domingo, 18 de agosto de 2013

TDAH - MEDICAI E VIGIAI






O amigo Rafael Salazar em um comentário muito inteligente diz que apenas a Ritalina não resolve no tratamento do TDAH, o que resolve é: 'MEDICAI E VIGIAI'.
Esta expressão sintetiza minha última consulta com minha neurologista, a Dra. Valéria Modesto. Com o desaparecimento da Ritalina do mercado, resolvi racionar o medicamento, reduzindo a dosagem de 30mg por dia para apenas 10mg por dia; mesmo assim, sem tomar aos sábados e domingos e, ao final da última caixa tomando em dias alternados. Ou seja, na prática, fiquei sem tratamento; e não fiz grandes besteiras. Claro, minha produtividade caiu, fiquei mais disperso e menos concentrado, mas como fiz pra não voltar à estaca zero?
VIGIEI!!!!
Mas vigiei muito! Mas muito mesmo! Penso em função da doença.
Quero enrolar no trabalho? logo me aviso: Alexandre, esse é o TDAH pensando por você.
A ira me sobe? respiro e penso: não vou falar nada agora, esse não sou eu.
A impulsividade me convida? calma, Alexandre, é isso que você quer para o seu futuro?
E juro a vocês, é exatamente assim que eu penso; me chamando pelo nome, me perguntando e me cobrando. Quantas vezes nesse período me levantei da mesa e disse pra mim mesmo: vai trabalhar vagabundo, você tem metas a cumprir, precisa desse emprego...
Um sem número de vezes engoli aquela palavra destruidora que nos vem à ponta da língua e põe fim a relacionamentos, amizades, empregos e diálogos.
Descobri, graças à NOVARTIS, que o VIGIAI é tão importante quanto o MEDICAI, mas sei também que um não vai muito longe sem o outro. Um desânimo tem me invadido, pensamentos derrotistas começam a surgir no horizonte, com o VIGIAI ligado tenho afastado essas possibilidades de entreguismo, mas sei que a força do TDAH é muito grande e, a persistir a falta do uso contínuo, eu estaria fadado ao fracasso no meu tratamento. Por isso marquei uma nova consulta com minha 'anja da guarda' e ali decidimos dar um novo passo em meu tratamento. Aliás um passo caríssimo, mas eu mereço. Vou começar na próxima semana a tomar o Venvanse. Caro pra caramba, mas é mais importante do que gastar essa grana a esmo, com coisas sem importância. Repito: eu mereço!
A base de todo o meu tratamento, de meus posts e, principalmente, das respostas aos comentários é: aceite seu TDAH, conheça a fundo a sua doença, leia, assista vídeos, discuta o assunto, aprenda e conheça o TDAH; e policie-se para enxergar quando ele está atuando em sua vida. Quando sua vontade é substituída pela vontade sabotadora do TDAH. Quando suas atitudes são substituídas pela impulsividade do TDAH. Quando suas respostas são substituídas pela ira do TDAH.
Enfim, VIGIAI, para que o TDAH não o pegue desprevenido como pegou nosso amigo e colaborador precioso Walter; trazendo-lhe transtorno num momento da vida em que parecia que não seria mais pego de surpresa. Mas o VIGIAI é importante para que percebamos que não podemos abrir mão do MEDICAI, como eu, que quase caí nesse engodo ao me achar ótimo mesmo sub medicado. O VIGIAI e este blog, que amo, me fizeram ver que, lentamente, eu descia a ladeira de volta à base do caminho.
Por fim, se seu dinheiro (como o meu) não dá pra fazer terapia, escreva um blog, um caderno, folhas soltas; mesmo que ninguém leia, mesmo que você ache que escreve mal, ao escrever você "movimenta" seu TDAH; você vivencia seu TDAH, e enxerga novas possibilidades, novos caminhos, novas alternativas.
Não se esqueça, MEDICAI E VIGIAI!
Mas, se você quiser (e precisar) de uma ajuda extra, uma força a mais, acrescente o ORAI, como sugeriu a amiga Maria Bonita.
MEDICAI, ORAI E VIGIAI. Assim você estará protegido pela ciência, por Deus e por você mesmo.