domingo, 8 de março de 2015

UM TDAH SEM RITALINA




Sei lá por que, ou quando, achei que a Ritalina não estava fazendo mais efeito. Decidi do alto da minha sapiência e arrogância (sem consultar minha médica) que eu iria suspender meu medicamento.
E assim fiz.
Por coincidência começara alguns meses antes a tomar um complexo vitamínico , o Centrum Select;  minha médica me disse que isso me ajudaria a me manter sem a Ritalina, quando a informei que já estava a uns três meses sem remédio.
Mas o TDAH é ladino, inteligente. Os sabotadores que me fizeram acreditar que a Ritalina era desnecessária, me ajudaram a esquecer de comprar o Centrum. Passei a tomá-lo com enormes intervalos e passava semanas sem tomar quando terminava uma caixa e não me lembrava de comprar outra.
E nem assim percebi. Não percebi que a memória piorava. Não percebi que o gás acabava mais cedo.
Não percebi a falta de foco. Até um dia em que peguei um celular pra consertar e fiz tudo certinho, tudo perfeito, mas deu errado. Fui conferir e havia cometido um erro básico, infantil, por falta de atenção. Aí caiu a ficha. Lembrei-me de que há meses estava sem Ritalina, uns oito meses talvez, e uns dois ou três sem o Centrum.
Voltei a tomar.
E aí percebi a extensão da besteira; eu não parei de tomar como um projeto pra ficar sem remédio, ou uma tentativa de encontrar uma alternativa mais saudável ou sei lá o quê. Eu parei por que fui um idiota e me deixei levar pela falsa impressão de que não precisava mais de me tratar.
Não sei mais o que aconteceu por falta do remédio, ou dos remédios, ou o que aconteceu por excesso de trabalho, ou falta de forças para conduzi-lo, eu sei que ficou tudo muito mais complicado. Muito mais difícil de administrar.
A vida ficou mais lenta, mais pesada, pegajosa, uma areia movediça.
Reorganizar a vida, colocar tudo de volta em seus lugares, recuperar o tempo perdido leva tempo.
Mas estamos aí pra isso: pra cair, pra levantar, pra enfrentar.
E eu também sou assim. Caí muitas vezes; quebrei a ficha como se diz no AA; mas me recuperei, enxerguei a asneira e retomei o caminho.
Fica a dica: não creia que exista tratamento pro TDAH sem medicamento. Não há!
É isso aí, Walter, ainda bem que você está sempre por aqui!

61 comentários:

  1. Isso ai, meu neuro me disse que para sempre, tem que virar rotina, como escovar os dentes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também sempre soube disso, a arrogância e autossuficiência me fizeram agir de outra maneira.
      Abraço
      Alexandre

      Excluir
    2. Para matar o TDA-H, eu acredito que leva tempo, pois deve-se matar a impaciência. E isso leva anos. Talvez, com a ajuda do remédio, seja possível sofrer menos nesse parto.

      Excluir
    3. O TDAH ainda é incurável, o remédio só o controla.

      Excluir
    4. Eu acho que ele tem cura sim, mas é muito mais dolorosa a forma, pois leva muito tempo e tem muita frustração no caminho. Só apersistência de um jejum forte irá curá-los sem remédio.

      Excluir
  2. kkkkk, quase que situação identica, reorganizar, o ruim que quando tomamos consciênica e percebemos quantas vezes já levantamos, as coisas vão ficando mais cansativas, a ignorância de vez em quando tem seus meritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, Fernando, eu sempre falo que a ignorância é uma benção. Se você não sabe, não tem culpa.
      Abraço
      Alexandre

      Excluir
  3. Alexandre,

    Como temos praticamente a mesma idade; como já sofremos muito e já fizemos sofrer muito nossos familiares e amigos; enfim, como, sem sermos absolutamente iguais, somo muitos mais iguais entre nós do que com os outros, de há muito eu estava na expectativa deste seu relato, pois sabia que você tinha parado de tomar o Metilfenidato.

    Eu até já tinha cobrado de você um retorno para nós, dando conta de sua "experiência" sem a medicação. No fundo, no fundo, eu imaginava que ia dar no que deu, mas queria ter certeza, pois ficar preso a uma medicação é sempre desagradável.

    Mas, ficava eu pesando se, nos nossos cinquenta e poucos anos, já com tanta "bagagem", não teríamos já adquiro um "know how" que nos permitiria administrar nossas vidas sem a medicação.

    Bem, sua "experiência", ainda que estatisticamente seja isolada, somente confirma o que todas os médicos da área dizem, que é o que o Adonai aí em cima cita: "TDAH é RITALINA forever."

    Uma coisa que aprendi nesta lida com a medicação, principalmente sobre os seus efeitos, ou seja, se a dosagem está muito alta ou baixa, foi a de escultar as pessoas que lhe compreendam na sua doença e gostem de você, (no meu caso, minha Lineuzinha que comigo me suporta de longas décadas).

