael, aí em cima,realmente tudo no Brasil é um roubo. Estou a meses tentando começar a tomar o Venvanse mas custa quase 300 reais, não é fácil arrancar essa grana.
      Quanto ao blog, vocês não imaginam o bem que me faz. estar aqui lendo, respondendo, comentando me mantém em equilíbrio, me ajuda demais.
      Agradeço a todos vocês pela participação,
      Abração a todos
      Alexandre

      Excluir
    5. Alexandre, tudo certo? Quando tomar coragem de começar com o Venvanse não deixe de postar suas impressões, as diferenças da ritalina, efeitos colaterais, etc.
      O problema é que não existem estudos que nos dê alternativas, além de outros remédios não serem aprovados aqui. Um exemplo: nos estados unidos tem indicação de cafeína para TDAH, que teria o mesmo efeito estimulante do metilfenidato, mas como lá não tem problema com a ritalina, ninguém usa. Então não fizeram estudos sobre a cafeína. Ainda bem que tem algumas poucas opções. Imagina há mais 40, 50 anos atrás. Devia ser um tratamento bem primário, atacando formiga com tiro de canhão.
      Bom, vamos com fé!
      Grande abraço!
      Rafael P

      Excluir
    6. E hoje Rafael!
      Comeco hoje com o Venvanse!
      A noite posto as primeiras impressoes.
      Abracos
      Alexandre

      Excluir
    7. Venvanse
      Oi Rafael, comecei com o Venvanse anteontem, mas ao contrário da Ritalina, seu efeito não é imediato, por isso ainda não fiz um post.
      A favor até agora é o fato de eu não ter tido NENHUM efeito colateral.
      No primeiro dia senti um pouco de boca seca, mas nem sei se foi do remédio pois tive um dia muito corrido, com trabalho pesado. De resto, tudo normal. Positivo foi uma sensação de maior disposição, maior energia até o fim da tarde. Mas isso pode ser efeito placebo também.
      Mais pra semana eu conto mais.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    8. Poxa Alexandre! Que bom!
      Morri de rir aqui. "De resto tudo normal". Se estiver tudo normal já era o TDAH! O normal para um TDAH é uma coisa multipla! Tudo ao mesmo tempo agora.
      Vamos esperar, como é de praxe pra gente!
      Abraço,
      Rafael P.

      Excluir
  5. Olá , meu marido foi diagnosticado com TDAH recentemente , ele tem 35 anos e sempre viveu como um "maluco descontrolado", até que nos casamos a um ano atras, quando eu vi que algo não era certo, e que não era só um jeito de ser...
    Foi aí que resolvemos buscar ajuda de um médico e iniciar uma luta...Não tem sido fácil, tantas coisas que parece que não vamos conseguir vencer.Mas lendo esta publicação (aliás todas)mas esta em especial, fortaleço minha fé e creio que meu esposo conseguira viver melhor a cada dia ,ORANDO,VIGIANDO,E MEDICANDO !!!
    Continue escrevendo é muito importante! Que Deus abençoe !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei pelo que ele deve ter passado durante a vida, fui diagnosticado tardiamente também aos 30 anos, de lá pra cá já voltei pra faculdade, fui promovido no trabalho, parei de me arriscar no transito, me sinto bem melhor... medicar e vigiar sempre!

      Leonardo Alcantara

      Excluir
    2. Leonardo Alcantara, minha história é igualzinha a sua! Só fui descobrir esta doença aos 30 anos. Fico pensando em quanta coisa eu poderia ter feito pela minha vida, se eu tivesse descoberto isto mais cedo.
      Depois que comecei com o remédio, foi questão de dias pra minha vida mudar completamente. Voltei pra faculdade, consegui um emprego melhor, estou estudando para um concurso de tribunal, coisa que antes, eu nem cogitava, pois não me sentia capaz.
      Tudo que antes, eu não conseguia ou não tinha iniciativa para fazer, agora eu tenho! Minha alto estima está nas alturas. Nunca me senti tão bem em toda vida. Pra mim, não existe sentimento melhor do que do que se sentir confiante.
      *Márcia*

      Excluir
    3. É isso aí, o diagnóstico em adulto nos deixa na boca esse sabor amargo de tudo o que jogamos fora; mas não podemos nos prender a isso, passou. Fomos vítimas de uma doença que não sabíamos que tínhamos e, portanto, não cabe culpa ou reclamação.
      No adulto o VIGIAI é fundamental, ao longo da vida de TDAH não diagnosticado, criamos estratégias e formas de sobrevivência que ao sermos medicados podem ser transformar em problemas. Vigiando, reconhecendo o TDAH, podemos nos defender de nós mesmos.
      Um abraço a todos
      Alexandre

      Excluir
    4. Descobrir ser portador de uma doença que prejudica a atenção é melhor do que passar a vida toda se enxergando como uma pessoa ruim, que comete erros por desvios de caráter, má vontade e preguiça. Não há culpa em ter uma doença,e é bom saber que existe meios de controlar. Já é um motivo para querer recomeçar e dar mais uma chance a si mesmo.

