quarta-feira, 26 de julho de 2017

TDAH POBRE COITADO





Basta uma situação um pouco mais complicada, basta um pouco mais de pressão e o padrão mental se repete:
_ E se eu, no auge dessa pressão a que estou submetido, tivesse um infarto ou um AVC? Seria perfeito, todos os problemas cessariam...
Quem de nós jamais se fez de vítima que atire a primeira pedra.
Não digo que externamos essa vontade, mas no fundo, lá no fundo, flertamos com a tragédia que mude o rumo de nossas vidas; e claro, nos tire o peso da vida dos ombros.
Mas você que me lê vai dizer:
_ Ora, mas isso é infantilidade!
Claro que é. Mas essa é uma das características do TDAH: a imaturidade!
Estamos sempre sonhando com soluções mágicas; desde um acontecimento fortuito que nos dê dinheiro, sucesso ou juízo, até um fato trágico que nos livre de arcar com as consequências de alguma besteira que tenhamos feito. Vestimos com perfeição o uniforme do pobre coitado. Aquele cujas vicissitudes iniciaram-se ainda na concepção; e nascemos TDAHs. Daí para frente fomos 'perseguidos' pela vida.
Ahhh, a tragédia libertadora! Uma doença, um atropelamento, um incidente qualquer resolveria nossos problemas. Mas claro, sem morte ou dano físico permanente. Apenas o suficiente para que ao passarmos na rua, um conhecido diga ao outro:
_ Bom sujeito, mas coitado, a vida lhe foi tão ingrata...
Seria o céu! A solução mágica com que sonhávamos.
Mas veja bem, a magia não está apenas na solução da nossa situação, mas também em manter-se em padrões de sofrimento e incapacidade que não nos acarrete dor excessiva ou demasiado longa.
Claro que esses pensamentos são de curta duração e nenhuma consequência. Sabemos, do alto de nossa imaturidade, que esses são pensamentos escapistas e absolutamente inexequíveis.
E seguimos a vida!
E continuamos aos trambolhões, de derrapagem em derrapagem, de sonho em sonho...
Se nos enrolamos financeiramente... Se agimos impulsivamente... Se falamos o que não devia...
Tentamos solucionar, não conseguimos; a situação se complica... Vem uma espécie de paralisia, de torpor... Muitos de nós fica absorto, de olhos fixos no nada... E a cabeça é imediatamente assaltada por esses pensamentos... Por um, dois, três minutos aquilo nos parece a melhor solução. Mas passa. Sacudimos a cabeça e vamos para a solução... Se ainda tiver solução.
Se não tiver... Bem... Já tomamos tantas pancadas, já ouvimos tantas críticas, que mais algumas não farão muita diferença.

8 comentários:

  1. Hahahhaha, que massa que tu ainda escreve brother! (Estava lendo ainda pouco uns textos de 2011 pensando se ainda estava ativo o blog ou não)
    Muito bom ler esses textos, histórias e estórias. Me vejo em cada uma escrita por você e elas tem uma qualidade incrível de compreensão e entendimento.
    Então, fui diagnosticado com TDAH em 2016, tenho 22 anos hoje, e a minha vida se resume bem nesse blog, já namorei várias meninas lindas e tomei no c* por falta de atenção, irritabilidade e entre outro fatores que nós de TDAH tem. Porém, uma coisa é boa, o sentimento de perca CHEGA COM TUDO, mas também passa tão rápido que cagar em pé.(é, falo bastante palavrão e tenho que mudar isso, rsrsrs), sempre fui muito descontraído, divertido e amigo (na frente das pessoas), quando estou sozinho meus pensamentos são de frustração de coisas que eu fiz de errado e vontade de me matar(que creio muito que não vou fazer isso) e etc, é tudo que passa pela minha cabeça entre zilhoes de pensamentos e sentimentos, sim o TDAH me atormenta e e complica muito na vida, porém ele tem o lado positivo que é me dar o hiperfoco em coisas que eu gosto ou tento gostar para aprender mais rápido possível e fazer perfeitamente(ou quase isso se eu conseguir finalizar ahahaha), agora eu to escrevendo esse texto, pensando em putaria, ou pensando na minha ex, ou mexendo no celular para ver se tem alguma mensagem ou me distraindo com os carros que passam aqui na frente do escritorio de onde trabalho. Puta que pariu, eu penso em tantas coisas mas tenho muita preguiça de escrever, adoro fisíca quantica, acredito que tu é formado pelos os nossos pensamentos, espiritismo também acho foda, acredito em Deus, mas não vou à igreja, pois pra mim Deus está nas coisas boas da vida. Sou intensivo com sentimentos, porém passam rápidos, se caem na rotina, quero pular fora dele e tentar outra coisa para ter o prazer de adrenalina novamente. Não tenho medo de morrer, se eu morresse hoje, pra mim seria favorável e foda-se. Tenho amor a minha mão, mas não demonstro pelo fato de tantas brigas que já tivemos e ela não me entendo, aliás, ninguém entendo um TDAH. As vezes coloco a cabeça no travesseiro e fico pensando, (porra, o mundo podia acabar agora, e não só eu morrer, a porra do mundo inteira explodir, pra ninguem ficar chorando por mim encima do meu caixão, podia cair um meteoro bem encima da minha casa, UHULLLL" mas isso não acontece, e nunca vai acontecer (mas acredito que um dia aconteça HAHAHHAHAHAHA). Sei lá, vou acompanhar o blog, e á, eu não tomo ritalina, já tomei e me fez muito mal, então, vivo a vida com essa merda de TDAH e foda-se, tento ser feliz da minha maneira. Quem sabe Deus tenha piedade de mim, de nós. Abraços meu querido!!!!

    Leonardo Garcia, SC - Jaguaruna. Estudante de Arquitetura e Urbanismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkk, comentário super TDAH. É bem assim mesmo. Trate-se, Leonardo, a vida melhora muito.
      Um grande abraço e obrigado
      Alexandre

      Excluir
  2. nossa, é incrível como vc consegue descrever exatamente o que se passa na nossa mente....
    rss
    hoje mesmo pensei assim...
    estou passando por um problema com o marido, e me veio esse pensamento rss
    um carro vir e me atropelar kkk.... rir para não chorar...
    vc escreve muito bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, uma maneira de resolver nossos problemas; sem resolvê-los. Mas ficam com pena da gente... rsrsrsrs
      Um abração
      Alexandre

      Excluir
  3. queria saber de vc, qual foi a diferença da ritalina na sua vida?

    o tdah estraga nossa vida....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita Joys, veja o último post que publiquei: chama-se VIVA A RITALINA!
      Por aí vc imagina...

      Excluir
    2. fico com receio de tomar, por isso não procurei o psiquiatra ..

      Excluir
  4. Cara é assim mesmo,vc me descreveu, minha psicóloga disse que tinha TDA, sem hiperatividade, vc descreveu como me sinto, mas não tenho coragem de ir no psiquiatra e a psicóloga abandonei....

    ResponderExcluir