    Digo isto pois, coincidência ou não, nestes últimos meses você apareceu muito pouco para interagir no blog. Você lançava o POST e ... sumia. Você voltou a interagir dos últimos dois ou três posts (se não estou enganado). Pode ser também o famoso excesso de trabalho, aí só uma reflexão pessoal sua para dizer.

    No mais, no meu caso uma coisa é absolutamente certa para mim: Qualquer decisão eu somente tomo durante o efeito da medicação. Se Não estiver sob o efeito da medicação, enrolo, e deixo a decisão para um momento posterior.

    Enfim, enfim, enfim, ... tenho dito.

    Grande abraço, irmão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Walter!
      Esse post já era pra estar pronto, mas não é fácil admitir o fracasso.
      Principalmente quando fomos os únicos responsáveis por ele.
      Mas o melhor é poder reconhecer e reerguer.
      Vamos lá, meu irmão, retomamos a Ritalina e você tem razão, o blog.
      Pretendo inclusive retomar a profissão que gosto, os meus celulares.
      Abraço, com carinho
      Alexandre

      Excluir
    2. Nossa, conheci o Blog agora por acaso.
      Fui diagnosticada aos 33 anos, hoje tenho 40 e continuo Ritalinada, na luta.
      O preconceito é muito grande, principalmente pq há o uso indiscriminado, mas para outros efeitos que não a TDAH.
      Em 2013, numa destas faltas do medicamento no mercado, cai na armadilha de parar de tomar - Fiquei tres meses sem, fiz um monte de besteiras e até perdi o emprego - já que eu ainda estava no contrato de trabalho.
      Me vi na maioria dos post - fora os do anônimo, que não tem a mínima idéia do que está falando. Mas eu perdoo ele por achar que é apenas falta de autocontrole. Não perddo por estar se metendo num blog de TDAH - Deixa falar quem passa por este sofrimento... por favor !!!!!
      Estou em pânico, só tenho mais dois dias de Ritalina, e não tem onde comprar.
      Pra piorar não tenho médico me acompanhando no momento... o meu médico foi morar em outro estado, apenas consigo a receita aqui, mas ninguém para me explicar, ou me entender.
      Também passo por bastante acilação em relação as doses, passo meses tomando a LA, quando noto que o efeito diminuiu, volta para a comum. Por conta aumentei a minha dose e tudo voltou ao efeito de anos atrás - mas tenho medo de ficar sem saida.
      Enfim, mais uma desabafo.

      Excluir
  4. Agora que vi o contador da página ao lado. Ele conta o número de acessos independente do ip. Fiquei dando refresh e ele continuou a contar. 605 mil acessos das mesmas pessoas de sempre. Achava que o alcance fosse maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, amigo, o alcance é tão grande que tem uns babacas que usam esse espaço para combater o TDAH; e outros, como você, que perdem seu tempo tentando diminuir o esforço de todos nós em busca de uma vida melhor.
      Como diz o ditado: Os cães ladram e a caravana passa...

      Excluir
  5. Também fiz isso e o resultado foi o mesmo. Há quem use insulina, eu uso Ritalina.

    ResponderExcluir
  6. meu filho tem oito anos e faz uso de ritalina há dois, posso afirmar, a vida dele mudou, aprendeu a ler, escrever, e se interage com os outro amigos, os relatos que vejo de pessoas adultas me ajuda com meu medos, obrigado pelo relato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quanto mais novo ele começar o tratamento, menores serão os prejuízos e as seqüelas provocadas pelo TDAH.
      Abraço
      Alexandre

      Excluir
  7. Já pensei em parar a medicação por um tempo, por achar que não estava fazendo mais efeito. Comecei usando a ritalina de 10 mg, depois passei para a de 20mg LA e por ultimo estava tomando a de 30mg LA. Cada vez que aumentava a dosagem eu sentia uma melhora significativa, sobretudo em relação a memória, contudo, com o passar do tempo, os efeitos do remédio iam diminuindo, e os fantasmas da falta de memoria, da desatenção e a maldita procrastinação voltavam a assombrar. Então decidi diminuir a dosagem e voltar a tomar a de 20mg LA, assim não sofro com os efeitos colaterais de 30 mg e nem fico sem medicação...
    Eita vidinha aperriada essa nossa heim!
    Alguém se dá melhor com o concerta do que a rita?
    Abraço
    Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia,

      Me identifiquei com o seu relato. Passei e passo pelo mesmo processo seu.

      Eu tomo o CONCERTA há muitos anos. Cheguei a tomar o de maior dosagem, o de 54mg, mas regredi um pouco, e hoje estou tomando o de 36mg.