      Excluir
    5. Concordo plenamente, Anônimo, o diagnóstico muda a nossa opinião sobre nós mesmos e nos oferece a chance de atuar contra aquilo que achávamos ser um defeito nosso, de caráter.
      Sempre senti o diagnóstico como uma libertação.
      abraços
      Alexandre

      Excluir
    6. Melhor ainda quando há outras pessoas incentivando ao tratamento. Já vi algumas pessoas que desconfiam ter o TDAH, mas tem medo de pedir ajuda, têm medo de que as pessoas pensem que a pessoa não tem nada e está procurando uma desculpa. Quando a ajuda vêm de fora, acho que não custa a pessoa dar mais uma chance a si mesmo.

      Excluir
    7. Já vi uma pessoa na internet dizendo " Tenho vontade de procurar ajuda, mas tenho medo de parecer que estou tentando fazer os outros de bobo". Acho que é um dos motivos que levam as pessoas à recusar ajuda.

      Excluir
  6. Bom dia Alexandre, bom dia comunidade amiga. Falei isso pro meu marido ontem, acreditam? E como o comentário da nossa amiga anônima aí de cima, até agora ele é conhecido como o "maluco descontrolado" da família. Ele não consegue se controlar, se concentrar... E faltou a um monte de consultas com o neuro, mas essa semana sem que eu o cobrasse, ele marcou uma consulta na quarta e irá! Super feliz de ele ter se focado! De uns dias para cá ele começou a tomar o meu antidepressivo Venlafaxina, e tem mudado, (sim, o médico não receitou nada até agora, e, no desespero, vai o que tem, mas não indico se medicar por conta própria). É tão bom chegar aqui no blog e ler os textos e os comentários, me sinto compreendida. Um abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aninha, boa noite!
      O homem tem muito mais dificuldade de tratar-se do que as mulheres. Repare que o blog tem muito mais mulheres do que homens. Eu mesmo sou ótimo pro tratamento do TDAH, mas pro resto tenho enorme dificuldade.
      Uma dica, tente não cobrar dele, evite bater de frente. Tente ir pelos lados, mostrando vitórias do tratamento ou realçando aquilo que ele poderia estar ganhando se estivesse se tratando.
      abração
      Alexandre

      Excluir
    2. Muito obrigada pelo carinho e pela resposta Alexandre. Hoje era o que necessitava ler. Meu esposo foi ao médico, e, segundo suas palavras, o médico disse que ele deve ir em outro médico... Sei que o médico está certo, mas enquanto não vem a medicação, ele sofre, eu sofro, e agente teme ficar nesse looping pro resto da vida. Ele foi diagnosticado quando ainda era criança, pra se ter uma ideia, mas a psicopedagoga achou melhor não medicá-lo, só olhou para a minha sogra e disse que não se esperasse nada dele, pois era um caso perdido... Bom, voltando para a nossa luta com fé e ânimo renovados! Obrigada a todos aqui!

      Excluir
    3. Aninha, força, tem solução, não desista, estamos juntos sim, vcs vão encontrar um médico bom, estamos torcendo por vcs, bj gde

      Excluir
    4. Essa psicopedagoga tinha de ser presa Aninha!
      Que mulher cretina.
      Mau caráter.
      O mais importante é ele acreditar que tem solução, que seu 'defeito' não é de caráter. E acreditar no tratamento como forma de melhorar.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  7. EU ME RELACIONO com uma pessoa com TDAH a um ano e meio nossa eu sofro demais e demorei um pouco a me dar conta do que ela tinha,ela some as vezes diz que me ama masi não quer namorar agora,eu as vezes não sei oque fazer,mais entendi tudo sobre TDAH e conversei com ela,mais nada mudou =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu adorei esse blog,pude entender muitas coisas,mais para eu me relacionar com uma pessoa TDAH Ter paciencia ,ajuda-la e tudo mais,ela precisar querer isso tbm correto?

