domingo, 23 de outubro de 2016

TDAH, FALHAS E CONSTRANGIMENTOS





- A senhora pode me acompanhar até a sala ao lado?
- Eu? Por quê?
-Por favor, senhora...
O porteiro do Fórum chamou o policial militar de plantão e se encaminhou à sala de revista acompanhado da mulher que acabara de passar pelo raio x de segurança.
Ela parecia estupefata, e muito mais ficou ao ser inquirida sobre o conteúdo de sua bolsa:
- O que a senhora vai fazer com todas essas facas?
- Facas? Que facas? Perguntou aparentemente desinformada.
- Senhora, interviu o PM, abra sua bolsa. O raio x mostrou que a senhora carrega várias facas na bolsa!
Imediatamente ela abriu a bolsa e, de fato, havia uma sacola com quatro facas e outros talheres lá dentro. Quatro facas! Que ela não lembrava de estarem na bolsa...
Com um misto de alívio e vergonha, ela explicou que deveria ter levado as tais facas, na véspera, para sua casa de campo. E havia esquecido de retirar da bolsa.
O policial reteve as facas que foram devolvidas na saída.
E aqui ainda cabe uma observação; na noite desse episódio, a envolvida ainda comentou que havia recuperado a tal sacola, mas que nela não estavam as facas, apenas as colheres e garfos que as acompanhavam; e que deveria voltar ao Fórum no dia seguinte para reclamar sua devolução. Ainda bem que não foi; as facas estavam em sua bolsa. Ao sair do Fórum, pensando em seus problemas, ela guardou as facas separadamente e não se lembrava.
Essa mesma pessoa me contou outro fato pitoresco: Certa vez, arrumou-se para trabalhar, maquiou-se, arrumou o cabelo, vestiu-se e desceu para pegar o carro na garagem do prédio. Cumprimentou o porteiro e seguiu em direção ao carro. O porteiro acompanhou-a puxando conversa, perguntando se estava tudo bem... Já dentro do carro ouviu do porteiro:
- Aqui; a senhora desculpe a minha pergunta, mas esse tipo de calça que a senhora está usando, tá na moda?
Incrédula, a mulher olhou para baixo e descobriu que estava arrumada da cintura para a cima e com calças de pijama...
Bem humorada, soltou uma sonora gargalhada, agradeceu ao porteiro e voltou pra casa pra se trocar...
Essa é a face mais conhecida e mais engraçada do TDAH. Mais engraçada pra quem lê, pra quem ouve, não pra quem vive.
Imagine que você tem uma audiência no fórum às 16:30, sai de casa em tempo hábil, chega pontualmente, para só então descobrir-se sem nenhum documento de identificação. Esqueci tudo em casa. Isso aconteceu ante ontem comigo. Para minha sorte, ninguém pediu-me identificação.
Passamos por toda sorte de estresse, de ansiedade, que nós mesmo nos colocamos. E por que agimos assim?
Adrenalina? Irresponsabilidade? Falta de compromisso?
Tudo isso. Ou nada disso.
Minha amiga querida, das facas, passava por um momento de enorme pressão, muita preocupação. O episódio do pijama deixa claro que não é somente por pressão. Mas isso piora tudo. Eu mesmo sou péssimo sob pressão.
Temos uma deficiência de dopamina que gera desatenção, entre outras coisas. Isso faz com que, em geral, estejamos com a cabeça ocupada em outros pensamentos, em outros mundos. Fazemos algo sem nos ater ao que estamos fazendo. Nossa mente hiperativa salta de uma imagem a outra sem que, sequer, demos conta disso.
Afinal, nascemos assim e nunca experimentamos outra maneira de pensar e agir.
Mas e quem se medica? Ritalina, Concerta, Venvanse, ajudam? Como todo remédio, eles agem de maneiras diferentes em cada pessoa. Na moça das facas não funcionou... Comigo funcionou temporariamente... Em algumas pessoas funciona de maneira perfeita permanentemente.
A solução definitiva ainda não existe. A mais efetiva que conheço que é o auto controle, eu falhei. Não estive atento colo deveria. Não tive um bom dia; cedi ao imobilismo do TDAH naquele dia e só hoje - ao escrever esse texto - percebi minha falha.
Por isso não abandono esse blog; ele é muito bom pra quem o lê, mas é muito mais importante pra mim, pois ao escreve-lo reconheço meus comportamentos positivos e negativos e posso reforça-los ou muda-los.
Preciso estar mais atento. Falhei na quinta feira passada, mas não vou me punir ou me criticar por isso. Não se pode ganhar todas.
Sigo em frente.
Ao infinito e além!!!!-