      Combinei com minha médica uma combinação que vem dando muito certo para mim: Quando, em certos momento do dia, eu sinto que a dosagem do CONCERTA não vai dar conta, eu a complemento tomando a RITALINA DE 10mg.

      Como eu tomo o CONCERTA logo cedo, tipo 06:00hs da manhã, ele me leva até às 18:00s, normalmente numa boa. Aí, neste horário, eu tomo a RITALINA, para que até às 22:00s eu possa "socializar" com minha família. Caso contrário, chego em casa, vou para um canto, entro na "caixa do nada", e adeus esposa e filhos.

      O CONCERTA é para o trabalho, a RITALINA para a família.

      Efeitos colaterais eu somente tive a perda de apetite, que foi forte no início, e que hoje é bastante leve.

      O meu fantasma, que me fez regredir do CONCERTA 54mg, foi e de que não há nada depois disto, e este fato me desesperava, como se contemplando um abismo.

      Então, estou adiando o máximo voltar para ele. É como subir um degrau de cada vez, levando anos em cada um, pois, ao chegar ao topo, não sei o que haverá depois.

      Sei que existem outras drogas e outras combinações, mas complica demais ....

      No mais, um abraço e, sim, concordo com você também quanto ao "Eita vidinha apertada essa nossa heim!"

      êitaaaaaaaaaa! o Alexandre Ritalinado está todo bamba e todo prosa. É isso aí irmão,

      Excluir
  8. Manobra básica do TDA-H que ele repete milhões de vezes ao longo de sua vida: o cérebro dá a tarefa a ser feita, por impaciência da pessoa, ela desliga enquanto a tarefa é executada no automático, pois ela não tem paciência de olhar para acoisa que ela está fazendo, e a cabeça foge. Quem não é TDA-H, olha isso e vê claramente. Só o TDA-H não vê, por isso as pessoas não acreditam que isso seja uma doença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E dentro dessa manobra, quando o TDA-H foge do que deveria estar pensando, surge uma ideia diferente, ou ele se lembra de algo que ele tem de fazer, e que ainda não fez. Até dá tempo, e a coisa não é urgente, porém, como ele sabe que pode se esquecer, a ansiedade começa a surgir, e ele para tudo e vai fazer justamente essa coisa que se lembrou. E enquanto ele faz essa "nova" coisa, ele se desliga da mesma e começa apensar em outra coisa, e pode ser que o processo se repita.

      Percebam que isso foi PURAMENTE PSICOLÓGICO!

      Excluir
    2. Olá Anônimo,

      Se eu sou uma pessoa paciente? sim sou.

      Prova disto é que li, pacientemente, de forma vagarosa, todo os seus textos. Depois, fui lá no site da WIKI, do qual você retirou os textos abaixo. Lá a leitura foi até mais fácil, pois tem figurinhas e as letras são maiores.

      Pois bem, lido tudo, com c a a a l l l l l l l m m m m m m a, e muita p a a a a a c c c c i i i i ê ê ê ê n n n c c c c i i i i a a a, fica absolutamente claro quatro coisas:

      1o) É TUDO O MAIS PURO E LEGÍTIMO BESTEIROL;

      2o) VOCÊ NÃO TEM A MÍNIMA IDEIA DO QUE É TER OU SER TDAH;

      3o) VOCÊ, NEM DE LONGE, (E SE É MESMO ESTE O SEU DESEJO) ESTÁ AJUDANDO A NÓS, PORTADORES DE UMA DOENÇA INCURÁVEL, INCOMPREENDIDA, E QUE NOS TRAZ SÉRIOS, REAIS E PROFUNDOS TRANSTORNOS NAS NOSSAS VIDAS;

      4o) E MAIS IMPORTANTE: POR FAVOR, DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO, NÃO ATRAPALHE UM GRUPO DE PESSOAS QUE PRECISA, E MUITO, DE UMA ORIENTAÇÃO E UMA AJUDA SÉRIA; VÁ VENDER SUA AUTO AJUDA E SUA CHATICE EM OUTRA PRAIA. QUE TAL A DOS BULÍMICOS, CANHOTOS, TORCEDORES DO CORÍNTIAS, SEI LÁ...

      Excluir
    3. Olá Walter, eu não entendo, então. Talvez os sintomas do TDA-H sejam muito similares no final do problema, quando ele já se instalou, mas há então algumas particularidades para algumas pessoas.

      Eu simplesmente não consigo compreender como uma pessoa consegue ficar presa na própria mente. A mente manda nela e ela se deixa levar pelas ideias e imaginações.

      Se o TDA-H não tem cura, talvez seja porque a plasticidade do cérebro de um jovem se concretizou de tal forma nesse estilo de vida, que para voltar, talvez realmente não tenha como, pois são os mesmos pensamentos recorrentes que se solidificam cda vez mais.

