terça-feira, 29 de julho de 2014

O TDAH E A PREGUIÇA






Bem, vão dizer que não escrevo a muito tempo por preguiça. Ou procrastinação. Mas não é verdade. Estou ausente do blog porque tenho lutado arduamente contra a preguiça. E isso cansa demais.
Chego ao fim do dia exausto.
Decidi mudar minha maneira de agir e trabalhar, e isso inclui um combate sem tréguas à preguiça e à procrastinação.
E tenho conseguido.
Adotei o principio de fazer tudo imediatamente. A morte da procrastinação e da preguiça. E matei-as. Sem a menor pena.
Descobri que é muito bom não adiar, não esmorecer e não ceder à preguiça.
A todo momento sou assaltado por uma enorme vontade de adiar, de desanimar, de fazer depois, de empurrar com a barriga. Mas não cedi até agora. Descobri uma enorme alegria de fazer imediatamente. Uma sensação incrivelmente boa de não dar direito aos superiores - ou mesmo aos meus funcionários - de me cobrarem algo que deixei de fazer, uma obrigação que adiei. Não, errei por outros motivos - todos nós cometemos erros - mas não mais por omissão, por preguiça ou por procrastinação.
Minha vida é marcada por omissões e adiamentos dolorosos e graves. Machuquei pessoas, machuquei -me, dei e tomei prejuízos enormes. Destruí grande parte do meu ' futuro promissor ' por procrastinações e esmorecimentos quando minha vida mais precisava da minha energia.
Com mais de meio século de vida e TDAH, sinto o doce sabor de decidir vencer a preguiça. Mas apenas no trabalho. No restante da vida continuo assaltado pela enorme preguiça e vontade de deixar pra amanhã.
Preguiça de gente, preguiça de sair de casa, preguiça de escrever.
E tenho que concordar com o Walter, ando adiando esse post.
Ainda que seja só no trabalho, viva a boa disposição e a coragem.