      Excluir
    2. Exatamente! É fundamental! Nos somos os primeiros a olhar por nós, tratamento e responsabilidade nossa, a ajuda é complemento indispensável sempre

      Excluir
    3. Exatamente! É fundamental! Nos somos os primeiros a olhar por nós, tratamento e responsabilidade nossa, a ajuda é complemento indispensável sempre

      Excluir
    4. Boa noite Camila!
      Vou dizer pra você o que eu digo sempre sobre essa questão de relacionamentos: o fato de você amar um TDAH não quer dizer que você deva aceitar tudo e deixar de amar-se. Existe um limite para aceitar as TDAHZICES da pessoa amada.
      Parte do comportamento dela pode ser do TDAH, mas você deve estabelecer até aonde vale a pena.
      Ame-se, respeite-se, e ela vai amá-la e respeitá-la muito mais.
      Abraços e obrigado pelos elogios
      Alexandre

      Excluir
    5. Obrigada pelo conselho alexandre é o que tento fazer a todo momento e muito complicado,na verdade é um desafio,vamos ver se consigo vencer

      Excluir
    6. Complicado é mesmo, Camila.
      E, normalmente, a pessoa com TDAH é muito envolvente, sedutora...
      Isso só dificulta nossa razão.
      Força, Camila, não desista, principalmente de VOCÊ.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    7. A pessoa com mais impulsividade é realmente mais envolvente e sedutora.
      Eu não tenho o lado da impulsividade / hiperatividade, só a desatenção. Nunca tive carisma nenhum, queria ter, rs... sou apática e inexpressiva, como me dizem, sou uma moleza só, rsrs.

      Excluir
  8. Pessoal é bom saber que não sou um ET e que tem mais gente na mesma luta. Porém vejo que tem gente por aqui que pode passar pelas mesmas dores que aqueles que estavam a minha volta e eu passamos. Numa relação tudo tem limite eu sei mas com todo nosso esforço, nossa atenção, memória e determinação chega no máximo a ficar igual as pessoas comuns. Somos criativos e nossa exagerada motivação inicial faz com que os parceiros se apaixonem e criem grandes expectativas. Amem pelo que somos e não por nosso potencial. Aos tdah, se tratem, mas não deixem a motivação, a alegria e a eterna criança dentro de nós desaparecer. Em função das perdas, perdi parte disso, desenvolvi a culpa e vivo com a ansiedade e o medo de ver tudo se repetir.
    abraço,
    Rafael Salazar.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, continue comentando, seus comentários são verdadeiras minas de novos posts. rsrsrs
      Obrigado por sua participação!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  11. Boa noite alexandre, gostaria de saber se há algum post seu sobre desmotivaçao. Mesmo medicada e vigiando, as vezes bate um vazio, um sentimento de parar tudo, nao por ligar o foda-se'', so pelo simples fato de poder ficar na minha calmaria, sem ter que me preocupar com o mundo caotico do dia-a-dia..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre Schubert22 de agosto de 2013 00:15

      Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. oi, tem esses

      O TDAH E O DESINTERESSE DOENTIO
      http://www.tdah-reconstruindoavida.com.br/2013/08/o-tdah-e-o-desinteresse-doentio.html

      A SOLIDÃO DO TDAH
      http://www.tdah-reconstruindoavida.com.br/2013/06/a-solidao-do-tdah.html

      Excluir
    3. Em primeiro lugar, obrigado ao anônimo aí de cima que, muita mais eficiente do que eu, te sugeriu dois posts meus. Obrigado.
      Esse vazio nos assalta mesmo, acho que fruto mais de uma comorbidade do que do TDAH. Ou não, sei lá. Vou pensar nisso.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    4. Boa noite Alexandre. Hoje faz 7 meses que estou me tratando com o Venvanse. Ele melhorou muito a minha vida ( sem os efeitos rebotes do Metilfenidato) e hoje levo uma vida no estilo que você uma vez publicou: Casa - trabalho ( Raramente saio, amo ficar em casa lendo, navegando na internet e cuidando dos meus cães, sou feliz e me sinto bem assim) mas meu médico acha que estou acomodado demais, e que não saio porque sou ansioso para lidar com o mundo lá fora ( mais uma vez, cai em uma mensagem sua: não sou ansioso, apenas sinto preguiça de ver gente, amo a minha companhia)mas ele não consegue entender isso, e me prescreveu o Depakote 500 ER, mas não quero tomar: Estou tranquilo como estou, não quero lidar com efeitos colaterais de mais uma nova medicação e como não tenho Depressão, tenho medo ( por ser um estabilizador de humor, acabar "derrubando" meu frágil e tão duramente conseguido bem estar que tenho desfrutado nesses últimos meses). Desculpe o incomodar, mas queria saber se você compreende o meu raciocínio e o que faria se fosse diante dessa situação. Abraço e obrigado.