      Eu insisto em duvidar da falta de cura, a não ser que entendamos a cura do TDA-H da mesma forma que a do câncer. Em estágios iniciais, é possível curar com cada vez mais porcentagens de chances.

      Excluir
    4. E fica uma pergunta que me surgiu aqui para você: Você diz ter lido pacientemente, mas enquanto você fez isso, ou quando faz qualquer outra coisa da forma paciente que você diz, você não sente ansiedade nenhuma?

      Perceba a diferença. Quando estou ansioso, minha cabeça está realmente cheia de pensamentos. Mas claro, a ansiedade VEM DEPOIS do pensamento, não antes.

      Quando estou realmente calmo, minha cabeça não fica necesariamente em silêncio. Mas existe uma diferença aqui. Com ansiedade não dá, ou será muito mais difícil de silenciá-la, ao passo que sem ansiedade, fica muito mais fácil. Claro, na primeira ocasião, terei que acabar com a ansiedade primeiro.

      Excluir
    5. Amigo, acho que você nunca leu sobre TDAH. O que nós temos é uma deficiência de um um dos neurotransmissores. Entre um neurônio e outro há uma perda. Essa falha biológica é que determina nossos comportamentos.
      Nós não 'enxergamos' o que estamos fazendo de errado e, quando enxergamos, um mecanismo qualquer nos faz crer que desta vez é diferente das anteriores. Esse tal mecanismo chama-se auto sabotagem, algo que fazemos muito em nossas vidas. Por favor, aprenda a respeitar essa doença como você deve respeitar o diabetes ou a pressão alta. O que temos é uma doença crônica incurável.
      Respeite-nos
      Alexandre

      Excluir
    6. Alexandre, de forma alguma faltei com respeito. Só estou tentando achar uma luz no fim do túnel. Não quero levá-los a um lugar ruim, claro que não! Peço desculpas se os fiz perder tempo lendo esse monte de texto, mas mesmo assim, peço que não desistam, que tentem encarar esa autosabotagem como algo mutável. Talvez se insistirem em modificar a forma de pensar.

      Excluir
    7. A grande questão é que mudar a maneira de pensar de um TDAH é preciso superar uma deficiência biológica. Claro que algumas coisas a gente consegue. Exemplo que acabou de acontecer: Estou de férias e peguei vários celulares pra consertar e faturar um extra. Um deles deu retorno e fiquei de busca-lo pra refazer o trabalho e fazer orçamento de mais dois. Estava eu na internet, tomando um cafezinho e fui adiando a hora de ir la. Reconheci a procrastinação, reconheci que era efeito do TDAH, levantei-me e fui buscar o aparelho.
      Mas não se consegue muito mais do que isso, principalmente no TDAH adulto, diagnosticado mais tarde, com a doença consolidada.
      Desculpe-me se exagerei nas palavras, e fico feliz de que você tenha vindo defender seu ponto de vista. Eu jamais voltaria a esse blog.
      Acredito em sua boa intenção, mas muitas pessoas podem tentar abandonar o remédio pra tentar essa terapia. Entendeu?
      De qualquer forma, gosto do debate e de quem, como você, defende com classe seus pontos de vista.
      Vou reler o que você escreveu com o espírito mais aberto, quem sabe alguma coisa pode nos ajudar realmente.
      Um grande abraço
      Alexandre

      Excluir
    8. Perfeito, então, Alexandre! Realmente muita gente pode tentar abandonar, mas também pode conseguir algo, mesmo que depois volte com o tratamento, por não ter conseguido a cura. Eu ainda seguirei acreditando ser possível uma mente 100% quieta, ainda que leve anos, e em paralelo com a medicação, que seria abolida no final!

      Excluir
  9. ESPERO QUE CONSIGA LER ISSO, OU PELO MENOS DÊ MAIS ATENÇÃO À SUA IMPACIÊNCIA

    http://pt.wikihow.com/Ser-Paciente

    A longo prazo, tornar-se mais paciente requer uma mudança na sua atitude sobre a vida, mas você pode fazer um progresso imediatamente aprendendo a relaxar quando se sentir impaciente. Respire fundo e tente “esvaziar” a mente. Concentre-se apenas na sua respiração e você vai conseguir voltar ao normal.

    Lembre-se de que as coisas levam tempo. Pessoas impacientes são aquelas que insistem em resolver tudo agora e não gostam de perder tempo. Elas se esquecem de que algumas coisas simplesmente não podem ser apressadas.

    Pense nas suas memórias mais felizes; muito provavelmente, elas são de momentos em que valeu a pena ser paciente, como quando você trabalhou duro por um objetivo ou decidiu passar um tempo a mais com uma pessoa querida. Você teria essas memórias se tivesse sido impaciente? Provavelmente não.

