sexta-feira, 9 de maio de 2014

TDAH - AMANHÃ SERÁ DIFERENTE...







Não sei por que me imobilizo.
Deixo-me parar e observar a vida de longe.
Cumpro com extrema responsabilidade e empenho com minhas obrigações. E só.
O resto, vejo seguir ao longe...
Já não participo da vida política, no passado participei de partidos políticos e campanhas presidenciais. Hoje não me imagino fazendo isso.
Não pratico esportes. Joguei futebol, lutei judô, fiz atletismo e natação. Hoje limito-me a assistir futebol pela TV. E só futebol. Já gostei de vôlei, desinteressei-me, fórmula um também.
Já passei fins de semanas inteiros diante da TV assistindo filmes. Hoje, quase não os assisto, desinteressei-me. Quando vejo, até gosto e penso em assistir mais; só penso.
Já fui extremamente sociável. Já tive a casa cheia de amigos. Saía muito. Hoje, não mais. Prefiro ficar sozinho, na minha casa.
Quebrar a inércia é quase impossível. Uma missão hercúlea, digna de um semi Deus.
Mesmo no trabalho, existem coisas que me paralisam, imobilizam...
Não consigo ser multifacetado, múltiplo. Pelo menos, não mais.
Não consigo muito me dividir entre pessoas; entre lugares; entre tarefas.
A vida se estreita, ou minha vontade se estreita.
Às vezes com um esforço absurdo, pressionado externamente, frequento alguns locais, faço algumas atividades. Mas é preciso muita pressão, muita mesmo.
O dia passa entre o trabalho e a casa; e a frustração por mais um dia sem conviver, sem dar minha contribuição, sem cuidar da saúde.
Mas amanhã...Ahhhh, vai ser diferente.
Com certeza?