      Excluir
  12. Olá meu amigo!
    Mais um vez procurando um ponto pra focar minha mente perdida, pra deixá-la descansar em apenas uma única coisa: o blog! rs Alívio, alívio, alívio! rs
    O que me pega agora é a faaalta de vontade. Penso na terapia e no dinheiro e me vem mais desânimo, hehehehe Mas, como vc, também estou me vigiando de perto e resultado: fiz tudo o que tinha que fazer e diante do "e agora meu Deus, o que faço?!", vim pra cá! ^^
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, minha amiga!
      Que bom que você veio!
      Outro dia eu fiz o mesmo, a mente vagando, uma tristeza... parei no seu blog. Muito bom termos esses portos seguros; e mais que seguros, aconchegantes.
      Força amiga!
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  13. Oi, eu queria saber o que é TCC Terapia Cognitiva Comportamental. É algo parecido com programação neurolinguística? É feito por psicólogo ou terapeuta, que perguntas eles fazem, existe algum tipo de exercício?
    Alguém aqui ja fez, quais foram os resultados? Estes resultados são rapidos ou não?
    Tenho tdah e uso ritalina há 8 anos, nunca fiz nenhum tipo de terapia.

    Alexandre, também estou aguardando seu "parecer" sobre o venvanse. Meu médico queria me receita-lo, pois nestes 8 anos só usei a ritalina de 10 mg. Estou adiando porque achei muito caro, por enquanto está fora das minhas possibilidades, e a ritalina ainda resolve meus problemas rs.

    Deborah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Deborah!!
      Eu não sei exatamente o que é a TCC, quando fui diagnosticado minha médica me falou sobre ela como sendo a mais eficiente para nós. Segundo ela é a terapia de resultados mais rápidos, o que cai como uma luva para nós. Desnecessário dizer que nunca fiz por falta de grana.
      Quanto ao Venvanse comecei essa semana; fiz um enorme sacrifício e comprei.
      Diferentemente da Ritalina, seu efeito vem com o tempo (tipo sertralina -se é que você já usou) e só tomei três dias por enquanto.
      De positivo o que senti foi mais energia ao longo do dia e a absoluta ausência de efeitos colaterais.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
    2. Obrigada pela atenção Alexandre. O meu médico neurologista nunca me indicou fazer terapia, mas já ouvi falar muito, principalmente aqui no seu blog. Não sei se esta certo o que vou dizer, mas no meu caso, preciso de resultados rápidos, até porque fui diagnosticada tarde, tive muito prejuízo na minha vida por causa do tdah.

      Quando tomo ritalina, sinto os efeitos no máximo meia hora depois, e depois de no máximo 4 horas os efeitos cessam, e também me dá muita energia!
      Tenho intenção de mudar para o venvanse, mas não por enquanto. Agradeço mais uma vez pelo esclarecimento.
      Deborah

      Excluir
    3. Oi Deborah, eu acredito muito na terapia pra adultos. O TDAH ao longo da vida nos deixa muito fragilizados e não há remédio pra isso, somente a terapia. Não é uma terapia para o TDAH, mas para os estragos que o TDAH fez em nossas vidas.
      O efeito da Ritalina é assim mesmo, resultado imediato de curta duração. Existe a ritalina LA, de longa duração, mas não tem o mesmo efeito imediato, custa caro e, no meu caso, deixou-me nervoso demais.
      Abração
      Alexandre

      Excluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Depois de 09 mese de uso do Venvanse, precisei desistir dele, por mais que eu gostasse da calma que ele me dava, aos poucos ele foi acabando comigo. Deformou a minha personalidade, me deixou apático a tudo, foi o medicamento que sem eu perceber foi me roubando de mim mesmo. De uma pessoa vibrante, cheia de vida, divertida, me tornei, aos poucos, chato, extremamente rígido, o pouco de coisas que eu gostava ( livros) e vida social que tinha ele apagou, nada mais me interessava. O pior de tudo é quando você tenta ficar um dia que seja sem tomá-lo, um horror, ao contrário do Metilfenidato ele é extremamente viciante, você vira um bicho agressivo e deprimido se ficar sem tomar. Sei que cada organismo é responde de uma maneira às medicações, mas faço aqui um apelo para que quem estiver bem, quieto com a sua Ritalina, não faça a besteira que fiz lá atrás de trocar pelo Venvanse. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  16. Você disse tudo, VIGIAI! Assim tenho vivido por todos os dias. Sem medicamento, lutando ferozmente contra a avalanche do TDAH. Há dias de uma ressaca total, que eu acho que tenho pra não enfartar com os pensamentos. Obrigada!

    ResponderExcluir