    Quase todas as melhores coisas da vida exigem tempo e dedicação, e se você é impaciente, é muito mais fácil que você desista de relacionamentos, objetivos e outras coisas que são importantes para você. As coisas boas podem não vir sempre para aqueles que esperam, mas a maioria das coisas que vêm não são imediatas.

    Lembre-se de que você eventualmente conseguirá aquilo que quer. Para aceitar esse fato, é preciso um certo grau de maturidade e de paciência! Dizem que toda história de sucesso exige esforço e dedicação, mas a verdade é que, na maioria das vezes, você precisa ser paciente para conseguir o que deseja.

    Lembre-se: a paciência é uma habilidade mental que você jamais irá esquecer. Cultive-a para a vida inteira. Fuja da impaciência antes que ela acabe destruindo a sua vida.

    Espere o inesperado. Sim, você tem planos, mas as coisas nem sempre saem como planejado. Aceite as guinadas da vida graciosamente. Tenha expectativas realistas. Isso se aplica não somente às circunstâncias, mas também ao comportamento daqueles ao seu redor.

    Se você perceber que está se irritando com o seu filho ou marido simplesmente por terem derramado um copo por acidente, você ainda não se tornou capaz de entender que as pessoas não são perfeitas. Mesmo que a ocasião não seja um incidente isolado, mas algo causado por repetido descuido e desleixo, perder a paciência não vai resolver nada. Isso é algo que deve ser resolvido com conversa e autocontrole.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ôh Alexandre, por um acaaaaaso, quando vc voltou a tomar a RITALINA diminuiu aqueles seus ataques de fúria?

      Se diminuiu, por favor, dá uma paradinha de novo, só para vc ter uma recaída e dar uma "sapecada" neste anônimo aí. Esta chatiche "non sense" dele tá duro de aguentar...

      Excluir
    2. Walter, eu procuro respeitar todas as opiniões mas esse papo de paciência já encheu a minha paciência.
      Sempre aparecem essas teorias estapafúrdias. As pessoas que acreditam nisso são as mesmas que acreditam em duende, papai noel, saci pererê...

      Excluir
    3. Manda um diabético ficar sem tomar a medicação e pede pra ele ter paciência. Pede pra um aidético ficar sem tratamento e pede pra ele ter paciência. Manda um esquizofrênico ter paciência! Manda quem tem problema renal parar de fazer hemodiálise e ter paciência.
      Me poupe viu!!!
      Paula

      Excluir
  10. TDA-H sem Ritalina, mas e com SEROTONINA?
    "Estudo revela que serotonina pode aumentar paciência, em vez da felicidade"

    http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/efe/2015/01/22/estudo-revela-que-serotonina-pode-aumentar-paciencia-em-vez-da-felicidade.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Pesquisadores da Fundação Champalimaud de Lisboa podem estar perto de descobrir a verdadeira função da serotonina, substância química produzida no cérebro e habitualmente vinculada à felicidade.
      [...]
      '"Há uma impressão generalizada de que a serotonina causa felicidade, mas nossas pesquisas mostram que essa afirmação é contraditória"'
      [...]
      "Os ratos foram manipulados de modo que a serotonina pudesse ser artificialmente ativada por meio de laser", lembra o especialista.

      Os pesquisadores constataram que os ratos esperavam mais tempo sob o efeito da substância. Embora a diferença seja de segundos, Mainen garante que "percentualmente é uma diferença significativa".

      Excluir
    2. O que isto tem a ver com TDAH... nada. Besteira pura.

      Excluir
  11. Kkk...digitei um bocado de coisa e deu um Revertério aqui e não foi. Mas enfim: agente aprende e reaprende que nunca eh tarde para um recomeço. Parabéns pela coragem e humildade de reconhecer e dividir com agente. Tinha mais coisaas ta bom. Eu não sou fã idéias e palavras de efeito. Mas há certas verdades que merecem as melhores palavras. Abraço