18 comentários:

  1. Obrigado por escrever. vc me da animo de continuar.
    Mesmo quando sinto o peso do mundo na costas.
    sinto desabafar ao ler as suas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, shadow!
      Que bom que te ajudo de alguma maneira. Fico imensamente feliz com isso; suas palavras me estimulam a continuar escrevendo.
      Muito obrigado!
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  2. "Por isso não abandono esse blog; ele é muito bom pra quem o lê...."
    E você sabe escrever de uma maneira tão clara, sem ser repetitivo, redundante, chato, conseguindo transformar as sua palavras e experiências de uma maneira que forma para o leitor, uma empatia instantânea em tudo que escreve. Isto é um dom. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Celio!
      Muito obrigado pelas palavras de incentivo!
      Eu que agradeço sua participação. Mais do que os posts que escrevo, os comentários me estimulam a seguir em frente.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
  3. Ja pensei tantas vezes em escrever.Mas como bem sabemos,fica sempre p depois.Mas espero sempre ansiosa,seu novo texto.Neles me encontro.Como se vc tivesse escrito p mim.Como eu creio q sentem a maioria das pessoas q chegam aqui.Continua.Nao desiste nao.Faz bem a vc e p mim faz um bem enorme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia!
      Começamos pelo primeiro passo. Escreva pra você, é uma terapia riquíssima. Um dia, vai te dar vontade de criar um blog. Crie-o! A plataforma do Blogger é simples, fácil e o melhor, gratuita. Vá aos poucos, sem cobranças, sem expectativas. Faça como prazer, como diversão, jamais como obrigação. Veja o meu caso, posso passar até quinze, vinte dias sem escrever; mas sempre volto. Não pode ser um peso, nem uma obrigação. Faça! Simples assim.
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. Eu quis dizer escrever no blog.No seu blog.rsrsrs.Muita vezes tive vontade de te agradecer pela alegria que me dá suas palavras.Eu já gostei muito de escrever mas há em dia prefiro ler.Parabens.Vc escreve muito bem.Com a alma.

      Excluir
  4. Putz, histórias como essa é o que eu mais tenho pra contar.
    - Já preparei o café da manhã e saí para trabalhar. Quando retornei a noite o café estava lá, em cima da mesa, intacto e eu nem tinha me dado conta que tinha saído de casa de jejum.
    - Já fui em show do meu artista preferido e esqueci de levar o ingresso. Chegou lá tive que comprar novamente.
    - Já consegui esquecer meus pertences em 2 aviões diferentes na mesma viagem
    - Já perdi minha carteira 3 vezes porque simplesmente esqueci no lugar, fora as outras vezes que esqueci e meus amigos lembraram a tempo.
    - Já esqueci máquina fotográfica 2x em restaurantes
    - Já esqueci minha mochila em vários lugares diferentes (faculdade, bar, ponto de ônibus), e mesmo sendo algo que eu usava diariamente, eu só fui me dar conta que tinha esquecido ela umas 2 semanas depois, quando me ligaram dizendo que foi encontrada.
    Bom... a lista é imensa rs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Ronny!
      As histórias são infindáveis mesmo. Algumas graves; já esqueci entrevista de emprego na 3M. Uma das maiores multinacionais do mundo. Mas, vida que segue. Meu próximo post já está esboçado na cabeça e é quase uma extensão deste. Mas focando na necessidade que temos de não nos criticarmos, de não nos auto rotularmos de fracassados por que falhamos...
      Abraços
      Alexandre

