quinta-feira, 21 de junho de 2012

O TDAH COM O RADIADOR FERVENDO








Há pouco mais de um ano escrevi um post sobre os ganhos de memória que consegui com o tratamento inclusive em relação à manutenção do meu carro.
Adoro carros, odeio cuidar deles. Mesmo que ame meu carrinho, sou um péssimo dono. Ao desleixo como motorista soma-se uma impaciência com certas situações, uma delas aquela clássica de posto de gasolina:
' quer que dê uma olhadinha na água e no óleo aí doutor?' minha resposta padrão é: precisa não, amigo, tá tranquilo. E não tenho a menor ideia se está tranquilo mesmo, apenas quero sair daquele posto.
Ontem, saí do serviço à noite, abasteci o carro e: 'tranquilo, amigo'.
Chegando bem perto da minha casa percebi a luz da temperatura acender-se. Droga, pensei, aquela válvula termostática estragou outra vez. Há pouco mais de três meses eu troquei essa tal válvula.
Como estava muito perto de casa cheguei tranquilo e, claro, deixei para tomar providências na manhã seguinte. Você lembrou? Nem eu.
Fui levar a Marina na escola e em seguida buscar a Jaque, aí o caldo entornou. Novamente, no alto do morro, o carro ferveu. Parei, desci tranquilamente e pensei: " será que é falta d'água?" E não é que tinha água no radiador? Quando fui tirar a tampinha do reservatório voltou um monte de água fervendo. Do alto do meu vastíssimo conhecimento de mecânica sentenciei: não está faltando água.
Pra encurtar a conversa, gastei pouco mais de uma hora para percorrer uns 8 quilômetros. Andava dois minutos parava quinze pra esfriar o carro.
Fui direto ao mecânico: Pedrinho, disse eu, o carro ferveu de novo!
O mecânico parou o que estava fazendo e foi  conferir a fervura, levantou o capô e começou a rir: tá faltando água, Alexandre!
Minha cara caiu, cheio de gente em volta e claro, tinha um gaiato ao lado que tinha de dar um pitaco a mais: é, além de não colocar água no radiador o moço aí não calibra os pneus também, a lá, tá vaziinho. Os quatro ou cinco homens que estavam na oficina foram lá conferir o pneu murcho; mil pitacos e brincadeiras. Mentalmente eu mandei todos para aquele lugar.
Mas não tinha água mesmo. Aquela tal água borbulhante que tinha lá dentro era um restinho, o mecânico enfiou uma mangueira no reservatório e despejou litros e litros d'água.
Que vergonha, esqueci de colocar água no radiador do carro. Tentei pensar há quanto tempo não colocava água no carro e não consegui me lembrar de haver colocado água em 2012 no carro. kkkkkkkkkkkkkk
Ah, que saco também, a gente tem de ser perfeito em tudo...
Bom marido, bom pai, bom profissional, bom pro meio ambiente; e ainda tem de por água no radiador! Ahhh tenha santa paciência! Vou criar uma ONG pra financiar pesquisas de desenvolvimento de um radiador a seco, com gel, sei lá, algo que eu não tenha de me lembrar de conferir. Odeio conferir! Ódio mortal de conferir. Ihhhhh, me lembrei agora: e o óleo do motor, eu conferi?
Ah,  o Pedrinho deve ter olhado. Ou não? Tudo bem, amanhã eu olho.