    ResponderExcluir
  12. Oi Alexandre! Estou em período de mudança e fiquei só lendo o blog sem forças pra comentar... Mas esse post veio corroborar meu sentimento. Eu também fiquei alguns meses sem Ritalina, pensando que poderia me autodisciplinar em vários setores da vida e vencer o TDAH. Ledo engano. Eu pensei que podia me observar e evitar procrastinação e autossabotagem. Até conseguia observar, mas não consegui vencer. Nos últimos tempos a vida ficou assim como você comentou, cinza, pesada, desagradável. E no último final de semana eu assumi que não, não posso ficar sem tratamento medicamentoso. Posso tentar melhorar naquilo que consigo.
    No último final de semana eu deprimi um pouco, lamentando o fato de, no meu ponto de vista, "depender" da ritinha pra funcionar normalmente. Mas aí acessei o blog e vi que ok, não estou sozinha nessa, não sou a única a cair e levantar, e que é um medicamento como outro qualquer. E adorei um comentário aí em cima que diz que uns usam insulina e nós, ritalina. E vamos em frente! Obrigada por compartilhar sua experiência e espero que compartilhar a minha também ajude alguém. Um grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
  13. OLÁ AMIGOS TEDEÁTICOS! EM ATENÇÃO A WALTER E ALEXANDRE.
    ME DESCULPEM PELO TEXTO EM CAIXA ALTA... MAS É PRA SER LOGO VISTA E LIDA...E DESESPERO TB. NAO SEI SE LEMBRAM DE MIM... ESTAVA TOMANDO BUPROPIONA E VI QUE NAO ADIANTOU COMO GOSTARIA QUE TIVESSE ADIANTADO.
    HJ VOLTEI AO PSIQUIATRA. FALEI POUCA COISA, E ELE LOGO ME DISSE QUE DESSA VEZ ME RECEITARIA A RITALINA. MEUS OLHOS BRILHARAM PRA RECEITA. AÍ O DIABINHO OU O ANJINHO...ACHO Q O ANJINHO... ME LEMBROU UMA COISA. PERGUNTEI PARA O MÉDICO O QUE ACONTECERIA SE UM HIPERTENSO TOMASSE RITALINA... ELE DISSE QUE MORRERÍA. NENHUM HIPERTENSO PODE TOMAR, doutor? NÃO!
    ELE LOGO ME PERGUNTOU: VC É HIPERTENSA? EU DISSE QUE SIM.
    RESUMINDO.... ELE NÃO RECEITOU. E TODAS AS MINHAS EXPECTATIVAS FORAM POR ÁGUA ABAIXO. E PRA PIORAR, QDO ELE MEDIU MINHA PRESSÃO, A RETADA ESTAVA 15:10 ... PRA ME ENTREGAR MAIS AINDA.
    ELE PASSOU NOVAMENTE A BUPROPIONA AUMENTANDO A DOSAGEM.
    FIQUEI MUITO TRISTE, MAS ENTENDI QUE ELE SÓ QUIS ME PROTEGER.

    HJ ESTOU SEM ESPERANÇAS... :(
    SAI DO CONSULTÓRIO COM VONTADE DE LIGAR OU MANDAR MSG PARA ALGUÉM, MAS NINGUÉM FALARIA MINHA LÍNGUA. QDO CHEGUEI EM CASA, CONTEI PARA MINHA MÃE... DEPOIS DE UM TEMPO ELA DISSE : "volta para as aulas de dança, que acaba com tudo isso".
    PRA PIORAR E ME IRRITAR AINDA MAIS.
    ABRAÇO.

    PAULA.
    MEU SONHO DE CONSUMO É TER UM GRUPO NO WHATSAPP SÓ COM AMIGOS TDAH. Senti falta de um apoio HJ.
    :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Paula!
      Uma das poucas contra indicações da Ritalina é a pressão alta.
      Existe um outro medicamento, o Venvanse, cuja principal contra indicação é o preço. Custa bastante caro, mas acho que não afeta a pressão arterial. É a última palavra em medicamento pra TDAH no mundo. Se você puder arcar com o custo, pode ser uma boa alternativa. Pergunte seu médico.
      A sua mãe agiu como todas as mães, prefere ignorar que temos uma doença mental. Não fique magoada com ela...
      Quanto ao Whatsapp, é interessante, mas é mais uma ferramenta pra tirar nosso foco. Kkklk
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. É... Acho que ficarei sem tratamento. Ou então, busco um outro médico e consigo a Ritalina.... E morro!
      Valeu, Alexandre...
      =\

      Paula

      Excluir
    3. Tá loca? O Alexandre acabou de falar no Venvanse! Alexandre, não tem como conseguir do Governo não?!

      Excluir
    4. E outra, espera o Bupropiona com dose maior dar algum resultado antes de se desesperar. E já aprenda que NINGUÉM que não tenha TDA-H vai te entender. Faça um exercício de retirar iss oda sua cabeça. isso só vai te trazer o mesmo sofrimento sempre. APRENDA A ESQUECER ISSO DE VEZ. Se alguém entender, ótimo, mas é imensa minoria!!!

      Excluir
    5. Obrigada, anônimo. Mas HJ tô bastante deprê. Daqui a alguns meses terei que apresentar um seminário e estava mais tranqüila pp estaria usando Ritalina. Mas não, não vai ser dessa vez. Vou ter que criar estratégias pra a droga dos assuntos entrarem na minha cabeça. NAO É POSSÍVEL QUE NAO EXISTA HIPERTENSO COM TDAH. E AÍ???? MORRE ASSIM? Se eu não tivesse uma filha pra cuidar, tomaria a droga da Ritalina. Mas de qualquer forma, marquei um cardiologista.
      Abraço.