      Excluir
    2. De emprego, tenho uma estória parecida. Muitos anos atrás, consegui uma oportunidade de concorrer à um emprego que, na época, eu queria muito.
      Fui entrevistada, passei por várias etapas, sendo aprovada em todas. No fim, me explicaram algo sobre a aprovação final, e eu por não prestar atenção, entendi tudo errado.
      Quando me ligaram pra me dizer que eu estava quase contratada e me chamando pra entrevista final, eu, pasmen, tava passeando em outra cidade. A moça no telefone disse - surpresa e brava - que havia combinado tudo comigo e eu fiquei sem entender nada, pois não lembrava de ela ter combinado nada comigo.
      Consequência: Joguei a oportunidade no lixo.

      Excluir
  5. Oi pessoal,
    Meu dia-a-dia é praticamente só constrangimentos. Ninguém está livre de momentos de distração. A diferença é que quem tem dificuldade de concentração, esses constrangimentos fazem parte da rotina de todos os dias.
    Quando era criança, fugia de qualquer atividade, principalmente que me exigissem esforço mental. Tudo o que me pediam, eu fugia pela tangente e me relutava a fazer. Eu não queria fazer nada, por vergonha e medo de as pessoas verem o desastre que sou, mesmo pras atividades mais fáceis. Via as pessoas aprendendo a se virar, cozinhar, dirigir, costurar, e eu sempre a "inútil" que não sabia nada. E quando tentava, até assustava as pessoas com tanta dificuldade pra fazer coisas óbvias.
    E por isso, por estar sempre tentando escapar dos afazeres, fiquei com fama de malandra e preguiçosa, que tenho até hoje.
    Eu também tenho muitas estórias dessas, que na verdade nem gosto de contar.
    Eu procuro uma caneta, sendo que a mesma está na minha mão.
    Uma pessoa explode comigo, dizendo que já me pediu algo mais de mil vezes, e eu, sem entender nada, ouço como se fosse a primeira vez.
    Saio pra comprar duas coisas, faço lista, demoro um ano e consigo esquecer um dos itens.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia amigos. Primeiramente meus parabéns a você Alexandre. Muito interessante sua história e confesso que aqui no blog passei a me sentir "em casa". Vi seu relato no youtube e gostei muito. Quero também adquirir seu livro. Vou falar um pouquinho aqui de mim. Desde muito cedo recebi apelidos tais como: pestinha, travesso, capetinha e muitos outros.... Sempre inquieto, nunca consegui parar por muito tempo em um lugar. Na sala de aula era horrível, nunca conseguia prestar atenção pois estava sempre "viajando", "sonhando"... Como não conseguia prestar atenção, não aprendia. Por não aprender me achava "burro", palavra essa que ouvi por 2 vezes (que me lembro), do meu pai (isso dói muito até hoje). Como não aprendia em sala e não tinha coragem de pedir explicação (até hoje), eu fingia não estar interessado e passava a fazer "artes" para disfarçar a minha "burrice". continua...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre tive vontade de participar de algumas atividades com meus amigos, tais como: truco, xadrez e outros. Mas sempre fingia não gostar pois não me achava em condições de decorar as cartas/peças etc. Nunca tive coragem de me expressar em publico, pois não me acho capacitado a tal. Por força do destino, um amigo conseguiu um emprego onde dava aula individual de informática. Com essas aulas, tendo que repetir tantas e tantas vezes a mesma coisa, acabei chamando atenção por supostamente ter conhecimento nessa área. Sendo assim consegui um emprego melhor, emprego esse que consegui me manter por 17 anos. Trabalhando atrás de uma mesa de forma entediada, meu trabalho nos últimos anos se tornou um martírio. Me mudei para o estado da Bahia, por conta do trabalho de minha esposa. Aqui, não consigo me colocar em nada. Não consigo um trabalho, não consigo tocar nada que me de renda. Não consigo estudar pois tudo que leio/estudo parece se perder em meus pensamentos. Já fui em psicologos, Neurologistas, psiquiatras e nada... Já tomei conserta, que de inicio pareceu ser bom, mas depois só sentia efeitos como irritabilidade e depressão a cada vez que voltava a tomar (a médica pediu que em 2 dias da semana eu não o tomasse). E agora estou em outro médico que iniciou um tratamento para depressão com medicamento (exodus) e agora iniciou com ritalina de 10mg pela manhã nos dias que eu precisar exigir mais do cerebro. Não tenho certeza sobre os efeitos. Sinto que nas 2horas + ou - que a tomo tenho uma concentração maior, porém tudo retorna ao mesmo. Sonolência, mudanças de humor constantes, vontade de chorar, de largar tudo e a todos (minha filhinha me segura a não fazer isso), de beber 24horas por dia para tentar esquecer tudo isso, de me isolar das pessoas e do mundo; são comuns. Tenho sérios problemas com mentes brilhantes a minha volta. Vejo pessoas, que ao ver uma pessoa bem sucedida, esforça-se para ser igual. Porem eu não, pelo contrario, passo a elogiar e admirar essa pessoa mas simplesmente acho que jamais serei igual, passo a me menosprezar ainda mais. . As vezes recebo elogios, mas nem isso eu sei administrar, tenho tanto problema com isso, que me sinto envergonhado quando os recebo. É como se internamente eu não ache que mereça. continua....