      Paula
      Deprê e estressada.

      Excluir
    6. Acabei de ler que é possível conseguir vevanse pelo SUS, mas é uma burocracia. Só de pensar me dá nervoso e preguiça de correr atrás. E outra... Na bula tb tem a hipertensão como contra indicação. Sinceramente viu...
      Paula

      Excluir
    7. Esqueci de falar algo da minha consulta... O médico depois de pesquisar outros possíveis medicamentos, achou um que seria eficaz para tdah... Fiquei radiantes, minha esperança tinha voltado. Atomoxetina!!!! Mas... Verificou que não é vendido no Brasil. :(

      Excluir
    8. Olha, existem algumas outras coisas que podem ajudar, então é bom você tentar para ver se diminui um pouco mais o problema. Logo que acordar tentar já dar uma parada nos pensamentos. Se conseguir, ótimo, se não, alguma coisa você vai conseguir. Tenta silenciar ao máximo sua cabeça. Dizem também que suco de laranja ajuda bastante logo de manhã. Existem aplicativos no celular que possuem sequências que você vai adivinhando pela memória. Eu particularmente acho um porre, mas tem gente que diz que melhora um pouco praticando. Existem complexos vitamínicos que podem melhorar um pouco sua memória e concentração. Mas essas coisas todas são individuais. Você tem que experimentar para ver se melhora, entende? Além de todas o próprio Blog do Alexandre nos dá uma grande ajuda, e isso você já notou. =)

      Excluir
    9. Paula,
      Eu sou hipertensa e já tomei concerta e ritalina por um bom tempo. Bom, eu não morri... minha médica teve seus critérios e acompanhávamos de perto a pressão arterial. Não quero desmerecer a recomendação do seu médico, só contar a minha experiência com a medicação.
      Um abraço!

      Excluir
    10. Ana M, minha querida, vc não sabe como seu depoimento me deixou feliz e esperançosa. Já marquei meu cardiologista e vou conversar com ele. Vou ter consciência, vou fazer tudo direitinho, mudar minha alimentação e fazer atividade física, só pra poder utilizar esse remédio. Agora uma dúvida.... O psiquiatra que vai passar, com autorização do cardiologista? Será?
      De qualquer forma, já procurarei outro psiquiatra, pq esse foi irredutível, mas não tiro a razão dele.
      Estou com esperança.
      Obrigada, Ana!
      Se puder conta mais da sua experiência.
      Abraço.
      Paula

      Excluir
    11. Paula, provavelmente é precaução. Questão de chances maiores de ter problemas cardíacos. Talvez seja apenas isso que você precisa saber. Só perguntar então ao cardiologista, que é quem saberá responder até melhor queo neuro, psiquiatra, etc. Pelo menos imagino que sim. Ou pergunte logo aos 3! Você tem esse direito, então... Será que não é possível usar um coquetel de remédios (não caros) onde um ameniza o efeito colateral do outro?

      Excluir
    12. Paula, no meu caso, tratei o TDAH com uma neurologista que encontrei no site da ABDA. Procure um profissional capacitado nesta área, já é meio caminho andado. Mesmo assim, ela foi muito criteriosa e pediu diversos exames (sangue, polissonografia etc), e além do acompanhamento que eu já tinha com meu cardio para a hipertensão, ela também pediu eletrocardiograma e ecocardiograma (se bem me lembro). Como sou hipertensa há vários anos, já sei medir e acompanhava qualquer alteração. Quem receitou o metilfenidato foi a neuro mesmo, não o cardio. Mesmo assim, com a melhora pelo tratamento, não escapei de efeitos colaterais. Vivia ainda mais ansiosa e irritada e foi o que me fez suspender a medicação por um tempo. Também fiz coaching para portadores de TDAH com a Luciana Fiel, que conheci através deste blog, e que é excelente profissional. Ela abriu meus olhos pras armadilhas do TDAH, que às vezes a gente pensa que é um 'defeito' nosso, de comportamento, ou mesmo alguma imaturidade, ou pior: preguiça. Foi bem bacana o trabalho realizado por ela. Agora, mudei de cidade e vi minha necessidade de medicar de novo, então, já estou procurando novos médicos por aqui, para dar novo fôlego ao tratamento. Espero ter ajudado! Abraço!

      Excluir
    13. Muito obrigada, gente! Estava precisando desse apoio. Procurei tanto na internet a respeito dessa junção de hipertensos com Ritalina e não achei absolutamente nada. Mas agora me sinto esperançosa. Eu gostaria muito de ter um profissional especializado em TDAH, mas infelizmente esses, o plano de saúde não cobre.
      Mas vou pesquisar, quem sabe eu não encontre...
      Abraços
      Paula

      Excluir
    14. Vamos montar um grupo no zap topa

      Excluir
  14. oi Alexandre, tudo bem?

    Conheci seu blog há uns dois meses estava desesperadamente tentando encontrar respostas pro meu modo de ser e de agir primeiro tentei entender procrastinação foi aí que cheguei até vc, bom tenho uma duvida e gostaria mto de sua opnião.
    Não sou diagnostica tdah mas tenho forte impressão que sou portadora entao hoje 13/03 marquei uma consulta com uma para psicologa entender algumas coisas, já disse pra ela que suspeitava de ser portadora de tdah e enfim falei sobre minha vida para ela por 1hr, ela me disse que quer que eu vá em pelo menos 10 sessoes e me disse não pode fazer o diagnostico sozinha e que vai precisar de uma avaliação de um psiquiatra, bom eu to passando por uma crise financeira para mim hj dispor 110 reis semanais é uma pouco complicado, então com a sua experiencia pergunto: acha que eu devo ir direto procurar um psiquiatra ou passar por essas 10 sessoes e depois ser avaliada por um? bom além de super ansiosa como falei minha atual condição financeira nao posibilita gastos desnecessário, mas tbm quero colocar minha saude e bem estar a frente de tudo isso. Qual a sua opinião a respeito? fico no seu aguardo e obrigada pelo seu blog ele é otimo!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Dayane! Sinceramente, não entendi a razão das dez sessões; em uma única é possível diagnosticar o TDAH. Se ela não pode diagnosticar o TDAH, pra que servirão as tais sessões? Pra convence-la de que não é TDAH?
      Em primeiro lugar, acesse o site da ABDA e veja se na sua cidade existem médicos cadastrados na associação. Se não, procure se informar de um que não seja contra o TDAH, assim você evitará encher a cara de remédios para depressão, ansiedade etc.
      Um médico especialista em TDAH descartará a doença, se for o caso, com muito mais isenção do que um que não acredita na existência da doença.
      O apoio psicológico deverá vir depois de diagnosticada e medicada. Procure um profissional de TCC ( terapia cognitivo comportamental) é mais objetiva e eficiente para nós, TDAHS.
      Obrigado por sua generosidade, espero tê-la ajudado.
      Abraço

      Alexandre

      Excluir
    2. Alexandre,muito obrigada, vou seguir suas orientações, obrigada também pela rápida resposta, que deu um tapa na minha ansiedade, rs sou grata também por este blog, as experiências aqui compartilhadas trouxeram clareza e muitas respostas para minha vida que Deus abençoe você e sua família!

      Excluir
  15. Oi gente, como é bom ter vocês aqui, compartilhando as lutas, vitórias e dificuldades...Às vezes me sinto tão só...Um abraço, Marcela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcela, esse blog é pra isso mesmo, um cantinho onde podemos nos reunir e trocar experiências e soluções.
      Volte sempre
      Abraço
      Alexandre

      Excluir
  16. E aquele TDAH que não que desiste de se medicar e quando a companheira com amor vai aconselhar ele a manda para os quintos dos infernos (para não dizer os xingamentos mais incabíveis que ele diz)... Oq fazer? Desisitr, não é do meu feitio... Estou com ele ha dois anos e ele só tomou a rita por um mês e meio...

    ResponderExcluir
  17. Olá. Você sabe me dar informação sobre o tratamento do TDAH da antroposofia? Grata

    ResponderExcluir
  18. ESTOU SEM MEDICAÇÃO..
    NÃO PORQUE ACREDITO QUE SEM ELA POSSO ME ORGANIZAR...
    NÃO É ISSO...
    ACREDITA QUE É SÓ PROCRASTINANDO..
    MAS EU VOU LÁ....RSS POIS SEI QUE VAI ME AJUDAR MUITO

    ResponderExcluir
  19. Alguém aqui consegue estudar sem ritalina?

    ResponderExcluir
  20. Gostei do relato.eu fazia o uso de ritalina e venvanse. Meu médico me rrceito. O que aconteceu é que a combinação de hiperatividade e ansiedade não combinam. Comecei a abusar do uso. Tomava 90mg de ritalina e 70 a 100 de venvanse ao mesmo tempo! Principalmente quando eu saia de noite pra festas. Chegava a tomar isso em curto espaço de tempo. 20 miligramas de ritalina a cada 2 3 hs. É no meio da noite vinha o venvanse de 70. Depois a ritalina pra manter.estava dependente total.mas consegui sair dos medicamentos. Estava gerando muita ansiedade. Agora eu sei que tenho TAS. TRANSTORNO ANSIEDADE SOCIAL. Eu precisaria de serotonina mais ritalina mais venvanse mais Rivotril. Se tivesse um medicamento que fosse todos esses juntos.seria a minha solução. Mas como não tem. Prefiro me manter longe das drogas.

    ResponderExcluir