      Excluir
    2. Casei-me com uma mulher super inteligente e dedicada (amo muito ela), que vem de uma familia de pessoas inteligentes e esforçados. Passam em bons concursos, se destacam no que fazem. E eu, ali no meio, me achando o nada no meio deles. Já tive problemas com minha esposa por causa do meu marasmo. Quando nos casamos eu não havia terminado nem o ensino médio (aos 19 anos), e foi uma luta para eu conseguir. Depois fiz uma faculdade de qualquer jeito, dessas que basta pagar as mensalidade e estará aprovado.... No meu dia a dia me sinto em um eterno marasmo, paralisado, enquanto o mundo anda a todo vapor.... É saber que precisa fazer algo... que tem que tomar uma atitude, mas não consegue se levantar e tocar algo... pelo contrario, tem 5 coisas para tocar e não consegue saber por onde começar... o que fazer primeiro... e enquanto isso o tempo passa.... Vi aqui no site, um link de um video muito bacana https://www.youtube.com/watch?v=N8uY22kj4yU e fiquei empolgado em consultar esse médico. Porém a distancia e os custos não cabem no meu orçamento no momento. Essa semana ao conversar com um amigo que não sabe desse meu problema, ele me disse uma coisa. Que eu preciso sair da inércia.... ele está certo, porém simplesmente não consigo. Se alguem aqui no site puder me indicar tratamentos, médicos ou algo nesse sentido ficarei muito grato... Estou no extremo sul da bahia, divisa com o espirito santo. Então médicos no Espirito Santo e em Minas serão bem vindos. Obrigado a todos.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. já fiz isso eu ia em um evento que teria que levar meus talheres levei pra mim e pra uma amiga na bolsa, e esqueci de tirar, fui no banco com a mesma bolsa e os seguranças viram minhas facas na bolsa e mandaram guardar no gurda volumes até sair!! senti tanta vergonha!

    ResponderExcluir
  9. Cara pra min esquecer o comprovante de residencia já é padrão...

    ResponderExcluir
  10. Socorro sou TDAH e tenho vícios que não da para acreditar imagine sou viciada em ficar a noite inteira acordada só vou pra cama as 6hrs da manha e isso já faz anos e nao consigo parar e outras coisas mais

    ResponderExcluir